EU A COMIA ENQUANTO ELA DORMIA



Essa aconteceu com uma amiga de trabalho e o fato aqui narrado não foi a primeira vez que estivemos juntos mas nesta ocasião foi de fato inusitado.

Até começarmos sair, ela havia ficado algum tempo sem ter nenhum contato físico e por isso sempre que nos encontrávamos ela era sempre insaciável, parecia querer recuperar todo tempo perdido numa única noite.

Neste dia em si eu a recebi em meu Flat, era morava a uns 5 minutos de carro de onde eu estava, o que facilitava nossos encontros amorosos, e a exemplo de outras oportunidades fizemos "amor" - como ela gostava de falar até tarde da noite e decidimos dormir, passaríamos a noite juntos.

Susana já há muito tempo utilizava tranquilizantes para dormir e é aqui que começa realmente o fato em si.

O remédio que utilizava era forte e de efeito rápido, e em apenas 15 minutos ela já havia apagado, estava nos braços de Morfeu.

Apesar de saciado este dia me bateu uma curiosidade: "Será que se eu toca-la ela desperta?".

Então comecei a alisar os cabelos lentamente com a ponta dos dedos, cabelos pretos, lisos e cortados até a altura do ombro.

Ela usava uma blusinha de algodão dourada e uma calcinha de rendinhas preta e dormia de ladinho.

Com o objetivo de ver até onde era profundo o sono, comecei beijando o rosto várias vezes a boca enquanto as mãos acariciaram os seios.

O peito esquerdo em especial proporcionava a ela um tesão enorme, certa vez, ela disse que chegaria a gozo se demorasse mais nas carícias, então, resolvi beija-lo inicialmente por cima da blusa para ver se haveria alguma reação, depois levantei a blusa e comecei lamber, beijar e chupar o mesmo seio e nada.

Realmente estava num sono profundo, não estava fingindo.

Delicadamente virei seu corpo que estava de lado e a coloquei de barriga pra cima, mantive a blusa levantada com seios a mostra, lambuzeios com minha saliva e continuei beijando-os, agora de forma mais frenética.

Fui beijando seu corpo de descendo, barriguinha, lateral do corpo, umbigo sem pressa e sem qualquer reação.

Neste ponto, fechei as pernas dela e beijei por cima da calcinha, um cheiro maravilhoso me levou a loucura, era muito agradavel aliado a um aroma de sexo.

Com as pernas dela fechada, fui tirando a calcinha bem devagarzinho, enquanto beijava a xoxota e lambia a parte interna das cochas.

Quando terminei de tirar a calcinha, arreganhei as perdas dela o maximo que pude e comecei um sexo oral prolongado, estava com muito tesão e aquilo estava ótimo.

Neste ponto, notava quando tocava no botaozinho dela que a respiração ficava um pouco mais profunda.

Acho que foi o meu recorde em sexo oral, ora chupava toda xoxota engolindo sua pora, ora lambia igual a um cachorrinho, dava mordinhas na virilha, lambia o cuzinho e enquanto estava nesse frenesi, resolvi introduzir dois dedinhos na xoxota, nesta altura já encharcada, ta encharcada que fazia barulho enquanto entrava e sai com meus dedinhos.

Nisso a respiração dela estava bem acelerada e resolvi ir para o gran finale.

O meu pau, uma ereção total, todo melado, maior e mais grosso que o normal, era tanto sangue na piroca que chegava doer a cada pulsação.

Comecei a passar o pau em seu lábios, abria a boca e enfiava e tirava, passei nos dentes e na língua, mas boquete sem reação não tem muita graça.

Resolvi descer, e na posição papai-mae enviei o pau, que entrou de uma vez todinho, fechei as pernas dela e comecei um delicioso movimento de vai-vem, beijando o pescoço, os peitos, uma sensação deliciosa.

Ela não acordava mais já respirava muito alto, embora não se movesse deu para notar que estava gozando talvez impulsionada por uma sonho bem picante, na verdade era real.

Fiquei socando aquela xoxota agora bem lubrificada e apertadinha o mais que eu pude até não agüentar mais, quando comecei a sentir aquele formigamento nas pernas que foi subindo lentamente até explodir num gozo intenso e prolongado, que me deixou completamente exausto.

Saciado sexualmente, relaxei por alguns minutos encima do seu corpo, sem deixar o peso todo no seu corpo.

Ela não acordou, não deu um pio, e eu confesso que queria mais, queria cuzinho que até aquela altura não tinha experimentado, acho que seria fácil, mas não fui, não tinha condições.

Ai surgiu um sentimento de culpa, então, não coloquei a calcinha de volta que era pra ela saber o que tinha acontecido, nem seria necessária afinal não usei camisinha, ela iria descobrir com a quantidade de pora dentro da xota.

De manha quando acordou Susana falou: "Seu filho da puta me comeu enquanto eu dormia?", eu disse que sim e ela falou maliciosamente: "Não achei graça, eu não gozei!", eu disse que sim, gozou mais não lembra, rsss

Bom, ela prometeu trocar de remédio por um menos forte, e eu nunca vou esquecer esta transa que tão bom resolvi compartilhar com vocês.

Ate a próxima.


Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Twitter Facebook

Comentários


foto perfil usuario

Comentou em 27/07/2012

Gostei do conto e votei Parágrafos e espaço facilita muito para os seus leitores Nota 1000, parabéns Leia e comente meus contos, aceito criticas




Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


18559 - PERDEU A CHAVE E LEVOU UMA CHUPADA - Categoria: Heterosexual - Votos: 3
26378 - COMI ISABEL NO CHÃO ATRÁS DO BAR - Categoria: Traição/Corno - Votos: 3
56644 - MORRO DE TESÃO POR ELA - Categoria: Incesto - Votos: 0

Ficha do conto

Foto Perfil jorge luis rj
jorge-luis-rj

Nome do conto:
EU A COMIA ENQUANTO ELA DORMIA

Codigo do conto:
18440

Categoria:
Coroas

Data da Publicação:
20/07/2012

Quant.de Votos:
3

Quant.de Fotos:
0