Vi minha mulher dando o cu...



Vou contar os fatos anteriores. A Paula tinha dado uma esfriada comigo, apesar de eu sempre conversar com ela e tentar esquentar a relação. Mas por outro lado, ela dizia que estava tudo bem, que estava trabalhando muito, estava cansada, nada de mais. Tudo começou quando ela me ligou da empresa onde trabalhava e disse-me que chegaria mais tarde, por conta de uma reunião.

Detalhe que na cama ela ficava só no arroz e feijão e queria uma boa chupada na boceta, que aliás é um convite para quem gosta, mas no máximo me batia uma punheta. Eu já estava com saudade de uma boca gulosa no meu pau.

Até aí tudo bem, mas quando ela chegou, foi direto para o banheiro tomar uma ducha que demorou um bocado. O problema é que Paula esqueceu a calcinha preta suja jogada no chão, de tanto que eu a apressei. Estava molhada e manchada, meio esbranquiçada, amarelada (vocês já sacaram né!?). Cheirei sua calcinha e senti um cheiro que não era de sua boceta. Macho conhece cheiro de macho. Logo imaginei que fosse porra, mas não era minha.

Como nós tínhamos combinado que a putaria tinha que acabar eu fiquei sossegado quanto as suas fantasias safadas. Saí do banheiro e percebi que ela estava inquieta, correu para o banheiro, pegou a calcinha e as outras roupas sujas para lavar.

Comecei a observar seu comportamento, um tanto estranho. Em uma sexta-feira, ela chegou bem tarde, umas 11:30horas da noite, trazida pelo chefe (ela era secretária dele). Tinha bebido e foi se deitar. Bem alegre, acabou se deitando com meia-calça cor-da-pele e a calcinha branca. Só tinha tirado a saia. Para quem tinha colocado um sutiã da mesma cor da calcinha pela manhã, à noite fui encontra-lo na sua bolsa.

Tirei a meia-calça e puxei a calcinha dela para tirar uma dúvida. Era isso mesmo. A boceta cheia de porra. Ficou aquilo de sentir tesão e um ciúme, mas nós tínhamos combinado que as festinhas tinham acabado. Fiquei puto da vida, até porque eu tinha sossegado o pau.

Eu tinha que passar o fim de semana fora e só conversaria com ela na volta. Entretanto, deu tudo errado, não fui para onde deveria ir e acabei voltando tarde para casa. Meu colega de serviço sugeriu que fossemos beber e eu topei.

Minha mulher tinha me ligado, disse que estava tudo bem, mas eu nem tinha lhe contado o que acontecera. Destino do cão. Chego em casa lá pelas seis da tarde, um carro parado na minha garagem. Entrei devagar e fui até o quintal onde fica a piscina e a churrasqueira.

Minha mulher estava debruçada em uma pia que tenho próximo à churrasqueira com a calcinha do biquíni arriada até os joelhos. O chefe dela metia, pelo jeito no seu cu e ela como uma puta gemia alto, à vontade para todo mundo escutar, apesar do som também alto que vinha do rádio lá fora e dizia: Ai.. tá gostoso.. isso.. fode meu cu... me fode... mete teu pau em mim... arromba meu cu... e o chefe dela puxando pelos cabelos e chamando ela de puta, tarada, vagabunda... toma sua puta... vou gozar no teu cu... toma piranha.. rebola no meu pau... cadela... até que ele gozou no cu daquela vagabunda.

Minha mulher parecia mesmo uma biscate... descabelada debruçada sobre a pia, a calcinha arriada nos joelhos. Fiquei com tesão, mas não gostei dela ter mentido para mim. O cara debruçou sobre ela e começou a beijá-la e ela elogiando o pau do cara: que pau gostoso, como vc fode gostoso.. me dá teu pau de novo...

Nisso me sai um outro cara de dentro da casa. O gerente da loja onde ela trabalhava. Ninguém tinha me visto. Minha mulher com a bunda empinada, o chefe dela abriu as nádegas e chamou o cara. Ele já estava nu, ficou atrás de Paula e meteu o pau de uma vez no cu dela. Arrombada e cheia de porra, entrou fácil. Acho que ele ficou uns cinco minutos fodendo o cu da minha mulher que tinha se ajeitado e chupava o pau do chefe.

Outra vez um cara gozou no cu de Paula, desta vez ele enfiou o pau na boca da minha mulher que chupou como uma piranha. Ainda os três estavam de costas para o lado onde eu estava. Paula suspendeu a calcinha do biquíni e ficou com porra dos dois só pra ela. Aliás, ela sempre adorava se vestir com porra na boceta e no cu. Dizia que adorava sentir-se molhada com a gala de um macho.

Decidi sair e fui para a rua. Fui tomar umas cervejas e liguei avisando que ia chegar em casa, pois o voo tinha sido cancelado.

Cheguei em casa de pois de longas horas. Paula tinha tomado banho e estava lavando o biquíni no tanque. Perguntei se tinha usado a piscina e ela justificou que estava calor.


Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Twitter Facebook

Comentários


foto perfil usuario schneider

schneider Comentou em 09/09/2012

poderia ser melhor, foi bom no começo, mas o fim deixou a desejar

foto perfil usuario a portuguesa

a portuguesa Comentou em 18/08/2012

sua mulher e mesmo uma louca adorei

foto perfil usuario contato_bmc

contato_bmc Comentou em 16/08/2012

o final realmente pedia algo mais, quem sabe na proxima surpreender ela com algm macho, quem sabe, se for gostosa assim como descreveu, to ai, se precisar é so chamar, abraço..

foto perfil usuario walter devasso

walter devasso Comentou em 16/08/2012

rapaz, muito bom o seu conto. parabéns! se tiver interesse lia um dos meus e me diga oq achou...

foto perfil usuario jordanel

jordanel Comentou em 16/08/2012

Para falar a verdade o final foi decepcionante, no meu ponto de vista conto tem que ter uma conclusão, mesmo que a conclusão seja que o marido virou corno manso e viado.




Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


18894 - As calcinhas da minha madrasta - Categoria: Fetiches - Votos: 3
18900 - Perdi a virgindade com minha madrasta - Categoria: Virgens - Votos: 3
18933 - Comi minha namorada na frente da mãe dela - Categoria: Coroas - Votos: 2
18951 - Comi a mãe da minha namorada - Categoria: Coroas - Votos: 4
18979 - Que cunhada gostosa I - Categoria: Traição/Corno - Votos: 3
18980 - Que cunhada gostosa II - Categoria: Traição/Corno - Votos: 6
18987 - A loirinha virgem - Categoria: Virgens - Votos: 4
19073 - A tara secreta da minha noiva: ela deu para quatro - Categoria: Traição/Corno - Votos: 0
19099 - Minha mulher o chupou dois caras no cinema - Categoria: Masturbação - Votos: 3
19100 - Minha mulher encoxada no trem - Categoria: Masturbação - Votos: 4
19114 - A gringa quis conhecer o fogo latino - Categoria: Heterosexual - Votos: 1
19152 - A melhor amiga da minha mulher - Categoria: Traição/Corno - Votos: 1
19305 - Minha mulher, minha putinha - Categoria: Fantasias - Votos: 2
20201 - Tirei o cabacinho da loirinha virgem, parte I - Categoria: Virgens - Votos: 1
20202 - Tirei o cabacinho da loirinha virgem, parte II - Categoria: Virgens - Votos: 3
20203 - Tirei o cabacinho da loirinha virgem, parte III - Categoria: Virgens - Votos: 4
20866 - Minha irmã foi minha putinha - Categoria: Incesto - Votos: 3
20899 - Primeira orgia com minha mulher - Categoria: Grupal e Orgias - Votos: 3
29125 - A princesinha virou putinha – parte I - Categoria: Heterosexual - Votos: 4
29127 - A princesinha virou putinha – parte II - Categoria: Heterosexual - Votos: 4

Ficha do conto

Foto Perfil Conto Erotico edusaf

Nome do conto:
Vi minha mulher dando o cu...

Codigo do conto:
19115

Categoria:
Traição/Corno

Data da Publicação:
14/08/2012

Quant.de Votos:
5

Quant.de Fotos:
0