Meu primeiro amor



Tinha 18 anos e adorava (adoro ainda) as mulheres, embora sempre fui muito aberto para novas relações. Estava no 2º ano do colegial e tinha um garoto na sala chamado Marcelo, que sempre me olhava diferente e me dizia ser eu o tesão da vida dele. Ele tinha 19 anos. Eu ficava incomodado com aquilo, pois adorava as meninas da sala, e tinha um caso com uma delas. O assédio aumentava. Ele mandava bilhetinhos dizendo que queria que eu fosse a mulherzinha dele por um dia. Eu ficava cada vez mais puto com aquilo e não aceitava aquilo, embora eu começasse a olhá-lo diferentemente. O Marcelo tinha 1.72, 68 kg e era um excelente nadador. Seu corpo era escultural sem dúvida. Passado duas semanas, o Professor de Biologia informou que sortearia duplas de alunos para entregar um trabalho sobre Botânica. Ao iniciar o sorteio eu estava desencanado quando ele disse: "Cláudio e Marcelo serão a dupla que farão o trabalho sobre as samambaias". Ao ouvir aquilo não pude acreditar. O Marcelo me olhou com aquele sorriso matreiro e com a linguinha de fora como se fosse me devorar. Senti um arrepio que nunca havia sentido. Terminada a aula de Biologia, fomos fazer o intervalo e ele me puxou pelo braço e disse. Hoje iremos nos reunir para o trabalho. Relutei e disse que não podia. Ele insistiu e disse que seria um trabalho nota 10. concordei e perguntei onde seria o encontro, quando ele pontamente respondeu: "Em minha casa, pois mneus pais estão viajando". Terminada as aulas naquela sexta-feira, liguei para minha mãe dizendo do trabalho que teria que entregar e que chegaria mais tarde em casa. Ela disse ok e que não iria me preparar o almoço. No caminho de sua casa, estávamos nós dois no ônibus quando ele disse: "Hoje será um dia inesquecível para nós dois. "Você será minha mulherzinha". Eu não acreditei, mas inconscientemente estava adorando essa nova experiência que estava por vir. Ao chegarmos em sua casa, Marcelo dispensou a empregada, deixando apenas nós dois naquela mansão, que nem imaginava. A casa parecia de cinema. Fomos pro quarto com o material para fazermos o trabalho, quando ele me puxou na escada e me deu um beijo em meu pescoço e começou a morder minha orelhiha. Senti um arrepio inacreditável. Coloquei minha cabeça pra trás e disse: "Me faça sua mulher". Ele me pegou no colo e me levou pro quarto de seus pais. A cama era imensa. Ele começou a me beijar devagar. Arrancou minha camisa e minha calça, me deixando de cueca. Ele prontamente também ficou de cueca quando abriu a gaveta de sua mãe e pegou uma calcinha e uma gilete e disse: "Vá ao banheiro e se depile toda pra mim, e coloque essa calcinha". Obedeci e fiz exatamente o que ele mandou. Passado 10 minutos, entrei no quarto com aquela calcinha branquinha e todo depiladinho. Ele tinha preparado tudo. Pegou uma garrava de champagne e 2 copos, bem como arrumado a cama para nós 2. Me pegou por trás com aqueles braços enormes e começou a me beijar calorosamente. Foram 5 minutos que fiquei imóvel sendo chupado no pescoço, nas orelhas, e depois na boca. Ele disse, venha experimentar meu cacete. Eu disse: "claro meu amor". Fiquei de joelhos pra ele e pude observar um volume na cueca monstruoso. Abaixei a cueca senti um cheiro maravilhoso. A cabeça do pau era roxa e grande. O pau era branquinho e estava duro como uma rocha. Tinha 19 cm. Era grosso. Era lindo. Não sabia o que fazer. Iniciei beijando a cabecinha, e passando suavemente a língua naquela cabeça roxa e cheia de tesão. Sentia seu pau explodindo. Ele começou a gemer. eu estava adorando. Coloquei aquele pau na minha boca inteiro. Fiquei num vaivém de mais ou menos 5 minutos. Chupava seu líquido lubrificante. Era um gosto maravilhoso. Um pau escultural. Ele disse: "Pare. quero te penetrar". Ele deitou na cama com aquele pau rígido e disse para eu sentar em seu mastro. Era minha primeira vez. Nem lembrei da camisinha, pois isso occoreu há uns 15 anos quando a Aids não era um problema. Coloquei vaselina em seu mastro rígido. O cheiro era maravilhoso. Sentei naquela vara de 19 cm devagarzinho, pois a dor era enorme. Foram 5 minutos de preparação até que os 19 cm estivessem até a base em meu cuzinho. MArcelo começou a me estocar. Acelerava o movimento cada vez mais, quando me colocou de 4. Eu estava totalmente dominado. Foram mais de 10 minutos naquele vai e vem. Meu cuzinho estava arrebentado. Ele já não aguentava mais. Puxava meus cabelos e mordia minha orelhinha. Me batia no bumbum e dizia: "Minha mulherzinha, minha vida, eu te adoro". Eu não me contive e disse: "Meu macho, me goze em minha boca, pois quero sentir todo seu esperma penetrando em minha boca. Quero sentir cada gota, saborear. Ser sua mulherzinha". Quando ele não aguentava mais, me colocou de joelhos novamente e pediu que eu chupasse seu pau, pois ele iria gozar. Sua cabeça estava latejando. Seu pau estava lindo. Ele começou a se contorcer. O primeiro jato veio direto em minha boca. O segundo também. Foram 5 jatos enormes que encheram minha boca. Engoli tudo e freneticamente chuupava seu pau. Decididamente eu era a mulher dele naquele dia. Era maravilhoso. Ele me pegou no colo e fomos tomar um banho na banheira de seus pais. Lá demos mais uma. NAquele dia foram 4 ao todo. Meu cuzinho estava latejando. Eu tinha engolido quase meio litro de porra deliciosa. O trabalho, ora o trabalho deixamos para outro dia, já que seus pais voltariam apenas dentro de 1 mês. Quer saber mais sobre os outros dias? Me escreva. Quem sabe serei sua mulherzinha?

                                


Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Twitter Facebook



Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


Ficha do conto

Foto Perfil Conto Erotico claudio

Nome do conto:
Meu primeiro amor

Codigo do conto:
197

Categoria:
Gays

Data da Publicação:
11/12/2009

Quant.de Votos:
6

Quant.de Fotos:
0