lua de mel



olá meu nome e zé sou branco 1.70 70k eu estava noivo de uma menina linda, loira olhos azus seios fartos e deliciosos, ate ai tudo normal não fosse o fato dela ser virgem e tanto eu quanto ela respeitarmos esta condição, fazia-mos planos para nossa lua de mel como todo casal apaixonado, nos amassos eu ficava de pau duro so de sarrar nas coxas roliças e no bumbunzinho durinho que ela tem, mais a danada não passava disso, nos casamos e eu louco para desfrutar do cabacinho e do cusinho, só que durante a festa eu bebi muito e fiquei de porre, viajamos no dia seguinte logo pela manhã com ela super aborrecida por ainda ser virgem mais eu disse que iria compensa-la dando-lhe muito amor, só que a viajem foi horrível quase 18 horas no ónibus pois a grana tava curta chegamos tarde e exaustos logo pela manha ela foi a praia estava aborrecida e não me chamou, eu acordei e fui encontra-la, decidimos ir para uma praia mais afastada lá chegamos rápido pois eu havia alugado um carrro, estava-mos nos amassos quando ela ficou imovel paralizada de medo e espanto, eram dois negros e um mulato todos enormes e armados de facões, o mais alto um negro de dois metros foi logo nos ameaçando dizendo que se nos queriamos safadesa nos teríamos, eu quiz argumentar que eramos casados mais o outro negro um pouco mais baixo me deu um soco na barriga que me calou na hora, o mulato agarrou andreia pelos seios que estavam expostos ela tentou se defender mais ele era muito mais forte que ela, nisso os dois negros tiraram suas roupas e eu entrei em pânico, pois os sacanas tinham os cacetes gigantescos o mais baixo tinha um pau de ums 25cm o mais alto devia chegar a uns 30cms o mulato disse que se ela colaborasse eles nos deixariam vivos eu reclamei e fui agredido novamente pelo negro mais alto, andreia chorava e argumentou que era virgen, ai totos riram e não acreditaram e a obrigaram a chupar os cacetes enormes, o pau do mulato parecia uma aberração a cabeça era do tamanho de um punho, minha mulher pegava no pau do mais alto com as duas mãos e ainda sobrava caralho para ela chupar o mais baixo retirou o biquini dela e expos aquela xoxotinha de pelos claros e ralos nisso andreia dava sinais de descontrole e passou a colaborar de forma bastante espontãnea, acho que era o tesão reprimido que eu não matei na noite passada o mulato deu seu pau para ela que agarrou a imensa rola cuja a cabeça ela não conseguiu por na boca devido ao tamanho o negro mais baixo enfiou um dedo no cu de andreia que gemeu forte não sei se de dor ou de tesão o negro mais alto abriu=lhe as pernas e tentou penetra-la andreia tremia e suava, pela primeira vez eu via aquela buceta que eu tanto desejava, o negro passou a pincelar o gigantesco caralho na diminuta vagina que agora estava extremanente molhada com toda aquela sacanagem, o negrão ao perceber o cabaço passou lamber aquela xoxotinha deliciosa nisso os outros dois deitaram minha menina na areia e cada um segurou uma das pernas de andreia que agora já colaborava por puro tesão o negro apontou aquele pau de 30cm bem em cima da xoxota arreganhada e cobriu-lhe toda a fenda as pernas de andreia tremiam quando o negro enfiou-lhe a pica com vontade, minha menina deu um berro, mais enfim, a bocetinha tinha abocanhado a enorme glade negra, o homem parou por um breve momento e foi enfiando o caralho na xoxota extremamente molhada arrombando-lhe a abertura vaginal, minha querida rebolava e gemia até receber todo o cacete, quando o negro sentiu que havia enterrado toda a vara sorriu satisfeito com a conquista, a menina tinha se transformado em mulher que gemia e soluçava em busca do goso, a jovem fêmea agora so queria saber de rebolar e pedir que o macho a fodesse com aquela enorme pica negra , todos estavam exitados com aquela cena, aquela jovem loura de 1,60 e 50k chorando na piroca daquele negro de dois metros e cerca de 100k com um pau decomunal. Toda a foda não durou 20 minutos, quando o negro gosou pode-se ver o estrago, a xoxota estava completamente arrombada e suja de porra e sangue. Minha querida pediu para limpar o caralho que a deflorara, e chupou a vara até deixa-la limpa, só que os outros tambem queria foder a jovem puta que surgira de dentro da menina outrora recatada, mais isso é outra história. até a próxima onde eu contarei o decorrer da lua de mel.
   

Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Twitter Facebook


Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


Ficha do conto

Foto Perfil Conto Erotico rela707211

Nome do conto:
lua de mel

Codigo do conto:
2334

Categoria:
Interrraciais

Data da Publicação:
26/04/2004

Quant.de Votos:
3

Quant.de Fotos:
0