“minha irmã e eu no trem.”



Meu nome é Satie tenho 32 anos , sou japonesa, tenho 1,52 de altura, 41 quilos de peso, sou casada também com um japonês e tenho 3 filhos. Moramos em uma cidade do interior e trabalho de secretaria. Em uma viagem à capital para visitar minha mãe, ela mora em Barueri, encontrei minha irmã, Tiemi, que também estava de visita, mas ela foi com o marido e seus filhos, enquanto que eu estava sozinha. O marido de Tiemi sempre ficava me secando todas as vezes que encontrávamos. Iríamos ficar a semana toda e numa quinta feira resolvemos ir no Brás comprarmos alguma coisinha, na verdade era mais para bater pernas mesmo. Como Ricardo, marido de Tiemi e as crianças resolveram ir ao shopping, fomos as duas. Primeiro um ônibus, depois metro, na baldeação Ricardo foi para outro rumo e nos seguimos até a estação Brás. Na ida foi tudo tranqüilo, quase sem movimento. Combinamos com Ricardo de somente nos encontrarmos na casa de minha mãe e assim fomos. Depois de algumas compras e muito andar, deparamos com o relógio e já era bem tarde, resolvemos pegar o caminho de volta. Quando chegamos à plataforma do metro deparamos com uma multidão. Como não tínhamos outra alternativa entramos no vagão para enfrentarmos a bando de gente furiosa e cansada do trabalho. Para entrar foi um aperto, uma esfregação até que nos acomodamos uma de frente para a outra, morrendo de medo de sermos assaltadas, coloquei as poucas sacolas nos nossos pés, encostei no cantinho e ela de frente pra mim segurando-me um braço. Nem bem o metro começou a andar e vi um homem se esquivando para trás dela. Quando ele chegou bem juntinho dela, senti seus dedos se crisparem no meu braço e seu olhar procurando o meu, como que perguntando o que ela poderia fazer, na verdade nada poderia ser feito, a não ser um escândalo. Mas apertando meu braço ela apenas se encostou mais ainda em mim e nada fez. Vi que o homem tinha fechado os olhos e podia notar sua expressão de satisfação por estar ali. Era um homem com aparência de nordestino, bem mulato e forte, não era muito alto e aos pouco com a pressão dele, ela ia me apertando e ficamos encostadinhas uma na outra. Coloquei uma mão na sua cintura e podia sentir que não havia espaço entre os dois, ele estava totalmente encostado nela. Podia sentir o movimento cadenciado dela provocado pelas leves estocados dele. Olhei para o rosto dele tentando ver os seus olhos, mas ele continuava com os eles fechados. Pude sentir que Tiemi estava entregue e curtia muito ser encochada, pela expressão de seu rosto pressenti que ela estava prestes a gozar. Sem ter uma explicação para isso, a não ser o tesão que sentia no momento e pela inusitada situação, fui incrivelmente ousada, fui escorregando minha mão para as costas de Tiemi, com o intuito de sentir o que estava encostado nela. Vi ela abrindo os olhos de espanto e apenas senti seus dedos apertarem ainda mais meu braço, como que me recriminando o que eu estava prestes a fazer. Sentindo o corpo dele encostado nela, minha mão foi se enfiando entre eles. Percebendo minha intenção seu corpo se afastou um pouco para deixar o caminho livre para minha mão. Notei que abriu os olhos espantado, como que para certificar que era verdade, que eu queria segurar seu pinto, abaixei meu olhar um pouco “envergonhada”. Logo senti meus dedos atingirem algo duro, fui enfiando mais minha mão entre seu pinto e o corpo dela, podia sentir seu volume imenso e duro como pedra apertando-se contra minha mão e a bunda de Tiemi. Deixei-o sarrando na minha mão por um tempinho, conforme ia aumentando meu grau de excitação mais eu queria, então resolvi que iria segurar ele. Fui virando minha mão até que podia sentir seu pinto repousando na palma dela. Sentia suas estocadas, atravessava por minha mão e cutucava a bundinha dela, fui fechando lentamente meus dedos e pude senti-lo de fato, era bem grande e grosso, muito maior que do meu marido. Comecei a apalpar e passava minha mão por toda sua extensão, às vezes apertava-o bem forte, sentindo seus músculos tesos. Em pouco tempo sua mão estava na cintura dela, como que querendo controlar seus movimentos, estocando como se tivesse metendo nela ali. Senti-o puxar o corpo dela contra ele e apertando seu corpo bem forte, senti seu pinto pressionando contra minha mão, estremecendo com certeza atingiu um belo gozo dentro das calças. Ainda assim continuei segurando-o percebendo seu pinto ir lentamente amolecendo na minha mão. Chegamos ao nosso destino dei uma leve apalpadela de despedida e pegando as sacolas saímos do aperto. Percebia seu olhar nos seguindo e até pensei que ele iria descer junto conosco, mas ele ficou estático apenas nos observando ir embora. Caminhamos rapidamente pela plataforma, pois ainda teríamos um trecho de trem até Barueri. Quando descemos em Barueri Ricardo estava a nossa espera, preocupado com a nossa demora, pois já era bem tarde. Conversando em casa ela disse que eu era louca por segurar em alguém dentro do metro, gargalhando disse que ela ainda era mais por deixar que ele a encochasse. Rimos muito da situação, mas no fim nós duas adoramos e combinamos que faríamos novamente assim que tivéssemos uma chance.
Foto 1 do Conto erotico: “minha irmã e eu no trem.”

Foto 2 do Conto erotico: “minha irmã e eu no trem.”


Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Twitter Facebook

Comentários


kzdopass48es Comentou em 15/05/2016

Familia maravilhosa! Quero pertencer a ela! Betto

sanseiromantico Comentou em 03/02/2015

Uma nissei como voce???eu transaria com muito gosto...

anjo discreto Comentou em 25/06/2014

Nossa, que aventura excitante! Você relata com extremo talento e muito tesão... Parabéns pelo conto!

dionisio Comentou em 14/12/2013

como queria encontrar vcs num metro bem gostoso

neygostosa Comentou em 16/11/2013

gostei do conto...votado

vocepede Comentou em 31/08/2013

ADOREI o conto!!! Muito bom!!! Muito bem escrito!!! Parabéns!!!

betto2373 Comentou em 05/03/2013

meu amigo vc e um cara de sorte tuam mulher e muito gostosa que buceta linda imagina eu com a boca chupando ela comendo ela vo ter que bater uma punheta pra ela meu fecebook e betton82 um beijo na buceta dela

casal mulherama Comentou em 04/03/2013

delicia as duas safadinhas votado

aventura.ctba Comentou em 04/03/2013

Conto muito excitante, gozei bem gostoso enquanto lia. Teve meu voto. Leia meus contos, comente, vote se gostar, irei adorar. Beijinhos Ângela: Casal aventura.ctba

sol45ma Comentou em 03/03/2013

ja votei gostei

vlade Comentou em 03/03/2013

delicia de conto , mas vc deve der uma delicia tb

pescador Comentou em 02/03/2013

PARABÉNS APROVADO

amassoterasex Comentou em 02/03/2013

maravilhoso conto, pena que não era eu com vcs.

marcia fernan Comentou em 02/03/2013

nuussss adorei!

carlos cézar Comentou em 02/03/2013

Adorei seu conto, adoraria embarcar em um metro ou trem lotado com vc.

sandra Comentou em 02/03/2013

Ótimo, linda. Amei!

zeus o gde Comentou em 02/03/2013

Vc tem um importante sugestionamento... escreva mais! Bjão do Zeus!




Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


20163 - Pernambucano arretadinho - Categoria: Traição/Corno - Votos: 32
20267 - Primeira vez com meu cunhado. - Categoria: Traição/Corno - Votos: 27
20282 - Recordações da adolescencia - seu Antenor - Categoria: Coroas - Votos: 30
20291 - Recordações de adolescentes, Sr. Antenor e mama - Categoria: Interrraciais - Votos: 24
22271 - Vendo minha mãe comecei a aprender. - Categoria: Traição/Corno - Votos: 30
22345 - A primeira vez - Categoria: Traição/Corno - Votos: 15
22778 - Foi até que não resisti. - Categoria: Coroas - Votos: 29
22928 - Meu primeiro homem de verdade. - Categoria: Coroas - Votos: 21
23338 - Vendo minha mãe aprendi a liçao de casa. - Categoria: Virgens - Votos: 20
23945 - Descobri por que meu pai era corno. - Categoria: Traição/Corno - Votos: 35
24431 - Desejo pelo cunhado me fez gozar de outra maneira. - Categoria: Traição/Corno - Votos: 22
24796 - A ocasião faz o ladrão - Na falta do meu homem, - Categoria: Traição/Corno - Votos: 24
26642 - Minha filha. - Categoria: Heterosexual - Votos: 24
26876 - Dominada no Rancho - Categoria: Traição/Corno - Votos: 36
27389 - Inicio da perdição. - Categoria: Traição/Corno - Votos: 20
27887 - Aprendendo sobre Sexo no fundo do quintal. (voyeur - Categoria: Traição/Corno - Votos: 25
34727 - Perdida no cinema. - Categoria: Traição/Corno - Votos: 50
36088 - Perdida no cinema II. - Categoria: Traição/Corno - Votos: 26
37405 - Minha filha 2. Eu e ela, perdidas no desejo. - Categoria: Traição/Corno - Votos: 30
40638 - Sobrinho querido - Categoria: Traição/Corno - Votos: 66
45525 - Descobri por que meu pai era corno II. - Categoria: Heterosexual - Votos: 20
79685 - Matiko – Na lua de mel. - Categoria: Traição/Corno - Votos: 25
82655 - Dotadão, jamais. - Categoria: Traição/Corno - Votos: 28
83524 - Divina - Dando pro primo da capital. - Categoria: Traição/Corno - Votos: 11
85183 - VIZINHO ME ARREGAÇANDO - Categoria: Traição/Corno - Votos: 28
87104 - Sobrinho querido 2 - Categoria: Incesto - Votos: 28

Ficha do conto

Foto Perfil satie
satie

Nome do conto:
“minha irmã e eu no trem.”

Codigo do conto:
26627

Categoria:
Traição/Corno

Data da Publicação:
02/03/2013

Quant.de Votos:
43

Quant.de Fotos:
2