Sogra sedutora



Minha sogra tem 50 anos e viúva há 8 anos nunca teve outro homem. Acho que ela sobe pelas paredes mas se segura por causa de seus 4 filhos, casados. Morena de cabelos curtos, peitos médios, coxas e bunda grossas. Com boa situação financeira, se veste sempre muito bem, mas de certa forma provocante. Convidados para o aniversário de um parente num badalado restaurante do Rio, minha sogra não queria ir. Depois de muito insistir, dizendo que sem ela tb não iria, fomos nós e minha mulher. Ela trajava calça de couro preta, blusa de seda preta com bolinhas brancas e sapato de salto alto. Minha sogra sentou numa mesa em frente a nossa. Comidas, bebidas, todos alegres e ficando alterados e reparei que minha sogra não tirava os olhos de mim, o que sempre percebí mas não arriscava, e as vezes rindo molhava os lábios no vinho e sensualmente passava a lingua nos lábios e sorria p/ mim. Eu passei a fazer o mesmo e ríamos a distância. Minha mulher perguntava o que estava ocorrendo e dizia que comentávamos a distancia como a festa estava chata. Como minha mulher engatou um papo com uma prima, me levantei e sentei do lado de minha sogra. Suando, nervoso e sem graça com medo de ser apenas mais um motivo de minhas maravilhosas punhetas em sua homenagem. Quando sentei do seu lado ela segurou no meu joelho, embaixo da mesa, e disse: - Este jogo de sedução é delicioso, não acha? Respondí: Eu ficou louco só de imaginar se tudo fosse real. Ela: E não é? Não estamos fazedo estes gestos um para o outro? Eu muito babaca respondí: Mas apenas de brincadeira, sem conseqüencias. E ela deu uma gargalhada e alisou minha coxa. Claro estava com a pica duríssima. Passamos a conversar outros assuntos com outras pessoas na mesa, mas a toda hora minha sogra olhava fundo em meus olhos, com ar de sedução e voltava para os demais como se nada estivesse acontecendo. Decidi sair da mesa para me acalmar e quando ameaçei levantar ela, acho que fingindo ser sem querer, segurou na minha perna, mas esbarrou com o ante braço no meu pau, olhou sério para mim e disse: Vc está louco? levantar agora?. Sentei e disse: Vou dar atenção a sua filha. Ela: Isto vc faz o dia inteiro. Fique aqui. A partir daí a troca de olhares e esbarrões em seus seios e no meu pau foram constantes. Exalava sexo e tesão no ar e achava que todos percebiam. Fim de festa e voltamos para casa. Minha sogra mora em prédio próximo ao meu e como era tarde disse que iria deixá-la em sua casa, e minha mulher foi direto p/ nosso apartamento. Ao chegarmos na portaria ela disse: Entre em casa comigo, pois estou achando que a emprega saiu e tenho medo de entrar sozinha. Como sei que era mentira, topei na hora. Fui para o fundo do elevador e ela entrou tocou seu andar e de costas disse: Que noite deliciosa, Só faltou beijo na boca e como diz a garotada - a sobremesa. Eu morrendo de medo disse: Se pudesse realizaria todos seus sonhos. Ela enconstou aquele rabo delicioso em mim, deichou o pescoço cair um pouco para o lado e disse: Não existem dois dias iguais. Não me controlei e a abracei pela cintura fazendo ela sentir minha pica na sua bunda, arrisquei um beijo na nuca e por sua expressão acho que ela ficou encharcada na hora. Passei a beijar sua nuca e ela comprimia sua bunda no meu pau. O elevador chegou, ela pegou meus braços e se abraçou, saindo engatados do elevador. Abriu a porta do apartamento se virou para mim e disse: Se vc falar que vai embora eu vou ficar sem conseguir dormir a noite toda. Fechei a porta e quando voltei ela já estava se jogando no sofá. Me ajoelhei no chão e passei a acariciar sua barriga, descendo por suas coxas quando ela abriu um pouco as pernas. Alisava suas coxas por dentro e ela começou a revirar os olhos e encancarou as pernas, caí de boca na sua buceta por cima da calça e comecei a alisar seus peitos. Ela começou a abrir sua blusa e a gemer, se contorcer e me agarrar pelos cabelos. Fique um pouco mais de pé e abrí sua cala e enfiei meu dedo por sua calcinha preta de renda e comecei a alisar com a ponta dos dedos seus pentelho e a chupar seu peio. Meu pau estava na altura de sua cara e ela o pegou com sofregidão e começoua apertá-lo com força. A joguei de costas no sofá, tirei sua calça e começei a me virar e a chupar sua buceta melada, peluda e deliciosa. Ela arfava, arranhava minhas costas e dizia que estava realizando uma tara, um sonho. Ajoelhei do seu lado e direcionei meu pau à sua boca. Ela resistiu mas acabou abocanhando. Primeiro timidamente e rindo, depois chupava, cabeça, tronco e bolas com muita saliva e como nunca imaginei que fosse ser chupado um dia. Gozei em sua boca e ela sem saber se engolia ou cuspia ficou a gargalhar com a porra toda na boca. Eu disse: Engole que eu te dou mais. Ela fez cara de nojo mas engoliu tudo. Deitei no chão e ela disse. Só gozei com sua boca ma minha buceta, mas quero sentir seu pau me desvirginando. Depois de 10 anos sem sexo ficquei virgem novamente. Como o pau estava mole, passei a chupar e morder suas coxas, sua barriga, seus peitos deliciosos e cai de boca na sua buceta tocando uma deliciosa siririca com 2 dedos, e algumas lambidas no cú. A mulher começou a ficar tonta, a balbuciar, pensei que ia desmaiar, e com a cara toda trincada falava em suspiros: me come toda, me arromba, enfia este caralho em mim. Quero ser sua mulher, quero gozar muito contigo. Neste clima é claro que o pau endureceu e eu me virei, cuspí muito na palma das mão e passei a massagear seus peitos e a beijar com violência sua boca, nuca, olhos, tudo. Enfiei meu pau primeiro devagar e depois fundo batento meu saco com toda força na sua bunda. A mulher revirava os olhos, gemida, soltava gritinho e disse que ia gozar. Parei na hora e ela não entendeu nada. Aí eu disse: vou comer seu cú agora. Ela: Jura, então enfia tudo, adorava dar meu rabo, mas agora só brinco com meus próprios dedos. Como seu cú estava todo babado por mim, fui logo enfiando e ela quase levantava do sofá de tanta pressão. Enfiei tudo, junto com uma siririca na sua buceta e enfiando meus dedos da outra mão na sua boca. Ela gozou e desfaleceu. Eu tirei o pau da sua bunda e enfiei na sua buceta com ela desfalecida. Gozei muito e depois a despertei. Ela acordou, melada, suada e disse: Que loucura! Que delícia! porque não te comí antes. Agora sempre que nos encontramos o tesão aflora em nossos rostos e sinto que toda a família já percebeu, merecendo um comentário de mnha cunhada à minha mulher em tom de brincadeira -Mamãe e seu marido estão tão amigos que até desconfio. Estou apenas esperando ser convocado para outra oportunidade e confesso. APAIXONADO por minha sogra.

Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Twitter Facebook



Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


3003 - Realizando fantasia com a sogra - Categoria: Incesto - Votos: 3

Ficha do conto

Foto Perfil Conto Erotico tarado na 3ª idade

Nome do conto:
Sogra sedutora

Codigo do conto:
3463

Categoria:
Incesto

Data da Publicação:
23/11/2004

Quant.de Votos:
2

Quant.de Fotos:
0