Sogrinha



Sogrinha
Olá para todos. Meu nome é Evandro, sou casado com Nair há 13 anos. Ela é uma mulher super gostosa, puta e tarada
como vocês poderão ver em meus outros contos. Resolvemos convidar minha sogra Zilá para passar as festas de final de
ano conosco tendo em vista que ela mora sozinha numa cidade do interior e Nair é filha única. Zilá nos seus 56 anos
ainda é uma mulher muito gostosa e minha mulher realmente tem a quem puxar. Morena também, 1,65m, 56 kg, seios
grandes, bicudos e ainda empinados, sem barriga, cintura fina, quadris largos, coxas grossas e bem torneadas e uma
bunda muito deliciosa. Assim que ela chegou em nossa casa, pediu a Nair que a acompanhasse a uma loja pois gostaria
de comprar um biquíni novo para aproveitar a piscina que temos em casa. No dia seguinte quando cheguei em casa do
trabalho fui até a piscina cumprimentá-las e a surpresa que tive me fez cair o queixo. Zilá estava vestindo um mini
biquíni branco e transparente que me pareceu dois números menor que o tamanho dela. Os bicos dos peitões ficavam
metade aparecendo. Os grandes lábios da buceta saltavam para fora da calcinha do biquíni e o bundão ficava todo a
mostra. Literalmente babei.... O micro biquíni de minha mulher era grande perto do de sua mãe. Beijei Nair e minha
sogra. Minha esposa então falou:"Amor ...sobe lá no quarto, te troca e vem ficar com a gente...para aproveitar o
calor..." Subi e resolvi colocar uma sunga mínima que tenho e que acentua bastante meu volume (22,5cmx9,5cm, duro).
Quando retornei a piscina Zilá olhou para mim e disse:"Nossa....o tecido da tua sunga deve ser bem resistente porque
senão já teria rasgado com a pressão e o volume...." E as duas deram uma gostosa gargalhada. Fiquei por ali
conversando com elas e observando a gostosa da minha sogra. Meu pau já estava super duro e doendo. Resolvi então
entrar na piscina. Zilá veio logo atrás de mim e Nair ficou tomando sol. Dentro da água minha sogra fazia de tudo para
se esfregar em mim. Passava a mão no meu cassete como se fosse sem querer, esfregava a bundona nele, me abraçava
fingindo estar se afogando e roçava a buceta em meu pau. Num dado momento eu estava encostado na escada da
piscina.Ela mergulhou e vindo nadando por baixo da água abocanhou meu caralho por cima da sunga. Quando emergiu
ficou grudada em mim e falou alto para minha esposa: "Nair!!!Vamos nos pelar para não ficarmos com marcas do sol?"
Nair levantou-se e tirou seu biquíni. Rapidamente Zilá tirou o dela juntamente com minha sunga.Estávamos pelados e
ela grudada em mim. Entre abriu as coxonas e colocou meu cassete no meio delas. Pela viscosidade percebi que ela
estava excitada, pois iniciou movimentos de vai e vem roçando meu pau em sua bucetona depilada. Senti que num
determinado momento desse roça, ela estremeceu e me abraçou mais forte. Havia gozado. Como na água ficamos mais
leves, ela subiu o corpo e encaixou meu pau na sua buceta e o fez entrar todinho e de uma só vez. Neste momento ela
falou para Nair:"Filha...uma cobra enorme acaba de entrar na minha toca...." Ao que Nair respondeu:"Cuidado...senão
ela cospe todo o veneno dentro de ti..." e deu uma risada. Zilá iniciou movimentos de sobe e desce e enquanto me
beijava enfiando a língua em minha boca, gozava sucessivamente. Quando eu anunciei que iria me acabar ela tirou
meu pau de sua buceta e subiu a escada. Eu abaixo dela pude vislumbrar sua buceta gostosa e não perdi a chance de
passar a língua naquela racha apetitosa. Do lado de fora da piscina, Zilá ficou de quatro sobre um colchão e disse para
mim:"Vem meu genrinho tesudo....mete esse teu tronco grosso no meu cú que está piscando de tesão...vem...mete...."
Eu me posicionei atrás dela e encostei o cabeção no seu anelzinho...Nair aproximou-se e deitando por baixo de sua
mãe iniciou uma chupada em sua buceta. Forcei e a chapeleta entrou. Zilá num rompante de tesão empurrou a bunda
para trás e meu cassete desapareceu no cu dela ficando somente as bolas de fora. Ela estava empalada. Iniciei um vai
e vem, a principio lento, porém em seguida violento arrancando gritos de pouca dor e muito prazer. Nair, que havia
buscado um consolo de látex de 25cmx12cm, enterrou-o na buceta de Zilá. Ela urrava de tesão e dizia:"Aiiieee...meu
genrinho....fode a puta da sogrinha....me arromba o cú....ai que saudade de uma rolona como a tua....é muito bom ser
arrombada no cu e na buceta ao mesmo tempo...vai filhinha ...fode a mamãe....to te corneando com o teu pauzudo...."
Ela não parava de gozar...eram orgasmos múltiplos. Eu avisei que iria me acabar e ela e Nair se ajoelharam na minha
frente para receberem minha porra. O primeiro jato foi na garganta de Zilá, o segundo nos olhos de Nair...foi um
banho de leite. Uma chupava a outra não deixando escapar nada inclusive limpando meu pau sujo de porra e merda.
Eu continuava com o caralho super rígido e aí foi a vez de minha mulher, só que eu falei:" Agora minha égua puta, fica
de quatro que vou fuder teu cú também, mas junto com o meu pau vou enfiar o consolo". Rapidamente Nair ficou de
quatro. Eu enfiei o consolo no seu cú e quando ele estava dentro fui metendo o meu caralho. Dois de uma vez só no
mesmo buraco. Nair gritava de tesão enquanto beijava a boca de sua mãe. Segurei firme o consolo para que não
escapasse e iniciei um vai e vem super gostoso. Nair tinha um orgasmo em cima do outro e dizia:"Seu puto....tu tá me
arrombando o cú...tu tá te vingando porque eu planejei tu comeres minha mãe....mas não faz mal...tá muito
bom...vai....fode...vai....me arrebenta as pregas...." Eu dizia:"Vou encher esse teu cuzão de leite quente sua vacona...."
E o meu gozo veio forte. Saquei fora o consolo e gozei no cú de minha mulher. Veio mais porra do que na primeira vez.
Escorria pelas coxas de Nair minha porra e merda. Minha sogra lambia tudo novamente deixando limpinho, inclusive
meu caralho. Ficamos exaustos e demos uma descansada. Demos uns mergulhos na piscina e minha mulher começou a
se esfregar em mim fazendo meu pau subir novamente. Saimos da piscina e Nair deitou-se numa cadeira de sol.
Fizemos um gostoso papai e mamãe enquanto Nair chupava a buceta de Zilá que estava acocorada em seu rosto. Foi
delicioso. Contamos para Zilá que trepávamos com minha mãe e com nosso afilhado. Ela ficou super empolgada para
participar. Inclusive a convidamos para vir morar conosco e ela ficou de pensar...mas essas são outras histórias.

Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Twitter Facebook

Comentários


gato_viralata31 Comentou em 02/01/2014

Delicia de sogra! Votado

arianowam Comentou em 02/01/2014

Muito bom o conto. Gostaria muito de ler os outros de vcs transando com sua mãe e com seu afilhado tbm.

sograrb Comentou em 30/12/2013

Gostei, ela é tarada e puta como eu.

eu21 Comentou em 30/12/2013

Que fodasso gostoso uma das melhores que li. Me deixou toda molhada, ai se eu estivesse junto com vocês.




Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


40916 - No carro - Categoria: Heterosexual - Votos: 1

Ficha do conto

Foto Perfil vingadora
vingadora

Nome do conto:
Sogrinha

Codigo do conto:
40234

Categoria:
Incesto

Data da Publicação:
27/12/2013

Quant.de Votos:
8

Quant.de Fotos:
0