No onibus



   Nosso pai foi transferido para Brasilia e iriamos de onibus,moravamos no interior do Rio Grande do Sul, Rio Grande, e levariamos 36 horas para chegar ao Distrito Federal. De Rio Grande a Porto Alegre são 4:30 hs, embarcamos as 08:00 e as 13:00 estavamos almoçando com os primos na capital. Eu e Magda combinamos que quando embarcassemos a noite iriamos juntos, e começamos a prever nossas loucuras.
   A noite as 22:00 hs se fomos sentados lado a lado em direção a capital do Brasil com todos sonhos na cabeça e fantasias para realizar nas duas noites de viagem.
    Logo que as luzes da cidade se afastaram e entramos na Free Way começamos um brinquedo de carinhos com toques sensuais por todo o corpo, era final de março e por aqui as vezes a noite faz um pouco de frio e nos tapamos, eu estava de bermuda e ela de saia, ao passar a mão em seu pubis senti o calos de sua xana, afastei a liga da calcinha e senti seus pelinhos que foram vencidos pelos dedos vorazes em direção ao cobiçado grelinho, de pronto pegou me cacete e começou uma massagem fantastica , nestre momento deitou a cabeça sobre o meu colo por baixo do cobertor e passou a sugar do meu falo, quando viu que estava a ponto de gozar,pois as primeiras gotas começãvam a vazar passou abeijar o meu peito, minha boca e pescoço num alucinante ritmo, mordendo minha orelha pediu para botar um pouquinho em sua bucetinha o que de pronto e lentamente fiz para que sentisse cada milimitro da pica adentrando seu utero. Não podimos nos esppichar muito, mas todos dormiam neste instante. Num gesto maluco ajoelhei-me entre os bancos e passei a chupar sua carnuda vulva e intrduzir-lhe mes dedos umidos em seu rabo, ela arebolava muito e pediu desesperadamente para enterrar-lhe pois estava quase gozando, foi quando os quatro dedos no cú, e desajeitadamente fui enfiando o pau em sua buceta até sentir minhas bolas tocar meu pulso, e desta maneira atolada como uma vadia no cio gozou mordendo o cobertor parea não fazer barulho, senti meu esperma invadir suas entranhas, e foi bastante leite ficamos atracados como cachorros durante algum tempo sentido os espamos do gozo profundo quando vimos aproximar-se as luzes do paradouro, era sombrio que se aproximava, foram quase 4 horas de brinquedo.
Ao descermos estavamos bambas e segredou-me que estava com as pernas toda esporradas e iria lavar-se pois´até o cu estava lambuzado. Assim fomos viajando até a capital do pais, divirtindo-se a noite e dormindo de dia. Foi a melhor viagem que já fizemos.   Trocamos fotos e relatos, escrevan-nos

Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Twitter Facebook



Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


4741 - TUDO ACoNTECEU EM UMA NOITE DE VERAO - Categoria: Incesto - Votos: 2
4748 - Para não engravidar - Categoria: Incesto - Votos: 2
5186 - A primeira na Capital - Categoria: Incesto - Votos: 0

Ficha do conto

Foto Perfil Conto Erotico neom

Nome do conto:
No onibus

Codigo do conto:
4932

Categoria:
Incesto

Data da Publicação:
02/06/2005

Quant.de Votos:
1

Quant.de Fotos:
0