garotinha linda



O fato que vou relatar aconteceu semana passada no carnaguari, carnaval fora de época no interior do Amapá. Vamos aos fatos. Passava das duas da madrugada ouço vozes eram três meninas que se aproximavam para ir ao banheiro publico uma vinha praticamente carregada pelas amigas, estava escuro e não dava pra ver muito bem, mas dava pra ouvir a conversa das duas. Vamos deixar ela sentada aqui enquanto nos vamos ao banheiro. A outra – é mesmo ela nem sabe que ta viva e já ta toda mijada mesmo. A menina estava bêbada, inconsciente, elas a deixaram num banco fora do banheiro e entraram. Eu me aproximei da garota, era uma garota linda, bem branquinha, cabelos longos e negros, pelas roupas que vestia dava pra perceber que era uma patricinha, não deveria ter mais que quinze anos. Peguei-a pelo braço e sai andando com ela em direção a casa que eu e meus colegas tínhamos alugado para passar o carnaguari, ninguém percebeu nada, tava todo mundo a fim de se divertir, entrei na casa, alguns dos colegas estavam bêbados pelo chão, fui direto para o quarto, joguei-a na cama e comecei a despi-la. Ela estava com alguns hematomas, deve ter caído pela rua, tirei a jaqueta dela, o tope ela estava sem sutiã os peitinhos rosinha lindos.
Comecei a tirar a calça dela estava muita apertada e molhada e deu muito trabalho, como ela estava fedendo de urina levei-a pro banheiro para dar-lhe um banho, quando liguei o chuveiro ela acordou com a água fria, ela falou – o que você ta fazendo? Eu falei calma eu vou só te dar um banho. Deu pra perceber que ela estava fora de si, completamente anestesiada por causa da bebida. Sentei-a no chão do banheiro tirei sua calcinha e comecei a ensaboa-la. Eu tava curtindo muito aquele momento passava o sabonete nos seus seios, na sua bunda, na sua xaninha, e ela quietinha não falava nada, ora cochilava ora acordava, dei um banho bem demorado nela, deixei ela cheirosinha, levei ela para cama deitei-a abri as pernas dela e comecei a chupar sua xaninha e acariciar seus peitos, ela ficou toda arrepiada, ela estava inconsciente, mas dava pra perceber que esta delirando com minha língua na sua boceta, fiquei nisso alguns minutos até que senti seu corpo estremecer, achei que ela devia ter gozado, tirei a roupa e posicionei a pica na entradinha da bocetinha dela ate então eu achava que ela não era mais virgem, comecei a forçar pra meter a pica naquela xaninha, e forçava cada vez mais ate que ela começou a gemer – ai, ai, ai, tira que ta doendo, não faz ta doendo. Parei um pouco de forçar ela voltou ao estado de dormência, forcei mais um pouco, percebi que assim não ia dar, tava quase gozando de tanto tesão, fui na cozinha e trouxe um pote de manteiga passei no meu pau e na bocetinha dela, e comecei a forçar de novo, quando ela começou a gemer de nova, meti a pica com toda a força que ate meu pau doeu, ela começou a chorar e a bater na minha costa dizendo. – tira, por favor, que ta doendo. Eu disse a ela. – calma que já vai passar. E dei um beijo na boca dela. Agora ela estava acordada, mas continuava chorando e soluçando e eu fiquei com a pica dentro da bocetinha dela, logo ela estava só soluçando eu hora beijava hora a acariciava, ate que ela parou de soluçar e ficava só respondendo aos meus beijos e comecei a conversar com ela, perguntei o seu nome ela me disse que se chama Carla e eu lhe falei o meu, perguntei quantos anos tinha ela me respondeu, nessa altura o meu pau estava meio mole mas continuava dentro dela, comecei a beija-la novamente e ela retribuiu o meu pau começou a endurecer novamente e comecei a fazer o movimento de vai e vem, ela me falou que estava doendo mas pra eu continuar que dava pra agüentar e que estava gostando. Comecei a fudela com vontade e chupava os seus peitos ela começou a gemer baixinho, mas agora parecia ser de prazer ate que ela estremeceu novamente e percebendo isso fiquei muito excitado e acabei gozando junto com ela, era tanta porra que ensopou boa parte do lençol fiquei grudadinho nela pro um instante e fui tirando o pau bem dever pela expressão do rosto dela estava doendo muito. Convidei-a para tomarmos banho e ela foi quase não conseguia andar. Tentei transar mais uma vez com ela no banheiro, mas ela não deu conta estava muito dolorida, sua bocetinha que era rasinha quase sem pelos estava vermelha, depois do banho fomos deitar novamente já era dia comecei a acaricia-la depois cai de boca naquela xaninha e a fiz gozar mais uma vez.

Espero que tenham gostado

Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Twitter Facebook


Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


Ficha do conto

Foto Perfil Conto Erotico roger-ap

Nome do conto:
garotinha linda

Codigo do conto:
4938

Categoria:
Virgens

Data da Publicação:
03/06/2005

Quant.de Votos:
1

Quant.de Fotos:
0