Consulta com a urologista



Há alguns dias atrás eu estava com uma dor muito grande no canal da uretra. Não aguentando mais, fui ao médico geral e o mesmo me encaminhou para uma urologista. Mas antes quero me descrever: tenho 25 anos, sou solteiro, alto, com um corpo másculo e um pênis avantajado, que mede uns 19cm quando está duro. Quando chego na clínica, a secretária, chamada Sandra, que devia ter uns 22 anos, estava com uma blusa branca e transparente, seus seios, que eram grandes e salientes, pareciam que iriam pular para fora devido a três botões estarem abertos. Isso me dava uma visão fenomenal e meu pau já endureceu na hora. Enquanto aguardava, ela se abaixou na mesa perguntando se eu queria alguma coisa, como água ou café. Pedi água. Ela se levantou e pude ver que sua saia, que também era branca, deixava a mostra um pouco da sua calcinha, que também era branca e estava bem enfiadinha no rêgo. Devido o meu pau estar duro, havia um grande volume por debaixo das minhas calças. Quando a secretária percebeu o volume, ela não tirava os olhos dele. Para quebrar o gelo, perguntou-me o problema. Disse que estava com uma dor no canal da uretra e que não sabia o motivo. Ela então olhou para meu pau e perguntou a medida, disse que mole media uns 13cm e duro chegava a 19cm. Na mesma hora parece que as coisas começaram a esquentar e a secretária tirou mais um botão da blusa, deixando a mostra seu sutien e seus deliciosos peitos grandes. Então, ela olha para meu pau, com a boca salivando, e me diz que meu problema era comum e que vários clientes que tinham o mesmo problema se curavam com um técnica especial desenvolvida pela Dra. Selma. Ela também me disse que ajudava nas consultas e que seu namorado vinha de vez em quando á clínica para se consultar com a dra. A secretária disse que nas consultas, a dra. gostava muito de olhar e pegar no saco e no pau. Ela falou que a dra. fazia acompanhamento do seu namorado, tirando fotos do seu pênis e testando a ejacuação para saber o nível de sua fertilidade. Achei isso legal e dei mais confiança para a dra. Após quinze minutos, quando meu pau amoleceu, a dra. pede para entrar. A secretária se levanta, com o sutien à mostra e me acompanha até a sala da dra. Selma. Quando entro, me deparo com uma médica que devia ter uns 29 anos, usava óculos e era muito nova. Estava com uma saia bem curta e branca, que deixava sua calcinha, que estava enterrada no seu reginho, bem à mostra. A dra. era alta e tinha uns seios muito grandes volumosos, que como a secretária, deixava quatro botões soltos e mostrava seu sutien e um pedaço do seio. Me sentei na cadeira em sua frente, ela então se abaixou, deixando os seios caírem sobre à na mesa e me perguntou qual era o meu problema. Disse que estava com uma dor no canal da uretra. Com o pau mole, ela me disse para sentar na maca, tirar a calça e ficar só de cueca. Fiz o que ela pediu e me deitei de barriga para cima. Ela colocou uma luva descartável e começou a apertar minha barriga perguntado se doía. Disse que não. Se esforçando para segurar o tesão, ela veio e passou a mão por cima da cabeça da minha rola e disse que meu pau era muito volumoso e bonito. Agradeci e ela foi com a mão até a minha virilha e começou a passar mão, deixando as vezes esbarrar no meu saco. Ela perguntou se doía, e disse que não, que a dor era no canal da uretra. Então ela pede para mim se levantar e ficar em pé em sua frente. Ela sentar-se numa cadeira e abaixa a minha zorba, expondo meu pinto. Devido ele estar muito duro, ele bateu em seu queixo, em seus lábios e no rosto. Ela levou um susto e disse que eu tinha muita virilidade. Então, a dra. aperta meu saco e pergunta se estava doendo, disse que não. Ela vai a sua mesa e chama a secretária para ajudá-la na consulta. A secretária, com quem havia conversado a pouco, entra na sala com uma máquina digital e uma bolsa. Fiquei constrangido, tentando me cobrir, mas a dra. falou para não me preocupar pois a consulta era sigilosa e faríamos algumas fotos para acompanhar o meu caso. A secretária, secando meu pau, disse que ele era muito bonito e se aproximou mais com a câmera para tirar fotos. Enquanto tirava fotos, a dra. foi á um canto da sala, que tinha um vestiário, e colocou um avental que deixava suas costas livres a mostrava o sutiem e o lado dos seios. Como estava ainda em pé, ela se sentou novamente e disse que iria fazer alguns exercícios para meu pau ficar duro, e uma massagem para parar de doer. A dra. se aproximou e cheirou meu pau, dizendo que ele era grande e que o odor que saia dele mostrava que eu tinha muita fertilidade. Ainda com a luva, ela começou a fazer movimentos para trás e para frente, como se fosse uma punheta, ficou assim por uns cinco minutos. Enquanto isso, sua secretária fazia várias fotos, se abaixava e mostrava seus seios para mim. Ela parou e chamou a secretária para medir meu pau. Pegou uma régua, chegou bem pertinho de mim, se sentou e pegou meu pau na mão. Pegou na base do saco, deu uma olhada, lambeu os lábios e mediu. 19 cm da base até a cabeça. Nossa, bem que você falou que seu pinto media 19cm. A médica fez algumas anotações e disse que como meu pau estava duro, iria começar outros exercícios para relaxar o canal da uretra. Ela falou para a secretária colocar uma luva e passar um produto geladinho no meu pau. Conforme a secretária ia passando, ela alisava a me fazia uma gostosa punheta. Após isso, a dra. falou para ficar em pé na sua frente (ela estava sentada na cadeira) e disse para ficar quieto, pois essa etapa era a mais difícil e exigia muita concentração. Inesperadamente ela coloca á língua para fora e começa a passar na cabeça do meu pau. A secretária, que tirava fotos, diz que o exame é comum, serve para relaxar o pau e para saber a sua densidade. A dra. se levanta, faz algumas anotações. Depois, se senta de novo, chega mais perto e engole a cabeça do meu pau, chupando a minha glande por uns cinco minutos. Após isso, se levanta e fala para a secretária sentar-se na cadeira para fazer o mesmo exame, para que ela tenha mais noção do meu problema para resolvê-lo. Sandra lhe dá a máquina, senta-se na cadeira, olha em meus olhos e começa a chupar meu pau deliciosamente. A dra. pergunta para a secretária se ela deixa eu pegar um pouco em seus seios para dar mais ereção. Com a boca cheia e babando muito, ela balança a cabeça afirmativamente. A dra. vai de encontro a ela e abre todos os botões de sua blusa, deixando seus seios á mostra, mas ainda dentro do sutien. A dra. vendo que a consulta estava dando certo, me pergunta o que estou sentindo. Digo que o procedimento estava muito bom e que a dor aos poucos estava passando. Num movimento, a dra. puxa os cabelos da secretária e aperta a sua cabeça contra meu pau. A secretária engole de uma vez, sem problema. A dra. disse que ela sempre fazia treinamentos para melhorar a qualidade dos exames e me perguntou se eu estava sentindo as amidálas da secretária. Disse que não, então Sandra abre bem a boca, olha nos meus olhos e engole todo meu pau, fazendo que eu sentisse suas amídalas. O tesão foi tão grande, que dei um berro, virei minha cabeça para trás e quase gozei na boca da secretária peituda que estava com os seios à mostra e babando no meu pau. Depois disso, a dra. pede para Sandra pegar a máquina fotográfica, pois queria testar agora a minha resistência sexual. Pegando uma camisinha na bolsa, a dra. coloca ela no meu pau e tira o seu avental ficando somente de calcinha e soutiem.. Para minha surpresa, ela se apoia na mesa, afasta um pouco a calcinha e pede para a secretária colocar o meu pau na sua bucetinha. Comecei colocando aos poucos e ela me perguntou como eu estava sentindo a penetração. Disse que não tinha problemas, então falou para ir mais rápido, mas que não era para gozar. Então comecei a socar na bucetinha da dra. Ela gemia de tesão enquanto sua secretária tirava fotos do meu pau entrando e saindo da sua xana. Após alguns minutos, ela me diz para penetrar seu cuzinho porque ele era mais apertado e queria saber se em caso de atrito, poderia haver algum problema no meu pau. Rapidamente coloquei meu pau na entrada do seu cuzinho, deixando só a cabeça entrar. Ela gemeu e deu um grito, falando bem baixinho que eu poderia colocar mais. Com vontade, comecei a comer o cú daquela deliciosa médica. Quando falei que ia gozar, ela disse para segurar um pouco, tirou a camisinha e começou uma deliciosa chupetinha. Enquanto isso, Sandra não perdia um lance. Depois de uns cinco minutos de felação gozei abundantemente no cabelo, na boca, no queixo e nos peitos da dra. Com um pote, ela pegou um pouco da porra que estava em seu peito e no seu cabelo e me disse que iria ver se havia algum problema ou secreção. Ela falou para mim vestir a roupa e ainda de calcinha e sutiem, sentou-se na mesa e perguntou o que havia sentido e se a dor passou. Disse que os exames me deram muito tesão. Ela me indicou alguns medicamentos e marcou um retorno para saber se meu problema estava resolvido.

Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Twitter Facebook


Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


6748 - Comendo as prostitutas - Categoria: Heterosexual - Votos: 0

Ficha do conto

Foto Perfil Conto Erotico marinho

Nome do conto:
Consulta com a urologista

Codigo do conto:
6747

Categoria:
Grupal e Orgias

Data da Publicação:
01/01/2006

Quant.de Votos:
0

Quant.de Fotos:
0