Na praia



Num dia de semana resolvi ir a praia para me bromzear um pouco, escolhi a praia da reserva no recreio por ser mais tranquila e poderia ficar mais a vontade. Lá chegando estacionei meu carro, e me dirigi para a areia, quande estava descendo a escada vi um mulato urinando, e o que me chamou a atenção foi a pressão do jato, deveria ser um pau enorme. Não dei muita bola, me arrumei e me deitei com a bunda para o alto para me bronzear. Foi quando ouvi: madame a senhora quer ver uns brincos? Concordei, e quando olhei vi o mulato mijão abaixado na minha frente, ele não usava sunga por baixo do short, já que o seu badalo estava soltinho, achei um muito bonito e ele perguntou se poderia coloca-lo em min, não me opus, quando ele retioru meu brinco seu cacete escapuliu por baixo do short, era um cacete enorme com a pele cobrindo a cabeça, ele virou para pegar o brinco, e quando foi coloca-lo na minha orelha seu cacete ficou a um palmo do meu rosto, não resisti e o segurei com as mãos, aquilo foi crescendo de uma maneira tal, que eu puxei a cabeça para fora e dei uma lambida, ele gemeu e fechou os olhos, enfiei aquela tora na boca e iniciei um boquete maravilhoso. Enfiava o que cabia na boca , dava mordidas, apertava suas bolas e ficava com a cabeça na boca e passando a lingua em volta dela, ele estava adorando, segurava minha cabeça, ajudei com uma punheta quando senti sua pica pulsar e os primeiros jatos de porra na boca, engasguei, engoli o que pude e o resto escorreu para o rosto, me lçevantei e fui À agua me lavar, quando senti ele me abraçando por trás, e me encoxando com a quela maravilha, colocou o pau para fora ainda duro e pos no meio das pernas, era tão grande que ficava uma parte na frente da minha buceta, que parecia que o pau fazia parte do meu corpo. Quando percebi tinha um casal nos olhando de dentro da água, ela estava segurando a piroca dele por dentro da sunga, aquilo me excitou mais ainda, voltando ao mulato, ele estava com dois dedos naminha buceta toda encharcada e com aquela coisa no meio das pernas, me abaixei empinando a bunda para trás, puxei o biquíni pra o lado e recebi aquela maravilha na porta da buceta, a posição ajudava e ele enfiou com vontade me arrancando vários suspiro de tesão, voltei a ficar em pé, ele bombando e massagenado meu grelo, me levando a loucura. De vez em quando eu dava umas mordidas com a buceta no seu pau, já tinha gozado quando senti ele me segurar com força anunciando que iria me encher de porra, ao sentir os jatos dentro da buceta gozei novamente, ele ficou agarrado em min mais um pouco, e depois tirou o pau de dentro, estava me limpando quando reparei no casal, ela tocava uma punheta nele e quando ele começou a gozar ela o virou para o meu lado para que eu o visse gozando, que beleza. Voltei para minha canga com as pernas bambas, e vi que o mulato deixou o par de brincos para min. Nisso um vendedor ambulante estava batendo uma punheta olhando para min, fui quase que hipinotizada em sua direção, e o ajudei a terminar a punheta, era um pau bonito, e ele gozou na minha mão. Me limpei e me arrumei para ir embora, quando cheguei no carro o guardador, passando a mão na rola por cima da bermuda, me perguntou se a paraia tinha sido boa, dei um sorriso maroto e dise: maravilhosa, e ele perguntou, sem largar a rola: será que sobrou alguma coisa para min? Eu o chamei e sentei na porta do carro, abri seu zípere tirei seu pau de dentro da cueca, era estranho, tinha uma cabeça pequena mais era muito grosso, nunca tinha visto um igual. Dei umas chupadas e ele ficou bem duro, tirei o biquíni e fique só de canga subi no banco e fiquei de quatro para ele com o bundão na sua cara, ele´passou a lingua na minha buceta e no meu cú, quando pedi para ele enfiar um de do no meu rabo deixando claro minhas intenções. Ele dedilhou meu cú até ele ficar relaxado, encaixou a cabecinha fácil, mais o resto não entrava, era bem grosso, ajudei abrindo a bunda com as mãos e forçando-a para trás, quando entrou dei um berro abafado belo banco do carro, aonde eu estava com rosto apoiado, ele me segurou pela cintua e começou o vaivém acelerado, eu massageando o grelo não demorei a gozar várias vezes, ele bombava com uma vontade que me deixava toda arrombada, chegava a tirar tudo e enfiar de uma só vez, como eu gozava, foi quando ele me puxou para trás e cravou tudo com vontade e eu senti sua porra bater no fundo do meu cú. Ele ficou quieto um pouco e tirou seu pau, não antes de dar uma palmada na minha bunda e dizer: você é uma puta safada, mais fode demais. Me arrumei como pude e fui embora rapidinho antes que aparecesse mais alguma piroca perdida.

Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Twitter Facebook



Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


7890 - Na garagem - Categoria: Traição/Corno - Votos: 2
8018 - No cinema - Categoria: Traição/Corno - Votos: 2

Ficha Do conto

melada

Nome do conto:
Na praia

Codigo do conto:
8102

Categoria:
Traição/Corno

Data da Publicação:
31/05/2006

Quant.de Votos:
4

Quant.de Fotos:
0