Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Blog Erótico   Entrar em contato  
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato
   Ajuda (Duvidas)

SITES PARCEIROS
   Blog Erótico
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





Novo professor


Novo professor parte 1
Na minha adolescência tinha quatro amigos e com eles ia a pé para a escola, no trajeto passávamos por uma trilha num terreno baldio cheio de mato e lá parávamos para urinar e como todo o bom garoto da época,começamos a praticar o troca-troca, Leia Iniciação n°536. Um deles o Rafael era o que morava mais próximo de minha casa e era lá que eu ia algumas vezes à semana, dar meu rabinho, com a desculpa de ir estudar. Certa vez, avisei a ele que não poderia sair, estaria sozinho em casa na parte da tarde, ele propôs então ir ate a minha casa para reforçar a matéria de matemática para mim. Fiquei entusiasmado, eu sabia qual a matéria de reforço ele iria levar, me aprontei para receber a bela matéria, logo ele chegou, fomos para o meu quarto, tranquei a porta, deixei a janela aberta fechando somente a cortina.Começamos com alguns amasso e logo estava pelado,de bruços na cama com as pernas bem abertas recebendo galhardamente sua vara na bunda, me deliciava com o vai e vem. Como estávamos sozinhos e sem vizinhos por perto, poderíamos aproveitar ao máximo nossa aventura, estávamos totalmente à vontade e entregue ao prazer. Na minha cama, totalmente empolgado, fazendo o que eu mais gostava, gemia, urrava e pedia para que ele atolasse tudo no meu cuzinho esfomeado, não me importava com o barulho, ele falava- gosta de rola safado, então toma, vou arregaçar seu rabo gostoso, isso morde meu pau com seu cuzinho safado, - isso me dava mais excitação. Quando o pau saía do buraco eu ia chupá-lo ate endurecê-lo de novo, sentava, cavalgava um pouco, trocava de posição e assim entretidos ficamos quase a tarde toda, metemos muito naquele dia, fiquei com a argolinha dolorida, mas satisfeito. A tardezinha quase noite, minha mãe muito religiosa convidou minhas irmãs para irem à igreja, eu e papai ficamos em casa. Assim que elas saíram, papai chamou-me e fomos sentar no sofá da sala, onde ele perguntou-me se eu ia bem com as matérias da escola. Falei que precisava melhorar as notas de matemática por isso ia de vez em quando a casa do Rafa para que ele me ajudasse. Meu pai olhou fundo nos meus olhos, e contou que a tarde teve que vir em casa buscar mais dinheiro para pagar o conserto do caminhão, ao chegar ouviu barulho no meu quarto, foi por fora da casa e olhou pela janela e não acreditava no que estava vendo, seu único filho recebendo uma rola na bunda e ainda achando pouco. Nós estávamos de costas para a janela, eu estava recebendo bem a matéria de mete-matica, ele ficou alguns minutos olhando, mas, como estávamos muito eufóricos, resolveu não atrapalhar e agora queria uma explicação. Eu estava aniquilado, envergonhado, não sabia o que fazer, jamais pensaria que isso fosse acontecer, não sabia por onde começar a falar, ele então muito compreensivo, perguntou se era isso mesmo que eu gostava e queria para minha vida, de cabeça baixa, confirmei com a cabeça, já esperando uma tremenda bronca e talvez alguns sopapos, mas, ele disse que nada poderia fazer, já que era minha vontade, ele respeitaria. Só pediu que eu fosse sempre muito discreto quando tivesse minhas relações, por que infelizmente a sociedade ainda tem esse preconceito. Entendia que cada pessoa tem uma maneira de proceder, e como eu gostava dessa matéria ele poderia me ajudar e o assunto ficaria como segredo entre nós. Falou que de hoje em diante eu teria que ter boas notas na escola para poder usar o novo professor, olhei assustado para ele que começou a desabotoar a calça e expôs seu lindo e maravilhoso cacete para fora, grande, grosso e duro parecendo uma flecha, começa fino e vai engrossando, deixou-me extasiado. Agora só depende de você, quanto mais você se esforçar nos estudos, mais o professor ira visita-lo, está combinado? Pega nele é todo seu, de agora em diante será seu novo professor, não resisti, agarrei, apertei e chupei como um doido. Papai relaxou, colocou os braços em cima das costas do sofá e observava minha gula. Perguntou se eu estava com o buraquinho satisfeito por hoje, pisquei os olhos e dei uma leve mordidinha no belo, - do jeito que você recebia a matéria, mostrou que tem muita gula nesse rabo. Logo o recolheu e falou que não iria passar a primeira aula hoje, por que o tempo e curto, mamãe logo chegará, que eu merecia uma boa primeira aula no começo. Combinamos que sempre que eu estivesse com meu cuzinho coçando e com vontade, piscaria o olho esquerdo e papai entenderia que eu queria agasalhar sua bela vara, se as notas escolares fossem boas, ele arrumaria um jeito e deixar-me-ia ficar a vontade com o professor. Durante a noite virei e revirei-me na cama, não conseguia dormir, não parava de pensar no cacete de papai, meu cuzinho já estava dolorido de tanto piscar, quando o vi, pela manha, pisquei o olho esquerdo, achei que não tinha visto e pisquei de novo, ele pediu que minha mãe fosse ate a cidade para comprar alguma coisa, nem lembro mais o que era, ele iria levar o caminhão de novo na oficina, pura desculpa, ele também estava louco para dar-me a primeira aula. Minhas irmãs, a mais velha trabalhando, a mais nova faria companhia a mamãe e eu ao papai, era o que queríamos mesmo. Elas saíram, esperamos ate que elas tomassem o ônibus, trancamos a casa ficamos pelados, comecei a tremer só de ver aquele novo instrumento e pensar que teria de guarda-lo na minha bundinha,agora sim eu iria desfrutar daquele lindo cacete por inteiro. Papai levou-me para o quarto com a mão na minha bundinha,sentou-se na cama e disse que hoje seria a primeira aula de mete-matica com todas as apostilhas.Colocou-me por cima dele, comecei a chupar aquela gostosa vara enquanto ele devorava meu reguinho e cutucava meu cuzinho com a língua, me fazendo tremer de excitação. Olhava com muita volúpia para aquele pau e achava que não aguentaria toda a vara no meu rabinho, era muito grossa no pé do saco, mas,tentaria guardá-la ao máximo. Depois de muito esfrega-esfrega, e de beber seu leitinho gostoso, ele pediu que eu deitasse de costas com as pernas fora da cama, veio entre elas, ergueu-as colocando em seu ombro,curvou-se um pouco sobre mim, curvando-me, apontou o foguete já lambuzado de gel, e empurrou devagarzinho, meu cuzinho se abria e recebia o mais novo professor de mete-matica. Eu mexia e rebolava ajudando a entrada que foi suave ate chegar ao meio do caminho, dai para frente à aula engrossava e começou a doer muito, pedi para parar, eu não aguentaria aquele cacete inteiro, meu cuzinho já estava no limite, ele falou-me vai ter que aguentar, tenha paciência que a coisa vai ate o fim. Ficamos parados por um instante e logo ele começa a empurrar, entrou um pouco mais, tirou um bom pedaço passou gel novamente e foi empurrando devagar, comecei a forçar meu cuzinho como se fosse evacuar e vi que assim eu ajudava e a verga deslizava, forçava novamente e mais um bom talo entrou. Eu estava suando e ele espetado me olhava com ar de satisfação, faltava uns três dedos ainda, de repente papai segura-me forte pelas pernas com uma das mãos e com a outra tampou minha boca e empurrou o resto de uma vez, gritei, senti tontura, quase desmaiei, tentei sair, mas, quanto mais eu mexia mais a cobra entrava e se encaixou por inteiro, estava toda guardada no meu rico cuzinho. Finalmente tudo enterrado, papai conseguiu alargar um pouco mais meu cuzinho, senti o seu saco bater em minha bunda, relaxei, ele abraçou-me e ficamos por uns instantes parados, ele quase chorando falou que de agora em diante meu cuzinho seria só dele, por que nem mamãe aguentou a verga inteira na bunda. Ele estava satisfeito comigo e eu muito mais com ele por ter sido compreensivo e aceitado o meu jeito de ser e fazia-me feliz. Sentia o meu cuzinho aberto ao extremo, nem doía mais, papai todo atolado, começou o vai e vem bem pausadamente. Eu fui me acostumando, ele foi acelerando, eu comecei a rebolar e dar pulos com a bunda para cima e a chorar de alegria, bombou firme ate encher-me o rabo de leite. Lavamo-nos e voltamos a aula, agora eu de quatro na borda da cama e papai em pé socava a ferramenta lentamente no meu cuzinho dolorido e falava que um mais outro são dois que ficam felizes e se completam. O restante da semana, papai não me procurou, fiquei passando pomada no meu cuzinho dolorido, e só quando eu cheguei com o novo boletim semanal da escola é que papai olhou para mim e piscou o olho esquerdo. Daquele dia em diante esforcei-me ao máximo nos estudos, para não perder nenhuma aula do novo professor, cheguei a ser o primeiro da classe, fiquei viciado na sua rola, ele se orgulhava do meu esforço na escola e admirava a fome do meu cuzinho. Sempre que o via eu piscava o olho esquerdo, ele entendia e retribuía. Papai passou a chamar-me todos os dias para trabalhar com ele, e falava para mamãe que talvez demorássemos um pouco e assim que terminávamos o trabalho, começávamos as aulas de adição, subtração e de sucção, muitas vezes na própria cabine, chegávamos em casa alegres e satisfeito. Papai gostava do meu rabinho e não economizava elogios, gostava de mordê-lo, chupava meu cuzinho apertava minhas nadegas e depois escondia sua verga no meu túnel, pressionava seu saco na minha bundinha e pedia para que eu rebolasse enquanto tivesse espetado no seu cacete.

        Novo professor parte 2

Como eu melhorava as notas escolares a cada dia que passava, papai cumpria sua promessa em ser o único, sempre esperava eu chegar da escola, me levava para trabalhar com ele e dar-me aulas particulares com seu belo professor. O tempo foi passando papai ficou doente e foi definhando dia a dia não podia mais trabalhar, foi internado e acabou indo embora.Comecei a sentir falta e fiquei sabendo que todas as quartas feiras seu Augusto pai do Rafa ficava sozinho em sua casa, ele gostava de brincar com o meu melãozinho e tirava um bom proveito. Augusto era verdadeiramente safado e gostava de inventar novas formas e posições para enfiar seu pau no meu rabinho e eu me deliciava com isso. Mandava-me deitar de lado, vinha abria minhas pernas, sentava na minha coxa, erguia a outra em seu ombro, aprumava o ferro no meu buraquinho que o engolia bombava um pouco e trocava de posição de novo. De todas as posições a que eu mais gostava era aquela que eu ficava deitado de bruços nas costas do sofá com a cabeça no assento, minha bunda ficava totalmente exposta, ele abria minhas nadegas, sugava meu cu, enfiava a língua e quando eu já estava entregue, ele simplesmente encostava o pau e exprimia-me contra o sofá enterrando tudo de uma só vez. Bombava um pouco e derramava seu leitinho dentro de mim, vinha e sentava-se ao lado de minha cabeça e pedia para eu chupa-lo ate endurece-lo de novo. Um dia, fiquei de quatro em sua frente ele cravou sua lança ate o fundo depois ergueu minhas pernas, fiquei apoiado com as mãos no chão e o pau na bunda, ele começou a andar pela sala, sem tirar a vara do meu cuzinho, famoso carrinho de mão. Eu adorava seu Augusto por isso, ele era muito sacana gostava de farra desde que seu pau estivesse atolado, tudo bem. Estávamos na maior putaria quando chega o seu filho Rafael e disse eu também quero esse garoto no meu pau, e começou a tirar a roupa. Senti o derramar do leitinho dentro do túnel e fomos nos lavar, voltei e o Rafa já com o pau encapsulado e engraxado agarrou-me e falou que estava com saudades do meu buraquinho e foi enterrando a verga que sumiu dentro do meu cuzinho. Rebolei e pedi que ele falasse o que eu gostava de ouvir por que me dá mais excitação- você gosta de pica seu safado, judiou do meu velho com seu cuzinho guloso, agora você vai levar muita rola safadinho, vou arrombar seu buraco, mexe safado mexe esse cu gostoso, e por ai afora. Eu me acabava, rebolava, exprimia com meu cuzinho aquela bela vara, e ele no vai e vem começou a acelerar, prendeu-me e despejou um mar de porra dentro de mim. Cai no tapete, e fiquei inerte por uns instantes ate me recompor, enquanto o Rafa foi ao banheiro, senti algo entrar novamente no meu cuzinho ainda melado, era o Augusto, que não aguentou ver-me com a bundinha para cima tratou de socar mais uma vez seu grosso pau e eu por incrível que pareça, adorei senti-la dentro de novo. Ela entra e preenche tudo, soca e soca bem, tem um balanço ritmado e massageia as bordas do cuzinho, fala no meu ouvido coisas que eu gosto de ouvir, me fazendo lembrar-se do pau do meu pai. Adorei o que fizemos e eles queriam que eu voltasse no outro dia, mas, já tinha compromisso, mas isso é outro assunto, conto depois.



Ficha do Conto

Escritor:
deuarosa

Nome do conto:
Novo professor

Codigo do conto:
10452

Categoria:
Gays

Data do Envio:
26/09/2010

Quant.de Votos:
2

Quant.de Fotos:
0

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us



Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
536 Iniciação Gays 19
537 Meu amigo Rafael Gays 6
538 O substituto do Rafa Gays 7
539 Pai do Rafael Gays 6
546 Adolescente Gays 33
547 Voltando a ser feliz Gays 5
9020 Voltando a ser feliz 2 Gays 4
9021 Reparos no forninho Gays 1
9247 minha irmã caçula Incesto 6
9248 Confirmação Incesto 3
9249 O flagra de mamae Incesto 16
9878 A caçulinha Gays 1
9879 O flagra da mamae Gays 1
9880 Confirmação Gays 1
9881 Mutirão no sitio - Continuação Gays 4
9882 1ª viagem - 1ª noite Gays 4
9883 Saida da oficina Gays 3
9884 Na oficina Gays 2
9886 Saida da oficina Gays 0
9887 O sonho Gays 0
9888 A revisão Gays 3
9889 No motel Gays 2
9890 Novo emprego Gays 1
9891 Iniciado Gays 3
9892 Passei apertado Gays 4
9893 Esperando para carregar Gays 6
9895 Nosso grupo Gays 2
9902 Mutirão no sitio Gays 7
9921 Extras no domingo Gays 0
9992 Substituindo o titular Gays 0
9993 De ferias na praia Gays 1
9994 De ferias na praia - Cont. Gays 0
9995 NA PRAIA uma semana Gays 0
9996 Praia a três Gays 1
9998 Aconteceu por acaso Gays 0
9999 Aconteceu de novo Gays 0
10000 Mais uma vez Gays 0
10001 Viagem doida Gays 2
10002 Vinte dias depois Gays 2
10003 Assim foi o começo Gays 2
10004 Pesqueiro sem peixe Gays 4
10005 Robson do pesqueiro Gays 3
10006 Olha o que aconteceu Gays 2
10007 Olha o que aconteceu 2 Gays 2
10008 Carro quebrado Gays 2
10009 1ª viagem - 2ª noite na fazenda Gays 3
10010 1ª viagem - 4ª noite No posto Gays 5
10011 Novo emprego Gays 1
10012 Filha da visinha. Heterosexual 2
10013 A filha da visinha - cont. Traição/Corno 1
10014 Continuando o trabalho Traição/Corno 1
10015 Aventuras de Rosa Heterosexual 1
10016 Rita, Ritinha Heterosexual 3
10067 O sócio Gays 0
10091 Primeiro domingo com os socios Gays 0
10092 Depois da Confirmação Gays 0
10093 Na casa do Augusto Gays 1
10111 Assistencia tecnica Gays 2
10112 semana legal Gays 1
10124 A volta do Juca Gays 0
10136 Encarando os fatos Gays 0
10146 1ª viagem-3ª noite Gays 3
10255 Quebrando o combinado Gays 0
10256 amigo Barros Gays 0
10266 Futuro cunhado Gays 3
10267 Futuro cunhado 2 Gays 4
10269 Quebrando o combinado 2 Gays 1
10274 Barros e o Padre Gays 1
10357 O retorno Gays 0
10390 Outra viagem do Nosso grupo Gays 3
10422 Final de expediente Gays 1
10423 Cobrindo as ferias Gays 1
10486 A primeira vez com o lolão Gays 2
10487 Acompanhando Lourival Gays 2
10564 Futuro cunhado 3 Gays 2
10589 Por causa do lolão Gays 3
10619 A historia do Lori Gays 1
10819 Papai e eu no curral Gays 14
10841 Novo professor parte 2 Gays 0
10842 No curral a revelação Gays 4
10843 No curral A provocação Gays 2
10943 A volta do Lori e da escola Gays 0
10945 O buraco da minhoca Gays 3
11225 Feliz de novo Gays 1
11226 Feriadão prolongado Gays 1
11234 Segunda viagem com Lori Gays 1
11249 Quase mecânico Gays 0
11271 Encarando os fatos Gays 1
11272 Pega, pega... Gays 3
11364 Feriadão prolongado Gays 1
11365 Idade crítica Gays 4
11689 O segundo patrão Gays 1
11711 Aconteceu fazer o que Gays 3
11712 Aconteceu na biblioteca Gays 2
11787 Na rolateca Gays 1
11829 O Pequeno, grande. Gays 2
11830 A volta do Pequeno, grande Gays 1
12163 No escritório do Pequeno. Gays 1
12164 O caseiro do Pequeno Gays 2
12165 Fazendo um dique Gays 1
12166 A falta do caseiro Gays 3
12173 Certa vez... Gays 2
12251 O Susto Gays 2
12252 Por causa da mala Gays 3
12735 Virei caseiro Gays 3
12825 Bairro novo Gays 3
12826 MAMAE TEVE QUE VIAJAR Gays 7
13078 No quartinho Gays 6
13079 Nossas andanças Gays 2
14209 Outro fim de semana Gays 2
14240 A terrível primeira vez Gays 3
14251 Tá nervoso vai pescar. Gays 2
14408 Viagem com titio Gays 3
17498 A volta do pedreiro Gays 2
17611 Mais um dia... Gays 1
18070 A reforma do banheiro Gays 8
19475 Periodo de Coroinha Gays 4
19599 Fora da rotina Gays 4
35485 O enorme do Pqueno Gays 4


© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA