Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Blog Erótico   Entrar em contato  
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato
   Ajuda (Duvidas)

SITES PARCEIROS
   Blog Erótico
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





Meu padrasto e eu. Parte 1


Vi um penis ereto pela primeira vez aos 13 anos. Era um homem com o qual minha mãe havia se casado. o nome dele era Tito, tio Tito. Meu pai, nunca soube quem era. No DIA em que isso aconteceu, minha mãe havia viajado. Depois de muito ele insistir deixei ele passar seu pau pela minha bundinha. Queria me comer a todo custo, mas se limitava a bater punheta na minha bundinha, com aquela cabeçorra vermelha colada na minha nádega. Ele ia batendo e ficando ofegante e aí eu já percebia o que estava por vir. Eu sentia aquele negócio duro sendo socado no meu rabo, a mão indo e vindo, a respiração mais forte do meu padrasto.O ritmo foi ficando acelerado e enfim aquela delícia de porra saindo, ficando espalhada pelo meu traseiro. Eu tinha que me limpar. Me sentia uma putinha, mas adorava a sensação.

Tentou de forma insistente me traçar de vez, queria me levar no motel para transarmos. Continuei resistindo. Certa vez, fiquei em pé, ao lado dele e pedi que ele se masturbasse para eu olhar. Fiquei incentivando, - vai, Tito... ele me disse que queria gozar dentro de uma bucetinha quente. Não deixei! Tive medo, fiquei nervosa, apertada...minha mãe poderia descobrir. Dessa vez, ele encheu minha cara de esperma , quente e pegajoso.Num dia de amasso ferrenho com o meu padastro, comecei a trocar definitivamente a punheta pelas mamadas. Nossa intimidade tinha aumentando consideravelmente.Que vadia eu era nessa época.

Nesta tarde, ele estava atirado num sofá, short arriado, pernas abertas e o pau duro, apontando pro teto. Eu estava ao lado dele, beijando seu pescoço e batendo uma bem devagarzinho como é o meu estilo. Daí eu cochichei no ouvidinho dele:

      - vou te fazer ver estrelas, é só ficar paradinho. E me pus de joelhos, entre as pernas dele. Lambi a virilha, cheguei ao saco, passei minha língua por toda aquela pele grossinha e escura, Olhei nos olhos dele e perguntei

- Tem leitinho aqui dentro? É tão duro. Ofeguei, colocando-o dentro de minha boca, suguei-o inteiro, enfiando minha língua por entre o prepúcio e a glande, alisando, chupando. Minhas mãos apertavam e beliscavam suas nádegas. Mamava seu pau com sofreguidão. Ele empurrou-me deitada no sofá e num giro, enquanto eu chupava seu pau, sua boca ficou na direção da minha xoxota. Senti-o lamber minha xana molhada, ele afastou minhas coxas ao máximo e afundou sua língua nas minhas carnes quentes e molhadas.

Iniciei um boquete, minha cabeça subindo e descendo, engolindo aquela vara, e lambendo a cabeça quando ela invadia minha boca. Eu vestia apenas uma calcinha preta, fio dental, enfiada na minha bundinha. Chupei, chupei mais, afundei minha cabeça, esfreguei o pau dele nos meus peitinhos não siliconados naquela época, masturbei entre meus seios, voltei a lamber a cabeça, engoli, lambi aquela partezinha que junta o mastro da cabeça, beijei, engoli o pau, fiz sucção, mais sucção, intensifiquei o ritmo do boquete.
-Quer gozar aqui, quer que eu engula ou quer esparramar teu esperma por toda a minha cara?
Bati, bati com o pau dele na minha cara, masturbei, cheirei, lambi a cabeça, lambi mais o saco, percorri com minha língua a extensão, engoli, boquetiei.
- Eu não vou agüentar mais, vou gozar, ele disse, tremendo de prazer.
-Então goza, me meleca, me suja, vai, vai, esporra toda minha cara, quero ver se a tua porra ta quentinha e grossa hoje, vem...

O pau foi amolecendo com jatos fortes ate as ultimas gotas que eu lambia e engolia. Tito quase desmaiou. E depois me retribuiu com uma chupada fantástica.

- Você sabe que eu quero comer seu cu, e eu sei que ele é virgem. Meu caralho é muito grande, e eu acho que não vai agüentar, eu deveria passar lubrificante, mas quero que sinta cada centímetro desse pauzão que tanto quer dentro desse seu rabinho apertado. Quer?

Eu respondi que queria, e muito. topei o desafio. Então ele começou a enfiar, e disse que eu poderia pedir por misericórdia que ele não pararia por nada. Nunca senti tanta dor, mas foi divino, sentir aquele caralho rasgando tudo lá dentro, tirando a virgindade do meu cuzinho que havia esperado por isso por tanto tempo. Sangrou e bastante, mas ele disse que era assim mesmo Penetrou no meu ânus, com muita força.

Tornei-me amante dele, já que tinha uma ótima vida e ele queria uma mulher, já que minha mãe não correspondia mais aos seus anseios. Ele jovem e lindo. No outro dia, após a trepada, eu não conseguia nem andar direito, de tão arrombada, mas valeu a pena. E eu louca, encarava-o nos olhos durante o almoço, chupava indecentemente um sorvete de sobremesa, , tudo que eu queria era sentir aquele cacetão na minha buceta. E ele percebendo, ficava me torturando mais. Ele dizia:
- Você quer que eu te coma, quer? Então pede putinha, pede com jeito!
E eu respondia:
-Me fode por favor, eu não agüento mais, por tudo, me fode!!! Me rache ao meio!!!
E então, A NOITE, NO MEU QUARTO, ele começou a enfiar... Só que não queria entrar porque alem de grande o pau dele é grosso. A dificuldade era enorme, e tava doendo também, desisti, deixei-o comer meu cu. Era o ele queria. Tito socou até gozar...

Minhas peripécias orais começaram lá na adolescência, com Tito. Eu tinha a ilusão de que casaria virgem. Portanto, fechava minhas pernas para os meninos, abria o cu para o Tito, mas deixava eles se divertirem com boa parte do meu corpo. Abusei de punhetinhas. Batia no cinema, batia nas festinhas, batia no banheiro do colégio...

Minhas amigas não são lá muito fãs de sexo oral. Gostam de receber, e eu também gosto. Mas quando se trata de prestigiar o homem com o famoso prazer de um boquete elas fazem com sacrifício. Não é o meu caso. ADORO...Me senti a rainha das putas, Era fodida pelo cara que me criou, chifrava a minha mãe...mas ele me criou pra me foder gostoso...tinha 13 anos e uma habilidade de 31...

Ele metia em mim todas as noites. Dizia que me amava e vivia me dando presentes caríssimos. Tirava dele para mim e minha mãe. Às vezes eu achava que minha mãe sabia o que acontecia. O marido era lindo e nunca reclamou por não ter o sexo que queria...
Tito organizou a festa dos meus 15 anos. Gastou uma fortuna. Esbaldei-me. Durante o dia, passei um sufoco. Estava de rolo com Gus e apaixonada por ele. Queria ele na festa e meu caso ficou louco de ciúmes. O convenci dizendo a ele que não poderia ficar sem um namorado,

- acredite alguém pode desconfiar.

Ele concordou me fez chupá-lo e me enrabou com muita raiva:
- lembre-se que sou seu homem. Nem pense em deixar outro ser o primeiro a comer a sua bucetinha! Você é só minha - disse. Como esquecer aquela vara dura feita rocha me rasgando a bunda?

- Toma, vou te enterrar toda minha pica...

- Não mete assim, aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii...pára...- Não, Pare!!!não pare!!!ohhhh, não!!!
- Não vou deixar nenhum homem tirar seu selinho... eu tiro...tiro agora...vou te foder tão gostoso que nem vai querer saber daquele moleque que você namora...

Implorei, pedi que não fizesse isso e chorei de tanta dor. Tito recuou, não tirou minha mocitude. Gozou na minha boca. Engoli. Meu cu ardia... Tito permanecia armado e feroz. Mamou meus seios, os mordeu. Fiquei dolorida. Chupou meu grelo e enfiou sua vara monstro novamente no meu ânus e de uma única vez. Enfiou o pau até as bolas. Sentia arrepios de frio e tesão. Ele beijava minhas costas...

_ Quero seu cuzinho.

- Meu cuuuuuuu, aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!Está me machucando muito!!!

- Não vou parar... quero que goze ....que goze sem parar....

Tito me puxou com força enterrando todo seu cacete dentro de mim, isso me fez gozar.

- Eu te mato, disse furioso. Se algum homem fizer em você, mato os dois.
Senti aquele cacete enterrado no meu cuzinho amolecer lentamente. Gemi de prazer e de dor. Tito saiu de dentro de mim. Fiquei no chão, toda melada de esperma. Ali, sem forças para me mover...
Fim da primeira parte.

Foto Perfil Xana Bauer

Ficha do Conto

Escritor:
xanabauer

Nome do conto:
Meu padrasto e eu. Parte 1

Codigo do conto:
10749

Categoria:
Incesto

Data do Envio:
11/11/2010

Quant.de Votos:
8

Quant.de Fotos:
4

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us
Foto 1 do Conto erotico: Meu padrasto e eu. Parte 1

Foto 2 do Conto erotico: Meu padrasto e eu. Parte 1

Foto 3 do Conto erotico: Meu padrasto e eu. Parte 1

Foto 4 do Conto erotico: Meu padrasto e eu. Parte 1




Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Ultimos Comentários
Comentado por: LAXUS em: 06/12/2013
delicia cachorra safada putinha ja dez dos 13 aninhos
Comentado por: Endrys em: 06/07/2013
hummm amei
Comentado por: notório em: 06/06/2013
Muito excitante, já votei e vou ao 2.
Comentado por: Marcia Fernan em: 05/04/2013
eu gosto de meu pai... leia meus contos!
Comentado por: wellinsinho em: 01/08/2012
adooreiii safadinha quem me déra , se minha entiada fosse que ne vc ...uii... iria foder éla bem gostoso...
Comentado por: Menyna safada em: 21/06/2011
Que pau !!! adorei queria ele pra mim
Comentado por: Paulinha1212 em: 24/03/2011
adoreiiiiiiiiiiiiiii
Comentado por: diario_73 em: 16/11/2010
Vc é gulosa quer um boa pik para uma punheta deliciosa. me avise quero mais detalhes.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
10676 a prostituição e o estupro Heterosexual 7
10696 Eu e meu homem. Heterosexual 5
10697 Na academia Heterosexual 7
10731 Festa de me arrombar Incesto 13
10738 eu e meu motorista Grupal e Orgias 7
10740 abuso na madrugada Incesto 12
10750 O DELICIOSO CAMINHONEIRO Fantasias 7
10775 Meu homem - Aconteceu depois da feira Heterosexual 3
10776 Meu padrasto e eu. Parte 2 Incesto 9
10826 Em família: Meu tio me fodeu e gozou gostoso. Incesto 11
10845 Vendi meu cu. Heterosexual 12
10876 Fodida pelo meu próprio filho. Incesto 32
11338 Em família Incesto 4
14091 primo e tio Incesto 3
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA