Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Blog Erótico   Entrar em contato  
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato
   Ajuda (Duvidas)

SITES PARCEIROS
   Blog Erótico
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web
   Videos Porno
   Porno Tube

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





Desventuras Adolescentes – O quase-Estupro


Ricardinho estava empolgado depois que conhecera pela internet o Tio Alceu. Continuou sua busca na sala de bate-papo mais não encontrara ninguém legal. Esse episódio fez com que Ric ficasse mais confiante e cheio de si. Começando a fazer amizades com os garotos de sua escola. Em sua escola havia de todos os tipos de garotos. Desde os bonitinhos popularsinhos aos esportistas e aos nerds.. E o menino não tinha pudor ao olhá-los no corredor. Comia-os com os olhos.

Ric ficou amigo de alguns garotos, apenas mesmo para ficar perto deles. Seu apetite por homens se aflorava, e quase todos os fins das semanas ia com amigos ao clube, que por sua proximidade da escola, era lotado de colegas. Como todo clube tradicional, era proibido entrar na piscina com bermuda grande, podia no máximo short curto. A maioria dos garotos ia assim, mas ainda havia uns que iam de sunga para a alegria de Ric. Cadu e Davi eram os garotos que mais despertavam sua alegria. Davi por ser o atleta do ultimo ano e grande freqüentador do clube não tinha vergonha em exibir sua mala em uma sunga. Cadu já era mais tímido em relação a isso, mas em relação às garotas não tinha nenhum pudor. Mesmo magrinho, ostentava um rostinho de anjo.

Ricardo adorava ir ao clube sacar os amigos do terceiro ano. Às vezes os olhava tanto, que Davi, mais esperto, percebia e o menino desviava o olhar. Em um sábado, Ric foi com seus amigos do primeiro ano para a piscina. Claro que os garotos mais velhos estavam lá. Estes resolveram entrar na brincadeira e jogar com os mais velhos uma espécie de pólo aquático. Ricardinho disse aos garotos que não se importava em marcar Davi. Foi dito e feito, toda vez que Davi se aproximara, Ric o agarrava tentando impedi-lo de passar. Mas Davi era forte e bronco, passava por cima de todos que lhe atrapalhasse. O valentão do terceiro ano por inúmeras vezes foi ao gol e por inúmeras vezes agarrado e sarrado por Ric. Davi sempre achava estranho a pegação do garoto, mas não disse nada. Anoitecera, e vários jogadores decidem ir embora, deixando o clube às moscas. Poucos restaram no local. Ricardinho fica para tentar se socializar com os mais velhos. Que lhe recebem bem ate certo ponto. Apenas Davi não gostava do jeito de Ricardo e não lhe encarava muito bem.

Ric, Davi, Cadu e mais uns três caras do terceiro ano ficam até altas horas no clube que iria fechar às 21h. Eles decidem ir para o vestiário então. No vestiário todos ficam de sunga, mas ao entrar no chuveiro, alguns ficam nus. Ricardinho não agüenta e encara a penca mole de alguns colegas. Davi, obviamente, estava acostumado a ficar nu nos vestiários, e quando Ricardinho o viu, não conseguia tirar os olhos. Até que Davi percebe e brinca perguntando rispidamente se o menino estava querendo o ensaboar. Bem que o Ricardo queria, mas não podia dar aquela bandeira. Todos se limpam do cloro da piscina e retornam às suas casas.

Em sua casa, Ricardinho vai direto para o banheiro se masturbar pensando nas palavras do companheiro e fantasiando ensaboá-lo. Ele fica excitadíssimo com a virilidade do colega, como ele poderia ser tão gostoso assim. Na segunda-feira, Ric percebe que Cadu e Davi ficam na escola após as aulas. Decide ficar também para observá-los, mas fica de longe. Segunda é o dia mais vazio de alunos após as aulas. Os meninos do terceiro ano fazem o que querem: brincam e fazem bagunça, mas estudar que é bom nada. Já eram umas 18h, e os meninos saem da biblioteca em direção à quadra. Ric estranho eles irem para lá a este horário e decide espioná-los. Chegando lá, os vê entrando no banheiro mais vazio e inutilizado da escola. Entra logo em seguida e os surpreende. Cadu estava de frente para o mictório se masturbando enquanto Davi, atrás dele o abraçando, relava sua vara na calça dele. Quando entrou, os meninos tomaram um susto e se vestem rapidamente, talvez se Ric chegasse mais tarde algo a mais aconteceria. Eles foram para cima do espião dizendo-lhe que não era o que estava pensando e iriam lhe matar se abrisse a boca. Ricardo lhes diz que também queria participar e adorava aquela brincadeira. Os meninos riram dele e disse que não eram viados e foram embora.

Os dois eram amigos desde criança, cresceram juntos e juntos aprenderam o que era ter prazer. De um troca-troca chegaram a consumação de seus tesões. Ric se enlouquecera de excitação, entrou em uma das cabines e socou uma bronha imaginando os garotos brincando com seus paus.

Na outra segunda, ele vê que os meninos ficam na escola novamente. Mas eles logo percebem sua presença e sentam-se à sua mesa na biblioteca. Conversando os garotos dizem que toda segunda ficam na escola, a emoção de serem pegos os fazem ter maior adrenalina. Disseram que o zelador os pegou uma vez, tiveram que dar para ele para ficar de bico calado. E logo depois, ele ficou em suas mãos por serem menores de idade, deixando-os a sós todas as segundas no banheiro da quadra. Ric se excita com as palavras de Cadu e nem imaginava que eles gostavam de receber uma estocada no rabo. Eles dizem que não e estavam à procura de uma bichinha para comerem. Ricardinho fica de pau duro naquele momento. E quando deu no relógio da biblioteca 18h, foram ao banheiro da quadra. Davi nem dera oportunidade a Ric e com seus braços fortes lhe pressionou contra a parede e disse que estava na hora dele receber uma pica na bunda para também ficar nas mãos deles. Ric já nem ia contar nada, mas se eles insistiam em lhe foder, ele já estava de ânus abertos.

Cadu já se punhetava vendo Davi o encoxar. Ele senta com suas pernas abertas no banco do banheiro e seu amigo ordena ao menino do primeiro ano que o mame. Ric pega o pau roliço e rosinha de Cadu e começa a mamá-lo como um pirulito, de quatro no meio do chão do no banheiro.

Davi abaixa sua calça e a de Ric, logo em seguida se encaixa atrás do garoto pressionando sua pistola em seu rego. Com dificuldade o garoto lhe intruduz o penis, fazendo Ricardinho gemer, já que era a segunda vez que era preenchido por uma pica. Davi lhe dá algumas estocadas e pára. Vai à sua mochila e retira uma cenoura, envolvida por uma camisinha. Ricardinho vira e percebe que o rapaz não tinha boas intenções e tenta fugir. Cadu o segura e prendi sua cabeça entre suas coxas e os braços do menino em suas costas. O menino tenta escapar, mas quanto mais se remexia mais seu pescoço doía, pois Cadu apertava-lhe mais ainda com as pernas.

Davi segura a cenoura que devia ter uns 25 cm e que não era grossa e penetra-lhe o comecinho da cenoura e de uma só vez empurra-lhe uns 20 cm buraco adentro. Ricardinho não agüentou e soltou um grito de dor. A cenoura rasgara por dentro. Quanto mais ele gemia, mas o sádico do Davi lhe bombeava a cenoura e lhe empurrava-a. Ricardinho se contorcia de dor, a cenoura atolada lhe dava uma sensação estranha.

“Essa puta ta gritando demais, merece ser calada com uma pica.” Disse Davi.

Neste momento o valentão solta a cenoura, ainda enterrada no rabo de Ricardo, e vai até sua boca lhe enfiando o seu pau.

“Mama sua puta e para de gritar”

Cadu, ainda excitado vai até o cu do menino e retira a cenoura vagarosamente, fazendo Ric sentir uma sensação boa, de alivio. Mas ainda não tinha terminado. O garoto retorna a colocar sua vara para fora e começa a empurrá-la no rabo de Ricardinho. Dessa vez seu cu já estava laceado e não doía mais. Era o momento em que Ric mais estava gostando. Já havia se acostumado com as estocadas de Cadu, ao mesmo tempo em que se deliciava com o pau de Davi.

Cadu não agüentou por muito tempo e atolou o botão do garoto com sua porra. Davi também não foi diferente e gozou na boca do menino que queria cuspir, mas foi obrigado a engolir, quase botando tudo para fora. Após o ato, os meninos voltam para a biblioteca e estudam como se nada tivesse ocorrido.

Na outra semana, Ricardinho queria ser possuído pelos garotos de novo. Mas esses não queriam mais e foram embora, deixando o menino na mão. Ric não entendera e voltara para casa pensativo e magoado. Enfiando novamente suas caras nos livros e na internet...

Foto Perfil Ric_C

Ficha do Conto

Escritor:
Ric_C

Nome do conto:
Desventuras Adolescentes – O quase-Estupro

Codigo do conto:
11430

Categoria:
Gays

Data do Envio:
04/02/2011

Quant.de Votos:
5

Quant.de Fotos:
4

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us
Foto 1 do Conto erotico: Desventuras Adolescentes – O quase-Estupro

Foto 2 do Conto erotico: Desventuras Adolescentes – O quase-Estupro

Foto 3 do Conto erotico: Desventuras Adolescentes – O quase-Estupro

Foto 4 do Conto erotico: Desventuras Adolescentes – O quase-Estupro




Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
11396 Volúpia no Século XVIII - O Escravo Gays 1
11398 Desventuras Adolescentes - Os Universitários Gays 2
11401 O Protegido do Grupo - A Iniciação Gays 5
11408 Volúpia no sec XVIII - O Seminarista em "O Padre" Gays 2
11412 Desventuras Adolescentes - O Tio da Internet Gays 0
11414 O Protegido do Grupo em "Sozinho com o Inimigo" Gays 3
11417 Volúpia no sec XVIII - O Seminarista em "O Baiano" Gays 1
11418 O Protegido do Grupo em seus "Econtros Finais" Gays 0


© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA