Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Blog Erótico   Entrar em contato  
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato
   Ajuda (Duvidas)

SITES PARCEIROS
   Blog Erótico
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web
   Videos Porno
   Porno Tube

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





O Bom é entre família II


O BOM É ENTRE FAMÍLIA II

Continuando...

Mas como não conseguia dormir fui até o quarto de minha mãe pois sabia que ela tinha uns filmes legais gravados, bati a porta e a chamei...nada..ouvi um gemido e pensando que algo pudesse estar errado entrei no quarto, minha mãe se assustou e desligou a tv e começou a me xingar, pedi desculpa e expliquei o que queria, ela mandou-me olhar na cômoda, cheguei até lá e fita do vídeo ejetada me chamou a atenção, era um filme pornô, perguntei se podia vê-lo, ela riu “Olha só...esse eu estava vendo quando você entrou e pretendia terminar de ver...” perguntei se não podia assistir junto e ela fez uma careta, insisti e ela disse “Está bem, mas fica aí nos pés” Ela ficou deitada normal e eu ao contrário, religou o vídeo e eu comecei a alisar seus pés...O filme era sobre uma suruba em várias partes de uma mansão e estava numa cena que achei estranha mas me deixou de pau duríssimo, um cara chupava um traveco que juro, parecia uma mulher de rosto, corpo, menos pela ferramenta e era enrabado por outro igualmente feminino..., virei para o colchão de constrangido, mas continuei massageando os pés da minha mãe, ela que estava de pernas cruzadas. Mudou a cena para outro quarto onde estavam dois casais trepando...comecei a me excitar muito e alisava forte os pés de minha mãe, que lá pelas tantas disse “Já que quer me massagear, continua pra cima dos pés... assim como ta fazendo...” me ajeitei na cama e fui apertando suas pernas, ela gemeu, o filme estava numa fodelança só com todos os personagens num salão...daí arrisquei “Mãe, me massageia as pernas também...” ela nada disse, mas pôs as mãos direto na parte superior das minhas coxas e começou a apertar...nossa ! Que tesão! Queria olhar pra cara dela....comecei a chegar perto da sua virilha, minhas duas mãos estavam se fechando ao redor de sua xaninha, quando sem aviso ela alisa minha bunda com uma mão e põe a outra na sua xotinha e começa a se masturbar, não agüento e passo a mão no meu pau e começo a punhetá-lo , a outra no bundão da minha mãe que começa a gemer e entre os dentes diz “Seu putinho, quer comer a mamãezinha como comeu a amiguinha da irmã ? Eu sei...ela me contou quando a apertei... me quer Claudinho ?! Hunnn ?” só pude responder “Sim, mãe...quero...” Então vem...agora...enquanto estou doida de tesão...”...Sem pensar , me virei e pulei sobre minha mãe, que abriu as pernas, sua xaninha estava tão molhada e tesuda que meu pau entrou direto...que xotinha quente e gostosa...Ela me beija com voracidade, me mordendo os lábios, me arranha as costas, começo um vai-e-vem, super rápido, ela empurra minha cabeça até seus peitos, que peitões lindo...caio de boca neles...mamo minha mãe de novo...lambo , passo a língua nos seus mamilos...e ela gemendo...balançando os quadris...” Ai filhinho...tá fodendo a mamãe....hunnn seu safado gostoso...Fode ! Fode ! Me arromba...ahnnn...”...era incrível ouvir mamãe falando aquilo, me dava mais tesão...Até que ela me enlaça bem firme com as pernas, enfia sem aviso o dedo na minha bunda, a outra mão crava em minhas costas, me morde a orelha e...não geme mais...quase grita gozando...Não gozei ainda...e após alguns instantes nos viramos...ela quer ser comida de bruços...Ahnnn...como é gostosa...com aquela bunda batendo contra mim...vou gozar...aviso a ela..que surpreendentemente me pede” Goza no meu cuzinho meu tesudo!”... Tiro da xaninha e tento achar entre a sua bunda o cuzinho, estamos tão melados que meu pau escorrega para sua xota de novo, mas ela mesma o posiciona...hunnn...nunca havia sentido tanto prazer...um cuzinho apertado, mas não tanto...mal consigo enfiar meu cacete nele e sem mexer já estou gozando...seguro os peitos de mamãe a abraçando...reteso o corpo...que gozada...
Uns cinco minutos depois estou pensando :“Meu Deus ! Eu comi minha mãe !”...ameaço sair da cama e ela me segura e pergunta:”Aonde você pensa que vai ?” Bem sorridente, como se nada tivesse acontecido, estou com algo como vergonha de olhar para ela, acho que ela percebe e começa a conversar: “Cláudio, sei que o que fizemos parece loucura, e talvez seja mesmo, mas eu não te culpo e não me sinto agredida ou abusada por você, talvez até te ame mais agora do que antes, mas se você está se sentindo mal por isso, eu vou entender e se você quiser passar um tempo fora, com seu pai, ou ...sei lá, mas não me deixe..” Foi diferente ouvir isso de minha mãe, era ambíguo, como estar ouvindo minha mãe, mas uma também uma namorada ao mesmo tempo...Abracei-a e disse:”Mãe, não se preocupe, não vou te deixar, eu te amo, mas...o que aconteceu agora foi ótimo, mas, bem, como não ficar meio assim, afinal você é minha mãe...” ao que ela responde”Eu sei Claudinho...mas sou uma mulher também, mas não se preocupe, isso não vai acontecer nunca mais” Não sei o que deu em mim que respondi:”Mas não é isso que estou dizendo que quero...”, senti que havia sido “sincero” demais, mamãe me surpreendeu de novo ao responder:”Ah! Quer dizer que...” e já veio me beijando...estávamos nus e não demorou a ficar de pau duro, Claúdia então se abaixa e começa uma mamada incrível... viramos e começamos um 69...que bucetinha linda tem minha mãe! Carnuda, com pelos mas bem ralinhos, passo a língua direto no seu grelinho, ela geme e aperta o meu pau com a boca, solta-o e fica punhetando, passa a língua em toda a extensão dele , desce até o saco, chupa cada uma das bolas e lambe minha bunda...hunnn, me assusto no início mas deixo, e fica bom..eu continuo a chupá-la com um dedo em seu cuzinho , ela aperta minha cabeça com as pernas, e começa a mexer rápido “ Filho gostoso, chupa, fode com a boca essa sua mãe puta !” ela diz e me enche de mais tesão...ela está quase gozando e pede prá gozar com meu pau na xana, viramos rápido e eu meto nela, como entra fácil, ela me põe deitado e fica por cima, apóia-se no lado de meu corpo e me cavalga super rápido, chega a doer um pouco sua bunda batendo em mim, mas o prazer é maior...tento segurar seus peitões que pulam no seu ritmo...”hunnn mãe, Claúdia, minha gostosa, que tesão!“ ela delira quando ouve isso e pede mais...”Minha mãe tesuda, minha mãe putinha , ahnnn! Vou gozar nessa buceta gostosa!” Digo isso e começo a gozar, minha mãe me abraça e goza também (novamente me arranhando e mordendo meus lábios até a dor)...exausto durmo...acordo ela não está na cama, mas logo aparece sorrindo “Vai seu preguiçoso, seu pai, suas irmãs e avós devem estar te esperando, vai tomar banho e logo...”
Me arrumo e me despeço, ela sorri e me dá uma bitoquinha de leve “Até mais, garanhão!” é o que ela diz...vou até meus avós confuso, não consigo deixar de pensar nas últimas coisas, de uma hora pra outra comi a Gabi, a Carla e minha mãe...”Só falta a Aninha” pensei e sacudi a cabeça me repreendendo. Chego na casa de meus avós e dou uma esquecida nisso, fico feliz em vê-los, abraço o Paulo, pergunto pelas meninas e me respondem que elas estão no lago (na verdade um pequeno açude, meus avós moram num pequeno sítio na área “rurbana” da cidade), fico vendo minha avó cozinhar, o Paulo em pergunta das coisas, até que de longe vejo as meninas vindo (estavam de canga, era um dia de calor) mas não estavam sozinhas “O que a Gabi faz aqui?” perguntei, “Ah, ela quis vir , algum problema?” respondi ao Paulo que não, as gurias chegaram me beijaram o rosto (inclusive a Gabi) quando a vovó pergunta se alguém não quer pegar um tampero pra ela ao lado do galpão, as meninas se esquivam de cara, eu não falo nada até que a Gabi se oferece,e diz “ Me leva Cláudio, que eu não sei onde é que é...” eu respondo “ Mas se é assim eu mesmo pego...” minha avó me repreende “ Que feio mocinho, falar assim com a menina que está sendo gentil, leva ela lá...se não, não tem sobremesa...” Vou com ela e logo que saímos da vista ela já vai se encoxando em mim e perguntando porque não vim...”Olha Gabi, aqui não dá pra dar na vista entendeu?” ela faz beicinho e quando chegamos ao lado do galpão, onde havia um canteiro de temperos ela me empurra contra a parede e diz: ”Aí, não faz assim, eu to te querendo de novo! Nós não vamos namorar ?!” não queria nada, mas ela se esfrega em mim, meu pau endurece na hora, ela abre o fecho e o pega, eu a beijo e aperto seus seios, ela faz que vai se abaixar quando vejo...o Paulo...
Continua...


Ficha do Conto

Escritor:
The Horny

Nome do conto:
O Bom é entre família II

Codigo do conto:
1315

Categoria:
Incesto

Data do Envio:
24/05/2003

Quant.de Votos:
4

Quant.de Fotos:
0

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us



Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
1368 O Bom é entre Família III Incesto 2
1369 O Bom é entre Família IV Incesto 3
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA