Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Blog Erótico   Entrar em contato  
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato
   Ajuda (Duvidas)

SITES PARCEIROS
   Blog Erótico
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





Infidelidade em familia


O pai de Tadeu era um orgulho só do casal de gêmeos que sua bela nora Cíntia tinha lhe dado. Eles estavam com oito meses e não passava um minuto sem que ele não desejasse estar perto deles.
Todos se admiravam desse sua faceta já que o enorme Manfredo era uma tirano ao lidar com as pessoas, até mesmo com os familiares.
Assim, certa tarde ele apareceu na residência do filho sem avisar. A babá dos gêmeos lhe abriu a porta e disse que a nora Cintia estava no escritório. Ele ficou surpreso quando ela disse também que Cintia estava com Rafer, o sócio de seu filho, tratando de negócios.
“ Que porra é essa de Rafer estar aqui tratando de negócios? Com a Cintia? E ainda essa hora do dia? – Ficou matutando o zangado Manfredo.

Ele ainda dispensou uns minutos com as duas crianças, depois levantou-se e sem dizer nada se dirigiu e nem ligou pro gesto ou do que a babá falou de “dona Cintia não querer ser interrompida”. E para sorte do destino, a porta não estava trancada.
- Hei, hei! Que porra é essa?!

Rafer foi quem primeiro se assustou. Cintia ainda com um sorriso abobalhado e os olhos semicerrados, só se assustou no segundo seguinte. Ela estava ajoelhada no assento do sofá e com os cotovelos apoiados no encosto. O vestido estava levantado na altura da cintura e a parte do busto estava aberto com os volumosos seios a mostra. Rafer, por trás dela, tinha as calças nos tornozelos e as duas mãos nos quadris da esposinha de seu sócio Tadeu.
- Seu escroto! O que você está fazendo com minha nora?! Vou te matar, filho da puta!
- Espera! Calma aí, Manfredo! Eu posso explicar!
- Explicar ô caralho! Vou te foder, seu puto! E você, Cintia? Se fazendo de puta dessa babaca!
- Que isso, Manfredo? Cintia não tem culpa de nada! Eu a forcei... Praticamente eu a currei!
- O cacete! A cara dela era de uma piranha no cio! Voce desgraçou a vida de meu filho! E cala a boca, porra! O que você tem a dizer, Cintia?

Ainda assustada e com os olhos lacrimejando, Cintia tenta se recompor, mas só consegue abotoar a parte da frente do vestido, pois a rola de Rafer ainda está dura e se enroscou no tecido, se prendendo entre as gorduchas nádegas dela. De repente, ela dá um longo suspiro e visivelmente nervosa, começa a berrar. Manfredo tem a presença de espirito de fechar a porta atrás de si enquanto entre os gritos, Cintia lhe diz na cara.
- Eu não sou nenhuma piranha! E foi você quem desgraçou nossa vida! Voce com suas exigências para com Tadeu! Depois que dei a luz ele só me procurou uma vez! Durante a gravidez, nunca! Por que? Vamos, me responda, grande Manfredo!
- Ora, isso é problema de vocês dois! O que eu tenho com isso?
- Só tem, seu grosso! Voce exige tanto dele, mas tanto, tanto que Tadeu já chega morto do serviço! E naquelas férias de um mês, que você o fez voltar logo uma semana depois, Tadeu só trepou comigo uma vez e não conseguiu mais nos outros dias, pois o estresse o tinha brochado! Voce é o culpado de tudo! Voce e somente você! Vou abandonar Tadeu e me casar com Rafer!

Ao olhar pra Rafer, Manfredo notou o olhar surpreso dele e sua raiva aumentou mais ainda, embora as palavras de sua nora estivessem fazendo efeito.
- O quê? Se casar com esse canalha! Voce enlouqueceu! Jamais vou deixar! Eu mato ele antes! Não vê você que ele é um aproveitador? Deixa de ser burra, ô Cintia!
- Não me chame mais de nome nenhum, seu salafrário! Voce que um aproveitador e manipulador! O Rafer sempre me tratou com muito amor e despertou minha feminilidade!

Apesar de toda prepotência, Manfredo sabia ser pragmático e como Cintia havia dito, era um hábil manipulador de pessoas. Ele fica alguns segundos avaliando o que sua nora lhe disse, observando ela ajudar Rafer a desvencilhar a imensa rola do vestido dela.
- Olha... não justifica o que você fez, Cintia. Mas, não posso deixar de reconhecer que você foi negligenciada por meu filho e esse canalha aí, roubou o espaço dele...
- Roubou, não! Ocupou o espaço que ele negligenciou!
- Tá bem, tá bem! Ele é burro, tem que se foder! Mas, vamos fazer o seguinte... vocês dois tomem mais cuidado. Quero o máximo de discrição e absoluto segredo da situação de vocês! Ok?

Rafer e Cintia se olham surpresos com a súbita mudança de Manfredo. E não acreditando numa única palavra que seu sogro acaba de dizer, ela lhe pergunta.
- Por que? O que você pretende Manfredo? Voce nunca foi boa pessoa nem nunca perdoou quem quer que fosse!
- Sim, você tem razão! Perdoar jamais perdoarei, mas estou sendo sincero no que propus. Também não sou bonzinho e vou provar isso agora!

Sem ninguém esperar, ele, em dois passos, estava frente a frente com Rafer e o esbofeteou com força. Cintia gritou surpresa, vendo Rafer tombar por cima do sofá. O sogro, em tom ameaçador e com os punhos fechados, fala por entre os dentes.
- Voce merece mais do que isso, seu babaca! Agora sai, vá embora e nunca mais ponha os pés nessa casa! Nunca mais! Se alguém descobrir o caso de vocês dois... você sabe que será um homem morto! Você me conhece muito bem! Agora, sai!

Rafer se levanta e esfregando o queixo passa por Cintia que gesticula como querendo abraçá-lo. Manfredo a retém, segurando por trás. Rafer esboça um leve sorriso e lhe dá uma piscadela e sai, fechando a porta atrás de si.
Assim, que se vê a sós com Cintia, o pai de Tadeu a faz virar-se de frente e abruptamente lhe beija a boca. Ante a surpresa e os olhos arregalados de Cintia, ele a abraça mais fortemente e com a língua serpenteando dentro da boca da nora.
Cintia fica sem reação e se deixa dominar por total paralisia. As enormes mãos do sogro vão até suas nádegas e num arremedo de caricia bruta, ele a faz esfregar-se em sua virilha, fazendo Cintia perceber o quanto ele está excitado devido ao duro volume em que seu monte de vênus é esfregado.

Involuntariamente o corpo de Cintia passa a tremer, terminando com a apática paralisia de antes. Ela toma consciência disso e tenta não deixar que pai de seu marido perceba. E então, pondo as duas mãos no tórax dele, o afasta de seu corpo, mas os braços do sogro permanece em volta de sua cintura, não deixando ela se livrar totalmente dele.

Cintia não olha direto nos olhos do sogro para não demonstrar sua impotência de livrar-se do abraço dele e também que está se excitando com tudo aquilo. Manfredo tem a impressão que a nora o está rejeitando e sua rara sensibilidade lhe diz que é melhor parar e se desculpar. Assim, ele a solta e dá um passo atrás. Limpando a garganta, ele lhe fala quase que num sussurro.
- Me perdoe... Cintia, me perdoe. Eu... acho que me...

Cintia lhe esbofeteia o rosto antes que ele termine a frase e espera que ele revide. No entanto, aquele homenzarrão apenas faz um muxoxo com a boca e balançando de leve a cabeça afirmativamente, faz menção de sair, murmurando baixinho.
- ...eu mereço... eu mereço...

Antes que ele se afaste mais, Cintia o pega pela mão e vai em direção ao sofá. Leva alguns segundos para que Manfredo perceba a súbita mudança de atitude da nora.
Cintia se ajeita na mesma posição que ele a viu assim que entrou no recinto minutos antes. Ele tem que respirar fundo para não se descontrolar ao ver que vai tomar posse do esplendido corpo de sua norinha. Escuta ela lhe dizer sussurrando.
- Agora, seu cretino, acaba o que Rafer... começou.

As narinas de Manfredo se dilatam e sua mandíbula se mexe ao passar o ar por entre os dentes sibilando sua satisfação. Os dourados glúteos aparecem em toda sua beleza quando ele lhe levanta o vestido até a cintura. Em poucos segundos ele livra sua enrijecida virilidade de dentro das calças. Umas duas gotas de esperma já espirram demonstrando toda sua excitação. Cintia dá uma olhada por cima do ombro e, dessa vez, são as narinas dela que dilatam. Ela eleva subitamente a cabeça ao sentir a bojuda glande a lhe penetrar as pétalas da xaninha.

Manfredo aspira por mais ar enquanto sua grossa e longa verga vai invadindo a xotinha de sua infiel nora. Ela solta um gritinho e balança a cabeça sensualmente de um lado pro outro.
- Aaah... está, está bom. Mas... não era aí que Rafer estava!

Manfredo então nota que o intumescido anus de sua nora está avermelhado e um pouquinho dilatado. Por um instante a raiva lhe vem por saber o quanto Rafer depravou a esposinha de seu filho Tadeu. E por ciúme também.
- Então... você... você se deixa... sodomizar!
- Sim... sim. A não ser que... você queira me engravidar!


Foto Perfil Helge

Ficha do Conto

Escritor:
Helge

Nome do conto:
Infidelidade em familia

Codigo do conto:
13871

Categoria:
Traição/Corno

Data do Envio:
28/09/2011

Quant.de Votos:
10

Quant.de Fotos:
3

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us
Foto 1 do Conto erotico: Infidelidade em familia

Foto 2 do Conto erotico: Infidelidade em familia

Foto 3 do Conto erotico: Infidelidade em familia




Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Ultimos Comentários
Comentado por: awcroque em: 14/09/2012
Muito bom, vou ler a continuação
Comentado por: kotxiri em: 13/12/2011
muito bom seu conto!! alias todos eles são gostaria q me add no meu MSN
Comentado por: joanatuga em: 14/10/2011
oi querida!
Comentado por: Josh em: 08/10/2011
Belo conto!ah...tentei mandar um email pra vc,mas não consegui.quero manter contato com vc!vc tambem comentou um conto meu,alias,obrigado pelo elogio!
Comentado por: NUNESS em: 05/10/2011
delicia qual é o seu blogue ma diztem o meu voto
Comentado por: Guto_poa_RS em: 03/10/2011
Qui historia deliciosa.. nossa.. Que gozada gotosa voce me proporcionou numa punheta alucinante imaginando cada cena relatada.. Parabens...

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
9899 Sodomizada na porta da igrja 2 Traição/Corno 12
9900 Sodomizada na porta da igreja 1 Traição/Corno 8
9946 Iniciação Anal da ninfeta modelo III Traição/Corno 8
9949 Iniciação Anal da ninfeta modelo I Virgens 10
9962 Flora e seu poney Zoofilia 15
9964 Iniciação anal de uma ninfeta 1 Virgens 6
9975 Helga e os presidiários II Traição/Corno 7
9981 Safadas santinhas III Virgens 5
10070 Amadureci chupando um pivete Fantasias 16
10076 Rasgando as calcinhas da mãe Incesto 14
10103 Dando a bundinha com classe Traição/Corno 8
10104 Meu marido aceitou minha tara 3 Interrraciais 6
10105 Meu marido aceitou minha tara 2 Interrraciais 6
10106 Meu marido aceitou minha tara 1 Interrraciais 8
10121 A juiza e o filhinho gay 4 Incesto 7
10184 O Deputado e sua esposinha safada 4 Traição/Corno 3
10185 O Deputado e sua esposinha safada 3 Traição/Corno 3
10186 O Deputado e sua esposinha safada 2 Traição/Corno 3
10187 O Deputado e sua esposinha safada 1 Traição/Corno 3
10188 O deputado e sua esposinha safada Traição/Corno 5
10241 Rasgando a calcinha da mãe 2 Traição/Corno 6
10329 Só o amigo de meu marido que me enraba Traição/Corno 6
10330 Minha primeira traição foi dar o cusinho Traição/Corno 5
10340 Forçada ao incesto III Incesto 3
10341 Forçada ao incesto II Incesto 3
10342 Forçada ao incesto I Incesto 9
10430 A juiza e o filhinho gay 5 Incesto 10
10455 Namoro o filho, mas o api que me come 1 Traição/Corno 9
10545 Sodomizada por acaso II Incesto 4
10546 Sodomizada por acaso I Incesto 6
10584 Namoro o filho, mas o pai é que me come II Traição/Corno 18
10671 Anus acolhedor da Luterana III Traição/Corno 3
10672 Anus acolhedor de uma Luterana II Traição/Corno 4
10673 Anus acolhedor de uma Luterana I Traição/Corno 6
10682 Sodomizada no navio 4 Traição/Corno 4
10683 Sodomizada no navio 3 Traição/Corno 7
10705 Namoro o filho, mas é o pai que me come 3 Traição/Corno 8
10751 Melissa e seu sogro (parte 2) Traição/Corno 7
10752 Melissa e seu sogro (parte 1) Zoofilia 13
10913 Meu marido jura que lhe sou fiel II Traição/Corno 7
10914 Safadas santinhas IV Traição/Corno 5
10974 A safada esposinha do parlamentar I Traição/Corno 11
11022 A esposinha safada do parlamentar II Traição/Corno 5
11183 Diana e o estagiário negro I Traição/Corno 10
11204 Diana e seu estagiário negro II Interrraciais 12
11315 Diana e o estagiário negro III Interrraciais 11
11347 Diana e o estagiário negro IV Incesto 7
11400 Virei gay por amor a uma mulher I Incesto 11
11605 Virei gay por amor de uma mulher II Incesto 10
11705 Melissa e o primo gay I Incesto 9
11863 Quem acredita num corno? Incesto 8
12053 O lado obscuro da esposa perfeita 1 Traição/Corno 11
12116 O lado obscuro de uma esposa perfeita II Traição/Corno 7
12117 Dando a bundinha com classe II Gays 11
12183 Buttplug de Marta Traição/Corno 7
12184 Divórcio Incestuoso Incesto 6
12273 Rasgando as calcinhas da mamãe III Incesto 7
12276 Rasgando as calcinhas da mamãe IV Incesto 6
12397 Rapto e defloração anal de Ylena Sadomasoquismo 7
12398 Rapto e defloramento anal de Ylena 2 Sadomasoquismo 7
12515 Meus maridos, meus cornos I Traição/Corno 18
12689 Meus maridos, meus cornos II Traição/Corno 8
12815 Viuva insaciável Zoofilia 15
13096 A sogrinha e o genro cafetão Traição/Corno 10
13363 Arrependida, porém satisfeita. Traição/Corno 10
13386 Arrependida, porém satisfeita II Traição/Corno 9
13528 Que culpa tenho por ser gostosa? Traição/Corno 8
13684 A primeira vez com meu filho. Incesto 172
14000 Esposa e sogra enrabadas pelo vizinho I Traição/Corno 20
14082 Infidelidade em familia II Traição/Corno 8
14225 O canalha que me seduz III Incesto 9
14463 Helga descobrindo o prazer Anal Traição/Corno 26
14550 Compulsão Anal do noivo e da noiva Traição/Corno 26
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA