Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Blog Erótico   Entrar em contato  
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato
   Ajuda (Duvidas)

SITES PARCEIROS
   Blog Erótico
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





Corno montadinho arrombado pelo negão


Chegamos em casa, eu e minha esposa Natty. Os dois vestidos como verdadeiras piranhas chiques. Depois do passeio no parque e da chupada na rola do guarda, eu me sentia uma verdadeira mulher. Mulher não. Piranha mesmo.
Entramos.
- Vou no quarto pegar a maquiagem para dar um retoque em você - falou minha esposa.
Sentei no sofá da sala e comecei a pensar em mim. Vestido preto com decote lateral. Espartilho, meias 7/8, salto alto, maquiada. Além de corno manso, minha esposa me transformou em um viado. Eu estava adorando.
Natty voltou e retocou a maquiagem. Ficamos ouvindo música por um tempo até a campainha tocar. Olhei pela janela e lá estava ele, Róbson, o negão vendedor de ferramentas que havia comido minha esposa a semana toda e agora iria foder meu cuzinho.
Natty saiu para atendê-lo e já o recebeu com um baita beijo de língua.
Escutei ela falar: - Você não vai acreditar, ele está igual a uma putinha. Acabou de chupar o pau de um policial e agora você vai poder foder um cuzinho apertadinho.
E riu.
Os dois entraram. Eu me levantei.
- Uau, que piranha!!! Vou foder muito hoje. - disse Róbson já passando a mão pelo meu corpo.
Fui direto na sua pica. Já estava meia boma e já era enorme. Ai ai ai. Ele abriu a calça e saltou aquele mastro.
Me abaixei e fiquei de joelhos e comecei a chupar aquela pica gigante. Minha esposa aproveitou e começou a dedilhar meu cuzinho.
Eu chupava a pica do meu macho com gosto. Beijava, lambia pelos lados e engolia o quanto podia. Não entrava tudo. Enquanto isso sentia minha esposa preparando meu rabo para ser penetrado. Primeiro um dedo. Depois molhou os dedos no lubrificante e introduziu dois dedos. Começou a mexer. Meu cu piscava. Meu pau estava para explodir preso entre as minhas coxa. Senti ela forçar três dedos. Entraram com dificuldade enquanto eu continuava a chupar a pica de róbson.
Natty iniciou um movimento rápido, agora já com quatro dedos. Meu cu estava verdadeiramente laceado. Pronto para levar piroca.
- Vem. O rabinho da viadinha já está pronto para sentir um macho de verdade. - falou a piranha.
Róbson me fez parar de chupá-lo e me virou. Colocou uma camisinha e lambuzou seu pau com lubrificante. Antes enfiou dois dedos seus, que eram o equivalente a quatro de Natty. De repente senti mais um dedo. Meu cú ardia prá caralho. Aliás, caralho era o que le emais queria. Eu gemiar de dor e prazer.
- Diga seu viado corno, o que você quer? Você quer levar ferro?
- Quero!
- Diga - ordenou Natty.
- Quero levar ferro. Quero sentir esse pau no meu cu. Quero ser a putinha dessse macho.
Quando acabei de falar senti a cabeçona do pau gigante de Róbson encostando no meu cú. Aquilo não iria entrar no meu rabo nunca. Ele forçou. Nada.
- Relaxa vagabunda - ordenou minha esposa.
Dei uma relaxada e senti novamente a cabeçona forçar a entrada. Nada.
Natty lambuzou meu cu com mais lubrificante enfiando todos os dedos, inclusive o dedão.
- Agora vai, mete com força e sem dó nesse viado. Se ele gritar, mete mais forte - disse a piranha.
Ai ai ai. Róbson encostou a cabeçona e forçou. A pica começou a entrar.
- Aaaaaaaaahhhhhhhh puta merda... - gritei e dei um salto para a frente. O pau saiu. Que alívio.
- Róbson, pega ele e prende no sofá e pode estuprar essa puta desobediente.
Ele me pegou pelo braço e me jogou no sofá. Fiquei de joelhos no chão com o corpo encostado no sofá, sem ter como fugir. Ele se apoiou em mim e senti novamente aquele monstro cutucar meu buraquinho, digo, meu buracão.
ele empurrou o pau com bastante força. A cabeça e o pau entraram me rasgando.
- AAAAAAhhhhhhhhh.
ele empurrou mais forte.
- Aaaaaaaahhhh.
Sentia todo meu corpo sendo rasgado. Aquela pica estava me destruindo. Róbson forçou mais. Metade da pica já tinha entrado. Ele não iria parar até enfiar tudo. forçou de novo.
A dor era insuportável, mas eu resistia porque o tesão era maior. Estava quase desmaiando quando senti ele forçar mais um pouco. Senti as suas bolas batendo no meu rego. Estava quase tudo dentro.
- aaaahhhhhh para, para, para...
- Mete róbson, fode esse viado.
Ele forçou de novo e senti chegar até o talo. Puta que o pariu que dor. Meu rabo estava arrombado. Eu continuava a gritar de dor e róbson começou a mexer. Primeiro devagar e de repente começou a enfiar e tirar rapidamente.
Meu pau que estava escondido entre as coxas e já tinha saltado para fora. Estava mole, mas senti a porra saindo da sua cabeça. Gozei muito. Sem tocar na minha pica.
Róbson continuava entrando e saindo. Me currava como uma cavalo.
- Fala piranha, diz que tá gostando.
- ai ai ai tô adorando, mete meu macho, fode meu cuzinho, come tua putinha...
Ouvindo minhas palavras, o negão aumentou o ritmo e parece até que seu pau ficou ainda maior. Novamente senti meu pau jorrando porra. dois gozos sem tocar no meu pau. Nunca tinha sentido isso.
- Mete, me fode, me rasga, acaba com minhas pregas, me faz de puta, sou tua piranha, fode o cu do corno da tua vagabunda...
Ele meteu mais forte e de repente caiu sobre mim. Senti que ele estava gozando. A camisinha parecia cheia de porra.
Ele tirou o pau para fora.
- Olha que cuzinho arrombado. - falou nAtty rindo.
Ela pegou a camisinha do pau de Róbson, ainda cheia de porra e começou a espalhar tudo pelo meu corpo.
- Sente meu corno viado... uma putinha de verdade tem que ficar com cheiro de macho no corpo.
Eu estava estatelado no sofá. Sem forças. Vi quando ela vestiu uma luva cirúrgica e inundou de lubrificante.
- Agora é minha vez.
Ela levou sua mão ao meu cuzinho e começou a enfiar todos os dedos. Forçou e quando senti sua mão estava dentro do meu rabo.
- Ai ai ai ai para, o que você tá fazendo.
- Fica quieta piranha, que eu tô metendo no teu cu de viado. - respondeu Natty enquanto o negão estava deitado no chão apenas rindo.
Ela começou a tirar e por a mâo até quase metade do seu braço. Que tesõa. Não acreditava no que estava acontecendo. Ela enfiava e tirava até que gozei de novo.
- Esse corno nasceu para ser viado. Gozou várias vezes sendo comido.
Ela tirou a mão do meu rabo e tirou a luva, com manchas de sangue e me mandou tomar banho.
- Vai tomar banho, que agora você deixa de ser viado e vai ser corno. O Róbson vai comer meu cu.
Sai para o banho e deixei os dois na putaria.
Foto Perfil butt_johnny

Ficha do Conto

Escritor:
butt

Nome do conto:
Corno montadinho arrombado pelo negão

Codigo do conto:
19580

Categoria:
Travesti

Data do Envio:
28/08/2012

Quant.de Votos:
4

Quant.de Fotos:
0

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us



Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Ultimos Comentários
Comentado por: fabio-mao em: 29/08/2012
adorei seus contos.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
18905 Esposa vagaba comida pelo técnico da lavadoura Traição/Corno 5
18929 Esposa putinha - corno fingindo dormir Traição/Corno 5
19110 Mandei completar o serviço Traição/Corno 6
19111 Corno e viado Traição/Corno 6
19132 Festinha em casa - esposa, vizinha e negão Grupal e Orgias 6
19222 O carteiro e a vagabunda Traição/Corno 4
19233 Montadinha pela esposa, chupando o policial Travesti 6
29066 Levando rola dos dedetizadores Travesti 3
29849 Técnico ejaculador Gays 1
30300 Passando a borracha Travesti 7
31047 Montadinha para o gostoso da academia Traição/Corno 1
37492 Corno no baile de formatura Traição/Corno 10
37641 Taxista comeu a minha esposa e eu Traição/Corno 29
50287 CDzinha no parque Travesti 0
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA