Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Entrar em contato   Bate Papo
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato

SITES PARCEIROS
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web
   Videos Porno
   Porno Tube

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





COMI O CUZINHO VIRGEM DE MINHA ESPOSA


Minha esposa tem 1,70 de altura, 23 aninhos, cabelos pretos, magrinha, muito gostosinha. Sempre tive vontade de comer o cuzinho dela, mas ela nunca deixou, ela é bastante séria, e para chegar a por a boca em meu pau, demorou um tempão, só consegui isso num dia em que a deixei com muito tesão, ela estava com sua xoxota toda ensopada e me pedia para penetrar na sua xoxota, eu então peguei meu pau e levei pra boca dela me deitando do seu lado, só que com a cabeça para baixo, e disse que só colocaria meu pau na sua xoxota se ela fizesse um 69 comigo, e já fui colocando meu pau em sua boca sem dar tempo para ela pensar, ela acabou aceitando, e eu com minha língua a deixando ainda mais molhada, ela estava com tanto tesão que chegava a sussurrar, e me implorava para por dentro dela. Então tirei meu pau de dentro da sua boca e encostei em sua xoxota, ela se mexeu e meu pau foi parar lá dentro da sua xoxota, com uma certa facilidade, pois estava muito lubrificada. Quando meu pau entrou ela se retorceu num tesão, e me pedia para que gozasse, que ela queria gozar junto comigo, bastaram algumas estocadas mais rápidas e caímos num gozo só. Disse a ela que gostaria muito de fuder aquele cuzinho virgem dela, e que se ela me desse eu iria me sentir muito feliz e realizado. Ela me disse que já havia gozado e que não agüentaria agora fazer isso pra mim, e que queria fazer isso comigo num dia que fosse especial, e me prometeu que no nosso aniversário de casamento ela iria me realizar esse desejo. Tive que ter um pouco de paciência para esperar até o dia, mas esse dia chegou. A levei para um restaurante para jantarmos, e após o jantar, a levei para um motel, ela estava toda desconfiada, mas não me disse nada, como se estivesse esquecido do prometido. Chegando no motel, abri uma champanhe, e a medida que ia tirando a sua roupa, com minha boca úmida de champanhe ia acariciando-a, comecei a chupar suas orelhas, seu pescocinho, dava pra perceber que ela estava ficando toda arrepiada, abaixei o vestido que ela estava usando, e tirei os seus seios para fora do sutian, erguendo o sutian, molhei bem minha boca e comecei a mamar naquelas tetas, que não são muito grande, mas são bem durinhos, enquanto chupava um seio, com a mão eu acariciava o outro, molhando as pontas dos dedos no champanhe. Nessa altura eu já estava só de cueca, e meu pau já estava com a cabeça saindo pra fora da cueca. Ela tem tesão em ver meu pau que quando fica duro chega sair pra fora da cueca. A coloquei deitada na cama e fui descendo lentamente com os beijos, passando por seu umbiquinho, e sempre com a mão nos seus seios, continuei descendo e dei leves mordidinhas na sua xoxotinha ainda por cima da calcinha, que já estava toda ensopada, continuei as mordidinhas e com a língua tentava colocar na sua xoxotinha mesmo por cima da calcinha, e ela suspirando de tesão, chegava a levantar sua xoxota em direção a minha língua como se quisesse que minha língua entrasse com calcinha e tudo. Pra deixar ela ainda com mais tesão, sentei em cima de seus peitos, e dessa fez nem precisou pedir, e ela já levantou a cabeça, tirou meu pau pelo lado da cueca e colocou em sua boca, e começou a chupa-lo como uma doida, colocava meu pau que é bem grande até a metade em sua boca, e chupava bem apertado, eu com os dedos acariciava sua xoxota ainda por cima de sua calcinha que era bem fininha e dava pra sentir sua xoxota, ela começou a suspirar me dizendo que não agüentava mais de tesão e que queria ver meu pau em sua xoxota. Então tirei meu pau de sua boca e desci com ele passando pelo seu corpo, esfregando meu pau em seus seios até chegar na sua xoxota. Encostei meu pau na sua xoxota com calcinha e tudo, e comecei a beixa-la e empurrar meu pau por cima da calcinha, coloquei até a metade meu pau com calcinha e tudo, ela estava alucinada e tão molhada que meu pau entrou com calcinha e tudo, ela me pediu que a fizesse gozar. Foi quando eu a lembrei do que havia me prometido, e disse que só iria faze-la gozar se me desse o prazer de penetrar aquele cuzinho virgem dela. Ela estava com tanto tesão que não teve outra opção, só me pediu para colocar com cuidado pra não doer. Mais que depressa, tirei a calcinha dela, a virei de quatro, com as pernas bem abertas, dava pra ver direitinho aquele cuzinho rosado me chamando, aproveitei aquele líquido de tesão que saia da xoxotinha dela pra lubrificar meu pau e esfreguei um pouco no cuzinho dela. Encostei a cabeça de meu pau no seu cuzinho e comecei a empurrar. O cuzinho dela era muito apertadinho e estava difícil de coloca-lo pra dentro, e ela começou a me dizer que estava doendo. Então peguei um potinho daqueles lubrificantes anal que tem no motel pra vender, esfreguei bem no cuzinho dela, e passei um pouco no meu dedo, pois teria que acostumar aquele cuzinho com o dedo primeiro. Foi o que eu fiz, coloquei um dedo no cuzinho dela, que também não foi tão fácil de entrar, brinquei ali com um dedo até relaxar um pouco e coloquei mais um dedo, ficando um tempo com dois dedos no cuzinho dela, fazendo movimentos lentos até ela se acostumar. Peguei novamente o potinho de lubrificantes e passei bem no meu pau por inteiro, e passei mais um pouco em seu cuzinho, e encostei novamente a cabeça na entradinha de seu cuzinho, pedi pra ela abrir bem a bundinha com as suas mãos e segurei bem firma na sua sintura, e fui apertando bem lentamente, pedi pra ela dar uma relaxada e respirar bem fundo, foi quando consegui colocar a cabeça do meu pau no seu cuzinho. Mesmo lubrificado ela me disse pra tirar que estava doendo, e eu fiz que não ouvi, e continuei empurrando até a metade do meu pau, e ela continuou dizendo que estava doendo, então eu parei com meu pau até a metade dentro do cuzinho dela, e com os dedos comecei a acariciar a xoxota dela, que tinha ficado seca, acho que de dor, quando comecei a acariciar com meus dedos, sua xoxota voltou a ficar molhada, e ela começou a suspirar de tesão novamente, fiquei com uma mão na xoxota, outra no seu peitinho e meu pau estocado até a metade em seu cuzinho bem apertadinho. Percebendo que ela estava com tesão novamente, comecei os movimentos de vai e vem dentro do cuzinho dela bem devagar, e a cada entrada colocava um pouco mais de meu pau pra dentro, até ele entrar inteirinho dentro daquele cuzinho delicioso, continuei acariciando a sua xoxota e disse a ela que se ela quizesse gozar teria que gozar com meu pau no seu rabinho, que era muito apertadinho e dava um tesão sem igual. Continuei os movimentos de vai e vem, agora colocando meu pau inteiro dentro daquele cuzinho, e os meus movimentos começavam a ficar cada vez mais rápido, e ela já não reclamava mais de dor, só suspirava e retorcia de tesão, até que ela como uma puta começa me dizer: vai... vai... me fode... arromba meu cuzinho seu filho da puta... vai... bem gostoso... vai.. vai... mais rápido... mais rápido... e eu continuei as estocadas e aproveitava a sua vontade e estocava com toda força, até bater meu saco na portinha de sua xoxota, aquilo estava de dando tesão e ela também estava ficando com muito tesão, e continuava a suspirar e dizer: vai... vai... me fode... mais... mais... mais rápido... me arrebenta.... fode meu cuzinho... gostoso... vai... goza com sua putinha... goza no meu cuzinho... goza... vou gozar com seu pau no meu cuzinho... vai... gostoso... não para... e senti aquele cuzinho que já estava apertado, contrair meu pau ainda mais, ela começou a se retorcer, e eu com aquele cuzinho apertando meu pau, não agüentei também e gozamos deliciosamente. Foi a melhor gozada até então. Ela caiu deitada na cama e eu fiquei com meu pau dentro do cuzinho dela até ele cair e sair sozinho. Apartir desse dia, nossa transa tem ficado cada dia mais maravilhoso, ficamos de todas as maneiras, e eu adoro ver ela gozando em meu pau. (SE VOCÊ GOSTOU, DÊ SEU VOTO).


Ficha do Conto

Escritor:
Badboy100vc

Nome do conto:
COMI O CUZINHO VIRGEM DE MINHA ESPOSA

Codigo do conto:
2098

Categoria:
Heterosexual

Data do Envio:
22/06/2004

Quant.de Votos:
0

Quant.de Fotos:
0

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us



Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
2528 TIRANDO O CABAÇO DE MINHA PRIMINHA Heterosexual 0
2529 REALIZEI O SONHO DE MINHA PRIMA. "DAR PRA DOIS" Heterosexual 1
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA