Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Blog Erótico   Entrar em contato  
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato
   Ajuda (Duvidas)

SITES PARCEIROS
   Blog Erótico
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





Não consegui resistir ao meu filho.


A vida sempre nos ensina a cada dia que se passa, mas a gente nunca aprende. Infelizmente existem as mulheres que gostam de sexo, as mulheres que são taradas por sexo, as mulheres que são ninfomaníacas e existem mulheres como eu, que só de pensar que poderia transar em qualquer lugar com um homem viril, já faz a minha buceta ficar totalmente molhada. E foi por esse motivo que eu perdi a melhor oportunidade de minha vida, me casei com um homem muito rico do interior de Minas Gerais, um fazendeiro riquíssimo que sempre me deu tudo o que eu pedia, mas no 3º ano de casamento o pique já estava meio baixo, e ele só fazia sexo comigo nos finais de semana, foi então que passei a me masturbar com muita freqüência, e foi então que eu conheci as maravilhas das frutas e legumes, sim, usava de tudo, banana, pepino, cenoura, até que começou a despertar a minha tara por garotos, pelos filhos os amigos do meu marido, e todo dia ia um garoto me visitar, até que meu marido descobriu e deu o maior problema ele ficou muito falado pela região, e como ele me amava a única solução foi mudar-se para o interior do Paraná, toda a família dele foi contra, mas ele confiou em minha palavra, e foi comigo para lá. Nos primeiro meses, tudo ia muito bem, e fiquei grávida, tinha 22 anos, quando eu fiquei grávida, e meu marido foi o maior homem que eu havia conhecido sempre me tratava como eu merecia, e sempre contratava os melhores médicos, e começou toda a minha excitação novamente, até que um dia não resisti, e no 8º mês de gravidez eu estava transando com meu ginecologista em minha casa e o meu marido, entrou. Ele quase morreu, eu estava com as pernas apertas no carpete da sala da fazenda e o meu médico estava todo dentro de mim, me lembro muito bem que meu marido disse ao capataz que sempre o acompanhava, ele disse “PEGUE ESTE DOUTORZINHO, E DE UM FIM NELE”, semanas depois eu ouvi dizer que o medico tinha sido transferido do interior do Paraná para a ultima cidade do Amazonas. Sem dizer que ele apanhou muito, e meu marido só me disse uma coisa, quando a criança nascer você ira embora para São Paulo, e nunca mais voltará. E foi o que aconteceu, o meu filho nasceu eu o vi, o beijei, depois “ganhei”, uma passagem de ida para São Paulo. O meu marido ainda, teve a delicadeza de comprar um pequeno apartamento no centro de São Paulo, e me dar de presente, fora à indicação para eu trabalhar em um multinacional. O tempo passou e 25 anos depois, numa quarta-feira, por volta da meia noite, bate em meu apartamento, um rapaz lindo e muito educado, eu apenas olhei pela porta e perguntei o que ele queria, ele me disse que era a maior surpresa de minha vida. Não sei como, mas me deu uma segurança de que não era um bandido, abri a porta, ele pegou a minha mão e disse “BOA NOITE MAMÃE”, “O QUE ?”, perguntei sem nada entender, e ele me contou toda a estória e toda a dificuldade que havia tido para me encontrar, e que no sábado à noite ele iria se formar, e que seu pai viria para a festa, mas como ele não me conhecia, e que a família nunca falou sobre ele queria muito me conhecer, ele queria saber quem era a sua mãe antes de se formar, e me convidou para jantar com ele na quinta à noite. Confesso que não sabia o que dizer parecia uma pegadinha, mas por via da duvidas aceitei o convite, ele me abraçou, e me deu um beijo no rosto e disse quero que você vá mais bonita do que à noite em que você se casou. Fique muito contente com o convite, passei o dia todo trabalhando, muito feliz, muito feliz em ter encontrado o meu filho. Sai da empresa as 5 h da tarde, e passei no shopping, já na primeira loja, achei o que me encantou, um vestido abaixo dos joelhos, comportado eu diria, a não ser belo decote que realçava ainda mais os meus seios, e como sou clara, loira e um pouco alta, o vestido preto ficou em cima no meu corpo, e sem malicia alguma, comprei um conjunto de lingerie, preto, todo rendado, e tive a sorte de ganhar uma cinta-liga de brinde, como só faltava a meia, aproveitei e comprei uma meia 7/8 que tinha as mesmas rendas das lingeries, e para completar o meu vestuário nada melhor que um salto alto. O jantar foi maravilhoso e contei tudo o que tinha acontecido entre o seu pai e eu, ele chorou um pouco, mas depois se animou, quando chegamos na garagem, o meu pesadelo, ou melhor, sonho se realizou. Paramos, na garagem por volta da 2 hs da manha e a garagem do prédio estava vazia, convidei-o para subir e ele recusou alegando que teria que acordar cedo. Agradeci muito por ele ter tido vontade em saber a vontade e ter me entendido, mas quando eu fui beijar o seu rosto, ele me beijou na boca, até ai tudo bem, mas depois ele me beijou de novo, só que agora, tentava enfiar a sua língua dentro de minha boca, como não fazia sexo há 2 meses, não resisti e o beijei-o também, depois paramos nos olhamos, ele sorriu e disse “ENTÃO É VERDADE?”, “O QUE MEU FILHO”, “QUE VOCÊ É TARADA?”, confesso que fiquei sem graça, mas ele veio para cima de novo, e ele estava usando um perfume aterrorizante, que me fazia perder ainda mais os sentidos, só que agora, a sua língua invadia a minha boca acompanhada de suas mãos que percorriam as minhas pernas, até eu sentir, ele chegando em minha calcinha, e quando ele afastou ela de lado, ele começou a me beijar mais forte, não agüentei, e disse a ele, “POR FAVOR, PARE, POR QUE EU AINDA SOU A SUA MÃE”, Quando eu disse para ele parar de me beijar, notei que ele ficou muito triste, mas não podia continuar com aquilo, pois ele era o meu filho, mas ate que ponto eu resistiria? Parar é muito fácil, mas quando senti sua língua invadir a minha boca, logo me recordei dos bons tempos em que eu era uma pervertida com homens, mas qual seria a diferença entre o meu filho e um homem qualquer? Não seria ele um homem muito viril e eu uma mulher atraente e charmosa, e nos dois, sendo dois tarados por sexo, que mal haveria nisso? Perguntas que passaram em minha cabeça, em questão de segundos, mas uma coisa não me deixava em paz: o fato de eu estar com a minha buceta toda molhadinha ainda. O silencio entrou no carro e não queria sair mais dali, ele me olhou tristemente e me disse, “ME DESCULPE, MAS É QUE EU NÃO CONSEGUI RESISTIR A SUA BELEZA”, e realmente isto o tempo não me levou, apesar de 47 anos, os meus seios não são duros como antes, mas são volumosos, ainda mais quando uso meia taça, as minhas pernas são lindas, e o fato de ter que trabalhar de meia fina ajudaram ainda mais conserva-las, “MAS MEU FILHO, OBRIGADA PELO ELOGIO, MAS EU TENHO 47 ANOS, E EU SOU A SUA MÃE”, “MAS VOCÊ É MUITO GOSTOSA, MÃE, COM TODO O RESPEITO”, quando o meu filho me chamou de gostosa, fiquei arrepiada de tesão, aquilo me deu uma sensação muito gostosa, e parecendo que ele sentira o meu tesão ele disse, “MÃE, EU NÃO ESTOU AGÜENTANDO MAIS, POSSO TIRAR ELE PARA FORA?”, “O QUE MEU FILHO?”, ele não respondeu a minha pergunta e foi logo tirando o seu membro para fora, e que membro ele tinha, “É QUE ESTAVA APERTANDO, A CALÇA QUE EU ESTOU USANDO É AGARRADA” ele ficou se masturbando levemente Enquanto me olhava e ele pegou de leve a minha mão e começou a fazer com que eu também participasse da sua masturbação, a minha paciência já estava acabando, quando ele foi se aproximando de mim, e me deu um suave e longo beijo de língua, e tirou a sua mão do seu membro, foi um ato de muita esperteza dele, pois enquanto ele me beijava ele queria ver se eu continuaria a masturbar ele, e não deu outra, eu não masturbei ele apenas ficava segurando no belo membro dele e ficava sentindo como ele era grande, duro e quente. Não deu outra, dentro de poucos minutos, ele beijava o meu pescoço e ia me forçando a chupa-lo, quando eu me lembrei que estava dentro de um carro na garagem vazia do meu prédio, o meu tesão aumentou ainda mais, e não deu outra, eu me dirigi até o seu membro e passei a minha língua na cabeça do seu membro, e comecei a chupar. Eu estava dentro de um carro as 2 hs da manha, na garagem do meu prédio, e estava chupando o meu filho, pode parecer loucura, mas essa bizarra situação, me excitava ainda mais, e eu chupava ele, como se fora o primeiro pau de minha vida, e engolia ele, e beijava as suas bolas, e o que me dava mais tesão é que ele gemia, gemia de prazer, esse prazer que a minha língua dava quando eu chupava o seu membro. Então após chupar por um bom tempo aquele pau delicioso eu parei e olhei nos olhos dele e disse “O QUE NOS ESTAMOS FAZENDO?”, ele não respondeu, e foi descendo o meu bando, se deitou sobre o meu corpo e começou a me beijar e disse “SE VOCÊ REALMENTE QUISER, É SÓ ENFIAR ELE DENTRO DE VOCÊ, CASO NÃO QUERIA NÃO ENFIE”, era fácil não enfiar, mas ele me beijava de língua e ia passando a língua no meu pescoço e ia subindo o meu vestido, eu sentia o seu membro roçar em minhas coxas e não me contive, peguei ele, e comecei a pincela-lo em minha calcinha, afastei-a um pouco de lado, e comecei a passar a sua cabeça em meu clitóris e fazia com que eu gemesse, e quando comecei a gemer ele começou a chupar a minha orelha e a me morde-la bem de leve, e aquilo ia me esquentado ainda mais, então eu peguei em seu membro e fui enfiando em minha buceta, e ele ia invadindo ela, e eu vibrava de prazer e de tesão, ele começou a enfiar ainda mais forte dentro de mim, quando eu sentia o carro balançando, ficava ainda mais excitada, ele abriu as minhas pernas um pouco mais e ficou segurando ela para poder enfiar ainda mais fundo seu membro, e eu passei a gritar ele ficou naquele ritmo frenético, eu já estava gozando pela segunda vez, e durante este gozo, ele enviava ainda mais rápido, e começou a me beijar de língua, e durante o beijo eu fui sentindo ele gozar dentro de mim, foi demais aquela sensação, ainda muito tempo eu não sentia tal tesão. Poderia ser co qualquer homem, mas infelizmente, foi com o meu filho, sim foi o meu filho que me fez gozar, como a muito tempo eu não gozava. Paramos por um momento, e nos beijamos de novo, e foi só então que notamos os vidros do carro todos embaçados, rimos muito e nos beijamos de novo, e ele me disse “NÃO VAI ME CONVIDAR PARA SUBIR?”. Quando soube que ele queria subir, disse “MAS PARA QUE VOCÊ QUER SUBIR A ESSA HORA?”, pergunta inocente a minha, “PARA PODER TERMINAR O QUE EU COMECEI, VOCÊ NÃO PODE FALTAR AMANHA NO SERVIÇO?”, tanto tempo trabalhando, e eu nunca tive uma falta, e como no já estávamos na sexta feira, pensei que poderia muito bem faltar, mas estaria correta a minha atitude, pois tinha certeza, de que se eu convidasse ele para subir, saberia que ele poderia fazer sexo comigo, durante um bom tempo, e se ele me fizesse gozar ainda mais, qual seria o meu sentimento em relação a ele, pois amante não poderia ser, sendo ele o meu filho. Ainda em cima de mim, ele dizia “DEIXA EU SUBIR E FAZER VOCÊ GOZAR AINDA MAIS”, aquilo me deixou curiosa e não pude tomar outra atitude, a não ser concordar com ele e o convidar para subir. Nos recompomos e fomos para o meu apartamento, no elevador mantemos uma certa distância, mas ao abrir a porta do meu apartamento já senti a sua mão tocando em minha bunda. Eu fechei a porta e ele me agarrou por trás e começou a chupar o meu pescoço enquanto habilmente, ia descendo o zíper do meu vestido, e me deixando apenas de lingerie e com a minha nova, cinta-liga, quando ele me viu de cinta-liga, disse “PARECE UM SONHO”, então se aproximou novamente e começou a me beijar e me encostou na parede, e começou a me beijar e a descer a minha calcinha, quando ela estava na altura dos joelhos, ele se abaixou e começou a chupar a minha buceta, ele abria os meus lábios, e enfiava a sua língua dentro dela, lá no fundo e ia apertando a minha bunda, e ia tocando só com a ponta de sua língua no meu clitóris e ia aumentando o ritmo, e eu ia perdendo os sentidos e ficando cada vez mais excitada e gemendo cada vez mais alto, então ele se levantou e tirou o seu membro para fora, e segurou a minha perna direita e com a outra mão foi enviando o seu pau dentro da minha buceta, era demais, era muito gostos aquilo, e ele ia enfiando e ia estocando o seu pau, lá no fundo de minha buceta, e eu ia gozando mais uma vez e ele quando percebia que eu estava gozando aumentava o ritmo, para eu gozar ainda mais. Depois ele parou e me disse “QUER CAVALGAR NO TEU FILHÃO?” Sem esperar a minha resposta ele pegou em minha mão e foi me conduzindo até o meu sofá, e lá chegando ele sentou e ficou alisando o seu pau, e que pau ele tinha, eu já estava molhada novamente, eu sorri, e fui me aproximando dele, e fui me ajoelhando no sofá em cima dele, e eu fui colocando o seu pau novamente dentro da minha buceta, e comecei a rebolar em cima do pau do me filho, e comecei a perder os sentidos novamente e eu ia dizendo “METE FILHÃO, METE NA TUA MÃE, FAZ GOSTOSO ASSIM”, ele entendo a deixa, pegou em minha cintura, e começou a fazer com que meu corpo subisse e descesse em cima do seu pau, tirei os meus sapatos, coloquei meus pés em cima do sofá, de modo que eu ficasse agachada em cima do pau dele, e a sim eu comecei a cavalgar em cima do pau dele, que estava sempre duro, e sempre quente. Novamente eu já estava gemendo, e gritando dentro de pouco tempo. Foi quando ele começou a tirar o meu sutiã e a beijar os meus seios, e ia mordendo com muita delicadeza os bicos dos meus seios, e aquilo me deixava ainda mais louca, e então a medida que eu ia sentando no pau do meu filho e ele ia me chupando os seios, nada mais me poderia me dar mais prazer ainda. Eu estava errada, quando ele chupava os meus seios, e eu sentava no pau dele, eu passei a gritar mais e mais de tesão, e ele arriscou um tapa em minha bunda, pronto, algo a mais para me deixar mais excitada ainda, eu dei um grito e acelerei a minha cavalgada em seu pau, e ele passou a dar mais tapas, tapas cada vez mais leves, mas me excitava o fato de eu estar apanhando na bunda, enquanto eu cavalgava no pau dele, inútil dizer que em poucos minutos eu já estava gozando loucamente naquela posição, eu havia gozando tanto que desmoronei em cima dele, e ele ficou alisando os meu cabelos, e me disse, “AINDA TENHO QUE COMER SEU CUZINHO MAMÃE”, não, eu não acreditava que ele ainda queria mais, e antes de eu responder ele me disse “VOCÊ QUER, NÃO QUER?” dei apenas um sorriso, pois eu já estava totalmente acabada, e me fiquei em pé, e ele começou a alisar a minha bunda, já vermelha com tapas que eu levara ainda há pouco. Ele me disse “COLOQUE O SALTO MAMÃE”, percebi logo o que ele queria, eu já estava novamente excitada, coloquei o salto, e fiquei somente de meia preta 7/8 e de salto alto, e fiquei de costas para ele, tinha certeza do que viria pela frente, ele se levantou, agora totalmente nu, e ainda, pasmem, excitado, pois ainda não tinha gozado pela segunda vez, só havia gozado no carro, ele e foi me conduzindo até a entrada do meu apartamento, e me pediu para eu me colocar as mãos na parede, e arrebitar um pouco a minha bunda, aquelas palavras, me esquentaram de novo, e não tive duvida em fazer aquilo. Logo eu estava com as mãos na parede e ele estava ajoelhado atrás de mim, e me beijando a bunda, com muita volúpia, e se abaixou ainda mais, ficando com a cabeça entre as minhas pernas, e me chupava a minha já avermelhada buceta, ele se levantou, e começou a passar o seu pau em minha bunda e dizia “VOCÊ AGÜENTA MAIS AINDA MÃE?”, “MAS É CLARO MEU FILHO, VEM FAZER A MAMÃE GOZAR AINDA MAIS”, respondi logo de cara. Então ele se posicionou atrás de mim, e começou a enfiar em minha buceta, e em pouco tempo, já batia em minha bunda novamente, inútil dizer, que eu já estava aos berros, mas o melhor estaria ainda por vir, quando ele me disse “POSSO ENFIAR ATRÁS”, “ENFIA, ENFIA SIM MEU FILHO”, e ele enfiava em minha buceta, e passou a enfiar um dedo em meu cuzinho, e ia enfiando até o fundo, e ao mesmo tempo que em enfiava um dedo em mim, ele ia enfiando todo o seu pau em minha buceta, ele foi tirando o seu pau da minha buceta, e depois ele foi enfiando a sua cabecinha em meu cuzinho, e ia gritando, um grito de dor misturado de prazer ao mesmo tempo, novamente ele tentou e agora conseguiu passar a sua cabeçorra pelo meu cuzinho, eu ia gritando prazer, porque depois que ele enfiou a sua cabeçorra dentro de mim, o pau dele ia estocando o meu cuzinho, e ia me proporcionando um prazer sem limites, ele pegou em minha cintura, e segurando ela começou a acelerar as estocadas em meu cuzinho e eu já estava gozando quando ele voltou a dar uns tapas em minha bunda, aquilo era sensacional, nunca um homem tinha feito tantas coisas comigo, em uma só noite, e com os tapas eu sentia um prazer tão grande, que eu gemia com uma voz já estremecida de tanto gozar, e ele ia acelerando cada vez mais, e ia enfiando em mim, e ia acelerando e me disse “EU VOU GOZAR, AONDE O FAÇO?”, não perdi tempo dizendo, “GOZA, AQUI, GOZA AQUI NA MINHA BOCA, MEU FILHO, BANHE A SUA MÃE COM A SUA PORRA, MEU FILHO”, ele tirou, o seu pau, e eu me ajoelhei em sua frente, e comecei a masturba-lo e a chupar as suas bolas, e ele ia gemendo cada vez mais alto, e eu ia enfiando as suas bolas em minha boca, engolia uma e depois engolia a outra, e ia acelerando a minha masturbação nele, até que ele começou a gozar, e eu comecei a chupar aquele pau, e ia sentindo a sua porra escorrer em minha cara, e eu ia chupando aquilo tudo, e ia engolindo o seu pau, agora não mais tão duro como antes, mas ainda sim, muito duro e muito encharcado de porra, e ia passando a minha língua e limpando todo o seu pau. Nos olhamos, e ele me disse “FOI UM PRAZER REENCONTRAR VOCÊ MINHA MÃE”, “O PRAZER FOI MEU , MEU FILHO, FOI UM ENORME PRAZER TE ENCONTRAR”.


Ficha do Conto

Escritor:
Peter Weinberg

Nome do conto:
Não consegui resistir ao meu filho.

Codigo do conto:
2612

Categoria:
Incesto

Data do Envio:
27/06/2004

Quant.de Votos:
4

Quant.de Fotos:
0

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us



Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
2580 Um Conto de um Amor Proibido Incesto 7
2611 Mãe Grávida Excitada Incesto 5
2613 A descoberta proibida de meu filho Incesto 4
2614 A FORMATURA DE MEU FILHO. Incesto 5
2615 Vontades de Mãe e filho Incesto 5
2616 E POR QUE NAO COM MEU FILHO? Incesto 4
5832 Gozei com meu filho. Incesto 8
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA