Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Blog Erótico   Entrar em contato  
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato
   Ajuda (Duvidas)

SITES PARCEIROS
   Blog Erótico
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





O VERDADEIRO PRIMEIRO AMANTE DA ESPOSA


Como muitos já leram nossas histórias, somos experientes, fazemos ménage e também a libero sozinha, se quiserem entender mais este conto por favor leiam na lista abaixo como iniciamos no mundo liberal, pois este relato tem a ver com ele, em resumo nunca havia passado pela minha cabeça minha mulher ou namorada com outro, até que enquanto transava com minha esposa, ainda namorada, notei que ela tinha maior tesão em me chupar sentindo algo em sua xotinha até que um dia comprei um vibrador, enquanto ela me chupava eu colocava nela, ela delirava, depois também percebi que nos filmes pornôs que olhávamos ela se interessava mais onde dois homens comiam uma mulher, no meio destas fantasias acabei perguntando se ela queria outro pau de verdade, ela demorou a confessar achando que eu a estava testando até que disse que sim que imaginava e isto a excitava muito, bem, só realizamos o primeiro ménage depois de casado, e de lá para ca são 12 anos de putarias rss, quando a conheci começamos a namorar, fui o segundo homem dela, ela fogosa mas muito tímida, demorou a me fazer sexo oral, dizia ter vergonha e um pouco de receio, eu mais experiente sabia do seu potencial rsss, mas nunca a forcei a nada. Como disse já fizemos de tudo e mais um pouco, ela atualmente tem três homens que a comem periodicamente. O que quero contar aos amigos aconteceu agora em janeiro, somos gaúchos mas sempre veraniamos nas lindas praias de santa catarina, neste ano fomos acompanhados de um casal de amigos, nossa filha e minha mãe, embora até pensássemos em fazer alguma safadeza se desse, não teve como, só transavamos adoidadamente rss, eu tendo que dar conta sozinho do fogo dela visto que ela estava sem seus outros amantes, numa bela tarde eu e ela caminhávamos a beira da praia e a nossa frente avistamos um rosto conhecido, eu que sou bom fisionomista na hora lembrei, um colega dos tempos de faculdade de minha esposa, ele nos conheceu e nos comprimentou perguntou como ela estava, nos apresentou a esposa e logo se foi. Até ai tudo bem, mas naquela noite vi que na hora de deitar ela estava mais fogosa ainda então safadamente enquanto nos agarrávamos perguntei se foi por ter visto o coleguinha, pois lembrei bem dele pq certa vez ela me contou que ao ir na casa duma colega de faculdade fazer um trabalho em grupo este colega que ela encontrou agora passados mais de dez anos havia tentado a agarrar, eu que não esqueço de nada, a lembrei disto, falei também que notei o volume da sunga dele e não era pequeno, então ela nua e me chupando começou a falar coisas do tipo se eu iria ficar bravo com ela, que ela não queria me magoar, meu coração gelou mas fui natural ao dizer que não, que com tudo que já fazemos não deve ter algo que me surpreenda, ai ela começou a confessar tudo gente, enquanto me chupava taradamente ia contando tudo que aconteceu, e foi muita coisa, não foi só nesta noite que ela fez isto, a cada noite quando deitávamos para dormir ela começava nova tortura me contanto tudo que aconteceu, eu cheguei sim a ficar brabo e magoado mas o tesão era demais, fiquei brabo pq depois que a liberei, por várias vezes perguntei se não tinha rolado nada naquela noite, se ela tinha mesmo resistido ao cara pois sabendo do fogo que ela sente, se não tinha rolado nada nem um beijinho e ela sempre disse que não, para terem uma ideia, naquela época que eu nem pensava em ser corno rss, se eu descobrisse algo certamente terminaria com ela e nunca a perdoaria, sempre fui muito orgulhoso, pois bem, depois dela fazer todo este rodeio pedindo desculpas e tudo mais começou a me falar que naquele dia do trabalho, ela passaria a noite na casa desta amiga era uma sexta, depois que acabaram o trabalho da faculdade os demais foram embora ficando só ela, o cara, a amiga e o namorado dela, acontece que esta amiga era amiga deste colega que queria comer minha mulher, e estava o ajudando, dando uma força, nesta época estávamos muito no inicio do namoro, ela ainda não estava tão apaixonada assim como eu também demorei um pouco a ficar por ela, ela era uma menina do interior que viajava para a capital para estudar a noite, sempre foi muito gostosa, imaginem com 22 aninhos, ela sempre adorou minissaias era moda naquela época então todos homens babavam por seu coxões rss, ela confessou que na janta haviam bebido umas cervejas e ela estava deslumbrada por tantos homens notarem ela, quererem ela, e quando o colega ja sozinho com ela na sala pois a amiga já estava no quarto com seu namorado, tentou a agarrar ela não resistiu, acabou cedendo, ela que naquela época ainda tinha vergonha de transar comigo de luzes acesas, foi envolvida pelo safado que já a foi despindo ali mesmo, como disse, ela não me fazia sexo oral ainda, e quanto a isto devo agradecer a este safado rss, pois ele foi a agarrando a despindo e sem que ela falasse nada ele já estava a xupando no sofá mesmo, ela que já gostava de situações perigosas estava mais louca ainda, eu já a chupava também mas ela como disse não retribuía, o cara a puxou para o carpete da sala já nuazinha e foi então que ela percebeu a loucura pois o colega louco de tesão logo já esfregava o pau em seu rosto num 69 em que ele ia por cima, ela me confessou e nisto acredito, que apesar do tesão todo ela só o chupou por vergonha, vergonha sim de dizer não, de passar por interiorana inexperiente, então na verdade não foi em mim que ela fez o primeiro boquete como sempre imaginei e disse, foi nele, ela disse que abriu a boca e logo ele estava a fudendo, ele nem notou que ela não sabia nada pois ele não a deixou naquele hora praticar, ele ficou fudendo a boca dela enquanto a chupava toda também, claro que este e outros episódios acabaram por moldala como puta pois até hoje ela adora ficar por baixo no 69. Neste dia ou noite, também aconteceu outra coisa que me magoaria muito não fosse minha experiência, ela passou a noite toda com ele, naquela época o pai dela do interior era e sempre foi jogo duro, nunca havíamos passado uma noite toda, nem ela passou com seu ex namorado, assim como ela fazia com o ex, acontecia comigo, nos íamos a motéis ou para minha casa, mas eu tinha que levala depois de transarmos sem que o pai dela suspeitasse, algum tempo depois disto que conseguimos ficar uma noite toda juntos, inventando alguma saída para casa de alguma amiga, pois esta colega de faculdade lá, por mais de uma vez recebeu telefonema do pai dela a noite para confirmar se ela realmente estava na casa da amiga, como o apartamento deste comedor dela era de fronte, a colega só batia na porta e chamava minha esposa para falar com o pai dela, se acaso ela estivesse em minha casa que era em outra cidade, sua mentira era descoberta, descobri também que até eu fui enganado desta forma, mais de uma vez liguei para ela naquela época lembrando, não havia celulares como hoje, várias vezes liguei e a amiga foi no apartamento dele a chamar, chegamos a ficar namorando pelo fone enquanto o outro esperava para comela, até agora contando isto a vocês quase não acredito. A primeira foda foi esta loucura toda, ela ficou sendo fodida pelo cara e ela no delírio de tesão ainda ficava admirando o cacete que ela disse ser bem grande, me falou que não é maior que os que ela já levou até hoje, mas pelo que ela imagina tinha seus 20 cm o que a fez adorar já um pau grande, até nisto ela me enganou, quando escolhi o cara para nosso primeiro ménage ela disse q tamanho não importava, claro foi esperta, só depois de levar um pau bem grande me confessou que tinha sido muito bom e que os outros a comerem ela deveriam ter o dote grande o que é sua tara até hoje. Do carpete da sala o cara que a fodia a boca logo levantou-se a admirando ainda nua no chão, a chamou de gostosa disse que a tempo desejava a chupar e foder sua boquinha, ela sem palavras só sorria e naõ conseguia tirar os olhos do pauzão, ele a pegou pela mão, pegou as roupas dela e dele, bateu no quarto da amiga e avisou que iriam para o apartamento dele, ela me disse que cruzaram o corredor os dois nus, la ele a levou direto para seu quarto, a pos na cama sentadinha e novamente meteu em sua boca, agora ele em pé, pela primeira vez ela pode caprichar mais no bokete, não teve trabalho em aprender pois ele ia falando quase que ordenando como ela devia fazer, sempre a chamando de gostosa, de putinha, ai novamente a tara que ela tem até hoje em ser mandada, enquanto ela me contava isto na cama ela já não mais me chupava, ela deitou ao meu lado e nos beijávamos e nos esfregávamos, eu não a penetrei porque o goso seria rápido eu a acariciava e também abaixava e a chupava para que ela me narrase mais, ela então me falou que aquele homem bonito e safado foi para cima dela a deitando na cama, a beijou forte, enfiando a língua toda dentro de sua boca e guiou o pau para sua xota ensopada, mais uma vez ela não teve coragem de falar, chegou a pensar em camisinha mas ficou quieta, logo ela estava sentindo aquele ferro a penetrando, desta vez ela me disse que por incrível que pareça sentiu como se novamente estivesse fazendo pela primeira vez, sentiu pela primeira vez um pau a alargando a estufando, meu dote é pequeno, e o primeiro namorado dela era menor ainda, eu 15 e ele uns 13cm segundo ela, apesar de se sentir estufada, completada, não doeu, muito pelo contrário pela primeira vez sentiu o imenso prazer que um pau grande lhe dá, e ai novamente o motivo da tara dela até hoje por dotados, ele falava muito enquanto a comia, elogiava sua buceta apertadíssima, chupava seus peitos enormes mas ainda duros como de menina, enquanto comigo ela fazia amor naquela época o cara a tratava como puta e ela lógico gostou, ela passou a noite de sexta para sábado com ele, foi embora só depois do meio dia depois de muito transarem, não deu o rabo para ele, nesta noite nem tentaram mas depois de vários encontros ele a convenceu, mas isto ela me garante que não deu pois não aguentou, até deu para mim, fez algumas vezes comigo para ver se acostumaria mas nem comigo suportou imagina com ele, no domingo depois deste primeiro dia deles eu fui a sua casa e saímos, como sempre mentíamos que iriamos passear e íamos para minha casa transar, neste domingo foi a primeira vez que ela me chupou, fui ao delírio, mas claro ainda não me deixou gozar em sua boca, me chupou toda desajeitada toda tímida mas mesmo assim já pediu para mim ir por cima dela e fuder sua boquinha rss, agora imagino que a puta imaginava seu pauzudo ali. Voltando a foda, ele a penetrou num papai e mamãe sem camisinha, comigo ela também fazia sem camisinha mas eramos namorados né rss, ele a comeu por muito tempo assim e não aguentando ejaculou muito dentro dela, ela não gozou pois sua cabeça girava em tesão e pensamentos do que estava fazendo, depois de gozar ele caiu ao seu lado cansado, ela ainda com tesão deitou em seu ombro como fazia comigo, ficou admirando o corpão do cara e claro seu pau enorme e babado, sua buceta ainda ardia, ardia de prazer e ardia pelo calibre que acabara de levar, mas era bom, o cara a elogiou mais e mais, mas ela viu que seria só transa, que eram de mundos diferentes, ele tinha namorada, malandro, ela sabia que ele queria só aproveitar, mas e dai, ela também queria isto rsss, ela então ainda fogosa ficou agarrando seu mastro meio mole, mas não por muito tempo, ela quando ele ejaculou pediu a ele um pano ou algo para se limpar assim como sempre fazia comigo, mas ele sem se importar saiu de dentro dela e disse para ela não dar bola, ela ficou com a xota escorrendo um riu de porra pois segundo ela ele ejaculava muito, e talvez ai outro motivo da tara dela de ficar gozada,ela adorou molhar toda a cama do safado que já preparado tinha um plástico por baixo do lençol para não molhar o colchão, como dizia ela ficou agarrando o mastro meio mole todo lambuzado e ficou curtindo ter tudo aquilo em sua pequena mão, mesmo mole ela não conseguia fechar toda a mão devido a grossura, ele ficou um pouco imóvel aproveitando e recuperando o fôlego até que novamente começou a beijala, agora passado o tesão inicial mais calmo mais como ela gostava, novamente falou da xotinha apertada e xeirosa dela, em meio a beijos e carinhos ele falou que ela teria que sair mais vezes com ele, que ele havia ficado tarado nela, ela disse que então pela primeira vez trocou algumas palavras com ele, dizendo que ele era louco por tela agarrado que ela tinha namorado, ele riu e disse que também tinha, que deveriam aproveitar como ela não largou o pau dele nem nestes momentos ele perguntou se ela havia gostado, ela disse que era muito grande mas era bom, ele então falou que ela não tinha visto nada ainda pois ele estava muito louco e gozou rápido mas o resto da noite seria só dela, passou a mão na xota ensopada dela, ela não resistindo foi para sua posição predileta, subiu para cima dele ainda com a boca colada a dele, sem por a mão no cacete começou a rebolar procurando ele com sua xota, assim que encaixou a cabeça na xota que ainda escorria, forçou a entrada ainda com medo de doer e disse que foi imensamente prazeroso ir forçando a xota contra o pau, como estava ainda muito esporrada entrou mais fácil e ela sentia a porra ainda escorrer com a pressão que o pau fazia, ela demorou a por tudo para dentro, não por temor mas para curtir cada centímetro daquela penetração, ao sentir que encostou sua xota no corpo dele sinalizando o fim da penetração não acreditou que aguentará tudo aquilo novamente, quase gozou sem nem se movimentar, ficou parada beijando ele enquanto as mãos do safado já agarravam sua bunda deliciosa, ela linda se contorcia toda sobre o corpo do cara, ainda com um pouco de vergonha de fazer o que mais gosta que é mexer violentamente, era assim que ela gozava, mexendo violentamente que se a cama não fosse forte não aguentaria, mas ela me disse que queria curtir mais tudo aquilo, disse que rebolava para frente para trás, para os lados só para sentir como sua xota ficava com aquela vara, o corpo do cara perto de seu mastro estava completamente lambuzado por sua porra o que a deixava mais maluca ainda, para tortura-lo mais ainda e ter suas novas sensações por vezes ela deixava o pau sair todo sentindo o vácuo que ficava em sua xota que aberta esperava o cacete lhe preencher novamente, a potencia de seu amante com vinte e poucos anos era espantosa e natural pois o pau estava novamente como ferro dentro dela, ele safadamente viu que ela explorava seu penis e foi certeiro em afirmar a ela, TU NUNCA LEVOU UM GRANDE ASSIM NÉ GATA, PELO APERTO QUE SINTO DA TUA XOTA, ela só sorriu e disse que sim que ele estava a alargando mas era bom, depois de brincar muito tempo assim rebolando, metendo, tirando ela pegou e finalmente sentou sobre ele levantando seu corpo, ele sem saber fez o que ela gosta mais ainda, ele pegou e sentou na cama ficando com o rosto a altura de seus peitões, ele então a agarrou forte pela bunda e começou a sugar mais forte ainda seus seios, alternando entre um e outro, diferente de hj em dia que ela pede que a deixem marcados para mim, ela pediu que ele não deixa-se nada que eu pudesse ver, ele não falou nada e continuava abocanhando tudo que podia falando que seus peitos eram duros como de menina, ela então se segurou na guarda da cama e não aguentando mais começou a mexer, e mexer muito, ela faz movimentos para frente e para trás quase sem tirar o pau de dentro só esfregando seu clitóris na base do pau, a cama era muito forte, enquanto ela fazia isto o cara chupava e mordia seus peitoes com as mãos ele apertava a bunda ao mesmo tempo que ajudava ela nos movimentos, para quem já leu meus contos sabe que quando comecei com ela ela tinha muita dificuldade para gozar, só gozava nesta posição e mesmo assim demorava muito, fazia muito esforço, ela disse que mexer daquela forma com aquele mastro dentro dela pela primeira vez foi uma loucura sua boceta continuava ardendo mas era gostoso mais gostoso ainda sentir aquele ferro duro a penetrando La no fundo, cutucando seu colo uterino pressionando mais ao fundo possível, então, desta forma ela não demorou como de costume a gozar, lavada de suor junto com seu novo amante ela conseguiu apenas dizer VOU GOZAR e aumentou seus movimentos, disse que teve um enorme orgasmo remexendo forte no pau do colega que assistia a tudo inebriado com a intensidade do gozo dela, como ele havia gozado a pouco ele aguentou aquilo tudo ainda a ajudando, agarrando forte sua bunda enquanto empurrava pra frente e para trás fazendo isto até minha mulher dar seus últimos espasmos, já disse aqui que ela demorava a gozar mas quando goza é intenso e longo, fica bastante tempo mexendo enquanto quase convulsiona, ele admirado com aquilo tudo sorria agora a olhando, assim que ela acabou ela desmoronou deitada no ombro dele, ele ria a chamando de louca gostosa ela cansada também ria da situação, tímida chegou a pedir desculpas o que ele achou mais engraçado ainda, ora pedir desculpas por gozar gostoso daquela maneira, como ela ainda faz até hoje depois que goza sua boceta piscava no pau dele, ela me disse que apesar de apertar parecia que ele nem sentiria pois ela estava estufada com seu dote, mas ele sentiu e muito achou uma delicia e ainda pedia para ela fazer mais, dizia que ela estafa quase cortando seu pau, minha esposa tem esta força, a xota dela quando pisca quase que agarra o pau, mesmo hoje com sua boceta bem mais larga ela consegue arrancar gemidos de seus amantes, e quando o cara goza dentro e fica então ai que ela tortura bastante fica piscando de propósito arrancando as ultimas gotas de semen do macho, ela ficou brincando ainda sentada sobre ele, agora novamente ela o beijava gostoso mas viu que ele não havia gozado pois o pau pulsava feito ferro dentro dela, ele com toda sua força a agarrou e sem sair de dentro dela inverteu novamente a posição passando a ficar sobre ela novamente num papai mamãe, e para tortura dela agora ele começou a mexer novamente, falo tortura pq todos sabem como é ficar metendo depois de gozar , a xota dela ficava e fica muito sensível imaginem levando aquele pauzão, ela chegou a segurar o corpo dele para que não a penetrasse tão fundo mas ele não entendeu e continuava metendo, os gemidos dela que agora eram convulsões por estar sensível demais o enlouqueciam mais e mais, ele levantou o corpo e colocou as pernas dela nos ombros dele, admirando seu belo corpo, sua cintura super fina, seus seios grandes e duros toda suada, gostosa, agora ele metia devagar curtindo sua xota molhada e apertada, por vezes tirou seu pau por completo dela, ela sentia o ar frio entrando em suas entranhas sinal que sua xoxota ficava aberta esperando ele meter novamente, ficou admirada certa hora que ele tirou tudo e colocou o pau sobre ela, o pau ia até seu umbigo e ela então via mas não acreditava que suportará tudo aquilo, e pior, havia adorado,ele tarado mamava os peitoes dela com o pau fora de sua gruta, ele lambia o suor entre eles, ela agarrava ele pelos cabelos e pressionava seu rosto contra o corpo dela, sentia o saco encaixado em sua vagina e o pau duro em sua barriga já lambuzada pelo seu dote, apesar de gostoso era um alivio ele não a estar penetrando naquele momento de êxtase do gozo mas isto foi por pouco tempo pois logo ele novamente ergueu o corpo e a penetrou, seu gemido mais alto novamente foi de tortura, seus gritinhos de Ai Ai saiam mais espontâneos mas ele não se importava, tanto que pediu a ela para a comer de 4, ela que estava com aquele quase estranho, ficar de 4 eu quem tinha a ensinado pois ela não fazia nem pro seu ex namorado que a descabaçou, achava humilhante, mas novamente sua timidez a ajudou a se portar como puta por mais paradoxo que pareça, pois ficou com vergonha de negar aquele macho tudo o que ele pedia, e pior, sabendo da sensibilidade de sua xota que parecia ainda gozar imaginou que iria se dar mau, mas obedeceu, toda sem jeito ela se ergueu enquanto ele segurava sua ferramenta admirando a bunda grande e linda dela, ele ficou parado autoritário esperando minha tímida namorada ir se posicionando, encaixando aquele macho entre as pernas, assim que ela acertou a altura e a distancia sentiu o safado bater com aquele mastro em sua bunda, ele elogiava tudo aquilo falou que era um linda visão que ela era linda de corpo e que tinha um rabo maravilhoso assim como a xoxota, então depois de umas batidas com o pau duro feito ferro ele guiou para a gruta de minha mulher ainda namorada que apesar de ensopada sentiu aquilo a invadindo com bastante dificuldade agora, talvez por sua xota estar até inchada de tanto meter, ela ainda sentia as contrações do gozo, apesar de entrar deslizando aquilo foi uma tortura, seus gemidos e gritinhos de Ais saíam espontaneamente mesmo ela não querendo, ele meteu devagar mas até o fundo, ela sentia ele agora mais no fundo do que nunca mas lhe incomodava, ele ficou imóvel por um tempo a admirando, depois encostou o corpo sobre o dela e a beijava as costas, procurou sua boca com volúpia e a puta correspondeu, enquanto fazia isto suas mãos a agarraram pelos seios e os dois colados iniciaram pequenos movimentos, ela falou que tentava acompanhalo no vai e vem devagar para evitar que o pau saísse de sua xota, ficando sempre dentro evitando aquela tortura de transar depois do gozo, ela sentia a pressão do corpo dele que ele despejava sobre o dela que estava cansada e mais a pressão do cabeção em seu interior cutucando lá no fundo onde ninguém havia explorado e que se tornaria seu vício, mas agora era uma tortura, seus gemidos de suplica só aumentavam o tesão do comedor, os bracinhos dela quase não aguentavam mais aquele enorme homem debruçado sobre ela e sem ela ter mais forças acabou deitando no travesseiro, cedeu ao peso do macho mas isto pareceu proposital da parte dele pois agora ele a tinha completamente arreganhada, estava de quatro com a cabeça deitada num travesseiro o que expunha ainda mais sua boceta a ele, ele então novamente ergueu o corpo, sem sair de dentro dela deu-lhe um grande tapa em sua nádega a chamando de gostosa, ela disse que sua bunda ficou ardendo assim como sua xota, e antes que ela protesta-se sentiu ele batendo do outro lado, enquanto ele falava ADORO BUNDINHA MARCADA DE TAPAS, novamente a timidez da vadia lhe fez ficar quieta mesmo se sentindo incomodada, e como ela não falou nada novos tapas vieram, agora o incomodo vinha do pau que lhe invadia e da surra que levava, ela que nunca levou mais que um pequeno tapinha, no relato dela vi ali nova tara dela se iniciando, ela disse que gemia de dor mas isto não o incomodava, pelo contrário parecia lhe dar prazer e depois ela soube que dava, ele adorava tratar mau uma vadia já que sua noiva era puritana e não curtia, e assim ele fazia nela, ela no desespero de parar com aquilo mas sem coragem de falar decidiu fazer suas vontades na intenção de faze-lo chegar ao orgasmo logo, então me jurou que mesmo não curtindo naquele dia ela pegou e criou coragem e começou a pedir para ele mexer e meter mais e mais, chegou a pedir para ele bater de novo, e isto sei que ela faria mesmo, pois até hoje ela adora satisfazer um macho por mias que isto lhe custe, ele enlouquecido agora a agarrava pelos quadris e socava forte por vezes tirou e meteu de novo o que desta vez ela protestou mas não falando para ele parar pq doía, mas sim dizendo para ele não tirar aquele pau gostoso de dentro dela embora não fosse isto que ela queria, não demorou a ele pegar seus longos cabelos lisos e puxava-os forte na medida que socava nela, ela quase desfalecia com o rosto enterrado no travesseiro agora gemia de pura dor e suplicio, mas fazia em silencio para seu amante não notar a inexperiência dela,
As poucas palavras que ela pronunciava eram METE GOSTOSO, ou GOSA LOGO, ME ENCHE DE NOVO, palavras que depois em outras fodas ela falava com naturalidade e tesão mas que agora eram pronunciadas com raiva e dor, ela não sabe quanto tempo levou mas pareceu uma eternidade, todo prazer que ela havia sentido a instantes atrás pareciam agora que ela estava sendo subjulgada, não ter valido a pena, por fim ela nem de 4 aguentou mais ficar e caiu sobre a cama mas foi inútil pois assim ele aproveitou mais ainda pois deitou-se sobre ela soltando agora todo seu corpo no dela, pelo menos como ele tinha que se apoiar com as mãos na cama havia cessado os tapas e puxões de cabelo, mas não foi menos torturante pois ele enfiou seus dois braços por baixo dos braços dela e a agarrou pelos ombros, com a mesma força que ele metia fundo em sua xota ele puxava-a pelos ombros contra si fazendo seu pau procurar o mais intimo de sua vagina,agora os gemidos dela acompanhavam o balanço do corpo dele sobre ela pois a pressão sobre ela era enorme e ela desfalecida limitava-se apenas a um Ahhh Ahhh Ahhh, então finalmente ela escutou o que mais queria naquele momento o macho sobre ela começou a anunciar o gozo falando VOU GOZAR GOSTOSA, VOU GOZAR AHHH, TOMA LEITE TOMA, VOU ARROMBAR TUA XOTINHA APERTADA, VOU TE DEIXAR LARGA GOSTOSA TOMAAAAA, e deitado sobre ela começou a ejacular novo riu de porra em suas entranhas mais profundas, a principio foi terrível mas logo ela já sentia o alivio que os líquidos lhe proporcionavam pois sua boceta assim mais lubrificada aceitava mais fácil aquela invasão, agora foi ele quem demorou a largar tudo sobre ela, por fim caiu desfalecido a pressionando ainda mais, e ela embora com a xota em brasa sentia os últimos jatos de porra dentro, sentia-se mais alagada do que nunca e apesar de tudo curtiu o momento, mesmo com os olhos cheios de lágrimas da tortura que fora até ali, agora ela se sentia orgulhosa de satisfazer um macho daqueles, um garanhão comedor e malandro como ele, o pau pulsava dentro dela e a puta novamente ficou piscando a xota dolorida, arrancando até a ultima gota daquele cacete, ele gemia e ria alto a cada piscada dela a chamando de gostosa safada, que sempre imaginou que atrás daquele rostinho tímido havia uma ninfomaníaca escondida, mau sabia ele que ele que havia provocado tudo aquilo e que ela havia sofrido muito em seu pau, e muito menos mau sabia ela que aquilo iria lhe marcar para sempre e que se tornaria seu vicio, sua tara no sexo, hoje vejo enquanto ela me conta novos detalhes que tudo que ela fez com ele acabou lhe marcando e lhe despertando a puta que é.Ele ficou ainda deitado sobre ela com o pau entalado ainda, ele todo suado sobre minha esposa, ainda namorada, também suada, ela disse que quase não conseguia respirar mas deixava ele ali, sentia o peso todo do homem sobre ela, a xota ainda pulsava e já sentia o membro enorme dentro dela ir perdendo a potencia, sentia aliviar o alargamento que tinha pois o pau foi amolecendo aos poucos, ele depois de certo tempo retirou parte do corpo de cima dela lhe causando um alivio para respirar melhor, mas o safado tirou só o tronco do corpo, deixando da cintura para baixo ainda sobre ela para que seu pau mesmo mole ainda continuasse dentro de sua vagina, ele disse que queria ficar dentro dela a noite toda, falou que mesmo o pau mole estava apertado pela xotinha pequena dela, e ela apesar de dolorida curtiu a sensação de ter o pau mesmo mole, ainda gigante dentro dela mas passado algum tempo o pau numa piscada de sua xota foi expulso de dentro de minha vadia, ela disse que sentiu um alivio e mesmo de bunda para cima ainda, muita porra escorreu xota abaixo molhando novamente a cama, ele então deitou do lado dela a acariciando, recuperando o fôlego ainda, fazia carinho nas costas dela e principalmente na bunda elogiando a bunda maravilhosa que ela tinha, ela tímida e cansada ficou imóvel, me disse que quase não prestava atenção no que ele dizia pois sua cabeça girava ainda imaginando a loucura que cometerá, imaginar que passaria a noite toda com aquele homem gostoso e que certamente teria que aguenta-lo novamente mesmo com a xota dolorida como estava. Ela acordou do transe quando ele a convidou para um banho pois estavam suados demais, levantaram da cama ele sempre a olhando com cara de sacana, ela sentiu agora o rio de porra descendo perna abaixo e adorou, ela queria esperar ele ir primeiro devido a timidez mas claro que ele não aceitou e a levou junto, novamente a elogiava muito e se portava naturalmente, ela já quase não falava, tratava só de rir ou concordar com o que ele falava, até aquele dia ela nunca havia feito sexo com alguém que ela não estivesse bastante envolvida, ele fora o terceiro parceiro dela, o primeiro foi seu ex namorado e depois eu, então não existia clima para romance, nem da parte dele nem da dela. No banho ele agia com naturalidade, comentou futilidades enquanto se ensaboava, ela disse que também tentou agir naturalmente mas não conseguia tirar os olhos do pau que balançava a sua frente, pela primeira vez ela via o cara de pé a frente dela e com o pau mole e lhe impressionava o tamanho ainda mole rsss, ele safado, notando que ela olhava mais por curiosidade do que desejo perguntou se ela queria lava-lo, ela ficou sem graça mas ele então insistiu dizendo para ela cuidar bem dele pois ele ainda a queria muito, então o clima melhorou e ele novamente a beijou gostosamente, agora mais calmo e naquele clima, ambos nus ela então satisfez sua vontade e agarrou novamente o pau do cara, depois do beijo ela caprixou na limpeza, pegou o pau dele com as duas mãos ensaboou bastante, tirou o cabeção para fora e lavou tudo, ficou admirada com o peso do pau mole sobre sua mãozinha e sentia que o cara piscava o pau a cada esfregada dela, ela agarrou o saco do cara e pela primeira vez notou que ele se depilava, o que tornava mais legal, assim como o pau o saco também era grande, e ela fez muito carinho nos dois enquanto os lavava, ele claro dava atenção especial a sua bunda e em meio a espuma tentou enfiar um dedinho no cu dela o que não foi permitido. Por vários dias ela passou me torturando enquanto me contava este encontro e vários outros, por várias vezes insisti se ela havia dado o rabo a ele pois afinal tinha me escondido tanta coisa mas ela foi enfática em dize que não, e embora todos acontecimentos RSS, acredito nela pois ela só foi fazer mesmo muito tempo depois disto. Eles ficaram um certo tempo namorando e se pegando no banho mas nada alem disto visto o cansaço de ambos, saíram do banheiro já com fome ele foi para cozinha pegar um lanche para eles e ela para o quarto, ele ainda estava na cozinha quando tocou a campainha, ela levou um tremenda susto imaginando poder ser a namorada dele mas ele a tranquilizou lembrando que ela não possui a chave, ele foi ver era a colega deles a porta a chamando pois advinha quem estava no fone?? Sim eu, já havia chegado em casa da faculdade e ligava para o fone residencial da amiga(lembrando que aquela época não haviam celulares) ele foi ao quarto deu um roupão para ela que saiu apressada e envergonhada para atender o fone do corno que ligava, a amiga com cara de safada a deixou sozinha na sala, acertou ao me dizer que ela estava no banho por isto demoraria só não imaginava que o banho era com um pauzudo RSS, lembrei da ligação, lembrei que ela me pareceu bem cansada como se estivesse dormindo, perguntei se tinha rendido bastante o trabalho, ela falou que sim, falamos amenidades, marquei de ir na casa dela domingo, e ela me disse que só iria para casa no sábado após o meio dia que queria dormir bastante pois estava muito cansada, não prolongou nossa conversa falando que estava de roupão na sala da amiga e ainda molhada para atender o fone, nos despedimos e ela rapidamente voltou para o apartamento do cara, se despediu da amiga que safadamente disse um APROVEITA, falou que no outro dia conversariam melhor, pediu que a amiga a acordasse caso ela dormisse alem do meio dia, e entrou no apartamento do cara, ouviu os barulhos na cozinha e foi para lá com ele, ele havia feito sanduiches para os dois e já comia a seu, em um bar tipo americano ele estava sentado em um banco pelado, ela pegou o prato dela e ficou a comer em pé perto dele mas foi rapidamente puxada para perto dele, ele fez ela retirar o roupão e ficar nua novamente dizendo querer apreciar o corpo dela por todo tempo que ela estivesse com ele agora mais carinhoso ele puxou ela contra o corpo dele e ela se escorou de costas como que sentando no colo dele, só não sentou porque o banco era alto então ficou escorada mesmo, ele perguntou o que falamos no fone ela respondeu que só marcamos o dia para nos encontrarmos, ele riu e disse que bom pois sendo só no outro dia ela poderia se recuperar até dar pra mim de novo, ela mesmo tímida concordou, terminaram o lanche assim grudadinhos ela sentindo o pau mole em seu traseiro e achando muito gostoso, a xota da puta voltou a ficar tesuda pela situação e chegava a piscar novamente mesmo dolorida ainda, afinal estava na casa de um cara gostoso daqueles ela com toda sua inexperiência e timidez agora se sentia poderosa mas ainda nervosa por pela primeira vez passar a noite toda com um homem, ainda mais sendo assim um desconhecido praticamente. O lanche acabou eles foram novamente para o quarto agora abraçadinhos em um clima mais de romance, o pau dele já dando sinais de vida, ela claro admirada com a sua virilidade, em pouco tempo já havia dado duas gozadas, deitaram na cama e começaram mais um namoro gostoso ela foi ficando mais e mais tesuda, falou que estavam se agarrando de ladinho um para o outro, ele apertava a bunda dela e pressionava o corpo contra o seu, aos poucos ela sentiu o pauzão crescendo entre as pernas dela, aquilo grosso e quente foi brotando até que ela novamente estava com toda sua extenção entre as pernas e pela primeira vez na vida se sentiu acavalada sobre um pau grande, coisa que ela adora e faz até hoje, me disse que este foi o primeiro que ela sentiu entre as pernas e pela sua extensão saia La atrás na bunda então ela ficou montada no mastro se esfregando também, ficou louca sentindo o pau dele grosso e ficar mto duro no meio de suas pernas, por vezes ia lá atrás fazendo o cabeção ficar no seu clitóris, depois pressionava o corpo contra o dele sentindo o pau passando pela vagina e indo até sua bunda, quando o cabeção por vezes forçava sua vagina ela sentia ainda um pouco de ardência mas quase nada comparado ao prazer, o cara beijava e muito bem e com uma das mãos abria a bunda dela para o pauzão se acomodar entre as nádegas, logo ela novamente estava toda lambuzada, um pouco pela porra dele que ainda tinha em sua xota mas também muito pela excitação dela que certamente já brotava de sua xota, ficaram brincando muito tempo assim por vezes o pau encaixava em sua vagina e apesar de muito duro acabava escapando e não entrava, isto os provocava por demais, ela apesar de saber que estava dolorida já não aguentava mais queria novamente sentir aquela tora em sua xotinha, não aguentando mais ela tomou coragem e pediu toda encabulada mas tesuda para que ele a penetrasse, ele sorriu virou de barriga para cima com aquele mastro bem duro ela já se preparava para subir quando ele falou METO SIM, MAS ANTES DA MAIS UMA CHUPADINHA, ela apesar de excitada não gostou da ideia, ainda mais que o pau estava todo lambuzado de sua xota pela esfregação que eles estavam, mas ele insistiu VAI XUPA MAIS UM POUCO GOSTOSA, novamente a timidez dela foi a responsável por sua submissão, com vergonha de dizer não, dizer que não iria curtir chupar o pau lambuzado de xota e porra que certamente havia ela então se calou e foi baixando, beijando o peito, a barriga até chegar seu rosto perto daquele pau novamente, ela agarrou sentindo a potencia do pauzão e sua xota piscou de desejo, ficou punhetiando o cara enquanto continuava olhando sem acreditar que um dia teria para si um pau daquele tamanho, e melhor sem acreditar que tinha suportado tudo aquilo, estava até curtindo quando ele novamente falou mais autoritário, VAI XUPA, ela punhetou mais um pouco agora na intenção de limpar o pau, tentando tirar toda aquela meleca que existia no cacete, com o rosto deitado na barriga do cara então guiou para sua boca o pauzão, o cheiro de sua xota até era conhecido mas pela primeira vez ela sentia o cheiro de porra que tinha no pau e logo também conheceria seu gosto, ela ficou propositalmente com a cabeça sobre a barriga dele para que ele não enchergasse seu rosto e suas possíveis expressões de nojo, e a principio foi isto mesmo, ela pos na boca sentindo aquelas misturas de xeiro e gosto de porra com boceta, começou abocanhando o cabeção, quase não suportou, rapidamente tirou o pau da boca, punhetou novamente e seu macho foi enfático em dizer XUPA GOSTOSA, SENTE TEU GOSTO NELE, ela agora salivava tudo que podia na boca para molhar o pau e tentar diluir aquele gosto forte, assim que colocou a bocva novamente largando saliva por todo o pau foi surpreendida pela mão do cara que segurou firme sua cabeça ao mesmo tempo que metia o pau mais fundo em sua boca, novamente ela quieta aguentou e foi cedendo aos desejos do safado que fodia a boca dela, por vezes ela me disse que quase sufocou com suas metidas mas ele só gemia e mandava abrir mais e mais a boca para aguentalo e assim ela foi deixando ele fazer, claro que ele notou que ela não tinha muita prática no boquete e mais tarde em outro encontro perguntou e ela confessou que nunca havia feito o que o deixou mais satisfeito e tarado por sua boca virgem RSS. A xupada foi demorada, ela acabou acostumando com o gosto e como toda puta começou a curtir estar dando prazer a um macho, já sugava bem a cabeça, fazia como ele mandava lambendo toda extensão do pau e também o saco quase pelado e enorme dele, admirava de perto um escroto masculino que ela só virá de tão perto em filmes pornôs pois ela não praticava ainda RSS, depois de muito chupar, de sua boca também ficar dolorida de tão aberta que ficava com a grossura do cara ela então largou o pau e como uma gata subiu para cima dele, agora o beijava e deixava o gosto que tinha na boca também na boca dele que aceitava com tezão aquela situação toda, novamente ela estava sobre aquele homem grande, com sua xota molhada esfregando sobre o pau lambuzado, ela que quando faz isto até hoje curte procurar o pau sem por a mão, ela adora ir rebolando até encaixar a xota no pau e iniciar a penetração , ela me disse que conseguiu fazer tudo isto que encaixava o cabeção em sua vagina mas na hora de forçar a entrada o pau escapava, por algumas vezes aconteceu isto, então ela entendeu que apesar de toda excitação de todo o lambuzo que ambos estavam a xota dela não estava mais alargada, ela me falou que muito pelo contrário parece que estava mais inchada e apertada, tanto que ela teve que segurar o pau dele, ela pegou levantou um pouco o corpo e segurou a base do pau para poder sentar, a sensação de fazer isto fez ela imaginar estar num filme pornô pois segurava o pau com toda sua mão e ainda sobrava bastante pau para entrar nela, então ela foi forçando até que o cabeção venceu a resistência de sua inchada xota, novamente ela teve a sensação de estar perdendo o cabaço, de estar dando pela primeira vez tamanho foi o alargamento que ela sentiu misturado com a ardência da sua xota já usada, mas claro que esta sensação também lhe provocava muito tesão ainda mais porque ela foi sentando sem tirar a mão da base do pau portanto pela primeira vez também podia sentir tudo aquilo entrando lhe alargando e o melhor saber que ainda faltava pau a lhe penetrar, antes de tirar a mão do pau ela ainda fez uns movimentos de entra e sai muito leves provocando ele e curtindo estar com tudo aquilo na boceta e na mão ao mesmo tempo, não aguentando mais ela soltou a mão do ferro que quase a rasgava e novamente deitou sobre seu novo macho, bem agarrada a ele deitada em seu peito ela ficou remexendo novamente, como da primeira vez ela rebolava muito, devagar mas para todos os lados, agora não só na intenção de descobrir novos prazeres de ser alargada mas também para facilitar a penetração que apesar de deliciosa era difícil pela ardência de sua xota, aos poucos ela foi agasalhando todo aquele monstro dentro dela e ao sentir sua xota toda encostada no corpo dele soltou um gemido gostoso junto com um sorriso que claro o safado não viu pois ela ainda estava deitada no ombro dele, ele também de olhos fechados gemia e como sempre elogiava a xota apertada dela, com todo pau dentro dela agora era bem mais prazeroso do que ficar botando e tirando, ficaram assim por bastante tempo, as vezes se beijavam apaixonadamente o que foi ascendendo mais e mais minha esposa, sua xota alagada já acostumada mais com o pau e seu tesão foi fazendo ela novamente se soltar mais e mais e logo a puta já fazia tudo que uma mulher experiente faz, como ela havia gostado de sentir o pauzão na mão, ela em determinado momento sentou sobre ele e como uma puta safada agaxou, ficou acocorada sobre o macho se afirmando em seu peito e baixava e levantava sua xota sobre ele, ela subia até ficar só o cabeção em sua xota e já sentava forte a pouca dor e ardência que ela sentia eram menores que o prazer do estufamento que o pau lhe causava, e admirada com toda potencia e tamanho do cara agora ela também conseguia observar a penetração olhando para baixo, ele segurou seu bundão e ajudava a suspende-la com as mãos, agora ela que a pouco sofrera com uma penetração forte dele fazia o mesmo como querendo se vingar, ele gemia gostoso a cada enterrada e sugava seus peitos que balançavam sobre seu rosto, a puta ainda sentia a porra vazando dela quando o pau quase abandonava sua gruta e adorou foder assim toda esporrada, outra coisa que a marcou para sempre, comigo e com o ex, a gente transava e muito, mas geralmente depois de uma gozada íamos para o banho nos limpar, qdo voltávamos a transar a xota estava quase sem nada já, com ele ela aprendeu a trepar toda alagada, ele adorava isto e sempre fazia isto, gozava e continuava a comendo alagada, e isto ela adora até hoje com seus machos, depois de toda meteção ela logo cansou as pernas mas pouco antes de descontrolada começar a dizer que queria gozar denovo, sentou sobre ele e como na primeira vez iniciou movimentos fortes cavalgando o macho, sabendo que iria gozar e não querendo repetir a tortura de ter que deixar ele comer ela depois do gozo a safada começou a pedir a ele em seu descontrole que gozasse junto, então ela falava, VAI GOSTOSO GOZA COMIGO GOZA, ME ENCHE ENQUANTO EU ESTIVER GOZANDO, VAI GOZA, GOZA , até que mexendo alucinadamente e gozando ela pedia, ME ENCHE Q TO GOZANDO, AHHHHH ME ENCHE AHHH AHHH AHH, e seu pedido foi atendido o safado ao mesmo tempo que ela ainda gozava sobre ele despejou pela terceira vez porra no fundo da bucetinha de minha esposa, como ela demora gozando, ainda mais que era sua segunda da noite, ele despejou tudo e ela seguiu mexendo ele sorria extasiado enquanto observava minha vadia mexendo loucamente sobre ele, os peitoes dela balançavam deliciosamente e ela foi perdendo as forças sentindo sua boceta mais e mais alagada como se isto fosse possível, até que caiu deitada no peito do cara e assim eles ficaram por um tempo, recuperando o fôlego, ela depois de tudo, depois de sua segunda gozada(como disse antes algo raro pois nem comigo ela conseguia gozar facilmente naquela época) agora ela ali deitada sobre ele pensava na loucura que estava fazendo, como havia se comportado, sentia ainda o gosto do pau em sua boca, ela que não imaginava que um dia fosse fazer isto, e isto causava vergonha, estava ali sobre ele, toda suada, com aquele pau enorme já murchando dentro dela, sua xota escorria a porra daquele quase estranho e ela agora só sentia vergonha, imaginava quase não ter assunto com ele que a acariciava ainda, imaginava como seria passar o resto da noite, ela que nunca havia dormido uma noite toda com o namorado imaginem com um outro, sentia sua xota ainda bem preenchida, mesmo com as piscadas que ela dava o pau continuava dentro dela embora já mole e era delicioso, ela sentia a ardência e um certo desconforto no fundo de sua vagina pelos cutucões que havia levado e também imaginava se aguentaria outras trepadas daquelas o que seria inevitável já que ela iria embora só após o meio dia, chegou a pensar em voltar para o apartamento da amiga mas pela hora ela já deveria estar dormindo, mas claro no fim destes pensamentos me disse que acabou chegando a conclusão que depois do que fez, iria até o fim mesmo porque era tudo novo e ela havia aproveitado e muito RSS. Ele então agarrou ela e a tirou de cima, fazendo-a cair ao seu lado, ainda abraçadinhos, o pau desconectou de sua xota e novamente muita porra descia de sua xota agora indo bunda afora, ela então levantou mesmo ele não querendo a deixar sair, e foi ao banheiro se limpar, primeiro fez xixi no vaso e com papel tentou secar alem do xixi o leite falou que ao passar a mão em sua xoxota sentiu já alguma diferença, os lábios muito inchados e o buraco ainda bem aberto RSS, ficou sentada ali contraindo a xota e tentando expulsar o leite do macho, se fosse hoje em dia ela iria dormir com tudo dentro mas naquela época ela ainda não tinha todo o fetiche de ficar gozada, este fetiche estava apenas começando e embora a sensação de ficar vazando ja lhe causa-se grande tesão ela ainda tentava preservar a cama do banho de esperma. Depois de algum tempo foi para o chuveiro, voltou ao quarto e em total silencio deitou ao lado do cara que permanecia na mesma posição que ela a deixou, como os abajures estavam acesos ela pode observar ele dormindo de lado, o pau babando, ainda lambuzado repousava entre sua perna e com a cabeçona escorada na cama tal o comprimento dele mole, ela deitou a principio de barriga para cima, bem devagar para ele não acordar, mas assim que ele a sentiu ele colou o corpo ao dela a abraçando, colocou um braço embaixo de sua cabeça e o outro a abraçou deixando sua mão safada agarrada a seu seio, ele dormia mas ela não conseguia parar de pensar em tudo, embora cansada sua cabeça estava a mil, depois de muito tempo assim cansada virou de costas para ele que automaticamente mesmo dormindo a abraçou mais forte e encaixou nela, agora ela sentia o pau mole e grande encaixado em sua bunda, a mão dele não desgrudou do seio dela mas a posição era alem de confortável deliciosa, sentir todo aquele homem em seu corpo, ambos nus, sua xota mesmo ardendo piscou novamente, embora sua cabeça estivesse girando em torno de tudo que aconteceu, o cansaço ganhou e ela acabou adormecendo, ela não sabe que horas eram nem quantas horas dormiu naquela posição, acordou com o cara roncando alto, ele já virado de barriga para cima mas ela ainda deitada em seu braço, ela falou que não passou muito de um cochilão, então ela virou agora de frente para ele e fez o que ela mais gosta deitar no peito, ela sempre dormia e dorme assim comigo, ele pareceu nem perceber que ela estava ali, continuava a roncar, agora ela tinha a visão de todo o corpo do cara, via desde o tórax até o pau que agora parecia estar de seu menor tamanho até o momento, mesmo assim impressionava ela que não resistindo o agarrou, com muito cuidado pois ela não tinha intenção de acordar o cara nem de transar naquele momento só queria mesmo ficar sentindo aquilo tudo em sua mãozinha, como o cara continuou a roncar ela pegou e tirou o cabeção para fora, o pau agora estava seco e ela pode observar melhor o que havia lhe invadido a pouco, como já disse ela só havia visto aquele tamanho em filmes pornôs e claro que tinha curiosidade em saber como seria ter um em sua xota, agora agarrando ele sabia que a historia de ser gostoso pau grande era verdade pois apesar da ardência na hora do tesão havia sido muito bom se sentir estufada, sentir o pau batendo no fundo e principalmente saber que o pau estava ejaculando o mais fundo possível em sua xoxota. Ela ficou um certo tempo assim segurando, admirando o cacete na penumbra do quarto e novamente adormeceu ainda com o pau na mão só voltou a acordar agora já de dia claro, com o movimento dele indo atender o telefone que tocava na sala, era a namorada do cara dizendo que chegaria a tarde no apartamento dele, ele não estava preocupado pois ela viajava e chegava quase sempre sábado a noite em seu apartamento dando tempo suficiente para suas safadices entre elas comer minha namorada o que depois se tornou um vicio, minha vadia olhou o horário e já eram 11h da manha, então ela levantou também, colocou o roupão foi ao banheiro e envergonhada foi encontrar o comedor na cozinha, era um apartamento de um quarto onde cozinha e sala apesar de não tão pequenos ficam juntos, ele preparava um lanche para eles completamente nu, ele contou do telefonema e riu safadamente dizendo que a namorada ia ficar na mão neste fim de semana pois ele pretendia ficar mais cansado ainda, ela também sorriu e imaginou que logo estaria novamente aguentando aquele mastro que balançava a sua frente conforme ele se mexia, ela novamente não conseguia disfarçar as olhadas que dava para o pau do cara, agora de dia ela podia admirar melhor ainda que na penumbra da noite anterior, ele preparou para eles uma pizza daquelas que se compra em mercado de caixinha, junto com refrigerante, novamente comeram no bar, enquanto falaram de outras coisas ,como da faculdade, dos trabalhos e professores, ele acabou o lanche primeiro e foi ao banheiro, ela escutou ele ligando a ducha e imaginou já o que ele queria, novamente ela iria ter que chupar o pau, mas já não teve nojo, sentiu tesão e gostou de imaginar a oportunidade de ver de perto e com mais claridade aquele membro. Ela acabou de comer, guardou a louça suja na pia da cozinha e antes de acabar já sentiu ele a abraçando por trás,ela então virou seu rosto para tras procurando a boca de seu novo comedor, enquanto se beijavam gostosamente ele fez com que o roupão que ela usava caísse ao chão a deixando completamente nua, ela então sentiu novamente ele colado a seu corpo, o pau dele já estava dando sinais de vida e isto a ascendeu na hora, então ela pela primeira vez tomando a iniciativa pegou o cara pelo pau e o puxou até o sofá da sala que ficava logo a frente dos dois, a intenção dela era xupar aquele pau ainda mole e como toda vadia, sentir ele crescer em sua mão, e sua boca, agora a puta quem sentou no sofá colocando ele de pé a sua frente com o pau bem a altura de seu rosto, ela agarrou forte e sentiu o pau pulsando e tomando tamanho e antes que ele pedisse ela já estava socando tudo que podia na boca, ela falou que estava mais ou menos a meio caminho rsss, então foi mais fácil socar na boca já que a cabeçona não tinha todo o diâmetro ainda, mas apesar das três gozadas da noite anterior não demorou para o pau começar a estufar a boquinha dela, a xota dela piscava descompassada, a ardência que ainda tinha logo deu lugar a muito tesão, quase mais que na noite anterior pois agora ela sentia o macho crescer em sua boca e mão e via muito de perto o pau que a tinha praticamente descabaçado pela segunda vez como se isto fosse possível, sem ele pedir depois que o pau ficou bem duro ela agarrou o comedor pela bunda e mesmo ainda sem tanta prática começou a cravar as unhas em suas nadegas fazendo ele novamente foder a boca dela, ele fazia isto com força enquanto a segurava pelos cabelos, quando ela praticamente sufocava com o pau ele retirava de dentro de sua boca e pela primeira vez ela começou a apanhar na cara com um pau, novamente ele não era nada delicado e batia forte em suas bochechas, testa e boca, por vezes machucando seu rosto mas isto não a impedia de lamber e beijar aquele pau que a maltratava, novamente ele mandava, ordenava coisas a ela sempre a adjetivando com palavras do tipo puta, gostosa, vadia, falou que para a primeira vez ela estava se saindo uma boa boqueteira e falou algo que repito a ela até hoje, ele disse, VOCE NASCEU PARA CHUPAR PICA, e isto tudo só a deixava mais e mais tesuda, cada vez tentando em desespero fazer tudo que ele mandava, ela lambia o saco dele até quase o anus do safado que gemia gostoso já acavalado sobre o rosto dela, e quando ela menos esperava outra surra de pica lambuzada na cara lhe era dada, por vezes ela me disse que ela mesmo não aguentando mais apanhar pegava o cacete e enfiava na boca sempre falando para ele lhe foder a boquinha, os dois estavam novamente descontrolados até que ele falou que queria gozar na boca dela, ela da forma que estava até deixaria mas seu tesão era grande demais e não aguentando pediu que ele a comesse de novo, ele safadamente começou a provoca-la, falando coisas do tipo, AH TU QUER NA XOTINHA É, QUER LEVAR PAUZÃO NA BOCETINHA APERTADA É, chegou até a falar em mim, TEU NAMORADINHO NÃO VAI TE COMER DEPOIS? NÃO VAI PERCEBER QUE TU LEVOU PICA DE OUTRO MACHO NÃO, e ela cada vez mais vadia e descontrolada dizia,NÃO SEI, SÓ VOU CONSEGUIR DAR PRA ELE AMANHA, ATÉ LÁ ELE NÃO VAI PERCEBER, e ele continuava, OLHA ACHO Q PERCEBE SIM DEPOIS DESTE PAUZÃO TU NÃO VAI SER MAIS A MESMA, embora possa até ser verdade a gente não percebe de primeira que a xota foi alargada, só com o tempo trepando com dotados ela vai se modificando, eu mesmo nunca percebi, achei que ela ficará mais alargada por trepar comigo, que engano, na verdade ela foi amante do cara muito tempo, bem o safado fez ela pedir, implorar para que ele a penetrasse de novo, fez ela pedir para ele gozar em sua xoxota novamente a fazendo perder completamente a vergonha, a noção, fazendo minha namorada quase se humilhar para poder levar o pauzão na xota sedenta, e isto novamente a marcou pois até hoje ela adora quando os machos a provocam desta forma, adora se humilhar para pedir vara. Já não aguentando ele finalmente satisfez a vadia, mas não da forma que ela queria pois ela queria cavalgar aquele pau para chegar a seu tão desejado gozo mas o safado falou para ela ficar de 4 no sofá para ele que queria ver o rabão dela agora de dia claro, ela que já não o contrariava em nada, embora querendo gozar logo, se arrumou no sofá ficando de 4 para aquele cavalo que já se ajeitava atrás dela segurando aquele mastro, antes de lhe penetra-la novamente ele bateu com seu pau duro no bundão delicioso dela enquanto a chamava de gostosa e tudo mais, fez ela de novo pedir pica, fez ela pedir para ele meter logo, o safado fez ela deitar a cabeça na guarda do sofá e com as suas duas mãozinhas abrir a própria xota para recebelo, situação mais humilhante para ela que era toda envergonhada não podia existir pois agora ela estava ali toda arreganhada para ele com a bunda virada para cima enquanto ele segurava o pau e admirava os dois buracos de minha esposa, antes de meter ele ficou beijando as nadegas dela, elogiando seus buracos, falou que sua xoxotinha estava bem vermelhinha pelo uso, a chamou de tarada pois sua xota piscava a cada elogio dele, e ela já não aguentando só gemendo loucamente mandou ele meter logo, disse que a xota estava queimando e ela queria que ele terminasse com seu fogo, falou para ele acabar com ela novamente e enquanto ainda falava coisas desconexas sentiu ele colocando o cabeção pulsante e quente na entrada de sua xoxota molhada, embora o tesão fosse grande ela chegou a temer a dor pela ardência que ainda sentia em sua xota então com suas mãos abriu tudo que pode sua xoxota quase a rasgando, logo recebeu a ajuda dele que a segurava com uma das mãos pela bunda enquanto a outra guiava o pau xota adentro dela, ela chegou a sentir o cabeção pressionar a entrada de sua xota mas logo ele venceu a pouca resistência e ela já sentiu o pau a lhe invadir novamente, agora todos seus medos haviam sumido pois ela só sentia o prazer que aquela penetração lhe causava, a ardência foi pouco perto do fogo que brotava de sua xota ao se sentir novamente estufada, preenchida e finalmente ser cutucada no fundo de sua xota, ela continuou abrindo a xota com as mãos mas não mais para evitar a dor que não teve na penetração, abria agora mais e mais a xota para que aquele monstro pudesse ir o mais fundo possível de sua vagina, pressionando tudo que encontrava pois como ferro entrou de uma vez só, assim que meteu tudo ambos amantes soltaram imensos gemidos e embora ela continuasse querendo e tentando abrir mais e mais a xoxota teve que retirar as mãos da posição que estava para poder se agarrar melhor ao sofá pois ele depois de um certo tempo parado dentro dela começou a mexer brevemente de vagar mas logo já a comia forte como na primeira vez, a diferença que agora ela não havia gozado ainda e curtia cada socada que ele dava, embora as investidas fortes parecessem lhe causar pressão em seu interior, a sensação de ser usada e estar aguentando aquele macho a comendo daquela forma eram inebriantes para minha inexperiente mulher, agora era ele quem a abria mais e mais a agarrando pela bunda, enquanto ele se concentrava em estocar ela forte ela gemia gostoso conforme o solavanco que levava, a pressão no interior da vagina dela aumentava mais e mais, ainda mais quando ele retirava todo o pau de dentro dela e voltava a meter, novamente ela sentia o ar gelado entrando em suas entranhas mas logo o quente do cacete o substituía a fazendo delirar, junto com a sensação de estufamento completo, ela estava tão louca que já mexia em sentido contrário ao dele batendo sua bunda forte contra o corpo dele o deixando mais e mais louco, não demorou para novamente ele começar a bater em sua bunda, os gemidos dela aumentavam a cada palmada que vinha mais e mais forte, em outra situação ela nunca permitiria um tapa daqueles mas naquele momento a ardência da xota, mais a ardência dos tapas em suas nadegas a deixavam mais e mais excitada, assim como o barulho dos tapas eram altos os gemidos dos dois também eram, certamente no corredor dava para ouvilos já que o sofá era ao lado da porta de entrada do apartamento, ele por vezes a puxava pelos cabelos, tirava o pauzao batia com ele na bunda dela e fazia ela novamente pedir que ele metesse nela, então vinham novas e novas palmadas forte em sua bunda que já estava vermelha e cheia de vergões dos dedos do safado, a vadia sabia que embora nos encontrássemos naquele dia, não teríamos oportunidade de transar pois seria na janta na casa dela, mas me confessou que por vezes acabamos saindo em dias que ela voltou toda dolorida e marcada do amante e ela me enrolava, dizendo estar menstruada ou não querendo sair, cheguei a notar a bunda dela vermelha em algumas situações, mas ele batia tanto que não ficavam marcas especificas da mão, a bunda ficava toda vermelha mesmo, eu cheguei a bater mais forte vez ou outra nela, mas eram poucas vezes então meus dedos ficavam tatuados em seu traseiro, com ele era mais forte a coisa e eram tantas palmadas que uma marca sobrepunha a outra fazendo com que ficasse um vermelhão só, quando eu notava isto ela falava que era alergia de algo, santa cornice rsss. Ela falou que com tudo aquilo estava quase gozando ali de 4 para ele, seria seu primeiro orgasmo nesta posição pois ela só gozava cavalgando, ele também parecia querer gozar pois batia mais e mais e ela safada pedia mais tapa e mais pau, mandava ele meter e bater forte mas a cada tapa era um gemido de dor e prazer, não era só um AHHHH, agora a cada tapa era um AI AI AI, ela disse que iria gozar, que eles estavam ali naquela loucura e gritaria até que alguém tocou a campainha, o susto foi enorme, ele parou imediatamente de meter, ela ficou imóvel esperando por ele, até que tocaram novamente e agora com o silencio deles a amiga dela se identificou falando que era ela, minha namorada imediatamente viu pelo tom de voz baixo dela do outro lado que certamente ela ouvirá toda a foda deles pois eles gemiam bem mais alto em outra oportunidade a amiga contou que ela era louca pois do corredor se escutava tudo mas ai elas já eram mais cúmplices e falavam claramente de tudo. Minha esposa pegou o roupão e correu para atrás do bar do cara onde ficaria mais escondida, o cara colocou uma bermuda rapidamente mas não tinha como disfarçar o pau duro, então abriu a porta só com o rosto de fora, escondendo seu pau, a amiga não viu minha esposa mas ela ouvia a amiga dizer que tinha que sair para almoçar no sogro e estava ali entregando as roupas e tudo mais que minha esposa deixou na casa dela, falou que caso eu ou o pai dela ligasse, minha esposa que inventasse depois que elas saíram para almoçar, e por fim safadamente falou para o comedor ir com calma com ela pois ela era bem inexperiente, deu uma risadinha e gritou da porta um tchau para ela, minha esposa não respondeu, o comedor fechou a porta dando um tchau com cara de safado, e antes de ir até minha puta já tirou a bermuda mostrando o pau ainda lambuzado apontado para cima, eles riram da situação, ela falou da vergonha que estava pois a amiga certamente escutou tudo, eles riram bastante mas logo ele a beijava ardentemente e abria seu roupão, ela sentada naquele banco alto do bar ficava na altura ideal do pauzão que lhe cutucava, ele fez ela sentar melhor e abrir as pernas, sua bunda doía e bastante pelos tapas que levou mas ela obedeceu, ela se apoiou para tras com as mãos sobre a mesa do bar, ele segurou as pernas dela e logo o pau já estava achando novamente o caminho de sua xota ensopada ainda e assim como quando ela estava de 4, agora o pau lhe penetrava facilmente, ela sentia o pau entrando e saindo molhado de dentro dela, embora a penetração não fosse tão profunda como antes era delicioso estar se sentindo puta e meter com ele em outro local de seu apartamento, ele metia e sugava hora um hora outro seio dela, o safado novamente lambia o suor dela entre os peitoes duros da vadia, ela deitou a cabeça para tras escorada no bar e expunha agora o pescoço para que as lambidas do macho fossem de seus seios até sua orelha, os olhos dela fechados deixavam ela apreciar mais o pau lhe preenchendo centímetro a centímetro a cada investida, o que antes devido a força e rapidez que ele fazia não a deixavam ter ideia, por vezes o safado tirava o pau e deixava ele lambuzado deslizar pela barriga quase até os seios e ela com uma das mãos segurava firme guiando-lhe novamente até sua vagina aberta, mas principalmente curtindo sentir tudo aquilo lambuzado em sua mão, estava uma delicia, mas ele começou então a aumentar suas metidas pois era assim que ele gostava de foder, então ficou difícil ela permanecer naquela posição sobre o banco, vendo isto ele soltou as pernas dela e foi saindo de dentro dela, ela sentiu o pau sair e novamente lhe bateu o desespero de tesão, em meio a gemidos agora mais contidos ela mesmo querendo outra posição dizia para ele não fazer isto com ela, não tirar aquilo de dentro dela, quando ela se pos em pé e foi caminhar sentiu o tanto que sua xota estava molhada, sentia suas coxas deslizando com seus líquidos, ele a levou para o sofá novamente e pediu para ela ficar de 4, embora estivesse muito bom antes, agora ela queria gozar logo então sabendo que ele resistiria ela mandou ele sentar, como ele disse não ela pegou e para convencelo falou, SENTA QUE EU QUERO CHUPAR MAIS, em meio a um pedido destes ninguém resistiria RSS, então rapidamente ele sentou, ela que já havia chupado o pau dele lambuzado na noite anterior e havia quase vomitado por sentir os gostos dos dois agora pouco se importava pois sua ideia era colocar ele naquela posição para depois cavalgar, mas isto teria um preço, novamente meter a boca no pau lambuzado, desta vez ela não sentiu nojo, muito pelo contrário adorou lamber e chupar aquele ferro como estava, safadamente ela chupava, lambia, depois subia pelo peito dele até beijalo para que ele também sentisse o gosto deles em sua boca, até hoje ela adora fazer isto comigo e seus outros machos que a comem sem camisinha, a principio seria só para colocalo sentado que ela falou em xupalo, mas como estava gostando prolongou mais toda aquela provocação ainda mais ao sentir que ele ficava louco e quase engolia sua boca, sua língua quando ela o beijava, desta vez ela não sentiu mais o gosto de porra no pau dele, só o gosto forte da xota e do pau e isto até a deixou por instantes triste
Foto Perfil Cacolabin

Ficha do Conto

Escritor:
casalsul

Nome do conto:
O VERDADEIRO PRIMEIRO AMANTE DA ESPOSA

Codigo do conto:
26816

Categoria:
Traição/Corno

Data do Envio:
06/03/2013

Quant.de Votos:
11

Quant.de Fotos:
3

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us
Foto 1 do Conto erotico: O VERDADEIRO PRIMEIRO AMANTE DA ESPOSA

Foto 2 do Conto erotico: O VERDADEIRO PRIMEIRO AMANTE DA ESPOSA

Foto 3 do Conto erotico: O VERDADEIRO PRIMEIRO AMANTE DA ESPOSA




Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Ultimos Comentários
Comentado por: gatobjpatibaia em: 07/03/2013
ta votaado...
Comentado por: ZEUS o Gde em: 06/03/2013
Parece verídico! Bom nem tentar descobrir mais nada!

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
12040 Amigo Negro la em casa Traição/Corno 8
12342 Amante da esposa la em casa. Traição/Corno 9
12371 Minha esposa me fazendo surpresa(Verídico) Traição/Corno 12
12436 Esposa perdendo(realmente) o cabaço do rabinho. Traição/Corno 11
12469 INICIANDO A ESPOSA NO MENAGE(VERIDICO) Traição/Corno 13
12479 PROSTITUINDO A ESPOSA(PRIMEIRA VEZ) Traição/Corno 6
12578 PROSTITUINDO A ESPOSA (NOVOS CLIENTES) Traição/Corno 6
12645 ATUAL AMANTE O INICIO Traição/Corno 3
12666 OUTRO CLIENTE DE MINHA ESPOSA Traição/Corno 6
12709 ESPOSA TRANSANDO NA FESTA Traição/Corno 5
13013 MINHA ESPOSA COM DOIS AMIGOS Traição/Corno 6
13169 NEGRO GOSANDO NA MINHA ESPOSA(REAL) Traição/Corno 4
13171 AMIGO NEGRO LA EM CASA(EDITADO) Traição/Corno 4
13325 ESPOSA TRANSANDO COM ESTRANHO Traição/Corno 0
13603 AMANTE FIXO EM CASA A SÓS COM ELA Traição/Corno 4
13769 ESPOSA SENDO GOSADA NA FESTA Traição/Corno 4
13955 ESPOSA DANDO NO CARRO EU DIRIGINDO Traição/Corno 5
14253 ESPOSA PASSANDO FINAL DE SEMANA COM AMANTE Traição/Corno 1
14557 ESPOSA TRANSANDO COM OUTROS NO CARNAVAL Traição/Corno 6
14729 ESPOSA TRANSANDO COM OUTROS NO CARNAVAL PARTE2 Traição/Corno 3
14935 QUARTO MENAGE COM MINHA ESPOSA Traição/Corno 3
14949 QUARTO MENAGE COM MINHA ESPOSA(CONTINUAÇÃO) Traição/Corno 2
15094 ESPOSA TRANSANDO GRÁVIDA DE 7MESES Traição/Corno 11
15096 PRIMEIRO AMANTE DO TRABALHO DELA Traição/Corno 3
15216 ESPOSA TRANSANDO COM EX NAMORADO(VINGANÇA DELA) Traição/Corno 2
15259 ESPOSA TRANSANDO COM UM COROA Traição/Corno 2
15968 PRIMEIRO SWING DO CASAL Traição/Corno 2
16110 PRIMEIRA VEZ DA ESPOSA SOZINHA COM AMANTE Traição/Corno 1
16607 ESPOSA SOZINHA COM DOIS AMANTES Traição/Corno 5
16627 ESPOSA CEDENDO A CHANTAGEM DO COLEGA Traição/Corno 3
16934 PRESENTE PARA O AMANTE(primeira parte) Traição/Corno 0
16966 PRESENTE PARA O AMANTE(Segunda parte) Traição/Corno 0
18111 SEGUNDA NOITE DA ESPOSA COM SEU AMANTE FIXO Traição/Corno 6
18115 SEGUNDA NOITE DA ESPOSA COM SEU AMANTE FIXO parte2 Traição/Corno 4
18295 SEGUNDA NOITE DA ESPOSA COM SEU AMANTE PARTE3 Traição/Corno 1
19314 ESPOSA FUDENDO COM AMANTE E AMIGO DELE Traição/Corno 2
19938 ESPOSA DANDO PARA COROA Traição/Corno 5
20767 ESPOSA DANDO EM PRAIA DE NUDISMO 1 Traição/Corno 10
20768 ESPOSA DANDO EM PRAIA DE NUDISMO 2 Traição/Corno 4
20769 ESPOSA DANDO EM PRAIA DE NUDISMO 3 Traição/Corno 3
22017 ESPOSA COM MACHO QUE CONHECEMOS PRAIA DE NUDISMO Traição/Corno 7
22018 ESPOSA COM MACHO QUE CONHECEMOS PRAIA DE NUDISMO3 Traição/Corno 2
22019 ESPOSA COM MACHO QUE CONHECEMOS PRAIA DE NUDISMO4 Traição/Corno 9
23307 ESPOSA SE PROSTITUINDO (VERÍDICO) Traição/Corno 7
25452 ESPOSA DANDO NO ANO NOVO. Traição/Corno 16
26852 O VERDADEIRO PRIMEIRO AMANTE DA ESPOSA 2 Traição/Corno 4
27032 NAMORADA DANDO PARA AMANTE NO WC DA FACULDADE Traição/Corno 2
27652 ESPOSA COM AMANTE NO ESTACIONAMENTO(REAL)25/03 Traição/Corno 6
28366 ESPOSA PASSANDO FIM DE SEMANA COM COMEDOR 1 Traição/Corno 11
28367 ESPOSA PASSANDO FIM DE SEMANA COM COMEDOR 2 Traição/Corno 6
29811 ESPOSA COM NOVO AMANTE Traição/Corno 7
30123 ESPOSA LEVANDO LEITE DE DOIS AMANTES 1º VEZ REAL Traição/Corno 2
31212 PRIMEIRO ANAL DA ESPOSA COM O NOVO AMANTE Traição/Corno 10
33094 ESPOSA SENDO GOZADA POR DOIS AMANTES NO MESMO DIA Traição/Corno 15
33572 DOIS MACHOS PARA MINHA ESPOSA Traição/Corno 7
33828 ESPOSA DANDO NO CLUBE Traição/Corno 10
35340 PRIMEIRO ANAL COM DOTADO(EDITADO) Traição/Corno 11
36240 Esposa com Amante e Amigo dele Traição/Corno 5
36901 ULTIMA IDA NO AMANTE PREFERIDO DELA Traição/Corno 6
37954 ESPOSA COM AMANTE COLEGA DE TRABALHO Traição/Corno 7
43296 HISTORIA CONTADA PELO COMEDOR DELA, BEM DIFERENTE. Traição/Corno 8
43645 DANDO PRO AMANTE NA ESCADARIA DE SHOPING Traição/Corno 7
46418 ESPOSA DANDO NO CARNAVAL 2014 Traição/Corno 10
49872 Primeiro anal com Dotado(a força) Traição/Corno 4
50214 ESPOSA GRITANDO NA VARA DO AMANTE EM NOSSA CASA Traição/Corno 11
53229 PRIMEIRA VEZ COM O AMANTE EM NOSSA CASA Traição/Corno 5
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA