Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Blog Erótico   Entrar em contato  
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato
   Ajuda (Duvidas)

SITES PARCEIROS
   Blog Erótico
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





CALIENTE 3 - SEXO EXPLÍCITO NA FESTA


A história que vou lhes contar é uma continuação das minhas histórias, espero que todos tenham lido as anteriores (CALIENTE 1 e 2) para saberem quem eu sou e como tudo começou. Resumindo trabalhava em uma firma de advocacia para pagar meus estudos, fazia o segundo ano de fisioterapia. A firma tem 11 advogados sendo 3 mulheres, somos em duas secretárias, eu estou a mais tempo e só atendo os clientes vips e ao proprietário (o chefão). Quando aceitei esse emprego fui entrevistada por ele que logo me apresentou os motivos da minha contratação: não era por quesito inteligência, meu chefe queria uma mulher bonita, agradável, simpática, não poderia ser extremamente burra e deveria claro estar disponível para viagens quando necessário, uma exigência bem clara foi imposta: namorado firme, filhos, ou coisas do gênero seria a porta para a rua, o suficiente para me mandar embora. Ele não queria nenhum tipo de desculpa quando surgisse eventos de noite, viagens ou necessitasse acompanhar algum cliente importante. Não era um trabalho de acompanhantes (para isso ele tinha uma agência que já prestava serviços a ele), meu trabalho apenas era ser muito, mas muito agradável e cordial com os clientes que fossem interessantes, ele queria um cartão de entrada para sua firma, uma mulher bela que estampasse uma firma fashion, o que correspondia ao meu perfil pois faço alguns bicos como modelo.
Em suma meu trabalho é este, atender a firma, fazer o trabalho de uma secretária, cuidar da agenda particular e profissional do meu chefe, desde mandar flores a sua esposa no dia de aniversário de casamento, lembrar de pagar o inglês do caçula até os compromissos mais profissionais, audiências, etc.; e claro o mais importante me apresentar todos os dias maravilhosa. A história que vou lhes contar é como me tornei um pouco mais que secretária, trazendo para a firma um cliente muito poderoso o qual me deu muito mais que apenas retorno financeiro. Certo dia meu chefe me chamou para avisar sobre uma festa que aconteceria na noite seguinte, falou que seria uma festa um tanto diferente, na qual ele pretendia desfilar ao meu lado, despertando a inveja de muitos que ali estariam e demonstrando a impressão de firma vip no cenário da society, pois a festa seria para alguns empresários, advogados, lobistas e políticos, ainda me lembrou que as mulheres que ali estivessem seriam com certeza acompanhantes, amantes, amigas, mas que ele preferia mostrar o que ele tem de melhor na firma: sua secretária, falou brincando.
Combinamos o horário que ele passaria me apanhar advertindo-me ainda que eu deveria estar esplêndida e de preferência com uma roupa provocante e sensual.
Quando me apanhou no meu apto, logo seus olhos mostraram uma aprovação ao me ver. Eu realmente estava deslumbrante em um vestido preto, longo, semi colado ao corpo e totalmente transparente onde poderia se ver claramente meus seios, as pernas, a silhueta, só preservando meu sexo pela minúscula calcinha fio dental preta que eu usava.
Ao chegarmos ele fez questão de uma entrada triunfal afinal tudo estava até então perfeito para um exibicionista como ele. A cobertura era lindíssima, eu particularmente linda e ele claro, meu chefe é um homem charmossísimo e muito popular entre as mulheres. O ambiente exalava luxúria, riqueza, ostentação e uma penumbra de tensão assolava a todos os presentes com a dúvida e a expectativa de uma noite em que tudo poderia acontecer, mal sabia eu que seria a maior atenção da noite. Ao me apresentar para o anfitrião ainda me sussurrou ao ouvido um alerta importante que havia esquecido, muitos iriam me abraçar e talvez ousassem passar a mão. O anfitrião nos cumprimentou, pessoa amabilíssima logo ao nos ver veio ao nosso encontro, elogiou meu chefe pela atuação nos últimos processos e claro pela companhia que ele trazia a festa, fiquei lisonjeada e ele logo se aproximou me abraçando, abraçado a mim começou um diálogo com meu chefe sobre o último trabalho que estavam realizando em parceria, não demorei muito a sentir as mãos dos anfitrião percorrer minhas costas enquanto o diálogo prosseguia, sua mão contornava minha cintura e sem nenhuma alteração na expressão facial acariciou todo o meu bumbum, apertando de forma gostosa enquanto meu chefe na nossa frente continuava a conversar. Logo após passamos ao bar onde fui apresentada a algumas pessoas que ali estavam, meu chefe logo avistou alguns amigos em outra sala acompanhados de algumas mulheres, perguntou se eu desejava ficar ali ou com ele, dei de ombros em um sinal de indiferença, então ele me beijou o rosto, falou que eu me sentisse a vontade que ele iria dar uma galinhada pela festa, foi quando percebi do outro lado da grande sala de festa um homem, muito interessante, charmoso, com seus 40 e poucos anos eu acho, sentado em uma poltrona bebia calmamente seu whisky interrompido algumas vezes por pessoas que o cumprimentavam e ao longe pareciam elogiar-lhe pois sem poder ouvir apenas percebia o movimento dos lábios e as expressões faciais o que me levava a deduzir que as interrupções eram para cumprimentos e elogios, além da paquera fulminante das mulheres que pareciam se jogar para ele, então voltava a conversa para os amigos que ali o rodeavam e continuava a beber seu whisky, as vezes o pegava me olhando, seus olhos parecia transpor meu corpo, tinha fogo no olhar, uma urgência no olhar, as vezes ficava por segundos a fitar-me depois retornava ao bate papo com os amigos. Ë claro que o homem era extremamente sedutor, atraente e charmoso, em um desses olhares ele mostrou um sorriso discreto de canto de boca que me intimidou, encostada no bar, ouço o barman chegar perto do meu ouvido e sussurrar em minhas costas:
- Este é o homem mais desejado pelas mulheres e invejado pelos homens, um milionário, quase não é visto em festas e quando se vê é um privilégio para o anfitrião, sempre acompanhado de mulheres é casado no entanto com uma mulher que nunca saí de Nova York, poucos a conhecem.
Terminou a ficha técnica do meu paquerador exclamando :
- Acho que é feia!!!
Me virei para o barman e dei um sorriso discreto, ele se afastou dando uma piscada para mim e dizendo:
- Você está com tudo, o homem se encantou por você!!!.
Após descobrir pelo informado garçom quem era este homem resolvi me afastar meu chefe estava na outra sala com amigos e amigas, resolvi dar uma circulada pela cobertura, várias vezes era abordada e recebia cumprimentos, elogios masculinos, algumas cantadas, mas com jeito fui me aproximando deste homem, sempre atento aos meus passos, saí na enorme varanda da cobertura que ficava próximo onde ele se encontrava, uma varanda de luz ambiente lindíssima, deixei a taça de champanhe em uma bandeja e olhando a vista da cidade acendi um cigarro, sentia ele olhando minhas costas, a cada tragada no cigarro dava uma reboladinha, sentido meu fio dental me excitar, era minha vez de seduzir aquele homem e eu estava disposta a isso. As vezes me virava para olhar a movimentação da festa e pude perceber que ele estava em uma posição muito difícil para me olhar então levantou-se um pouco e empurrou sua poltrona com a desculpa de cumprimentar alguém as suas costas, seu ato discreto não foi perceptível aos que ali estavam apenas eu soube que sua estratégia era uma prova de que eu estava conseguindo despertar sua atenção. Ao sentar-se novamente ficou frente a mim, me encarava agora sem nenhuma discrição, pouco a pouco todas as pessoas a sua volta começaram a perceber e a me olhar procurando saber o que despertava a sua atenção, apoiada com os dois braços na mureta da varanda, deixava todo meu corpo a vista para ele, a brisa fazia um movimento gostoso do leve tecido no meu corpo deixando-o mais transparente ainda, se não fosse pela cor preta, todos poderiam facilmente dizer que eu estava nua, apenas de fio dental. Então ele faz um sinal apenas com um dedo, um sinal para que eu fosse até ele, o sinal era de uma prepotência tamanha, como um dono faz um sinal a um animalzinho de estimação, um sinal de dominação mesmo.
Observando o sinal, todos a sua volta foram ficando quietos e discretamente começaram a conversar entre eles, observando a chance me aproximei dele, parando quase a sua frente, um pouco de lado da poltrona. Eu estava de pé ao lado deste homem que iria me levar a loucura sentado com o braço descansando na própria poltrona quase tocando minha perna. Olhei novamente a festa e não vi meu chefe abaixei os olhos e ele me cumprimentou:
- Oi, meu nome é Raul, e você é uma mulher linda, tocando minha perna de leve.
Todos a volta começaram a calar e a observar este homem me seduzindo.
- Você é uma mulher linda, não deveria permanecer sozinha nenhum minuto, seus olhos são muito enigmáticos..., nunca a vi em nenhuma festa e você não tem cara de acompanhante – enquanto falava sua mão percorria toda minha perna por cima do vestido.
De forma audaciosa desceu sua mão até meu tornozelo e começou a me tocar por baixo do vestido, foi então que comecei a sentir aquela mão que hoje não consigo descrever, uma mão quente, grande, grossa e macia ao mesmo tempo, senti um arrepio percorrer a espinha e claro um tesão enorme que foi facilmente perceptível por Raul pois ao ver meus seios despontarem sobre o fino tecido transparente ele pode perceber que eu estava totalmente excitada, ao ver isso olhou com um sorriso extremamente charmoso e cínico e continuou a me tocar a perna, olhava para meu seio e para minha bucetinha escondida pelo fio dental e pouco a pouco foi subindo as mãos pela minha perna levantando desta forma cada vez mais meu vestido com o braço, tocava minha pernas, meu joelho, minhas coxas, já não conseguia sentir mais meu corpo, estava totalmente sem equilíbrio dominada pela desejo, mal agüentava-me em pé quando percebi meu chefe aproximar-se pelas costas de Raul, fiquei vermelha, ele percebeu, meu chefe para ao lado de Raul, agachou-se um pouco e falou algo em seu ouvido que não pude identificar em razão do som estar muito alto, uma balada internacional tocava, quando percebi que muitos estavam apenas bebendo, dançando ou olhando-me e olhando o que este homem fazia comigo. Após o breve sussurro que meu chefe fez ao ouvido de Raul, deu um tapinha em suas costas e se afastou sem olhar para mim. Voltei os olhos para Raul e ele me olhou com um sorriso no canto da boca e falou em um sussurro:
- Seu segredo não durou muito, já sei quem é você, sabia que você não era uma prostituta, mas não esperava uma modelo Cibele.
Ao falar meu nome estremeci, meu chefe em 2 ou 3 palavras me apresentou a ele como um presente. A balada continuava e eu ali em pé ao lado de Raul, com uma mão em minha perna, então ele me puxa e meus joelhos ficam encostados no braço da poltrona, ele sobe suas mãos, resolvo fechar os olhos, nada mais me importa na festa, apenas meu tesão, sentido sua mão subir, dos meus joelhos e em um movimento único tocar minha bucetinha, fico molhada ainda mais, ele afasta o fio dental para passar o dedo em minha bucetinha e ao tocar inteira ela com a mão tira rapidamente em um movimento brusco, abro os olhos em sobressalto e olho para ele. Sorrindo sussurra:
- Você é peladinha, que delícia, toda raspadinha,
Aproveito para olhar em volta, alguns nos olham com caras e bocas de excitação, outros apenas em altos amassos com outras garotas. Ele então toca meu seios e acaricia-os primeiramente por cima do vestido depois com a facilidade do grande decote retira um seio para fora do vestido na frente de todos e acaricia-o, apertando-o dizendo apenas:
- Seus biquinhos estão duros como uma pedra, tua tetinha cabe toda na minha mão e vai caber toda na minha boca.
Eu já não respondia mais pelo meu tesão, ele acariciou com movimentos firmes e acariciou com força todo o meu corpo e meu bumbum, eram movimentos fortes e certeiros, novamente ele coloca sua mão nas minhas coxas por baixo do vestido e começa a acariciar minha bucetinha com força, seu dedo fica totalmente molhado logo no início e então quando já não conseguia mais ficar em pé, ele me penetra com um dedo com toda a força aquele dedo grosso entra arrancando-me um gemido alto. Ele vibra com meu gemido alto, me puxa então para sentar em seu colo levanta todo meu vestido deixando minha bucetinha quase a vista de todos, retira meu fio dental com uma mão, e começa a passar o dedo pelo meu grelhinho, pega toda a minha bucetinha com a mão dizendo que era muito pequena e me penetra novamente agora com dois dedos, me beija forçosamente o pescoço, a nuca e sussurra:
- - Sente meu dedo, sente meu dedo tocar teu grelhinho, que delícia, você está muito molhadinha de tesão, sente meu cacete em sua bundinha, sua bundinha fazendo pressão no meu pau, Cibele .... sente meu pau.... que delícia... Você vai sentir ele hoje, você vai pedir por ele hoje, até o final da noite você irá implorar por ele...
Estou totalmente agora entregue a ele, ele aproveita para dar uma levantada no vestido e mostrar seu dedo entrar dentro da minha bucetinha para alguns, me fode com o dedo bem gostoso, entrelaça uma das minhas pernas na sua e abre minha perna com a sua deixando minha bucetinha mais a vista e continua a me foder com seu dedo grosso... passa o dedo dentro do copo de whisky segura uma pedra de gelo e coloca a pedra de gelo dentro da minha bucetinha.. com o dedo empurra a pedra mais ao fundo me deixando excitada com o gelo e com o perfume que eu sentia dele. Então retira seus dedos e me empurra para ficar novamente de pé, achando que ele me levaria para outro lugar, olho para ele e ele está novamente conversando com seus amigos ao lado e pega um novo whisky da mão de um dos garçons que por ali passam. Fico parada a sua frente, sem entender o que se passa por alguns segundos, estática, imóvel, perplexa com sua atitude, tremendo literalmente de tesão, ao perceber a situação começo a sentir raiva, tesão, ódio e sinto meu rosto ficar vermelho de raiva e vergonha dos que estão a minha volta. Apenas me retiro dali sem saber para onde ir e nem para que lado, embora as pessoas me vejam passar continuam em suas conversas, risadas e bebedeiras, e Raul apenas me ignora como se nada tivesse acontecido, não me abaixo nem para apanhar meu fio dental na sua poltrona. Ando até o bar em um movimento mecânico, senti constrangimento pois estava agora nua e todos viam minha bucetinha tampada apenas pelo vestido, mas o constrangimento não era somente isso, era da situação toda. No bar recebo uma taça de champanhe do garçom fico de costas para o público apenas observando através do espelho do bar o que se passava nas minhas costas ou quem se aproximava, olho para o lado e vejo meu chefe em um mini corredor em pé recebendo uma chupeta de uma mulher agachada engolindo aquele caralho maravilhoso dele, modéstia a parte ela não era bonita, nenhuma mulher ali era tão bonita quanto eu, comecei a olhar e percebi que realmente eu era a mulher mais atraente, bonita, nova e desejada ali, comecei a tentar recompor o que tinha acontecido segundos antes, o exibicionismo da minha nudez, o milionário invejado e desejado– informação dada pelo garçom, o que o próprio Raul tinha me dito: implorar pelo pau dele até o fim da noite... comecei a me sentir deslocada então, percebendo o jogo que ele queria e observando um outro homem aproximar-se de mim, aproveitei a deixa e resolvi ir embora, com raiva e antes de me sentir humilhada com alguma cantada, apaguei o cigarro que tinha acabado de ascender e levantei, caminhando em direção da porta, é claro que minha passagem pelo salão não foi desapercebida, despertou novamente a curiosidade e os olhares desejosos dos homens ali presentes. Meu corpo estava deslumbrante, parecia transpor o vestido, meus seios duros com uma pedra pediam para serem tocados e todos os homens me comiam inteira com os olhos, então ao me aproximar da porta um burburinho começa ao perceberem que eu estava indo embora. Próximo a porta sinto um puxão forte pelo braço. Olho e Raul novamente me puxa pelo braço com força.
- Onde você vai? Pergunta em voz alta e com ar furioso
Olho com raiva para ele, retiro sua mão do meu braço com uma careta e fico calada, viro novamente para ir embora quando ele puxa pelo meu punho violentamente, e meu corpo vira em encontro ao seu.
- Eu quero você esta noite e não deixei você ir embora – Fala com raiva e quase gritando.
Percebo então que seu jogo não contava com o fato de eu resolver ir embora e irritado ele mesmo perde o controle, com o corpo colado ao desse homem, ambos frente a frente, silêncio na festa, antes que eu pudesse pensar em qualquer coisa, ele coloca sua mão em minha nuca e me beija loucamente, que perfume delicioso ele tinha, seu corpo pegava fogo colado ao meu, novamente não conseguia pensar em mais nada e me senti sem rumo, me perdi nos lábios desse homem e já não conseguia pensar. Raul me beijava com fúria, sua língua toda dentro da minha boca, beijava com fervor a boca, a nuca toda e retira a alça do meu vestido com força abocanhando minha tetinha com a boca e com o movimento das mãos pelo meu corpo faz meu vestido cair, fico totalmente nua na frente de todos que urram exclamando a beleza.
- Eu sabia que essas tetinhas cabiam todinha na minha boca.
Raul domina todo meu corpo, seu blazer cai e com o movimento rápido abre o zíper da calça encaixa uma das minhas pernas em sua cintura de forma que meus quadril não mostre seu caralho na hora que ele retira de dentro da calça confirmando o que eu já tinha percebido quando sentei no seu colo, ele não usava cueca, com um movimento e uma praticidade incrível de quem sabe comer uma mulher coloca seu cacete perto da minha bucetinha, ereto pronto para me penetrar de pé ali no meio da sala, me levanta então um pouco do chão no qual estou apoiada apenas com uma perna e me encosta em uma parede totalmente espelhada da casa, sinto o frio do espelho percorrer minha espinha e o calor da minha xaninha queimar a cabeça do seu pau. Raul me olha e fala:
- Eu quero você, sei que você não vai implorar para ser comida, quem implora agora sou eu. Quero saber se você quer meu caralho?
Mal acreditava naquela pergunta aquela altura.
- Você consegue sentir meu pau perto da sua bucetinha? Consegue sentir a cabeça dele na portinha da sua xaninha? Porque eu consigo sentir sua xaninha pedindo por ele. Basta você pedir e eu te como agora. Você quer?
Apenas fiz um sinal de sim com a cabeça sem conseguir falar qualquer coisa tamanho o tesão que sentia. Ele volta a perguntar:
- Você quer?
Sussurro em seu ouvido: Quero!
- Então fala para mim, pede para mim em voz alta.
- Quero, quero você agora, quero que você me foda!, quero teu pau agora – falo alto e em tom agressivo pela demora.
E antes que eu parasse de pedir para que ele me comesse sinto uma puta estocada forte que me amoleceu inteira. Senti aquele cacete rasgando toda minha bucetinha em um só golpe, comecei a sentir a dor de quem acabava de ser estuprada, senti rasgar minha bucetinha como uma virgem, começou então a dar várias estocadas fortes e a ouvir ele falar em meu ouvido:
- Que delícia, você é muito apertadinha, é apertada com uma virgenzinha, sinto meu cacete doer dentro da tua buceta tão apertada que é. Você é muito gostosa, é muito linda...
Seu pau me enchia toda a bucetinha, de pé me pressionava contra a parede a cada estocada e ele voltava a falar:
- Quero te comer toda, quero te comer a noite toda, quero amanhecer com meu cacete enterrado em você.
Raul me fodia com força, sentia que seu cacete era maior do que minha buceta já tinha recebido, ele estava alargando sem dó.., a cada movimento de entrada eu sentia que ia gozar por receber um cacete tão grande socado na minha buceta, e ele socava com força sem dó... as vezes chegava a me levantar do chão cada vez que dava uma estocada forte, meu tesão era enorme e já não conseguia me conter, próximo ao orgasmo murmurei em seu ouvido gemendo: - Vou gozar.
Ele então retira com força seu pau da minha buceta me fazendo quase gozar com a retirada brusca então ao olhar o seu caralho, pude perceber o tamanho daquele cacete que me rasgou toda, seu mastro era enorme ele então se agachou em frente a minha bucetinha com a mão colocou uma das minhas pernas em volta do seu pescoço e com a outra abriu minha bucetinha e pediu para que eu gozasse na sua língua, não precisava pedir, aquele homem divino, delicioso agachado com a boca na minha xaninha, passando a língua no meu grelhinho quente molhado e colocou dois dedos dentro da minha bucetinha para continuar o movimento e os dois dedos entraram facilmente então ele coloca o terceiro dedo reto tocando meu rabinho e dá uma apertadinha no meu cuzinho com a ponta do dedo, coloquei minha mão no seu cabelo, puxei seu rosto bem forte contra minha buceta e gozei bem alto... como uma putinha.. gemi bem alto me exibindo para todos...
- Que delícia, vou gozar... ahhhhhhh.... ummmm...ahhhhhh
Sentia sua língua batendo freneticamente no meu clitóris, com força.. sua língua era forte e parecia chicotear meu grelhinho, seu dedo apertava o buraquinho do meu rabinho sem entrar o que me deixava enlouquecida..., me sentia toda molhada depois da gozada... e permanecei de olhos fechados enquanto ele falou:
- Fica quietinha.... quero te chupar....quero sentir tua gozadinha.. essa gozadinha de piranhazinha...
Ele passava sua língua na minha xaninha tão gostoso, parecia uma cobra a sua língua... um intruso..., começou a me lamber toda...lambia minha buceta como se fosse retirar qualquer vestígio do ato sexual, como uma gato se lambendo. Me lambeu toda a bucetinha, passando a língua pelo meu rabinho de leve que me excitava ainda mais, após uns 2 minutos ou mais ele se levantou, abri os olhos, e quando achei que iríamos sair dali... sem esperar ele me penetrou com força novamente...e novamente me senti rasgada...a penetração sem esperar, com a bucetinha já relaxada... e ainda molhadinha me fez gozar de novo... quando ele deu essa estocada.. gritei alto... aiiiiiii... seu puto... minha bucetinha.... tô gozando......ahhh... que delícia....
Ele adorou meu grito... no fundo era também um exibicionista .. cada vez que eu falava um pouco mais alto.. ou gemia..... ele vibrava... e dessa vez dei um grito tão forte com o seu caralho que ele chegou a sorrir de tão feliz em ver minha dor pelo tamanho do seu cacete.
Putz.. o caralho desse homem era imenso, era grosso demais e me arrombava. Ao me estocar novamente ele gritou e esbravejou alto para que todos escutassem:
- Você é muito gostosa, seu gosto é de uma virgem. Tua buceta é doce, é um pecado não te chupar toda – falava gritando...- Quero toda a tua gozadinha na minha língua, você tem a bucetinha mais doce que eu já comi e já chupei.... tem gostinho e é lambuzadinha como mel...
É claro que eu mal podia ouvir tudo o que ele falava, pois eu já gemia alto com tanto tesão, e ele continuava a me foder ali de pé, as vezes ele movimentava tão rápido seu cacete dentro da minha bucetinha que eu apenas me entregava a ele, já não tinha forças e sussurrei em seu ouvido .. que estava cansada... que não consegui mais ficar de pé... Então percebi o que é ser fodida por um cara que sabe comer uma mulher... ele delicadamente me levantou no colo.
- Princesa... coloca as pernas na minha cintura... meu amor...: nem acreditava que era Raul falando....
Então ao obedecer, ele segura meu bumbum com as mãos enormes como seu caralho e sem retirar o seu pau de dentro da minha bucetinha faz ainda uns movimentos nessa posição.... que delícia.... ele controlava todo o movimento com a mão no meu bumbum... eu estava totalmente a mercê... minha bucetinha teve que ficar toda arreganhadinha nessa posição e ele aproveitou para me foder gostoso, mas após algumas estocadas nessa posição ele caminhou para o sofá, as pessoas levantaram-se rapidamente percebendo o seu desejo de ali sentar...Ahhh as pessoas... esquecemos completamente o local.. as pessoas.. só víamos um ao outro e o som alto das baladas.....
Ele senta-se no meio do sofá de 3 lugares, então fico por cima e começo a cavalgar neste monstruoso mastro, nesse caralho duro como um rojão. Me sinto uma putinha nessa posição, uma piranha fodendo e cavalgando ele... e adoro a sensação, continuo o movimento, meu homem relaxa sua nuca no sofá e começa a sussurrar delicadamente em meu ouvido enquanto eu continuo a sentar no seu pau:
- Você é linda, você fode maravilhosamente bem, você fode muito gostoso minha gata. Sente meu pau te arrombar toda.... você é um delícia.... é muito gostosa, tua bucetinha me queima todo de tão quente e molhadinha.
Raul então me abraça enquanto fala as coisas que me deixam mais excitadas, passa a mão na minha bucetinha, no meu grelhinho e fica olhando seu pau sumir dentro da minha xoxota, coloco um pouco as mãos no seu joelho para que ele possa olhar para minha bucetinha inchada com seu cacete dentro, ele fica totalmente excitado.... dizendo que eu ficava linda arreganhadinha para ele.... e ficava sussurrando... arreganha mais essa xoxotinha para mim... isso... e passava o dedo no meu grelhinho, então ele tenta colocar um dedo na minha bucetinha com seu pau, mas não entra de tão apertada que ela já está...ele começa a beijar meus seios com força e começa a gemer alto como um leão rugindo.... sussurra em meu ouvido:
- quero você como minha amante....., cada vez que falo algo para você fico ainda mais excitado...., estou pronto para gozar, não agüento mais sentir tua bucetinha tanto assim e por mais tempo, quero te perguntar uma coisa.... diminui o movimento um pouquinho...
Então novamente obedecei o seu pedido e passei a sentar devagarinho no imenso pau...ele me puxa e pede que eu deite a cabeça um pouco no seu ombro pois quer me falar, aproveita e abre meu bumbum com as duas mãos, pede que eu empine a bundinha um pouquinho, coloca um dedo na entrada do meu rabinho e fica apertando meu cuzinho sem penetrar o dedo... ao fazer isso aperto seu cacete com força dentro da minha buceta, é claro que ele queria que todos vissem o tamanho do cacete dele arrombando minha bucetinha. Me deixou mais excitada ainda e comecei a gostar de todo aquele exibicionismo, empino mais ainda minha bundinha..., mas ele sussurra baixinho no meu ouvido:
- Estou prestes a gozar, essa apertada que você dá com sua xoxotinha está acabando comigo e quero saber o que você deseja.. ou eu gozo dentro de você agora... ou temos que interromper, eu paro agora e continuamos em outro lugar... o que você deseja?, você escolhe.... mas tem que ser agora..
Novamente me surpreendi com esse homem... ele realmente sabia trepar com uma mulher...mal faço um movimento ele segura minha nuca com força olha nos meus olhos e fala:
- Não mexe, não aperta meu cacete dentro dessa bucetinha... por favor...preciso que me responda agora... estou no limite dentro da tua xaninha..
- O que você deseja? o que você quer? Me fala agora que eu faço.....respondi sussurrando em seu ouvido...
- O que eu mais quero é gozar dentro da sua boca, mas não é hora nem lugar para isso...
Não ouvi o restante do que ele falava pois retribui o mesmo movimento brusco dele, me levantei e me agachei entre suas pernas no sofá e coloquei seu cacete em minha boca, entrava somente a cabeça era extremamente grosso, sentia seu pau pegar fogo na minha boca, ao fazer isso ele apenas se entrega...descansa novamente a nuca e dá um gemido de surpresa pela minha atitude,..
Ao passar a língua sentia seu cacete esquentar minha saliva, comecei a chupar toda aquele cabeça vermelha... seu pau estava totalmente duro....os nervos saltavam de tanto sangue nas veias..., seu cacete era lindo... reto.. Ele levanta meu queixo com o pau em minha boca e fala:
- Você tem a boca mais linda do mundo, ver uma boca com batom chupar meu caralho me deixa muito louco.
Então ele sussurra baixinho para mim enquanto continua a levantar meu queixo com uma das mãos e a outra puxa minha nuca tentando enterrar um pouco mais seu cacete em minha boca...
- Vou gozar agora!!! Que delícia foder dentro da sua boca... é tão apertada como tua xoxotinha... abre a boca gata para eu foder gostoso dentro....
Com uma mão fica segurando meu queixo e com a outra segura seu cacete e começa a enterrar somente a cabeça do seu pau na minha boca..., fecho os olhos e escuto ele falar:
- Abra os olhos... quero que você me olhe nos olhos... quero que você abra um pouco sua boca... deixa sua boca entreaberta que eu quero ver.
E assim fiz...olhando nos seus olhos, abri um pouco a boca para que ele movimenta-se seu cacete dentro dela e pudesse ver sua porra escorrer em minha língua, e começou a gozar.... com a primeira esporreada forte encheu minha boca e tive que engolir rapidamente para continuar recebendo suas outras esguichadas, engoli umas 3 vezes antes dele terminar de esporrear na minha boca, ele gemia como um leão rugindo...,
- Engole minha porra, gata... que boca deliciosa... que gostoso foder dentro da tua boquinha.... vem toma minha porra... engole vai ...minha gatinha.
Olhava para minha boca.. e gemia ao ver sua porra na minha boca, era extremamente grossa sua porra, cremosa e enchia toda minha boca, ele pediu para que eu abrisse mais a boca .. para ver sua porra encher minha boquinha. Engoli tudo e chupei toda a cabeça do seu pau para que pudesse retirar da minha boca, ao fazer isso, ele me pegou no colo e me levou para um dos quartos do apartamento em um frenesi de gritos e aplausos dos convidados. Ao perceber isso e me dar conta do que o que eu acabava de fazer era um show de sexo explícito procurei olhar somente para ele que me beijou até chegarmos ao quarto para esconder minha vergonha, fiquei totalmente inibida.
Ao chegarmos no quarto ele me deitou na cama, me beijou carinhosamente e me falou:
- Tudo que eu te falei essa noite é verdade, eu reafirmo tudo o que te falei enquanto te comia... não era somente pelo tesão. Você é muito linda mesmo, gostosa, deliciosa, tua bucetinha é a mais doce de todas, e ... - dando risada encerrou dizendo – putz, como tua xaninha é apertada, sinto meu pau todo ralado... risos.... então desce a boca na minha bucetinha e começa a passar novamente a língua nela... abro toda a minha perna e ele enterra seu rosto nela... que delícia... gozo mais uma vez...
- Dá mais uma vez essa gozadinha pra mim.... vai minha gata... solta esse melzinho na minha língua, que delícia... minha piranha, minha putinha, abre mais essa bucetinha que eu quero ver ela arreganhadinha para o dono dela...eu sou o dono dela agora...ele aperta sua boca na minha bucetinha.. depois começa a passar todo o rosto nela.
Então ouço batidas na porta.. ele se levanta e uma das empregadas traz seu blazer, sua calça, meu vestido e minha calcinha... ele permaneceu o tempo todo apenas com a camisa de manga longa meio entreaberta.
Aqui tem um banheiro se você desejar tomar um banho, se quiser descansar enquanto eu tomo uma ducha... e assim fiz.. , deixou a porta do quarto aberta de propósito para que os homens me vissem toda nua na cama ... com a bucetinha aberta virada para a porta, os homens que ali passavam ficavam de pau duro...fiquei deitada.. entregue na cama...o quarto era muito bonito e os lençóis de cetim deslizavam pelas minhas coxas me proporcionando minutos de prazer ainda...
Ao sair do banheiro, Raul senta novamente na cama e me beijando fala:
- pretendo ir embora agora, se você desejar é claro!!
Fiz sinal positivo com a cabeça estirada naquela cama me sentido extasiada de tanto tesão e orgasmo. Ele se levanta, se recompôs e continua a falar arrumando o cabelo no enorme espelho:
- Gostaria de sair discretamente pela porta do fundo, mas serei linchado por todos amanhã se privá-los a todos de vê-la mais uma vez e com esse ar de graça de quem foi amada e comida.
Antes de fechar a porta ainda voltou e sussurrou: - te espero no salão.
Ap


Ficha do Conto

Escritor:
Cibele

Nome do conto:
CALIENTE 3 - SEXO EXPLÍCITO NA FESTA

Codigo do conto:
2858

Categoria:
Exibicionismo

Data do Envio:
17/08/2004

Quant.de Votos:
1

Quant.de Fotos:
0

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us



Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
2857 CALIENTE 2 - A PRIMEIRA TRANSA COM MEU CHEFE Virgens 2
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA