Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Blog Erótico   Entrar em contato  
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato
   Ajuda (Duvidas)

SITES PARCEIROS
   Blog Erótico
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





Conto Erotico Enteada e a Guardiã.


Desejos Contidos em: A Guardiã.
- Tu bate uma punhetinha em ti hoje à tarde? Quero te ver gozando sozinho.
- Só se tu me deixar gozar nos teus peitinhos, na tua cara, no teu corpo. Tu deixa?
- Deixo. Mas agora tenho que ir. Até mais tarde magão tarado.
Ela retornou por volta das 14:30, estava com 38/39 graus de febre, fiquei o resto da tarde no chá de eucalipto e comprimido de dipirona, a única coisa que consegui fazer, foi mamar nos peitinho dela com ela deitada a meu lado na cama. Ela segurou seus peitinhos e posicionava na altura da minha boca pra eu mamar. Ela tentou o dengoso até que levantou; ela o mamou; mas a febre estava muito alta e achou melhor ficar só nas mamadas. Ela ainda conseguiu gozar só com as mamadas em seus peitos e meu dedo em sua buceta.
A Olívia é fogosa igual à Mazé, e tem orgasmos múltiplos. É gostoso transar com elas individualmente, imagina quando eu tiver com as duas na mesma cama. Acima o conto passado referente ao nosso último encontro. Eu com Olívia. Veja: Desejos Contidos em A Virose No sábado, 12/056/07, estava bem melhor, mas ainda estava com a Virose, decidi não ir trabalhar e fazer companhia a Mazé que estava de folga naquele dia como também no dia das mães 13/05/07 apesar de doente, estava com um tesão filho da mãe, e queria tirar o atrasado, assim que ficamos a sós, não perdi tempo. Mazé estava na maquina de roupas, ainda de bebydoll, todo molhadinho, deixando transparecer suas partes intimas já que ela dorme sem calcinha, tudo estava bem visível aumentando meu tesão. Encostei-me na bundinha dela para que sentisse meu estado. Beijei-lhe pó pescoço, meti a língua em sua orelha e disse: Vou comer a lavadeira, afastei o lado esquerdo de seu bebydoll, ela arrebitou sua bundinha e meti meu cassete em sua bucetinha. Quando ela está com vontade, se excita rapidinha. Ela já estava toda meladinha. Enfiei tudo e fiquei no vai vem, ela pra apimentar começou a falar:
- Come a lavadeira de tua casa come seu descarado. Mete o pau nela e goza na bucetinha apertada dela goza. Passei a mão por baixo da blusinha e peguei seus dois peitinhos e usei para puxar seu corpinho de encontro ao meu. Ela rebolava e dizia pra eu comer a buceta da lavadeira e se eu quisesse, podia comer o cuzinho da cozinheira e gozar nos peitinhos da empregada depois. Já estava há quase uma semana sem meter numa xoxota ou cuzinho; passei a semana só na punheta. Gozei rapidíssimo e ela me acompanhou. A tosse veio forte, intermitente, eu estava com os brônquios ainda cheios; ela reclamou dizendo
- Tu ainda vai morrer disso. Quem já se viu uma coisa desta? Como é que tu gripado e com falta de ar, inventa de trepar? Ainda mais em pé! Vai te deitar que vou fazer um chá pra ti! Ela passou o resto do dia me dando chás, sucos e vitaminas. Na note, ela vai até a casa de sua filha Olívia, um pouco mais tarde Olívia me liga pergunta como estou, digo que: com saudades daquele cuzinho, ela sorri e diz que também está com falta de meu caralho, mais infelizmente iríamos deixar para a próxima semana, pois todos estariam na casa de sua Avó (onde eu moro com a Mazé), para comemoração do dia das mães, disse também que não tinha agüentado guardar segredo, que havia contado nossa transa para uma amiga. Chamei-a de maluca, que ela não deveria ter dado com a língua nos dentes, que estava ficando perigoso, que era melhor pararmos como ela queria que... Ela me interrompeu, falou pra não se preocupar, que sua amiga (Paulinha) ,era de confiança e que também aprontava muito. Por volta das 09:00 da manhã de domingo, começa formula 1, Nunca perdi nem por uma fóda! Felipe larga na frente, Alonso força na primeira curva e vai para grama; o micro-som da sala ligado com musicas evangélicas, a Campainha toca, começa a chegar às ajudantes: minhas cunhadas, sobrinhas da Mazé e um monte de mulheres da família, mas Olívia não chegava. Porra tem algo errado comigo, não quero me apaixonar por minha enteada, nossas intenções foram bem claras desde o início. Será somente o sexo e não vai continuar caso não consigamos convencer e levar a mãe dela pra cama conosco. Foi o que combinamos. Mas desde a segunda transa, estamos diferente um com o outro, estamos mais próximo que de costume. E agora estou sentindo sua falta. Tenho que tomar cuidados. 10:10h e nada de Olívia, Pensei: ela deve ter ido fazer média com a mãe do novo namorado. Ela chega neste momento com a amiga Paulinha. Extrovertida como sempre; chega bagunçando, Mazé pergunta se Paulinha não vai ficar com a mão dela, Paulinha responde que tem que trabalhar domingo e seu irmão tinha combinado almoço pra sua mãe em Beberibe, não daria pra ela ir e vir trabalhar. Olívia a pergunta:
- Cadê o magão? Está melhor?
- Está no quarto assistindo a corrida. (Gostei da preocupação dela), Eli sua tia elogiou brincando:
- A filhinha está preocupada com o padrasto? Acho bonito isto. (Ela nem imagina qual a preocupação) A mais informa que foi Olívia que tomou conta de mim no domingo passado. (e como tomou, me deu até de mamar!). Olívia vai a meu quarto com Paulinha, não vi que Paulinha estava atrás dela. Ela Pergunta:
- E ai Magão, pronto pra outra?
- Estou sempre pronto, se for para o que estou pensando! Paula aparece à porta e sorri comentado:
* Nossa, nem doente ele desiste! Fiquei corado e desconcertado com sua presença da Paulinha. Olívia rebate meu desconcerto comentando:
- Não precisa ficar assim. Já te disse que contei tudo pra ela. E se a mãe não topar, faremos uma suruba nós três. E as duas gargalharam. Mazé perguntou:
- O que foi de tão engraçado? Olívia respondeu dizendo que era eu que não deixava de palhaçadas mesmo estando doente.
- Fala baixo maluca!
Paula era mais alta e mais esbelta que Olívia, (Como também mais bonita), Cor branca, cabelos: escovados, loiros e longos, um pouco acima de seu bumbum; Olhos pidões como os de Olívia e Mazé, sendo que na cor azul, seios médios para grandes, parecem-se com o fundo de uma taça de vinho; os mamilos mesmo dentro dos sutiãs dava pra notar que eram bem salientes e maiores que os de Olívia; cintura alongada e fina, toda a mostra pela transparência de sua camisa branca de manga longa; bumbum arrebitado (como o de Juliana Pais aquela da BOA da Antarctica), cochas roliças e pernas grossas até o tornozelo, apoiados por uma sandália de salto alto na cor azul. Vestia uma caça branca à altura do joelho deixando o resto de fora, sua buceta apertada estufava dentro das calças. Estava vestida para matar ou para o abate. Sei lá! Mesmo desconcertado com o aparecimento repentino de Paulinha e, a proposta inesperada de Olívia, Meu pau que já estava duro a espera de Olívia, respondeu na hora pulsando dentro do calção sem cueca e levantando o lençol. A Paulinha viu e soltou u leve sorriso nos lábios. Comentei admirado e saldando a beleza da Paulinha:
- Nossa com tu está gostosa. E completei:
- Mesmo que a Mazé tope Olívia, nós vamos te comer Paulinha. E tentei ajeitar meu cassete por cima dos lençóis que teimava em levantar o lençol, pulsava como um coração exposto. Elas observaram minha situação e gargalharam novamente. Eliane comentou:
- A farra ai está é boa, Em? Nem eu nem ela, imaginávamos o quanto ia melhorar. A Mazé as chamou pedindo ajuda na cozinha, Olívia respondeu dizendo que iria já. Cochichou no ouvido de Paulinha que se aproximou da porta deixando-a entreaberta, ficou com metade do corpo pra dentro e metade pra fora; segurando-a e olhando ver se vinha alguém. Enquanto Olívia puxou meu lençol, baixou meu calção, segurou meu membro e falei segurando meu pau para ela o abocanhar:
- Tu perdeu o juízo? Ta muita gente ai fora, Maluca!
- Vamos dá uma rapidinha. A Paulinha vai fica vigiando e nos avisa se vier alguém. Quero que ela me veja montar teu cassete. Vou mostrar pra ela como é gostoso dar o cuzinho pra ti. Ela me punhetava e engolia todo meu caralho, metia até o talo, eu sentia ultrapassar sua garganta; Ela olhava para Paulinha que abismada perguntou sorrindo:
* Como tu faz isso?
- Depois te ensino. Salivou bastante meu caralho, levantou a saia do vestido tomara que caia, estava sem calcinha e sua bucetinha já estava lubrificada (Aquelas putinhas tinham programado tudo. A égua da Olívia veio preparada, sem calcinha, e com vestido tomara que caia, para facilitar caso houvesse oportunidade, fuderiamos pra Paulinha ver. - Elas confessaram depois-), segurei meu caralho apontando para cima e ela veio arriando seu corpo até encostar na boquinha se sua buceta, com mão, pegou meu pau esfregou em seu grelo, ela se deliciou com meu membro em cima de seu grelo, masturbou-o com meu cassete por alguns instantes, soltou alguns gemidos, centralizou meu pau em seu cuzinho, arriou vagarosamente até enterrar todo meu membro no cuzinho apertado e quente; arfando e gemendo baixinho. Na posição que estávamos; Paulinha não tinha boa visão da penetração, ela abandonou seu posto para assistir melhor. Olívia reclamou pedindo-a que votasse à porta. Girou seu corpo sem retirar meu membro de dentro de si, ficando de costas para min e de frente para Paulinha, que pôde ver como ela se acomodava em meu cassete. Paulinha levou sua mão a sua buceta e ficou se masturbando por cima da calça, enquanto que Olívia intensificava seus movimentos de sobe e desce. Levei meu dedo para seu grelo e o masturbei pedindo-a baixinho:
- Goza logo puta safada. Goza que vou gozar. Ai que gostoooso meu tesão! Olha Paulinha... Ta gostando de ver eu fuder a bundinha dela? Tu queria ver gozar no cuzinho dela era? Pois tu vai ver agora! Vou gozar dentro dela. Aaaiii, Aiii, Aaiii, Ta vendo? Eu to gozando no cuzinho dela. Queria que fosse na bucetinha, mas ela não deixa! Depois vou te comer também, vou gozar no cú dela e depois na tua buceta. Acho quem tu ficou uma piranha igual à Olívia. Não é Olívia?
- Ela é mais puta que eu. A diferença é que ela não dá o cú. Ela só deixa meter na buceta. Em compensação, Ela não escolhe com quem vai gozar. Ela só quer saber se goza! Estou mostrando a ela o que ela ta perdendo. Depois tu mete nela e eu fico de GURDIÃ pra vocês. Ta certo meu gostoso? Vou te dividir com ela também. Mas agora goza no meu cuzinho pra ela ver como é booommm dá o cú. Ela tem medo de dar o cú. Não sabe quanto é gostooooso! Huuuu, aiiii gostoooso! Goza. Goza que eu to gozando tambeeeeém. Aaaiiii, aaiii.
- Não grita não sua cadela. Belisquei seu mamilo com tanta força, que a cabeça de meus dedos ficaram doloridos, estapeei de leve seu peito esquerdo de cima para baixo. Ela estava gozando. Sentia sua cuzinho se contraindo e mordendo meu cassete. Que coisa gostoooosa! Estava me derramando dentro do cuzinho da Olívia.
- Goza na tua filhinha, seu puto. Goza em mim, meu gato, me chama de puta, de cadela, deixa. Me come! Aaiiii.. To gozando no teu paaaaau, aaii seu tarado.
Acho que devido a musica evangélica que estava tocando junto com o barulho dos carros de corrida, ninguém ouviu nada. Olivia parou de se movimentar, olhei para Paulinha, que parecia ter gozado também e comentei:
- Esta daí, como guardiã é divagar. Imagina se tivesse vindo alguém ou se alguém a visse com essa cara de gozo? Qualquer um sacaria o que está acontecendo.
Olívia sorriu levantando lentamente seu corpo de cima do meu, ficou de cócoras abaixou a cabeça e ficou olhando meu membro sair lentamente de dentro dela. Olhei para Paulinha que estava vidrada na cena e falei:
- Ela está te matando de invejas. Não é? Ela respondeu:
* De inveja não. Sei que vai chegar minha vez! Mais que estou morrendo de tesão, estou.
As duas riram; Olívia recompôs seu vestido, cobriu seus peitos e foi ao banheiro falando:
Espera ai, Vou me limpar e fico na porta
Apesar da fraqueza que eu sentia, a possibilidade de comer um cuzinho virgem me animou e me excitou novamente, me dando novas forças. Olívia me trouxe papel higiênico, foi em direção à porta e falou:
- Vai, é tua vez. Mas tem que ser rápida. Quando a Paulinha abocanhou meu cassete, a Mazé gritou da cozinha:
- Cadê vocês? Não vão vir não? Estamos precisando de ajuda. Oliva se apressou em falar:
- Não Paulinha. Não! Para que a mãe vem vindo.
Vai Felipe, Vai Felipe, Vai Felipe, Felipe massa do Brasil!
Pan, pan, pan...! Pan, pan, pan...! Felipe massa do Brasil; vence o Grande Premium de... Sei lá de onde. Nessa hora não sabia nem o que era formula um quem dirá onde estava sendo realizado Grande Premium! Tanto eu como a Paulinha, ficamos na vontade.
Liguei pra minha mãe felicitando-a pelo seu dia. Não ira almoçar por ainda estar doente. (por duas potrancas no cio), Sentamos na mesma mesa e só falávamos em sexo, quando alguém chegava, mudávamos de assunto. Mais a cadeira que sobrava na mesa era para sua mãe e minha mulher Mazé. Seu irmão casado e muito ciumento (estava na mesa ao lado com esposa e a Mazé lhe fazendo companhia; e achando meio estranho nossa intimidade) perguntou para que sua mãe escutasse:
- Que diabos é isto ai magão? Por que tu não vens pra perto da mãe e deixa essas otárias ai? Mazé nos defendeu:
- Deixa eles em paz! Toda mesa tem bebidas a única sem bebidas é a deles. Melhor vocês ficarem ai mesmo. Agradeci e elas cairão na risada de novo, Comentando. Se ela soubesse o que estamos tramando. Gargalharam novamente.
Apesar de eu ter tentado criar; não surgiu oportunidade para comer a Paulinha. Ela trabalha na mesma loja que Olívia, e eu já a conhecia há algum tempo. Disse-lhe que sempre tive tesão por ela, mas em respeito à Mazé, mas por medo de um fora e uma delação por parte dela; nunca dei em cima. Mas ainda vou te comer todinha. Sorrimos juntos. Aquele avião de mulher com 24 ou 25 anos de idade, que chora por sexo, estava com o tesão à flor da pele, doida pra gozar em meu cassete e Eu não ia dispensar. Ela disse ser como eu Viciada em sexo, também se masturba quase todos os dias, mesmo depois de ter transado, se não está satisfeita, se masturba. Olívia disse fazer a mesma coisa, mas que não é sempre. A diferença em transar comigo, era que ela sempre sai satisfeita. E sorriu. Então combinamos que: se algum de nós tiver vontade de gozar, não precisa se masturbar; é só chamar um ao outro. Olívia brincalhona como sempre perguntou:
- E tu vai dar conta Magão? Agora são três e parece que a mãe é do mesmo jeito!
- Garanto que consigo. E se não conseguir, tem nosso amigo no guarda roupas que tu podes apresentar a Paulinha. A Paulinha sorriu e Olívia falou:
- Eles já são íntimos e caímos na gargalhada. Mazé chegou e perguntou:
- De que é que vocês tanto riem? Desde manhã cedo que vocês fiam nessas gargalhada!
- Mãe, tu num sabe que o Magão é palhaço! A Mazé sentou, me deu um beijo na boca, ia recuar, mas segurei seu rosto e fiz questão de dar um beijo de língua na frente das duas. Olívia perguntou:
- Vai comer ai mesmo ou quer que enrole. As duas começaram a gargalhar novamente e Mazé comentou:
- Posso comer ele onde eu quiser. Ele é meu. Beijou-me novamente e baixou seu braço insinuando que pegava em meu membro. Mas só insinuou. E eu, me fiz que estava gozando. Ela me deu umas tapas todos sorrimos e ela também me chamando de palhaço.
Ficamos de nos encontra ainda esta semana, aguardem que quando assim que pode eu conto tudo.
Hoje, dia 14/05, tive uma reunião de negócios, vou pegar um novo empreendimento que vai me deixar sem horário de trabalho fixo, vou arrendar meu outro negócio para os funcionários e ficar mais livre e aproveitar também os horários de almoço com elas. Comprei castanha de caju, amendoins, ameixa seca e fresca; pó de guaraná, farinha de fubá, mel de abelha mel de cana de açúcar e ovos de pato. Se a Mazé perguntar, vou dizer que e para a Virose. Estou doido pra ficar bom desta danada; já fazem mais de quinze dias e ainda estou com seqüela. Mas os produtos que comprei, todos são excelentes afrodisíacos, dizem que levanta até defunto, só falta agora eu compra o peixe Cangulo. Rs, rs.
Até a próxima.
Foto Perfil caveira

Ficha do Conto

Escritor:
caveira

Nome do conto:
Conto Erotico Enteada e a Guardiã.

Codigo do conto:
30187

Categoria:
Incesto

Data do Envio:
05/06/2013

Quant.de Votos:
0

Quant.de Fotos:
0

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us



Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
20558 coloquei um vestido novo e papai quis ver Incesto 17
20559 como comi minha filha mais nova Incesto 28
20570 tirei as pregaga do cuzinho da minha irma Incesto 3
20590 COMI MINHA CUNHADA Virgens 3
20618 A micro calcinha Incesto 16
20693 Enteada no volante Incesto 12
21532 TIO SEDUZIDO PELA SOBRINHA Incesto 8
21534 Atolei minha rola toda no cú do meu irmãozinho Incesto 11
21535 NA BUNDA DA IRMÃ Incesto 9
21536 CUNHADA CARENTE A ANOS Incesto 8
21537 Pedi uma toalha e acabei comendo minha sogra Incesto 4
21603 foi chupar manga e chupou pica Exibicionismo 4
21620 Minha irmã acordou! e deu pra mim Incesto 2
21621 Comi minha cunhada na sua lua de mel Incesto 9
21622 Surpresa de sobrinha Incesto 1
21623 Protegida do Vovô… Incesto 11
21625 NORA PUTINHA Traição/Corno 8
21626 Em vez de me tatuar meu cunhado me comeu Fetiches 5
21971 Dando leitinho na boquinha da mamãe Incesto 12
22006 NO CUZINHO DA FILHINHA Incesto 13
22143 IRMÃ BOA DE CAMA Incesto 5
22144 MAMÃE ALIVIOU MEU TESÃO Incesto 3
22637 Pegando ela bebada Incesto 4
22639 Sobrinha.. a descoberta Incesto 3
22829 APAGUEI O FOGO DO RABO DA MINHA MÃE Incesto 10
23502 Substituindo minha mãe na cama. Incesto 3
23512 Mamãe Show Incesto 4
24232 Tracei a cunhadinha ninfeta Incesto 2
27027 Filha vê a mãe trepando e dá para o padrasto Incesto 4
33228 minha sobrinha filha da minha irma Incesto 6
36681 Eu e minha Filha no dia de seu Casamento Incesto 6
37288 Mamãe viu e quis pegar Incesto 12
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA