Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Entrar em contato   Bate Papo
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato

SITES PARCEIROS
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web
   Videos Porno
   Porno Tube

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





Minha familia e tarada


Orgia de priminhos, Me chamo Renato tenho 20 anos tenho 178cm de altura 70kg e cabelo claro, minha irma Kailane tem 18 e uma loirinha linda seios fartos e durinhos uma bunda que deixa qualquer homem louco,mayara tem tb 18 anos e é uma morena alucinante e baixinha mas tem umas tetas de enlouquecer, valeria nossa outra prima tem 19 anos e tb e uma morena maravilhosa tem uns peitinhos pequenininhos e uma bundona fenomenal, Hugo meu primo tem 18 anos e é um cara normal. Tudo começou nas férias de julho na época meus pais viajaram para passar 7 dias fora e como de costume disseram que poderíamos chamar nossos primos para pasar a semana la em casa, ligamos para eles e disseram que viriam no dia seguinte, no primeiro dia so minha mana kailane e eu já estávamos com os hormônios em alto nível já tínhamos transado e eu que tirei a virgindade de minha mana e tb de minha prima mayara, locamos uns vídeos pornô e fomos pra casa, almoçamos e depois do almoço fomos para sala, começamos a assistir os vídeos, virei pra kailane e vi que debaixo do lençol ela tocava uma siririca, fui ficando excitado, disse pra ela que eu seria obrigado a come-la se continuasse com o pau tão duro, kailane sorriu e disse-me que tinha tido uma grande idéia, fiquei louco pra saber e pedi pra ela contar, kailane virou pra mim e disse sabe mano porque nós num fazemos dessa semana a semana do incesto, fiquei surpreso com aquilo e quis saber porque ela pensou naquilo, a resposta foi a seguinte, mayara e eu contamos pra Valeria sobre aquela noite que transamos os três e tia Fernanda e valeria ficou muito excitada e disse que se você quisesse tb deixaria vc tirar o cabaço dela e aquela oportunidade era única, aproveitou pra dizer que achava que o Hugo ainda era virgem e tb iria adorar aquilo. Gostei bastante da idéia naquele momento resolvi propor a kailane pra que passássemos todo o dia nus, o dia estava bastante frio mas ela topou, continuamos a assistir aquele filme e kailane agora sem nada pra atrapalhar voltou a tocar sua siririca, fiquei olhando e logo tirei o pau duríssimo e comecei uma punheta, kailane ficou me observando e aumentou o ritmo de sua siririca, disse que tava com muito frio e me chamou pra deitar do lado dela, naquele momento tomou iniciativa e pegou meu pau, pediu pra trocarmos os movimentos ela continuava minha punheta e eu tocava a siririca dela, ficamos ali num ritmo lento um bom tempo, começou a passar uma cena de orgia e kailane disse que iria gozar aquele tipo de coisa a deixava muito excitada, pedi pra ela fazer mais rápido que tb queria gozar, kailane começou a jogar seu melzinho na minha mão e apertar meu pau cada vez com mais forca virei de lado e lambuzei a barriguinha dela de esperma gozei muito, ela me abraçou com forca, chegou perto do meu ouvido e disse, Renato vamos da uma bem gostoso to com frio ainda me esquenta vai, fiquei com uma enorme compaixão pela minha maninha e com desejo maior ainda, coloquei-a por cima de mim encaixei meu pau na sua xereca e pedi pra ela sentar nele, kailane engoliu meu cacete com sua xerequinha encostou sua cabeça no meu peito e virou-se um pouco pra ver o filme, durante muito tempo fiquei movimentando levemente pra proporcionar um pouco de prazer pra mim e pra minha maninha, ficamos ali um tempão senti que não dava mais e ia gozar fiquei um pouco apreensivo com receio de gozar dentro mais kailane disse que não tinha problema pq tia Fernanda tinha dado pra ela algumas pílulas do dia seguinte pra quando ela precisasse fiquei aliviado e melequei minha maninha de esperma., tava muito bom ela toda melada agarrada ao meu corpo delirando naquele gozo e logo despejou seu melzinho em mim, continuamos assistindo aquele filme kailane via as cenas e queria fazer igual, ai ela viu uma mulher com a perna em cima de uma cadeira escorada na sacada e fodida por trás, não deu outra acabou o filme subimos pro quarto de mamãe levamos uma cadeira kailane apoiou-se na escada colocou uma das pernas em cima da cadeira e com uma das mãos abriu a xereca e me chamou pra fudela, como estava bastante frio segurei ela firme cobrindo seus pitoes que estavam muito duros e comecei a bombar naquela xeca, fiquei ali um tempão, nós dois conversando e fudendo de repente kailane olhava olhava pra rua e dizia sera que esse povo todo tem noção do que estamos fazendo aqui, isso me excitava e anunciei que ia gozar, kailane então pediu que eu parasse um pouco e tocasse uma pra ela gozar junto comigo, atendi seu pedido e fiquei ali mexendo no grelinho dela, logo ela começou a gritar percebi que vinha um jorro e comecei a bombar de novo gozamos juntos e saimo lambuzados de la, fomos pra suíte de mamãe eu liguei a banheira e transamos novamente, estávamos famintos comemos uma pizza e fomos deitar demos mais uma mais disse pra kailane que tínhamos que descansar por no dia seguinte começaria nossa maratona, no outro dia logo bem cedo meus primos chegaram, kailane e eu ainda estávamos dormindo, os recebemos fizemos um lanche rápido e fomos tomar banho na piscina mayara estava exuberante com um biquininho que pouco escondia de sua tetonas, já valeria estava mais recaltada, mais ainda sim seu bikini que era bem maior do que o de mayara não tampava muito aquele seu rabao, entramos na piscina e ficamos brincando la, por um instante valeria saiu discretamente kailane pro canto e perguntou pq so a cama de meus pais estava baguncada quando eles chegaram, eu fiquei ali disfarçando que não ouvia nada, kailane respondeu que tinha dormido comigo e que eu estva como um animal naqueles dias e se ela realmente queria perder o cabaço seria hoje, valeria disse que tinha medo do Hugo contar pro pai deles e kailane disse que no Hugo ela dava um jeito, minha maninha já tinha tudo preparado e nos chamou pra fazer briga de galo, enquanto nos ajeitávamos kailane no meu ombro aproveitou pra me dizer que iria tirar o bikini de valeria e era pra eu agir rápido que mayara e ela dariam um jeito no Hugo, valeria subiu no ombro de Hugo e começamos a brincadeira, minha maninha muito esperta finjiu que escorregou e agarrou-se no bikini de valeria deixando aqueles peitinhos pequenos a mostra naquele impulso de kailane cai direto de boca naqueles peitinhos deliciosos, puxei valeria e comecei chupa-la, mayara agarrou Hugo por trás e puxou-o para um canto já segurando na piroca dele, segurei valeria pela cintura e levei-a pra borda da piscina, la chupei um pouco mais suas tetinhas e fui descendo minha mão, comecei a esfregar naquela bundona, e meu pau estava muito duro, pedi a ela que levantasse um pouco o quadril e tirei sua calcinha, fiquei maravilhado pq valeria alem de uma bunda fenomenal tinha uma bocetinha que acredito ser a mais bela que tinha visto depois da de kailane, sua xereca era moreninha assim como o resto de sua pele, em composição natural seus palinhos eram ralos, sua xequinha era bem pequenininha mas muito carnuda, tanto que seus beicinhos eram grudados que tive ate dificuldade para mantelos abertos, passei a mão e depois a língua naquela xana, fiquei lambendo, Hugo perguntou-me se eu iria comer a irmã dele, kailane respondeu por mim e complementou que ele tb teria o prazer dele, o que deixou ele muito animado, mais ainda sim pediu pra ficar perto de onde estávamos valeria e eu, mayara e minha mana o conduziram ate la em ritmo de brincadeira, Hugo virou pra mim e disse se vc vai comer minha irmã tb quero comer a sua, disse para Hugo que não tinha proble e que era pra ele olhar como eu fazia pra fazer igual. Naquele momento segurei nos beiços da xereca de valeria posicionei a cabeça do meu pau na portinha e comecei a enfiar, seu cabacinho era muito resistente e lutei contra ele um bom tempo ate que em uma forcada maior meu pau entrou pela metade, valeria deu um grito estrondoso mas disse que era pra eu continuar ela reclamava que ardia muito, eu quis parar mas valeria disse que a dor era uma dor gostosa e controlável, fiquei naquele vai e vem e chupando seus pequenos peitos valeria começou a gritar vi que ela ia gozar tirei meu pau de dentro e comecei a lamber seu grelo num instante valeria encheu minha boca com seu primeiro melzinho, lambi tudo e ainda de pau duríssimo pedi que chupasse meu pau pra eu gozar também, minha prima segurou minha vara e chupou com maestria sugava forte como uma bezerrinha e em poucos instantes gozei dentro daquela boquinha linda que ela tinha, fiquei parado e chamei ela pra ver o irmãozinho dela Hugo perder o cabacinho, Hugo metia em kailane como se fosse um cãozinho quando vê uma cadela no cio, ele percebeu que estávamos o observando e talvez por nervosimos deu uma magistral errada e acertou a fenda de minha mana com toda forca, ela reclamou de dor o que não atrapalhou a primeira gozada de Hugo dentro de uma boceta já que mayara rapidamente substituiu minha maninha, entrou em baixo e Hugo quase não esperou ela se posicionar estocou a sua piroca na xereca de mayara e ficou bombando dentro dela , mayara que era bem safadinha pressionou as nádegas dele e disse goza aqui dentro priminho gostoso goza vai enche a xereca da sua priminha de esperma quente vai, Hugo com toda virilidade de um garoto de 18 anos deu uma gozada fenomenal em mayara lambuzando desde dentro de sua grutinha ate os pentelhos dela deixando toda melada aquela xaninha carnuda. Tomamos um banho na duxa e entramos para dentro de casa, Fomos jogar vídeo game e como todos já estavam dominados pelo sexo resolvi fazer uma aposta disse que se Hugo e eu ganhássemos o jogo todos teriam que ficar nus durante toda a semana e se elas ganhassem elas elas teriam o direito de impor o desejo delas, as meninas se reuniram em um canto e logo voltaram dizendo que aceitavam a aposta mas se elas ganhassem teríamos que ficar com o pau pra fora e duro o dia todo e cada vez que ele amolecesse nós teríamos que tocar uma punheta em vez de ganhar sexo, topamos a aposta e começamos a jogar, joguei minha partida primeiro e ganhei de mayara, depois ganhei de valeria, passei a vez pro Hugo e enquanto ele jogava com kailane tirei o meu pau pra fora e comecei a tocar uma punheta, minha mana não tirava os olhos do meu cacete e acabou se desconcentrando e perdendo. Fiquei satisfeito em ganhar o jogo e perguntei as garotas se elas precisavam de ajuda para tirarem suas roupas, disseram que não, Hugo e eu desfizemos rápido de nossas roupas e as garotas tiravam as delas, Hugo comessou a resmungar e disse que agora sabia pq as meninas nunca tinham dado pra ele mas tinham dado pra mim que aquilo era descriminação pq tamanho não e documento, minha mana desfez essa idéia da cabeça dele e disse que eu era um caso a parte e que meu pau era maior do que da maioria dos garotos da minha idade mais que não tinha nada haver e que agora que tinha perdido a virgindade sempre poderia comer ou uma priminha ou sua irmãzinha, Hugo se conformou e fomos para cozinha as meninas iriam fazer alguma coisa para comermos, enquanto preparavam a comida fiquei ali alisando o pau uma hora ou outra vinha uma delas pegava no meu cacete e diziam que aquela comida ia ter gosto de pau, disse a kailane que queria que aquela comida tb tivesse gosto de xana, minha maninha pegou as salsichas que tinha na mão e disse vem ca maninho me ajuda então lambuza salsicha por salsicha na minha xereca, no meio daquela brincadeira mayara me colocou em situação difícil, virou pra mim e perguntou qual das xerecas das três eu tinha gostado mais, disse a ela que as mocas da nossa família tinham tendência pra ter xerecas carnudas e que as xerecas delas pareciam muito e eu havia gostado muito das três, falei assim desconversando sem querer chatear nenhuma delas, mayara insistiu dizendo que eu podia falar que nenhuma delas ia ficar chateada afinal gosto e gosto, eu com franqueza respondi que a xereca de kailane me deixava de pau duro o dia todo quando estava com ela em casa, mas que apesar disso comer qualquer uma das três me deixava louco e que elas seriam as mulheres da minha vida, mayara ficou satisfeita com a resposta e enquanto kailane e valeria terminavam o almoço, mayara se aproximou de im e do Hugo colocou uma cadeira entre nós dois e disse vcs são os priminhos que mais amo e foi logo agarrando nossos cacetes e nos punhetou os dois ao mesmo tempo, virou a cabeça pra nos dois e disse quero esse molho na minha comida, ficou nos punhetando e falando safadesas, ficamos nessa uns dez minutos, mayara pediu pra valeria fazer seu prato, minha priminha assim o fez quando ia entregar pra mayara a mesma pediu pra que segurasse o prato embaixo do meu cacete que queria comer com gosto do meu pau e do Hugo, soltou o pau do Hugo e acelerou na minha punheta, gozei rapidinho sujando a mão de valeria da mayara e enchendo sua comida de esperma, valeria lambeu minha porra que estava na sua mão e colocou o prato em baixo do pau de Hugo, mayara o punhetou tb e ele gozou no prato dela, mayara lambeu o esperma que espirrara em sua mão e fomos almoçar, fiquei encantado como mayara gostava da minha porra comeu tudo e ficou querendo mais dizendo que comida com esperma ficava muito mais gostosa, almoçamos e fomos pra sala ver um pouco de televisão, deitei em uma poltrona kailane deitou em cima de mim, mayara sentou-se com a cabeça entre minhas pernas com meu pau em sua cabeça e os pentelhos de kailane roçando sua nuca, disse para valeria e Hugo deitarem juntos afinal eram irmãos e não tinham que ter vergonha um do outro, Hugo deitou e valeria deitou na sua frente, tanto minha piroca quanto a de Hugo estavam moles, valeria dormiu com o pinto do irmão roçando sua bundinha, eu disse a mayara que tinha conseguido uns vídeos pornô e ela pediu pra ver, colocamos o vídeo e meu pau e o de Hugo ficaram duros, kailane montou na minha pika escondendo minha ereção, e mayara colocou a cabeça no meio chupando assim meu pau e a xerequinha de kailane, olhei para Hugo e fiquei com pena de ver eu com duas mulheres e ele numa punhetinha, e perguntei se ele tinha vontade de comer a irmãzinha dele, ele respondeu que nunca tinha pensado nisso antes mas que depois de vê-la em ação hoje tinha ficado com um enorme tesão, disse a ele que ele comeria a irmãzinha dele, chamei valeria ela acordou, virei pra ela e disse olha o filminho que ta passando, ela olhou e eu perguntei, quer fazer igual, ela olhou pra mim e disse mas vc já ta lotado num tem espaço pra mim não, ai virei pra ela e disse olha o tamanho do pau do seu irmão ai so esperando uma xereca, da pra ele e bom que vcs acostumam e sempre que estiverem com vontade e so chamar o outro, olha kailane e eu nunca passamos vontade de trepar, valeria penou um pouco e logo deitou no tapete de pernas abertas e falou Hugo vc pode comer mais vai devagar que minha xana ainda ta meio ardida afinal perdi meu cabaço hoje, Hugo voou pra cima dela e se encaixou no meio dela, ficou ali chupando os peitinhos da irmã, Váleria aproveitou pr dizer ainda que o maninho dela tinha um pau lindo e que o ccete dele e o meu eram o mais bonitos que ela tinha visto apesar dela sempre ver revistas gays, Hugo se empolgou e colocou a cabecinha do pinto na xerequinha de valeria, começou a enfiar e logo já tava todo dentro da irmãzinha dele, ele ficou ali bombando e eu tb comendo minha irmã, gozei dentro de kailane, que saiu de cima de mim e deu lugar a mayara, mayara chupou meu pau e limpou ele todinho pedi pra kailane ficar de pe em cima de mim e comecei a chupar sua xereca pr ela gozar tb enqunto isso mayara ficou chupando meu pau, chupei bastante minh mninh gostosa ate que ela disse que ia gozar, chamei mayara pra me ajudar sugar aquele melzinho ficamos ali esbarrando nossas línguas no meio da xota de kailane e bebendo o melzinho dela, naquele instante valeria e Hugo tb gozaram, era tanta a melequeira no meio deles que num dava pra saber de quem era aquele melado, Hugo não tirou de dentro e ficaram ali abraçados, virei pra valeria e disse, valeria pq vc não da a seu irmãozinho o privilegio de tirar eu cabacinho do cu, valeria dorou a idéia mas dise que er perigoso ele machuca-la pois nenhum dos dois tinha experiência, eu me prontifiquei a ajudar, pedi pra valeria que ficasse de quatro, pedi a mayara que tocasse um siririca e quando fosse gozar deixasse o melzinho escorrer na bunda de valeria, falei pro Hugo que era pra ele por o pau na boca d irmã dele pra ficar bem melado, vleri ficoou chupando e do lado kailane e eu dávamos uma rapidinha, mayara despejou o seu jorro em valeria e espalhou bem naquele cuzinho melou tudo com o dedo, e saiu, mandei o Hugo ir para trás dela, ele foi pedi pra kailane ir segurando o pau dele pra manter o ritmo e num sair fora, fui pra frente de valeria enfia meu pau na sua boca pr ela não gritar e com a mãos abri bem suas nádegas, kailane colocou o pinto de Hugo na portinha do cu da irmã dele e falou pra ele forca tudo que podia ate entrar a cabecinha, Hugo assim o fez, valeria ate ameaçou um grito mas sua boca estava tampada por minha pika, Hugo continuou a forçar e logo tava com a piroca toda dentro do cuzinho de valeria, dizia que tava alucinado com as preguinhas da irmã se desmanchando com a entrada da piroca dele, mayra foi para trás de kailane e começou a chupar o cuzinho de kailane, naquele momento vi que minha mana precisava de um pau, tirei o meu da boca de valeria e fui ate minha irmã, mayara saiu de la e foi ate a boca de valeria obrigando-a a chupar sua xereca, coloquei minha mana tb de quatro ao lado de valeria coloquei meu pau que já estava bem molhado da boca de valeria no cuzinho de minha irmã, fiquei ali bombando e tocando uma siririca pr minha mana, mayara gozou na boca de valeira e caiu pra trás, não demorou e Hugo entupiu o cuzinho ex-virgem d irmã dele com seu esperma que ainda nem era tão branquinho, os dois caíram de lado sem mesmo Hugo tira o pau de dentro, kailane ficou louca com aquela cena e começou a gritar de tesão e logo gozou na minha mão, lambi o mel que caiu na minha mão e acelerei o meu movimento disse a ela que o faltava eu pra gozar, bombei forte o burquinho da minha irmãzinha e enchi o rego dela de porra, fiquei com o pinto dentro da minha irmã, segurei ela pela cintura e nos deitamos um por cima do outro, ficamos os cinco deitados naquele tapete, fomos tomar banho na banheira do quarto dos meus pais os cinco la dentro, valeria não quis transar durante o banho alegava que estava muito ardida ainda, Hugo ficou no meio das pernas de kailane com a xeca dela roçando em suas costas, mayara sentou no meu colo e ficou esfregando ate meu pau ficar duro, sentou em cima dele e cavalgou, nos limpamos e fomos pra sala, pedimos sanduíches e kailane vestiu uma roupa rapidinho pra receber os sanduíches, comemos e eu chamei kailane pra decidirmos como arrumaríamos as camas kailane sugeriu que colocássemos os colchões na sala e dormíssemos todos juntos, adorei a idéia kailane que já estava nua novamente foi pegar alguns colchões enquanto isso fiquei vendo ela abaixar e vi que seu cuzinho não parava de piscar, fiquei louco e tive uma idéia, chamei Hugo e combinei com ele que a noite depois que as meninas tivessem dormido nós dois faríamos uma fila nelas eu vinha comendo o cuzinho e depois vinha ele arrombando as xerecas, Hugo gostou da idéia e assim ficamos combinados, arrumamos as camas e nos deitamos, as meninas ainda nos chamou para brincarmos, o jogo era o seguinte uma delas abria as pernas e nó tínhamos que acerta a xoxota delas sem mirar, acertei uma quatro vezes, mas logo se cansaram e dormiram, Hugo e eu esperamos um pouco e fomos colocar nosso plano em ação, tirei o lençol de kailane ela estava demitida de bruços, abri suas nádegas e penetrei seu cu, ela fingia que ainda dormia mas logo começou a ofegar, gozei logo e antes que kailane se recuperasse Hugo virou-a e começou a enfiar na sua xana, me recuperei logo e fui pra cima de mayara, ela dormiu de barriguinha pra cima olhei suas tetonas e lambi seu mamilo, abri sua xana em conjunto com as nádegas coloquei meu pau por baixo e com dificuldade encontri seu buraquinho e fui enfiando, mayara acordou e levantou um pouco a bundinha pra facilitar, nunca imaginei que era tão gostoso comer um cuzinho naquela posição, meu pau não ia ate o fundo pq não dava pr enfia ate na base, ma mesmo assim tava bom, gozei no cu de mayara, em pouo tempo Hugo que j tinha gozado em kailane se recompôs e foi pra cima de mayara, eu fiz um esforço e levantei meu pau novamente olhei para valeria e ela dormia de lado, o formato de suas coxas deixavam uma brechinha    que dava pra ver do outro lado e apreciar uns fiozinhos da sua xana, sem demorar abrir as bochechonas da sua bundona que era maravilhosa, coloquei a cabecinha no buraquinho e fui empurrando, valeria não acordou totalmente e ficou so gemendo, demorei mais ate gozar, e vi mayara gritr do gozo de Hugo ele lambuzou muito ela e ela resolveu se limpar, gozei bem no fundo do reguinho de valeria e fiquei com o pau um tempinho dentro dela, mayara voltou e disse que eu precisava limpar meu pau pra dormir, me levantei e fui ate o banheiro, mayara chegou bem atrás pegou meu pau e disse que ia limpar pra mim, vi que mayara ainda estava carente pois tinha levado menos piroca do que kailane e valeria, voltamos pra sala e deitei mayara de barriga pra cima, disse para os outro que podiam dormir que eu ainda faria um papai e mamãe com mayara, não quiseram e disseram que ficariam nos assistindo, subi em cima de mayara e comecei a chupar seus seios eles eram lindos estavam duríssimos e seu mamilos quase apontavam para seu queixo, desci mais e comecei a lamber sua xaninha carnuda, todos se masturbavam vendo aquilo, colocava a língua la dentro e tirava fiquei ali uma meia hora e vi todos gozarem com aquela cena, kailane Hugo e valeria, posicionei meu caeté na entrada da xerequinha de mayara, fiquei bombando lentamente, fazia tudo bem devagar, enfiava aos poucos, depois de uns dez minutos, mayara pedia pra eu ir mais rápido ela estava quase gozando, mais eu continuei lento e ela quase implorava pra eu ir mais rápido ela estava louca de tesão, de repente mayara segurou minha bunda e me forçou pra junto dela, vi que era agora comecei a enfiar com violência e gozamos muito, dei umas cinco golfadas de esperma dentro da precheca e ela derramou muito melzinho no meu pau, virei de costas sem desencaixar, meu pau não ficou duro muito tempo mais não saiu la de dentro, dormimos assim eu dentro de mayara e ela com a cabeça no meu peito, os lençóis estavam todos sujos do esperma meu e do Hugo e do melzinho das garotas, acordei no outro dia com mayara se mechendo em cima de mim, minha piroca tava dura dentro dela, perguntei onde estavam o outros, ela disse que estavam todos na piscina, continuei ali embaixo de mayara, ela ficou mexendo um tempão e depois pediu pra eu bombar na xana dela, fizemos o tradicional frango assado, a xereca dela ficava ainda mais carnuda naquela posição, achei linda a xaninha dela naquela posição, enfiei meu pau com vontade e fiquei bombando nela, enfiei nela por uma meia hora e mayara gozou primeiro que eu pois ela auxiliava com uma siririca, tirei meu pau de dentro e chupei o que deu de eu meladinho, mayara ficou ajoelhada e chupou minha piroca, chupou bastante, gozei na sua boca e lambuzei sua cara e seu cabelo, sentei-me um pouco e perguntei se ela estava com fome, ela respondeu que sim, fomos no banheiro e nos limpamos, fui pr cozinha e peguei alguns biscoitos e leite e levei pra ela na sala comemos e fomos pra piscina, valeria fodia com Hugo na piscina estavam fazendo um barulhao, kailane estava deitada de bruços na borda da piscina que ficava com água ate cobrir kailane, fui correndo e deitei em cima de kailane meu pau estava mole pois mayara acabara de me dar um canseira, deixei minha piroca no meio das nádegas dela e ficamos conversando, kailane disse que precisava muito falar comigo, disse a ela que podia falar, ela pediu pra eu não ficar chateado com o que ia contar, surpreendentemente kailane me disse que havia contado pra nossa mãe que nós dói transávamos um com outro e que tinha sido eu que havia tirado a virgindade dela, contou tb que meu primos vinham pra ca e que nós teríamos uma semana de sexo e que eu tb já havia tirado o cabaço da mayara com o consentimento de ti Fernanda , kailane disse que mamãe reagiu positivamente quanto a isso que nos levaria ao medico para termo uma vida sexual saudável e que achava que era melhor transarmos um com o outro do que com qualquer desconhecido, quanto a mayara mamãe disse que se a mãe dela havia concordado com isso ela de forma nenhuma iria proibir mas que falaria com tia Fernanda para levar mayara tb ao medico para não corremos o risco de transmitirmos alguma doença para o outro, afinal nunca se sabe e mesmo que isso era quase impossível podia acontecer, fiquei muito feliz com tudo que kailane me contou e aquilo me fez ficar excitado, meu pau deu uma enorme crescida entre as nádegas de kailane ela, propositalmente deu uma apertada nas nádegas e comprimiu meu pau la dentro, depois me propôs uma coisa um tanto bizarra disse que era pra eu ficar ali fazendo vai e vem sem colocar dentro ate gozar, achei estranho mas fiz como ela pediu, fiquei ali esfregando minha piroca no rego de kailane, kailane começou a gritar muito e vi que ela tb tocava uma siririca e estava pra gozar vi seu meu saindo na água, achei aquilo super excitante e acelerei meu ritmo esfolei o reguinho e minha mana e gozei muito, kailane se levantou e chupou meu cacete chupou bastante ate deixar ele limpinho Hugo já tinha gozado em valeria já há algum tempo e foi pra cima de mayara, disse a ela que queria dar a trepada de bom dia, Hugo levou mayara ate a mesa que tinha do lado de fora debruçou ela em cima da mesa e ficou olhando aquela intercessão entre o cuzinho e a xerequinha dela Hugo segurou seu pau e colocou na entradinha da precheca de mayara e empurrou tudo de uma so vez, kailane disse que iria preparar algum lanche para nós pq hoje não tava afim de cozinhar, chamei valeria pra beira da piscina ela veio e coloquei-a sentada no meu colo sem penetra-la ficamos conversando, perguntei para ela se ela tinha gostado de eu ter tirado a virgindade dela, ela respondeu que adorou e o único problema e que meu pau e muito grande e grosso e tinha deixado ela meio ardida, sorrimos um pouco e ela falou eh priminho vc e um jumentinho essa sua piroca daria prazer ate pra uma égua, fiquei um pouco vermelho ai ela perguntou e vc gostou da minha xaninha o que achou dela? Respondi que tinha gostado muito e que achava que era tendência genética mas toda as mocas da nossa família que eu tinha comido tinham a xaninha muito carnuda, disse a ela tb que a xaninha dela e muito bonitinha e eu não sabia como uma xerequinha daquele tamaninho poderia dar tanto prazer ela sorriu e agradeceu o elogio, virei e disse olha como seu irmão fode como e fosse um cachorrinho na cadelinha no cio, ela ficou olhando e perguntei e ela tb queria fuder um pouco, ela falou que tava louca de tesão, olhei pra sua xoxotinha e vi que seu grelinho que era ressaltado estava durinho, peguei valeria no colo e coloquei ela em cima da mesa de sinuca de meu pai subi tb e dei um grande beijo na sua boca, perguntei pr ela de quem ela tinha puxado aqueles peitinhos pequenininhos pq todas nossas tias tinham peito grandoes inclusive minha mãe a dela e tia Fernanda mãe de mayara, ela disse que os peitinhos dela não eram muito grande devido a pratica de natação desde pequena e me perguntou e eu não gostava de peitinhos pequenos, respondi a ela que gostava muito dos dela e que apesar de pequenos eram muito durinhos e o que mais me chamavam atenção neles e que do biquinho pro resto quase não havia diferença de cor, ela gostou da minha resposta e abriu as pernas e me chamou pra subir em cima dela, do outro lado Hugo e mayara trepavam com vigor fazendo um frango assado que recomendei a Hugo que mayara ficava muito gostosa naquela posição , voltei-me pr valeria e comecei a esfregar meu pau na sua fenda, minha glande ia de encontro ao seu clitóris e valeria tva ficndo doida de tesão, começou a gritar come Renato come a rachinha da sua prima come essa xana que vc tirou o cabaço, enfiei com gosto naquela racha fudi com forca valeria gozou, tirei meu pau de su xereca e coloquei na sua boca gozei la dentro valeria chupou meu leitinho, dei um selinho na sua boca e sai com o pau pingando, chegeui próximo de mayara Hugo estocava sua xota em pe , cheguei por trás e pedi pra foder seu cuzinho, mnayara segurou minha piroca e die come priminho o que e meu e seu tb pega essa bundinha e faz o que quiser, abri sua bundinh e pedi pra Hugo suspender ela um pouco, Hugo enterrou sua piroca em mayara e a suspendeu encaixei meu pênis e falei pra Hugo deixa ela descer mayara desceu rasgando no meu pau , e Hugo e eu ficamos ali metendo no mesmo ritmo, falei com ele para controlarmos e gozarmos os três juntos, mayara disse estar louca com dois paus dentro dela e não sabia nem aonde ela sentia mais o pau entrando enfiei meu pau la dentro e deixei quieto disse que ia gozar Hugo aumentou a forca e em pouco tempo estávamos os três em ponto de bala voltei a estocar o cuzinho de mayara e gozamos os três mayara tinha esperma por todos os lados estava toda melada Hugo tirou seu pênis e deitei no chão com mayara ainda em cima de minha vara e fiquei ali ofegando e apertando os peitos dela que eram grandes e macios, disse pra ela que eu queria uma espanhola e que eu nunca tinha ganhado uma porque os peitos de kailane ficavam doloridos quando tentávamos, kailane nos chamou pra comer um cachorro quente que ela tinha feito, fomos comer nos sentamos e comíamos, de repente mayara sentou-se na beirada da mesa depois deitou-se e disse Renato vc num queria uma espanhola, vem ca então aposto que as meninas e o Hugo vão gostar da atração enquanto comem, subi em cima da mesa posicionei-me em cima de mayara e coloquei minha piroca no meio daqueles peitoes, mayara apertou meu pau contra aqueles peitoes e enquanto mexia com as suas tetas dava uma lambidinha na minha glande aquilo me deixava louco, mayara começou a fazer seus movimentos com maior ferocidade, de repente veio um um jorro enorme e meu esperma espirrou ate em kailane que estava de frente pra mim os peitos de mayara ficaram cheios de esperma e valeria veio e chupou tudo aquilo era realmente alucinante, nos levantamos e fui pro quarto de meus pais, fiquei ali na sacada durante algum tempo pensando como tava bom aquela semana, valeria foi me chamar pra voltarmos para piscina pra brincarmos um pouco, agarrei minha priminha pela cintura descemos as escadas e fomos para piscina, as meninas queriam brincar de briga de galo, kailane subiu no ombro de Hugo e valeria subiu no meu, aquela xerequinha na minha nuca me deixava doido e apesar de estarmos na água pouco tempo que valeria ficou fora dela e sua xaninha já estava quentinha, cada vez que ela se mexia eu sentia aqueles beicinhos abraçarem minha nuca, a bundona de valeria estava me deixando um tanto excitado, e eu gostava que ela ficasse ali me alisando com suas partes intimas, começamos a brincar e cada vez que Hugo chegava mais perto kailane abaixava-se e acertava seus peitoes na minha cara, aquilo era muito bom valeria derrubou kailane e desceu das minhas costas esfregando aquela precheca em mim ai não agüentei peguei valeria no colo e disse eu sei o que vc ta querendo e agora vou te dar, debrucei-a na mesa e pedi que ela colocasse a perna em cima do banquinho, valeria prontamente assim o fez, tive a visão daquela sua maravilhosa bunda e de sua precheca gordinha em baixo aquilo era lindo, cheguei bem perto e comecei a alisar a xereca dela, a medida que ia ficando molhada eu ia passando seu liquido em seu cuzinho, vi que apesar de estar muito bom o liquido de valeria não seria suficiente pra evitar o atrito do meu pau com o reguinho dela, pedi pra kailane que me trouxesse leite condensado, minha maninha entendeu tudo e me trouxe a lata aberta, despejei um pouco naqu
                                


Ficha do Conto

Escritor:
Garanhão da tia

Nome do conto:
Minha familia e tarada

Codigo do conto:
3428

Categoria:
Incesto

Data do Envio:
20/11/2004

Quant.de Votos:
1

Quant.de Fotos:
0

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us



Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
3365 Tia Samantha um sonho de mulher Incesto 0
3375 Como foi bom com minha irma Incesto 2
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA