Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Blog Erótico   Entrar em contato  
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato
   Ajuda (Duvidas)

SITES PARCEIROS
   Blog Erótico
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





Minha enteada e eu.


Eu me chamo Fernanda tenho 25 anos, 1,65m, 50Kg, olhos e cabelos pretos, seios médios (44) macios e deliciosos, uma bunda redondinha e durinha, e sou uma japonesinha muito faminta por outras mulheres, me relaciono com uma outra mulher viúva chamada Denise que tem 35 anos, 1,70m, 58Kg, cabelos loiros e olhos verdes, uns seios deliciosos médios, e uma bunda deliciosa, estamos vivendo juntas há cinco anos, ela tem uma filha de 15 anos, uma princesinha, que puxou a mãe, que se chama Priscila, 1,65m, 50Kg, cabelos loiros, olhos azuis que puxou do pai, eu conheci Denise em seu consultório de ortopedia, eu trabalho com programas de informática, eu estava com dores no meu ombro, na época ela já era viúva tinha perdido o marido num acidente de carro, na época eu já era lésbica, e estava solteira, voltando a minha historia, fui consultar a Dra. Denise para ver o meu ombro que doía, ai ela me pediu pra tirar a minha camisa eu tirei estava sentada na maca somente de sutiã e uma calça jeans apertadinha onde se podia notar a minha calcinha bem enfiadinha, ai quando ela me tocou no ombro eu gelei na hora, conversamos um pouco, ela me receitou um antiinflamatório, e fui embora, mas antes disso ela me deu seu telefone caso o remédio não dera efeito. Eu liguei pra ela, e ela resolveu vim me visitar, pois, descobrimos que morávamos perto uma da outra, ela chegou na hora marcada e ficamos amigas logo e conversando bastante, ela me disse que depois da morte de seu marido nunca tinha se interessado por mais ninguém, depois da morte de seu marido que fazia uns cinco anos, ai ela viu na porta retrato meu, eu e minha ex-namorada se beijando, ai ela me perguntou se eu era lésbica? Eu respondi que sim, ai para minha surpresa ela me disse que não tinha nenhum tipo de preconceito, me confidenciou, que no momento em que me viu não conseguia mais tirar da cabeça, e quando me viu de sutiã se segurou para não chupa-los. Eu fique surpresa ai nos aproximamos uma da outra, trocamos olhares e nos beijamos loucamente, ela começou a acariciar os meu seios eu a xoxota dela, começamos a tirar a roupa uma da outra, ela não sabia como transar com outra mulher, eu a ensinei ela. Chupei sua xoxota deliciosa ate ela gozar que mel delicioso do dela, ai eu fui chupar os seus seios que delicias mamá-los, ai ela me chupou a minha xoxota até eu gozar varias vezes, ela adorou mamar em mim. Depois fizemos um 69, voltamos a nos beija, ela me disse que eu fui muito bom e me disse que foi a sua melhor transas de todos os tempos, e que seu falecido marido nem chegaria aos meus pés e nos vestimos de volta pois ela me disse que tinha que ir pegar sua filha que na época tinha 10 anos do colégio. Depois disso resolvemos morar juntas. A sua filha aprovou a idéia pra nossa surpresa. A minha historia com a Priscila começa quando ela tinha 13 anos, ate então eu e a Denise estávamos juntas há 3 anos e vivíamos muito felizes, eu sempre respeitei a Priscila, pois ela me chamava de tia Nanda, ela adorava me abraçar, sentar no meu colo, mas eu nunca tinha tido segundas intenções, sempre a abracei com respeito, mas um dia eu comecei a sentir uma forte atração por ela. As vezes espiava ela tomando banho e me masturbava só de ver aquele corpinho maravilhoso com uma bundinha empinadinha bem lisinha, um par de seios apesar de sua pouca idade já estava bem definidos como o da mãe e uma bucetinha que aparentava ser bem apertadinha e com uns pelinhos bem ralinhos, quando à noite ela usava um sensual baby-doll rosa, com o shortinho super curto um decote onde pude notar a beleza de seus seios, eu sempre vi minha enteada como realmente deve ser, sempre a achei linda, mas nunca me passou pela cabeça olhá-la como mulher, eu comecei a sentir algo muito estranho pela minha enteada, no começo pensei se tratar apenas de coincidência, mas com o passar do tempo fui percebendo que não era. Uma noite eu me levantei muito tarde da noite e me dirigi a cozinha para tomar um copo de água, quando já retornava ao quarto ouvi passos na escada e a vi descendo os degraus, usava uma camisola muito curta e transparente e uma minúscula calcinha, sem sutiã eu pude ver a beleza dos seios ainda em formação, podia ver os biquinhos pontudos com uma linda aureola cor de rosa, Oi titia também vim tomar água, e se aproximando me deu um abraço, neste gesto procurou colar seu corpo ao meu. Sai dali rapidamente e nesta noite não consegui mais dormir, minha enteada estava realmente me perturbando, um dia a Denise nos disse que ia fazer um curso em São Paulo, e que ia ficar fora uma semana. Ela ia numa sexta a noite eu fui levar a Denise na rodoviária, ela se despediu da filha pois ela disse que tava cansada que ia tomar banho e ai pra cama, eu levei ela pra rodoviária, nos despedimos com um abraço. Eu voltei para o nosso apartamento, eu entrei vi que a teve estava, ligada, pra minha surpresa a Priscila tava acordada, então ela pediu para dormir comigo, dizia que não queria que eu me sentisse só. Então ela veio com seu lindo baby-doll, se deitou e me abraçou, então eu não consegui dormir, de madrugada eu acordei e a vi dormindo ao meu lado sem a blusa, eu me encostei por traz e a abracei, pude sentir seus maravilhosos peitinhos, logo eu comecei a beijá-la, então resolvi tirar a minha camisola e a calcinha e fiquei completamente nua, Eu comecei a tirar seu shortinho, quando tirei pude abraçar minha enteada completamente nua, sua bunda era macia como um pêssego, seu corpo era quente, sua bucetinha super macia e cheirosa. Eu comecei a chupar seus peitinhos, sua barriguinha e sua bucetinha, quando eu notei que ela estava alisando, a minha xoxota, e começou a chupá-la, ela se deitou e me puxou para cima dela e nos beijamos muito. Comecei a beijar e chupar todo seu corpinho que gemia de puro tesão, então eu chupei toda sua xoxotinha até seu gozo e notei que tinha uma virgem em minha cama. Mudamos de posição fizemos um 69 onde ela me levou ao meu orgasmo tão desejado. Minha tara fez que eu fosse ao meu guarda roupas e vesti-se meu consolo (19x4,5cm) que eu uso em minhas transas com sua mãe. Ela ao ver aquilo preso em minha cintura ficou assustada, mas meus carinhos a deixaram mais à vontade (na hora H o tesão faz milagres). Chupando seus seios, ajeitei o falo na entrada de sua grutinha e comecei a pincelá-la até ela ficar bem molhadinha. Desferi um golpe firme e certeiro, o consolo entrou até fácil e o sangue escoria manchando o lençol. Eu a beijava e enfiava em cima dela. Ela gemia e me abraçava com força e me pedia pra não parar. Comi ela toda à noite. No dia seguinte me e fui tomar banho, quando eu estava toda ensaboada eu senti algo, quando eu vi era a Priscila, nua me perguntando se podia tomar banho também. Eu apenas sorri e perguntei se ela tinha dormido bem. Então começamos a nos ensaboar, eu ensaboava os seus peitinhos e sua bucetinha e ela a minha xoxota e meus seios, quando comecei ensaboa sua bundinha ela se empinou toda e não agüentei fui chupando ela toda, Até aí tudo bem, mas quando saímos, então ajudei a se enxugar. Ela começou a passar a toalha felpuda pelo meu corpo. Foi mais instintivo que intencional. Quando ela estava passando pelos meus seios (são minha parte mais sensível) não pude evitar sentir tesão. Mas o mais incrível foi que parecia transmissão de pensamento (ou de sentimento), ela também ficou excitada. Ela largou a toalha e começou a apertar meus mamilos. Encaixamos nossos corpos de forma que as pernas se entrelaçavam, e ela começou a passar a mão pelo meu corpo. Nossas bocas foram se encostando até deflorar um beijo de língua delicioso. Era uma sensação tão maravilhosa, sua mão era tão carinhosa, tão macia, sua boca tão doce. Quando ela se aproximou da minha xoxota eu me contorci toda. Ela começou a me masturbar e sussurrou-me para chupar seus seios. Aproximei-me de seu peitinho e comecei a mamá-la. Com uma mão ela me masturbava, com a outra mexia no seu próprio grelo. O tesão foi aumentando de uma maneira incontrolável, e, então, ela deitou-se por cima de mim e começou a me beijar e sussurrar baixinho. Deixa-me chupar sua bucetinha, por favor... Ela virou-se de cabeça para baixo e começou a me chupar. Que delícia ser chupada daquele jeito! Então senti aquela bucetinha deliciosa na minha cara e não fiz outra coisa senão chupá-la também. Ficamos nesta loucura por mais ou menos uma hora, de noite fomos assistir tv, eu estava de camisa quase transparente sem sutiã e uma minúscula calcinha e Priscila de shortinho e top, uma delicia, eu passava a mão em todo o corpo da minha gostosa filha e ela como uma gatinha no ciu se esfregava toda em mim, pegava nos meus seios e xana, adivinhem onde isso foi dar, fomos p/ o quarto, minha enteada tirou seu pequeno shortinho e seu top deixando seu corpo escultural a mostra apesar de ficarmos bem mais juntinhas, ainda tínhamos quase uma semana sem “minha esposa” e aproveitamos o máximo uma da outra transávamos no sofá da sala, na mesa de jantar, na mesa da cozinha, no banheiro, na cômoda, na cama minha e de sua mãe, em praticamente em todos os cômodos do apartamento possíveis e impossíveis de se imaginar. Depois da Denise cada uma foi para o seu lado como não estivesse acontecendo nada. “Minha esposa” nem notou. Atualmente transamos todo dia, ela é a minha amante que me faz muito feliz. Por isso digo tenho a melhor enteada do mundo.


Ficha do Conto

Escritor:
feraiko

Nome do conto:
Minha enteada e eu.

Codigo do conto:
3491

Categoria:
Lésbicas

Data do Envio:
28/11/2004

Quant.de Votos:
2

Quant.de Fotos:
0

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us



Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
3586 Enquanto minha enteada dormia. Lésbicas 2
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA