Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Blog Erótico   Entrar em contato  
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato
   Ajuda (Duvidas)

SITES PARCEIROS
   Blog Erótico
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





A amiga da minha mãe


        Minha mãe tem uma amiga de infância chamada Nádia. Nádia era tão amiga da família que eu sempre a chamei de tia Nádia. Ela era lésbica assumida. Era muito comum pra mim desde criança vê-la com mulheres. Mas só depois de quando virei adolescente eu me dei conta de que ela era lésbica. Tia Nádia é uma mulher linda. Ela tem 41 anos aparenta ter 34/35 anos. Eu a adoro. E claro, éramos muito amigas.

        Quando virei adolescente e me descobri sexualmente, percebi que sentia atração por homens e também por mulheres. E isso gerou uma confusão na minha casa. Minha mãe não entendia muito bem a ideia de ter uma filha bissexual. Ela dizia que eu era indecisa e coisa e tal. Certo dia, tia Nádia chegou à minha casa no meio de uma discussão entre mim e minha mãe. Nesse dia minha mãe descobriu que eu tinha uma namorada e um namorado. Ela não aceitava isso.

Tia Nádia entrou em minha casa e pediu explicações sobre o que estava acontecendo. Minha mãe contou tudo a ela. Achei aquilo ridículo. Como minha mãe podia contar minhas coisas para uma mulher que nem minha tia de verdade era? Saí de casa correndo e chorando de raiva. Fui sentar num cantinho da varanda bem afastada de todos. Logo após uns 10/15 minutos, tia Nádia chegou e sentou-se ao meu lado para conversar.

-Como você está, moleca?
-Irritada.
-Vamos dar uma volta? Você esfria a cabeça, se distrai, que tal?

        Aceite o convite dela, subi pra me trocar, peguei minha bolsa e fomos. Pegamos o carro e fomos à cidade vizinha. Onde ela morava. Fomos ao cinema, comemos e tomamos umas cervejinhas, conversamos e rimos muito. Ela sabia como fazer me sentir bem. Quando fomos perceber já era tarde pra ela me levar em casa e votar.

-Fique na minha casa por essa noite, Jully.
-Mas eu não trouxe nada. E além do mais, preciso avisar em casa.
-Não tem problema, amor. Eu ligo pra sua mãe e aviso. E, vai ser bom para você. Sem brigas, sem estresse... O que acha?
-Bom, pensando por esse lado... Aceito, claro.

Dirigimo-nos a casa dela. Fazia alguns meses que eu não ia à casa dela. Ela tinha reformado aquele espaço. Estava incrível. Ela me mostrou o quarto no qual eu ficaria e foi telefonar pra minha mãe. O quarto onde eu me instalei era enorme. Resolvi tomar um banho quente. Ouvi tia Nádia me chamando pela casa. Gritei para que ela ouvisse que eu estava no banho. Ela entrou no quarto e dirigiu-se ao banheiro onde eu tomava banho. O Box era de vidro transparente. Logo que ela entrou pude perceber que os olhos dela percorreram meu corpo.

-Avisei a sua mãe, linda. Disse que amanhã devolvo você. E trouxe toalhas e um roupão.
-Obrigada, tiazinha querida. – Disse eu rindo.
-Te espero na sala, sua boba.

Saí do banho revigorada. Todo o estresse do dia tinha ido embora. Enfiei-me dentro do roupão e fui para sala. Não encontrei tia Nádia. Fui ao quarto dela e a encontrei saindo do banho. Ela estava se secando. Que mulher! Ela tinha um corpo maravilho. Seios pequenos. Devem caber inteiros em minha boca, pensei. Coxas grossas. E uma xaninha lisinha. Ela percebeu que eu fiquei paralisada ao ver aquela cena. Era veio em minha direção, abrindo meu roupão e colocando uma mão por dentro até alcançar meu seio direito, perguntou: “O que houve? Está nervosa?” Não consegui responde-la. Com essa mão que estava no peito ela me envolveu num meio abraço.

Minha respiração falhava. Estava ficando louca? Aquilo estava mesmo acontecendo? Não pensei duas vezes e com a mão esquerda passei em torno de seu pescoço e a puxei num beijo. O beijo dela era quente, suave. Nossas línguas se encontravam, parecia dar nó. Era maravilhoso. Ela puxou-me e encostou-me na parede. Jogou a toalha que estava em sua mão no chão e foi abrindo meu roupão enquanto me beijava. Tirou o roupão de mim lentamente. Eu a agarrava pelo pescoço já com as duas mãos. Com meu corpo quente, a parede gelada e aquele beijo, meu corpo arrepiava. Os biquinhos dos meus seios se faziam mais duros que pedrinhas.

-Relaxa, Jully. Não farei nada que você não quiser. Podemos até parar aqui.
-Eu quero tudo que você possa me oferecer. Me agarre. Me beije!
-Ei, calma. Respira. Vou te mostrar como uma mulher ama outra mulher.

Ela deslizava as mãos pelo meu corpo. Eu me arrepiava cada vez mais. Ela me deixava com mais tesão a cada segundo. Separamos nossas bocas. Ela desceu da minha boca para meu pescoço. Do meu pescoço para meus seios. Os chupava, apertava. Ela estava os sugando. Era uma delícia. Ela me levou até a cama e me colocou deitada. Tentei descer minhas mãos pelo corpo dela. Ela segurou minhas duas mãos no alto de minha cabeça.

-Não me toque. Não agora. Quero você todinha como passiva agora.

Eu ri e concordei. Ela me soltou, voltou a pegar nos meus seios e a pô-los na boca. Foi percorrendo toda a extensão do meu corpo com a boca. Beija, lambia, acariciava. Eu de olhos fechados sentia aquilo tudo. Era perfeito o toque de sua boca e mãos. Ela desceu beijando minha perna. Subiu desviando de minha xoxota e repetiu o ritual com a outra perna. Subiu lentamente beijando a parte interna de minha perna até chegar à minha virilha. Ainda sim desviou da minha xana e passou ao outro lado da virilha. Sentia minha bocetinha ficar encharcada.

-Para, tia. Não me maltrata. Me chupa, vai. Acaba com essa tortura.

Ela riu do meu desespero de menina. Eu estava atônita. Ansiosa para sentir o toque de sua língua. Ela mandou que eu abrisse minhas pernas e mantivesse os pés apoiados na cama. Ela logo se pôs entre minhas pernas e começou a chupar minha xereca. Como era bom o toque da língua quente dela em mim. Dava linguadinhas no meu grelo, descia até a entrada da vagina, lambia mais e descia até a extensão do meu cuzinho. Chupava, lambia, sugava. Mordia meu grelinho de levinho. Eu gemia. Ela se satisfazia do meu melzinho. Parou de me chupar, deitou na cama e ordenou que eu sentasse na cara dela. Assim o fiz. CARALHO! Era uma maravilha. Ela metia a língua dentro de minha xana. Chupava meu grelo e os pequenos lábios. Que delícia. E ainda batia na minha bunda. Eu gemia alto. E puuxa o cabelo ela.

-Ahhhhh, tia! Tá gostoso. Hmm, chupa tudinho. Mama meu grelinho. Uhhhh, Ahhhh...
-Gostosa! É bom, não é, safada?!
-Aham! Não para. Me chupa!

Eu respirava de forma ofegante. Depois de algum tempo, comecei a sentir umas contrações no meu ventre. Era meu orgasmo chegando. Mas não era um orgasmo qualquer. Tive orgasmos múltiplos. Aquela boca tinha feito maravilhas na minha xota. Saí de cima dela. Deitei na cama procurando ao máximo de ar que eu pudesse para recuperar meu fôlego. Ela veio por cima de mim me beijando na boca com vontade. Desceu sua mão pela minha barriga descendo até minha xota. Abri minhas pernas e começou a me dedar. Colocou dois dedos em mim e ficou fazendo movimento de vaivém.

-Ahhh, porra! Que gostoso. Mete fundo, tia. Ahhh! – Eu gemia mais e mais.
-Te acalma, Jully. Geme pra mim, MINHA gostosa. – Pude perceber quando ela frisou a palavra “minha”. Tá bom, é?
-Tá! – Mal conseguia falar – Continue, tia, Mete mais um dedo em mim. Por favor. Me fode.

Tia Nádia meteu o terceiro dedo na minha bocetinha. Ele metia com pressão. Era uma delícia. Senti-a deslizar pela cama. Ela se posicionou entre minhas pernas e voltou a sugar meu grelo. Ela me chupava e metia em mim. Meu pai do céu! O que ela estava fazendo? Estava acabando comigo. Essa mulher é um tesão na cama.

Senti outro orgasmo vir. Gozei em seus dedos. Ela os chupou e ou recolocou em minha xoxota. E continuava a meter, só que num ritmo mais calmo, mais lento. Até ela retirar por completo. Essa mulher acabou comigo. Mostrou-me como uma mulher fode uma novinha. Como terei forças para dar prazer a essa mulher, meu pai? Pensava a todo o momento. Ela que parecia ter lido minha mente.

-Descanse, meu amor. Você não vai me comer por hoje.
-Você não quer?
-Só queria mostrar como dar prazer a uma mulher. Hoje você foi minha mulher. Minha passiva.
-Não! Hoje eu me tornei sua mulher.

Ela deu um sorriso encantador, e assentiu com a cabeça. E assim aconteceu. Dormimos juntas naquela noite. De conchinha. Ela me amou de uma forma tão incrível. Realmente depois da tia Nádia, me tornei mulher. Hoje mantemos um caso que já dura há dois anos e meio.

Leiam, comentem e votem.

Foto Perfil JullyNovinha

Ficha do Conto

Escritor:
jujubarj

Nome do conto:
A amiga da minha mãe

Codigo do conto:
36080

Categoria:
Lésbicas

Data do Envio:
29/09/2013

Quant.de Votos:
56

Quant.de Fotos:
3

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us
Foto 1 do Conto erotico: A amiga da minha mãe

Foto 2 do Conto erotico: A amiga da minha mãe

Foto 3 do Conto erotico: A amiga da minha mãe




Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Ultimos Comentários
Comentado por: Pueteiro em: 26/05/2014
Delícia, quando for usar pênis de silicone, eu empresto o meu de nervo, ponham fotos amadoras, Deus abençoe
Comentado por: Madmax69 em: 03/04/2014
Ju, que delicia de narrativa, me vez viajar num universo de erotismo, desejo, tesao, carinho e entrega. Composição que faz o prazer explodir de voto e alma. Parabéns.
Comentado por: luis80alves em: 23/02/2014
Adorei, deu-me bastante tesão...
Comentado por: Mulatacarente em: 15/12/2013
Amei....
Comentado por: castrolook em: 14/12/2013
resultado da leitura: pau duro e todo melado,punheta para aliviar...... conto gostoosssooo, amo lisbi,,,,,
Comentado por: gatomg em: 12/12/2013
que delicia
Comentado por: big dog cwb em: 11/12/2013
Delicia seu conto. Votado.
Comentado por: giuser em: 06/12/2013
Como faz para conhecer a Titia. BJS.
Comentado por: phayskabhz em: 05/12/2013
Olá que delicia ler seu conto tive a impressão que você esta perto mim comentando como foi a transa de duas mulheres, adorei tanto que estou aqui colocando meus créditos e desejando a você parabéns, quem quer corre atras e pude ver isto em você, beijossssssssssssss
Comentado por: AC_DC em: 09/11/2013
Muito escrito, gostei das fotos
Comentado por: Dara15 em: 06/10/2013
Eu quase namorei um Nadia uma vez. Conversamos muito pela internet. Mas nao chegamos a nos conhercer. Era a minha Suzinha. Pois se chamava Nadia Suzy, morava no Meier. Me chamava de Piveta. Sinto mto falta de conversar com ela.
Comentado por: SEXY50TAO em: 04/10/2013
Parabens pela historia contada, muito excitante com detalhes de caricias muito amor-carinho que me deixou com a tezao àflor da pele.Quero uma tia euma sobrinha assim. votado com tezão
Comentado por: Hud20cm em: 03/10/2013
caraka q tesão foi esse conto. meu pau fivou babando enquanto eu lia. q gostoso,mto bom
Comentado por: davidcleber em: 01/10/2013
Muito bom o seu conto votei parabéns
Comentado por: Lobo50 em: 01/10/2013
Oi ju; Menina q conto gostoso, adorei. Tá votado! Essa morena é vc? Bjos linda!
Comentado por: rickoliveiracb em: 01/10/2013
Nossa, simplesmente maravilhoso! se pudesse votava MUITAS vezes!
Comentado por: gatoreno em: 01/10/2013
q delícia de conto linda excitante demais vc parece bem gostosa adoro duas mulheres se amando muito bom bjs em vc todinha

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
29469 Sendo puta no Réveillon Heterosexual 28
29470 Trepando com o namorado Heterosexual 6
29475 Fodida por 2 Heterosexual 26
29476 Dando pro pai da minha amiga! Heterosexual 33
29477 Eu e minha namorada! Lésbicas 19
29485 Mijando no meu namorado Fetiches 20
32240 Vovô deu leitinho pra netinha Incesto 59
32292 Meu amigo negão comeu meu cuzinho Interrraciais 23
35004 Sou a putinha do meu titio Incesto 45
39411 Vovô comeu o cuzinho da netinha Incesto 62
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA