Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Blog Erótico   Entrar em contato  
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato
   Ajuda (Duvidas)

SITES PARCEIROS
   Blog Erótico
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





Troca de papeis



Meu nome e Alberto e sou casado ha 5 anos. Minha mulher Fabiola e 12 anos mais nova e tem agora 25 anos. Quando nos conhecemos ela era meio bobinha, apesar de nao ser mais virgem, e acabamos que transavamos muito e ela me obedecia sempre: inclusive sempre me pergunttava onde eu queria gozar.



Ela me flagrou duas vezes com outra mulher e chorava muito, indefesa. Eu sempre a consolava, ficava com remorsos e dizia que nao faria de novo.

Tudo comecou a mudar ha uns tres anos, quando ela comecou a brigar comigo. Passou a querer me controlar e fazia greve de trepar, quando as coisas nao andavam do jeito que ela queria.

Acabei entrando na pilha dela e comecei a ficar fiel. Ela se mostrava mais firme e comecou a ficar autoritaria. Descobriu como usar roupas, ligeries, sandalias de salto para me seduzir e passou a me dominar. Brincava que ela parecia minha patroa e transavamos bastante assim.

Um dia numa briga caseira ela me bateu na cara e ameaçou ir embora. Fiquei fora de mim e me entreguei a suas vontades. Ela ficava cada vez mais dona da situação.

Ela era professora e lecionava a tarde: saia por volta das cinco da tarde da escola. Um dia ela me deixou nervoso e so chegou em casa as nove da noite. Puto, fui brigar com ela e ela me falou que teve de ficar porque os pais de uma crianca nao foram busca-la.

A coisa se repetiu mais duas vezes e percebi que sempre se dava numa terca feira. Como nesse dia ela ia a escola com nosso carro, pedi um carro de uma amigo e fui para a porta da escola na terça seguinte.

Não deu outra. Ela saiu as cinco, mas foi para uma esquina perto de um shopping. Um rapaz entrou no carro e eles foram para um motel. Nada mais pude fazer; devolvi o carro e fui pra casa espera-la..

Ela so chegou depois das nove; a interpelei e ela com aquela historia da crianca na escola. Fiquei puto e falei que a segui, que sabia onde ela estava.

Ela correu para o quarto e se trancou. Estava puto e tentei ate arrombar a porta. Ela me mandou esperar que ja iria abrir a porta. Depois de uns 20 minutos ela abriu e me mandou entrar.

Entrei; ela estava com um shortinho curto e apertado de napa azul, a calcinha marcava seu lindo bumbum, de sandalias de tranças pela perna, um top branco e tinha um chicote na mão.
Falei que essas brincadeiras tinham acabado, que ela tinha feito algo muito grave, mas vendo-a daquele jeito ja falei meio que gaguejando.

Ela me bateu e mandou me sentar na cama. Sentei protestando, que ela tinha me corneado e teria que pagar por isso, e tal. Mas aquela visão dela em pe na minha frente me deixou louco.

Fui perdendo a resistencia ela então me falou: corninho voce ja era ha algum tempo, agora nos vamos continuar juntos e voce, que ja estava sendo um marido obediente, agora será tambem mansinho.

Não aguentei mais e cai em cima chupando, beijando e pronto pra fude-la bastante. Na minha loucura falei que então agora seriamos livres, se era isso que ela queria, ela me bateu de novo e me falou, que o ciume dela não permitiria isso. Eu teria de ser corno manso e fiel a ela. Ela continuaria a me vigiar.

Falou que, para eu não descobrir sempre transava com o amante de camisinha. Mas o cara era tambem casado, e so podia sair as terças. Ela me enrolaria para sair com ele no dia que quisesse. Mas eu deveria me acostumar, pois agora que era manso, o cara iria gozar nela e ela queria muito ser chupada por mim com a porra do amante ainda quente.

Isso acabou acontecendo na terça seguinte. Ela chegou, falou que o cara gozara duas vezes, uma na xaninha e outra ela engoliu. Me beijou com muita vontade e depois me mandou chupa-la. Ela usava uma calcinha vermelha deliciosa, curtissima e cavada. Cheguei perto e senti cheiro de porra.

Vi que estava molhada. Quis desistir e me afastar. Ela pegou minha nuca e puxou minha cabeça; fiquei atolado naquela calcinha. Acabei começando a lamber; ela falou limpa tudinho, primeiro a calcinha, lambe minhas coxas, olha ta escorrendo. depois ela tirou a calcinha e mandou eu continuar lambendo. Depois me deitou, sentou na minha cara e mandou chupar: ai é que desceu bastante porra.

E ela dizia, chupa gostoso a porra do Ciro, chupa meu corninho. Transamos muito depois.

Ela continua se encontrando com o amante as terças, e nos transamos muito depois que ela chega.

Estou cada vez mais apaixonado.

Albeto Tourinho,



Ficha do Conto

Escritor:
Suzanna

Nome do conto:
Troca de papeis

Codigo do conto:
4476

Categoria:
Traição/Corno

Data do Envio:
15/04/2005

Quant.de Votos:
2

Quant.de Fotos:
0

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us



Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
4625 Como me tornei uma Bichinha Travesti 3
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA