Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Blog Erótico   Entrar em contato  
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato
   Ajuda (Duvidas)

SITES PARCEIROS
   Blog Erótico
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web
   Videos Porno
   Porno Tube

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





Afilhada


Meu nome e Gabriel e tenho 38 anos e vivo em Manaus. Tudo comecou com a uns dois anos quando comecei a notar a minha afilhada. Ela tinha 13 anos naquela altura e estava se tornando num aviao. Como eu sou casado sempre tenho cuidado com relacao a me colocar sozinho com outra pessoa em situacoes constrangedoras. Ela sempre gostou de mim e como vivemos no mesmo bairro sempre passa aqui em casa para nos visitar. De vez em quando ela pede para eu a treinar jogando bola. Ela ja joga com a garotada do bairro desde os 4 ou 5 anos de idade e e muito jeitosa. Eu falo para ela passar aqui, convido o meu filho de 11 e vamos soar um pouquinho. A minha esposa nunca foi ciumenta, especialmente de uma menina de 15 anos. Bom, ela e o tipo de menina que adora abracar as pessoas, beija-las no rosto, etc. Sempre que ela vem aqui ela ja vai abracando, beijando todo mundo incluindo a minha esposa e os meus filhos. Eu sempre aproveito dar um abraco um pouquinho mais demorado, um beijinho mais molhado mas sempre com muito cuidado para evitar a minha esposa suspeitar o meu interesse pela Tatiana. Um desses dias a nossa amiga Tatiana aparece em casa sem chamar e pergunta se eu queria jogar bola. Eu falei que nao tinha ninguem em casa e que ela passasse mais tarde quando eles chegassem. Ela insistiu que mais tarde nao poderia e que gostaria de ir ja. Eu falei que estava lendo o jornal de Domingo e que estava muito quente para jogar naquela hora. Ela tanto insistiu que eu fui...Chegando la ( da para andar da minha casa) eu fiquei de goleiro e ela ficou tentando colocar a bola dentro. Como estavamos sozinhos comecamos a falar sobre os seu namorado. Ela falou que eles tinham terminado porque ele so queria transar com ela e ela queria mais do que isso. Eu falei que isso geralmente era normal nessa idade e que para ela ter um relacionamento mais romantico ela teria que encontrar uma pessoa mais velha onde o testosterona tenha passado da faze de adolescente. Ela concordou que havia um menino que ja estava no segundo ano de Engenharia que morava no nosso bairro que tinha mostrado um pouco de interesse nela. Infelizmente a mae dela nas estava deixando ela sair sozinha com ele por causa da diferenca de idade. Eu falei que se ela necessitar de ajuda eu e a minha esposa adorariamos ajudar com algum alibi.
Nessa altura ela tropecou e machucou o tornozelo. Eu ja estava super suado e falei que o melhor era voltarmos para casa e colocar algum gelo antes que comecasse a inchar. Como ela estava tendo dificuldade em colocar o peu no chao eu tive que carrega-la no colo. Depois de uns minutos fazendo isso eu sugeri leva-la nas minhas costas porque ela estava muito pesada. Ela e bem magrinha, mas a distancia ate a minha casa parecia dez vezes maior do que a ida e como ela estava toda suada e estava meio escorregadia e eu fiquei com medo de deixa-la cair de novo. Quando eu a coloquei nas minhas costas e senti a bucetinha e os seios dela na minha camisa eu comecei a ficar excitado. Por sorte quando eu chequei em casa o Joaozinho ja tinha voltado ao normal. Coloquei-a no sofa e fui pegar o gelo. Ela estava com um shortinho bastante folgado que dava para ver tudo quando eu fiquei no chao segurando a perna dela. Mudei de posicao varias vezes ate para pegar a melhor visao da calcinha que ela estava usando. Uns minutos depois eu comecei a massagear o tornozelo com a desculpa de que seria bom circular o sangue para evitar que escurecesse. Ela estava adorando e se voltou e me pediu para que eu massageasse as pernas porque estavam doendo um pouco. Como bom padrinho eu continuei. Parei bem longe a virilha para evitar que ela se excitasse e pulei para as costas. Como ela tem seios pequenos ela normalmente nao usa sutia. Levantei um pouco a camisa e comecei a massagear diretamente na pele. Ela ate o momento tinha estado caladinha mas comecou a falar que eu tinha maos de fada e que estava adorando a massagem. Eu perguntei se o ex-namorado tambem lhe dava massaagens e ela falou que ele nunca se tinha oferecido nem quando ela pediu. Ela pediu para eu continuar a subir ate os ombros porque estava adorando e se eu podia voltar mais tarde de novo para as pernas. Nessa altura eu comecei a pensar a que horas a minha esposa ia voltar e resolvia ligar-lhe para saber onde estava. Ela respondeu o celular e falou que ia ver um filme com a garotada e que eles deveriam chegar la pelas 6 da tarde. Isso significa que eu tinha 2 horas a mais de massagem. Ai perguntei que se o namorado tivesse lhe dado uma massagem aonde ela quereria essa massagem? Ela respondeu gostaria de ter uma massagem exatamente como a minha mas talvez um pouco mais sensual. Eu falei que ela me estava lembrando das massagens que eu geralmente dou a minha esposa a noite antes de dormir. Nessa altura ela pede que eu lhe de uma massagem similar porque ela queria experimentar. Eu falei que nao seria bom eu fazer isso porque ela e menor e que se alguem soubesse eu poderia ir parar na prisao. Ela falou que ela jamais falaria com ninguem e que seria o nosso segredo sagrado. Eu ja estava no ponto de nao poder me conter e murmurei alguma coisa sem sentido e continuei com a massagem nas pernas. Comecei a subir na direcao da virilha bem devagar so observando a cara dela deitada no sofa. Continuei a subir e nao estava a receber nenhuma reacao positiva ou negativa vindo dela a nao ser um que ela tremia um pouco com certos toques e a cara dela parecia estar contente apesar de ela estar com os olhos fechados. Perguntei se ela estava gostando e ela falou que estava OK!! Perguntei se ela estava ficando molhadinha ela falou que nao. Perguntei de novo que se ela estivesse molhadinha se ela admitiria e ela falou que nao ia responder...Continuei a subir na direcao daquela bunda deliciosa de ninfeta fazendo momentos circulares bem devagar, aproveitando o momento. Tenho que ir, continuo mais tarde se o povo mostra interesse me enviando um e-mail










Ficha do Conto

Escritor:
gabriel

Nome do conto:
Afilhada

Codigo do conto:
4522

Categoria:
Incesto

Data do Envio:
17/04/2005

Quant.de Votos:
1

Quant.de Fotos:
0

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us



Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA