Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Blog Erótico   Entrar em contato  
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato
   Ajuda (Duvidas)

SITES PARCEIROS
   Blog Erótico
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





Mãe com bunda grande- É nisso que dá!!!!


O presente relato é verídico, aconteceu e ainda está acontecendo na casa de meus pais. Bom, meu nome é Sérgio e tenho 30 anos, engenheiro, e moro sozinho num apartamento em Campinas. Saí da casa de meus pais há 5 anos, e desde então moro sozinho. Na casa de meus pais moram 4 pessoas. Meu pai, Arnaldo, 51 anos, um coroa muito bem cuidado pra sua idade e dono de uma oficina mecânica aqui em Campinas. Minha mãe, Lucinha, uma coroa de 48 anos e que desde eu estava na minha adolescência sempre tive uma maior tesão nela. Isso era algo que me deixava um pouco perturbado, pois embora ela fosse e ainda é uma mulher muito sexy, 1,63m,loira oxigenada, pernas grossas e uma bunda muito grande que sempre me deixou de pau duro, eu me culpava pelo fato de sentir tesão pela minha mãe. Tenho um irmão, o Arnaldinho, ou simplesmente Júnior, que tem 24 anos e não quer nada com o estudo, sendo reprovado em várias matérias da faculdade de Direito.Minha mãe vivia me telefonando pra desabafar, dizendo que o Júnior vivia chegando tarde em casa, tirava notas ruins na faculdade, etc.Ele é alto, 1,81m, moreno como meu pai e tem fama de comer as menininhas da faculdade e do bairro.Não tinha muita intimidade com ele, mas de vez em quando parávamos pra conversar. As meninas viviam ligando lá pra casa procurando ele e tanto meu pai, como minha mãe mexiam muito com ele por causa disso. Tenho uma irmã, a caçula de todos, que tem 15 anos, e seu nome é Sheila. A Sheila, embora tenha apenas 15 anos, aparenta já ter uns 19 anos por aí. Ela é branquinha como minha mãe, mas bronzeada, e tem cabelos castanhos claros e de corpo lembra muito a Sabrina Sato, pois é baixinha e assim como minha mãe tem uma bundona linda, do tipo redondinha e arrebitada. E com apenas 15 anos, pediu pros meus pais pra colocar silicone nos seios. Isso deu motivo para muita discussão, mas o fato é que ela conseguiu convencer meus pais e colocou o maldito silicone, ficando com apenas 15 anos de idade com um baita peitão. Meu pai ficava o dia inteiro trabalhando na oficina e meu irmão Júnior estudava durante a parte da manhã enquanto a Sheilinha durante a parte da tarde. Já minha mãe levava a vida de dona de casa dela. Embora fosse dona de casa, mamãe sempre gostou de cuidar de sua aparência. O irmão mais novo de minha mãe é professor de educação física, e desde que me entendo por gente, ele sempre pegava no pé de minha mãe pra ela se cuidar. Ele passou uma série de exercícios físicos pra ela, como caminhadas, abdominais, bicicleta ergométrica, etc. Mas minha mãe nunca freqüentou academia, só fazendo esses exercícios em casa mesmo, exceto a caminhada que ela fazia no nosso bairro. Embora ela esteja hoje com 48 anos, ela mantém um corpo ainda bastante tesudo. Eu comecei a reparar nela quando estava com 17 anos. Na época, o Júnior tinha 11 anos e a Sheilinha apenas dois. A rotina de minha mãe era acordar cedo, e fazer seus exercícios. A primeira coisa que fazia era a caminhada. Depois voltava pra casa e fazia os abdominais e pedalava na bicicleta ergométrica que tínhamos no quarto de meus pais. Meu irmão estudava na parte da manhã e saía bem cedo com meu pai que o deixava na escola, então eu ficava sozinho com ela até a hora de eu ir pro colégio. Nossa, estou tentando relatar pra vocês o drama que passei a sentir nessa época, pois o estado em que eu ficava era forma do normal com minha mãe gostosa daquele jeito em casa. Muitas vezes eu acordava cedo e quando escutava uma musiquinha, eu ia até o quarto de meus pais pra ver se ela estava na bicicleta, pois ela sempre colocava uma musiquinha baixinha, mas que do meu quarto eu conseguia escutar. Lá ia eu com o coração na boca olhar minha mãe. Colocava a cabeça de leva na porta semi aberta e via aquele bundão de frente pra mim. Nossa!!! Eu ficava alisando meu cacete por cima do short do pijama olhando aquele rabão. Nessa horas, ela sempre usava um shortinho azul de malha fina, e com as pedaladas, o maldito short ficava socadinho no rego, marcando bem aquela bundona.Ela nunca me pegou, pois eu era sempre muito atento e quando ela parava de pedalar eu saía de fininho pro meu quarto. Essa foi a minha rotina diária durante quase 3 anos. Mas meu tesão triplicou quando minha mãe convenceu meu pai a construir uma piscina nos fundos da casa. Meu pai relutou, relutou mas acabou construindo uma piscina de 15000 litros, que mais parecia um tanque, pois não ficava na altura do chão. Depois que a piscina ficou pronta, lembro que acordei numa manhã bem ensolarada e fui até o quarto de minha mãe como sempre fazia, mas chegando lá, ela não estava. Desci as escadas, e fui até a cozinha. Estava preparando minha vitamina matinal e liguei o liquidificador. Lembro que ouvi a voz de minha mãe dizendo_Filho, eu tô aqui na piscina!!! Meu coração disparou pois eu estava esperando a hora em que eu a veria de biquíni, pois como moramos numa cidade sem praia(Campinas), eu nunca a tinha visto de biquíni. Fui correndo até os fundos e juro pra vocês que minhas pernas bambearam. Minha mãe estava deitada de bruços em uma toalha que ela estendeu no chão pra se bronzear e o biquíni dela era um fio-dental!!!! Era um maldito biquíni rosa, muito pequeno, mas como ela tinha a bunda muito grande o biquíni entrava no cuzinho dela. Meu deus!!! Ela passou a se bronzear constantemente, mas não todo dia. De vez em quando eu a via se bronzeando, e ia ficar um pouco com ela. Ficávamos conversando durante um tempão sobre escola, namoros,família, etc. Uma conversa típica de uma mãe e filho. O que mais me espanta é que ela nunca percebeu nada da minha parte, até porque eu era muito cuidadoso, mesmo quando ficava com a barraca armada. Bom, o fato é que com 25 anos saí de casa após arrumar um emprego como engenheiro,e essa pequena obsessão, ficar secando minha mãe, diminuiu um pouco. Mas só um pouquinho. Quando tinha um feriado prolongado, eu pedia pra ficar na casa de meus pais e dormia lá durante todo o feriado. Num desses feriados, eu já estava com 27 anos, e minha mãe com 45, Júnior com 21 e Sheilinha com 12 anos. Meu pai ainda estava dormindo, e quando acordei fui até os fundos e encontrei minha mãe, Júnior e Sheilinha. Minha mãe estava se brozeando como sempre com aquela bunda enorme pro alto, enquanto meu irmão e Sheilinha estavam na piscina brincando. A Sheilinha desde os 12 anos passou a seguir o exemplo de minha mãe, e só usava um biquinho fio-dental preto. Nossa!! Mesmo com 12 anos, ela já era bem gostosinha, e como tinha puxado a minha mãe, tinha uma bundinha bem arrebitada. Eu sentei em uma cadeira na sombra e fiquei observando tudo, fingindo estar lendo um jornal. Lembro que o Júnior saiu da piscina, e minha mãe pediu a ele_Filho, passa um pouquinho de bronzeador aqui na mãe, passa!! O Júnior pegou o frasco de bronzeador e começou a passar nas costas. Reparei que ele olhava muito pro bundão da mãe.Nesse dia, minha mãe usava um biquíni vermelho do tamanho daquele rosa que ela costumava usar, e a cor a deixava mais gostosa. Depois passou nas pernas e quando eu achava que ele iria parar ele perguntou-Mãe, quer que eu passe na bunda?? _Passa, não tem problema, você é meu filho!! O Júnior então tascou bronzeador na bundona da nossa mãe e ficou passando um tempão!!! Coisa de 3 minutos. Minha mãe então falou virando o rosto pra trás_Júnior, _Acho que tá bom, filho.Ele então parou. Achei um pouco estranha a maneira como ele passava o bronzeador, fazendo uma massagem. Quando se levantou, ele me surpreendeu dizendo_Mãe, essa sua bundona vai ficar queimadona!!!!! Ela só riu dizendo_Pára filho!!!Deixa de ser bobo.Achei que era tudo brincadeira do Júnior e deixei pra lá. Quando essas datas não aconteciam, eu ficava na minha rotina de trabalho e não presenciei mais nada parecido.O fato é que de vez em quando, aproveitando o fato de minha mãe estar sozinha em casa, pois o Júnior quase não parava em casa, eu ia a tardinha na casa de meus pais. Ia só pra ficar conversando com minha mãe e pra poder secar um pouco aquela coroa gostosa. Depois eu ia pra casa cheio de remorso dizendo pra mim mesmo que nunca mais olharia pra ela com outros olhos que não fossem de filho. Mas não conseguia agüentar durante muito tempo, e lá ia eu de novo. Minha mãe nunca se incomodou com sua maneira de se vestir em casa, e por isso, anda quase sempre muito a vontade. Sempre gostou de usar shortinhos bem apertados e alguns deles até socados no bundão, marcando perfeitamente o rego. Isso me deixava louco, pois quando eu via que ela estava usando esse tipo de roupa meu cacete ficava duro na hora. De uns tempos pra cá, minha mãe vinha reclamando de meu pai constantemente, e até chegava a me ligar pra conversar sobre isso quando eu não passava em sua casa pra jogarmos papo fora. Ela dizia que ele não a procurava mais e achava até que ele poderia ter arranjado uma amante na rua.Há coisa de 4 meses atrás, resolvi fazer uma dessas visitas usuais no final da tarde e como não tenho mais a chave de casa, eu toquei a campainha. Demorou uns 3 minutos pra alguém atender, e quando vi era o Júnior. Ele estava um pouco suado, vestindo apenas um short e percebi que seu pau estava duro, pois o short estava bem estufado. Ele apenas me disse olá e foi pro seu quarto. Chamei por ele e perguntei pela mãe e ele disse que ela deveria estar no quarto. Fechei a porta e me dirigi ao quarto de minha mãe no andar de cima. Bati na porta e minha mãe perguntou quem era. Respondi que era eu e ela me disse que já ia abrir. Quando abriu a porta percebi que minha mãe estava um pouco suada, me abraçou e me deu um beijo. Perguntei se ela estava dormindo e ela disse que sim. Notei que a cama estava bem desarrumada. Quando ela saiu do quarto, vi a maneira como ela estava vestida; usava um shortinho rosa de lycra que eu torcia pra ela estar usando quando eu fosse visitá-la pois esse shortinho entrava totalmente em seu rego, marcando bem aquele cuzão. Usava também um top bem curtinho. Fomos pra sala e reparei uma certa agitação de minha mãe. Ficamos conversando durante um tempo quando minha irmã Sheila chegou da escola. Usava uma sainha daquelas típicas de colegiais e foi direto pro seu quarto, mas não sem antes me dar um beijinho. Por volta das 7 horas meu pai chegou e ficamos conversando um pouco, ele me contando sobre seu trabalho, eu falando do meu, essas coisas. Por volta das 8 horas fui pra minha casa, mas uma coisa não me saía da cabeça. Achei muito estranha a atitude de minha mãe trancada no quarto, o fato de demorarem pra abrir a porta, e principalmente o Júnior e minha mãe estarem suados, sem contar a ereção nítida dele. Achei que o Júnior estava comendo a minha mãe. Isso não saía de minha cabeça, e daquele dia em diante passei a ir todos os na casa de meus pais no final da tarde e o Júnior sempre estava lá trancado no quarto. Achei muito estranho, mas depois disso não reparei nada de anormal. Mesmo assim, a idéia de que meu irmão poderia estar comendo a minha mãe não me saía da cabeça. Tive então uma idéia. Fui uma tarde até a casa dos meu pais e depois de conversarmos bastante, minha mãe e eu, fui até a cozinha onde sei que há um pote com algumas chaves reservas. Peguei uma da porta da frente e coloquei no bolso. Dois dias depois, resolvi por meu plano em prática pra sabre o que estava acontecendo lá em casa, e saí cedo do trabalho e fui direto pra casa de meus pais. Ao chegar na porta, ouvi o som da sala ligado. Botei a orelha colada na porta pra escutar alguma coisa, mas nada escutei. Coloquei a chave na fechadura e abri a porta. Não havia ninguém na sala. Mas o som estava ligado e resolvi subir as escadas pra ver se tinha alguém nos quartos. O primeiro quarto é o da Sheila, o segundo é o do Júnior e o terceiro era dos meus pais. Não havia ninguém nos dois primeiros e fui em direção ao terceiro. Meu deus, quando me aproximava do quarto de meus pais, escutei uns gemidos bem abafados. Meu coração quis sair pela boca. Eles deviam estar fazendo alguma coisa lá dentro. Meu deus!!! Fui me aproximando aos poucos e vi que a porta estava semi aberta. Coloquei a cabeça de leve e vi a cena que mais marcou minha vida até agora. Minha mãe estava de bruços com uma almofada na pélvis e meu irmão estava montado em cima dela fazendo movimentos bem leves. Meu irmão caçula estava comendo a nossa mãe!!!!. Do meu ponto de vista, eu tinha uma visão lateral da cama. Meu irmão estava com a cabeça pra frente, e minha mãe também estava com a cabeça voltada pra frente, de modo que não poderiam me ver. Arnaldinho metia de maneira bem cadenciada, daquele tipo de metida que o cara só faz movimentos com a pélvis, enquanto que minha mãe só fazia gemer: Aiiiiii,Que bom!!!. Então ouvi meu irmão dizendo alguma coisa. _ Não falei que levar na bundinha era bom, mãezinha!!! E continuava a meter bem devagar. Eu não acreditava!!!Meu irmão estava era enrabando aquele bundão que eu sempre quis!! _Que bundão gostoso mãe!!! Minha mãe só fazia gemer. _O pai é muito otário de não comer esse bundão!!! Naquele momento me pareceu que meu irmão já tinha comido bastante cuzinhos antes, pois a maneira que ele fazia os movimentos, sem pressa, demonstravam isso. Ele ficou mais uns 5 minutos metendo quando perguntou novamente._ Tá gostando de levar rola nesse bundão, mãe?? Ela só respondia _Ai, filho, aiiii, tá boooom!!!Eu estava bastante excitado com tudo e ao mesmo tempo perplexo por estar presenciando aquela cena. Depois de uns 5 minutos, meu irmão disse_ Vou gozar, mãe!!!_Goza, filho, goza na mãe!!! Meu irmão então começou a gozar a princípio no cuzinho dela, mas logo em seguida tirou o pau pra fora e começou a gozar no rego dela. Minha mãe permaneceu de bruços ainda gemendo um pouco e meu irmão que já tinha se levantado dela , estava de joelhos na cama , espalhando ao porra dele pela bunda de nossa mãe. _Nossa mãe, foi muito, muito bom!!! Oha só a minha piroca como tá vermelha!!! Minha mãe então se virou de modo que ficou de lado pra mim e os dois começaram a se beijar, ambos de joelhos na cama. Pela primeira vez na vida eu vi aquele traseiro nu. Minha nossa!!! Se vocês vissem a marquinha do fio-dental!!!!! Eles ficaram se beijando e meu irmão perguntou_Gostou de levar minha geba na bunda, mãe???_Adorei, filho!! Vc vai fazer isso sempre agora!!!Eu só quero que você faça como fez hoje, bem devagarinho, pois seu pau é muito grosso. Realmente, Arnaldinho tinha um cacete não muito grande, talvez uns 17 cm no máximo, mas em compensação era bem grosso. Os dois se beijaram um pouco mais e quando se separaram, saí de fininho em direção a porta e fui pra minha casa. Naquele dia eu estava completamente desnorteado, não sabia pra onde ir. Chegando em casa, não conseguia pensar em outra coisa que não fosse isso, e nessa mesma noite só consegui pregar os olhos lá pelas 4 horas da manhã. O fato é que eu fiquei um bom tempo sem ir a casa de meus pais, coisa de 2 semanas. Passado esse tempo recebo um telefonema de minha mãe perguntando se eu estava doente ou algo parecido _ Filho, você não apareceu mais,. O que houve?? _Nada mãe, nada. Só estou com muito trabalho _Vê se aparece filho. _Como está o pai, mãe?_Vai indo.Sempre daquele jeito distante dele, mas eu não ligo mais, filho. Nesse momento comecei a ficar com muita raiva a e disse que tinha de desligar. Passei mais uma semana sem ir a casa de meus pais, mas um dia de tarde, a empresa fechou devido a uma comemoração e resolvi que faria a mesma coisa que fiz quando flagrei os dois fudendo no quarto. Fui até a casa de meus pais com a chave que ainda estava comigo. Lá chegando ouvi mais uma vez aquele bendito som ligado tocando uma música de axé. Abri a porta bem devagar, olhei nos fundos e não havia ninguém. Olhei por todo a parte de baixo e não encontrei ninguém. Subi as escadas e já nas escadas escutei um barulhho terrível de foda. Passei pelo quarto de Sheilinha e já escutava um barulho infernal típico de cama batendo na parede _ Pa,Pa,Pa. Meu coração disparou tal como na outra vez. Coloquei a cabeça de leve no quarto e vi meu irmão e minha mãe fudendo na cama do Júnior. A cama ficava bem de frente pra porta de modo que eu via o Júnior de costas metendo em minha mãe que estava na posição de frango assado com as pernas pro alto e pros lados. Júnior dessa vez metia com força dizendo_ Toma mãezinha, é disso que você precisa!!!Toma!!!_Ai, filho, come a mãe, come!! Tá gostosa a bucetinha??Tá??? Da posição que eu estava eu via o pau do Júnior entrando e saindo e logo embaixo o cuzinho de minha mãe piscando a cada estocada que ele dava. Ele ficou metando um tempão e minha mãe só gemendo. Num momento ele pediu pra ela ficar de quatro. Ela prontamente atendeu. Pena que de onde eu estava não pudesse ver minha mãe de quatro pois o Júnior estava na frente. Ele meteu o pau e começou a dizer_ Porra, mãe!! Essa sua bundona com essa marquinha só me deixa mais tesudo!!!! A cama batia de leve na parede com as estocadas do Júnior. Minha mãe dizia_ Come minha buceta Júnior, come!! Teu pai não quer, então mete!! _Eu ainda vou comer esse cuzinho hoje!!! Toma mãe, toma!!! Eu estava atônito, não sabia o que fazer. Será que não teria sido melhor eu entrar e acabar com aquela palhaçada, ou então chantagear minha mãe pra eu comer ela também??? Lá estava meu irmão caçula metendo na minha mãe coroa gostosa com o bundão de quatro(104 cm, pelo o que eu vim saber mais tarde pelo meu próprio irmão) e eu na mão. De repente minha mãe falou_ Deixa eu chupar um pouco essa pau, amor!! O Júnior tirou a geba de dentro e deu pra minha mãe mamar. Eles estavam de joelhos na cama e minha mãe lhe dava uma bela mamada. Júnior fazia carinhos no cabelo dela. Depois disso, saí , desci as escadas e fui pra minha casa com lágrimas nos olhos. Depois de pensar muito, decidi pedir satisfações ao meu irmão. Mas isso fica pra outro relato. Mas já adianto o que meu irmão me contou e que me deixou mais pasmo ainda. Meu pai estava tentando comer a Sheila.


Ficha do Conto

Escritor:
Inconformado

Nome do conto:
Mãe com bunda grande- É nisso que dá!!!!

Codigo do conto:
4996

Categoria:
Incesto

Data do Envio:
08/06/2005

Quant.de Votos:
6

Quant.de Fotos:
0

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us



Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA