Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Blog Erótico   Entrar em contato  
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato
   Ajuda (Duvidas)

SITES PARCEIROS
   Blog Erótico
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web
   Videos Porno
   Porno Tube

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





maninho querido


Oi meu nome é Kátya tenho 18 anos sem querer me achar eu sou do jeito que todo macho gosta, bem gostozinha, seios grandinhos, coxas grossas, minha bucetinha é fechadinha e bem depiladinha e a minha bundinha é bem empinadinha. Sei que sou muito desejada pelos os homens. Sempre fui muito tarada desde quando comecei a sentir um formigamento na minha bucetinha isso aos 12 anos. Sempre me masturbei muito e gozo até ficar bem fraquinha,só de pensar em um pau já fico toda molhadinha.Bem vou contar um pouco sobre minha familia, morava com meus pais e um irmão q ta com 19 anos agora, tinhamos uma vida rasoavelmente boa,meus pais trabalhavam muito prá isso.Mas vamos ao meu conto,meus pais trabalhavam o dia inteiro,ficavamos em casa eu e meu irmão, íamos pra escola á tarde. Um dia eu estava tomando meu banho e tocando na minha bucetinha, quando olhei para a porta do banheiro percebi q tinha alguem espiando pela fresta da porta q havia me esquecido de fechar, fiz de conta que nem vi, só poderia ser meu irmão pois nao tinha mais ninguém a essa hora em casa, estava me olhando (aquele tarado) devia estar com o pau duro e com certeza batendo uma prá mim. Fiquei me mostrando prá ele abaixei para pegar o sabonete, fiquei alizando minha bunda, minha buceta me masturbei e chamei seu nome na hora que gozei. Limpei minha bucetinha com a calcinha e deixei ela no banheiro. Sabia que depois de mim era a vez dele tomar banho, saí do banheiro apenas enrrolada na toalha coisa que não custumo fazer, mas desejava que ele visse meu corpinho mais de perto, abri a porta do banheiro e ele estava lá, com a toalha na mão e o pau duro dentro do calção me esfreguei nele sem querer é claro... Saí pelo corredor rebolando e já tirando á toalha, sabia que aqueles olhinhos me observavam, antes de entrar no meu quarto dei uma olhada pra trás e vi sua boquinha aberta, olhando prá mim ele entrou correndo para dentro do banheiro. Aí eu não resisti, como disse sempre fui muito tarada, corri para porta do banheiro para ver meu irmão tomando banho. Ví ele pegar minha calcinha prá cheirar, sabia que ele ia cheira-la deixei lá de propósito, mas ele não só cheirou como tambem pos ela todinha na boca, mas me assustei mesmo quando vi o tamanho do seu pau, que eu achava que era ainda um pintinho, minha buceta tava pingando meti a mão no meio das minhas coxas e elas ficaram alagadas tamanho era o meu tesão pelo pau do meu irmão, ele se masturbava como louco não demorou muito ele gozou, gozou bem forte que melecou toda a parede do banheiro. Depois daquele dia fiquei completamente doida pra sentir aquele pauzão dendro de mim, não me importava se era o pau do meu querido irmão, ficava em casa com roupas provocantes, sem sutiãs e as vezes sem calcinha também só para ver se o garoto me atacava, estava alucinada para que isso acontessece, um dia estavamos na sala eu de mini-saia sem calcinha e com uma blusinha top, ele de bermudinha com uma camizeta, fingi que lia um livro mas ficava mesmo era de olho nas suas reações e no volume que crescia dentro da sua bermudinha cada vez que eu me mexia no sofá, em certo momento eu fiquei completamente com as coxas separadas, dando prá ele ver toda minha buceta, coitadinho, o moleque estava vermelho e suando frio, aí eu morri de dó dele e falei - O que é que você tem Júnior? Parece que você tá com febre deixa a tua irmãzinha ver, me levantei e fui literalmente em cima dele, arranquei a almofada que ele usava para esconder o pau, dobrei meu joelhos no sofá e abracei sua cabeça, pondo ela entre meus seios e senti seu pau roçar minha bucetinha fiquei me esfregando um pouco naquele pênis maravilhoso o menino não conseguia falar nada, só gemia. Falei á seu taradinho você tá assim só por causa que viu minha bucetinha, agora você pode ver, cheirar, tocar você viu os meus peitinhos como estão durinhos (ergui meu Top até o pescoço), peguei suas maõs e levei até os meus seios o menino começou a mamar igual uma criança até soluçava e apertava minha cintura, minha bunda passava a mão em toda extensão da minha bucetinha (que estava completamente ensopada). Peguei ele pela mão, dei um beijo naquela boquinha linda levei ele até o meu quarto e falei que ele seria o meu primeiro homem pois eu era assim como ele(virgem), tirei sua bermudinha e o pau saltou duro como uma rocha comecei a fazer-lhe um delicioso boquete, ai o menino soltou a linguá e me pediu se eu deixava ele me chupar também fizemos um delicioso 69, depois me levantei da cama, o rapaizinho ficou taradão me agarrou por trás se esfregando na minha bundinha e dizendo que queria comer primeiro o meu cuzinho, péra aí rapaizinho disse eu meio brava, é sua primeira tranza e você quer começar justo pelo filé; estou tarada quero gozar primeiro na buceta me deitei e abri minhas pernas ele me chupou mais uma vêz, quase gozei na sua boca, e começou a me penetrar, pedi a ele que fosse devagarzinho, e ele com todo carinho foi me comendo, me comendo lentamente quando senti meu hímem romper chorei ,más foi só um momento, depois foi ficando gostoso novamente sentir todo aquele pau nas minhas entranhas, e gozei aos pulos e aos bérros apertei seu corpo contra o meu quando derrepente senti ele gozar dentro de mim, encher minha buceta com a sua porra nos beijamos loucamente, como dois apaixonados. como desejava aquilo como sempre desejo (estou viciada no meu irmãzinho) ele faz tudo o que eu mando e sempre faz gostozo até o simples toque das suas mãos me faz querer dar prá ele, e eu dou sempre até o cuzinho eu já dei prá ele (mais isto é outra história).


Ficha do Conto

Escritor:
Kátya

Nome do conto:
maninho querido

Codigo do conto:
6184

Categoria:
Traição/Corno

Data do Envio:
18/10/2005

Quant.de Votos:
2

Quant.de Fotos:
0

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us



Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA