Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Entrar em contato  
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato

SITES PARCEIROS
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web
   Videos Porno
   Porno Tube

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





Casal


UM É MUITO BOM , QUATRO É MUITO BOM DEMAIS.


Olá meu nome é Karla, tenho 25 anos, morena, corpo legal, pois já tenho 3 filhos e sou casada há 7 anos com Jeferson, 26 anos, negro e tb corpo normal. Bom, somos um casal normal, nos damos muito bem tanto amorosamente como sexualmente. Tenho um tesão enorme nele e acredito que ele em mim, pois não pode me ver de langeri ou uma roupa mais leve que me ataca. Jeferson e eu, somos muito sinceros um com o outro, principalmente em nossas fantasia. Certo dia assistindo ao um filme porno, onde uma mulher era fodida por 3 caras, fiquei toda molhada e ele percebendo minha reação, começou a dizer besteiras ao meu ouvido: Já imaginou amor, você no meio de três caras, com três picas só pra você. Nisso transamos feito loucos, eu gozava uma vez atras da outra só imaginando uma transa dessas. Nunca tomamos a iniciativa de colocar isso em pratica, pois trabalhamos e nossos filhos também não nos permitiam sair muito pois ainda são pequenos. Jeferson Trabalha em uma empresa de transporte e as vezes chega tarde em casa pois trabalho no departamento de carga e descarga.. Eu trabalho em casa, tenho uma agencia de telemensagem e cestas de café da manhã. Jeferson as vezes viaja pra alguns lugares dentro do estado e no dia 08 de setembro de 2005, ele tinha que ir até a cidade de Santos. Aproveitando que no nascimento do nosso ultimo filho, ele não tirou a folga de 5 dias a que tinha direito, pediu pra folgar entre os dias 03 e 7 do mesmo mês, logo foi concedido pois ele tem 6 anos de empresa. Sempre que ele faz essas viagens, vou junto com ele, mas sempre são rápidas, mas essa seria comprida. Preparei as coisas a semana inteira, liguei para minha mãe e pedi pra que ficasse com as crianças na nossa ausência. Chegando na Sexta-feira, Jeferson chegou mais cedo, arrumamos as coisas no carro e partimos sentido a Santos. Nossos pensamentos iam a mil, imaginávamos tudo, que podíamos realizar nossas fantasia e tudo mais. Nisso eu já estava fora de mim, tirei minha roupa e viajei pedalinho dentro do carro, os vidros são de fume mas não são muito escuros. Jeferson colocou o cacete de 18cm pra fora e eu cai de boca, chupava ele todinho, colocava inteirinho na minha boca. Jeferson ia ao delírio. Vai amor, chupa esse cacete, engoli ele. Confesso que adoro correr o perigo, pois estava de 4 no banco da frente e com a bunda virada pra janela, claro que ela estava fechada, mas se alguém chegasse perto dava pra ver tudo. Isso me deixava maluquinha. Eu gozava só em pensar. Jeferson gozou na minha boca e eu deixei o cacete dele limpinho. Já que Jeferson não podia me foder, tirei um cacete duplo que ele me deu, onde tem um cacete de 18 cm e outro de 12cm pra fazer uma dupla penetração e meti na minha xana e outro no meu cú. Comecei a me foder e dizer coisas ao meu marido. Olha amor eu sendo fodida por dois, adoro sentir dois cacetes dentro de mim, que delicia, vem amor ajude eles a me foder. Nisso eu cheguei ao orgasmo. Fui até lá embaixo pelada e fazendo meu marido gozar e eu também com meus dois Ricardões de borracha. Ao chegarmos em Itanhanhém, coloquei minha roupa e saímos perguntando onde ficava a rua onde alugamos a casa. Já passava das 23 horas da noite e as ruas já estavam praticamente vazias. Até que encontramos uma venda aberta e o senhor informou-nos onde ficava a rua. Chegando lá, era uma casa simples, 4 cômodos e um banheiro , um quintal com garagem e uma área muito verde, com churrasqueira e tudo mais. Nos acomodamos, tomamos um banho e fomos dormir pois estávamos muito cansados. Já no sábado, levantamos por volta das 10 horas, fomos até o mercado e compramos tudo pra nossa estadia durante aqueles dias. Fiz o almoço, enquanto isso Jefersom me almoçava em todos os lugares da cozinha, na pia, na mesa, no chão e na janela. Quase o almoço não sai, pois ele é muito fogoso. Teve uma hora que ao me foder na boceta, ele colocou uma banana dendro do meu cú, eu fui ao delírio e ele disse. Se prepara amor, pois esses dias será de pura emoção. Vai senta nessa vara e toma outra no cú, gozei feito uma cadela. Jeferson como sempre encheu minha boca de porra, pois adoro tomar porra. Almoçamos e fomos curtir a praia, não estava muito calor, até ameaçava garoar, estava meio vazia, demos um mergulho e fomos correr um pouco na praia. Resolvemos tomar uma cerveja, confesso que sou muito fraca pra essas coisas, três copos já me deixa altinha. Como fui a praia de biquíni bem pequeno, era quase um fio dental e uma tanga por cima, me deu um calor tremendo com a cerveja. Tirei a tanga e fomos caminhando destino a casa. No meio da rua passamos por 3 caras. Passamos por eles e eu deixei minha tanga cair, nisso abaixei pra pegar, ao me abaixar, meu biquini entrou todinho na minha bunda, mostrando até as beiradas do meu cuzinho. Me levantei e ouvimos os caras assobiarem e dizer. Nossa que tanga generosa, queria que ela caísse mais vezes. Nisso olhei pra trás e eles estavam todos sem exceção com a mão no cacete. Na hora meus pensamentos foram a mil. Chegamos em casa e meu marido e eu comentamos a situação. Disse que iria tomar um banho, pois estava com o sal da água no corpo. Jeferson disse que iria até a venda pegar umas cervejas pra gente tomar. Estava tomando banho quando ouvi risos vindo do jardim da casa. Desliguei o chuveiro fui pro quarto e para minha surpresa quando olhei pela janela, lá estava meu marido com os três caras da estrada. Meu coração disparou, parecia que eu ia morrer de medo, tesão, apreensão e sei lá mais o que. Pensei comigo, é hoje ou nunca que vamos colocar nossas fantasia em pratica. Coloquei uma mini-saia que mal cobria minha bunda, um top que deixava metade dos meus seios pra fora. Desci e fui direto pra os jardins, quando cheguei, alem do meu marido mas os três caras ficaram de bocas abertas. Jeferson disse. Nossa amor ainda bem que você desceu nossos amigos não viam a hora de te ver. Nisso me puxou pro lado dele me deixando de costas para os rapazes e me deu um longo beijo e quando me abraçou me levantando, subiu minha saia toda, deixando minha bunda a mostras pra que os meninos vissem tudinho.. Confesso que fiquei com um pouco de vergonha, mas logo fui consolada por um deles. Calma Katinha, o que é bonito e gostoso é pra se mostrar. Logo todos vieram se apresentar. Primeiro veio o Billy, moreno queimado de sol, 32 anos, corpo definido, mais ou menos 1,92 altura e muito simpático. Caiçara, 29 anos, negro como meu marido, magro, uns 1,80 altura e um sorriso lindo, por fim veio o Carlos, 23 anos, moreno claro, corpo malhado, uns 1,75 altura e muito safadinho, veio logo me beijando e apalpando minha bunda, onde separou minha nádegas, deixando meu cuzinho a mostras para os outros. Minha xana já babava de tanto tesão. Jeferson vendo minha reação disse. Vamos tomar uma cervejinha é por conta da casa. Fizemos uma roda com as cadeiras e me sentei no colo de Jeferson e os três na nossa frente. Nisso cerveja vem cerveja vai, comecei a ficar mas desinibida, falando de sexo como se falasse com uma amiga minha. Nisso Jeferson me pediu pra mostrar para os rapazes do que eu era capaz e o que eu sabia fazer. Não perdi tempo, me posicionei na frente do meu marido e ele já com o cacete estourando de tão duro comecei a chupar como se fosse a ultima coisa na terra. Ele urrava de prazer, nisso veio Carlos e começou a chupar minha xana molhada e os outros dois colocaram seus cacetes a minha disposição também, Tinha tres cacetes pra chupar e um cara explorando minha xaninha e cuzinho, Gozava feito uma louca no cio. Nisso meu marido pediu pra me foder o que de imediato me coloquei de quatro pra ele me foder, os rapazes colocaram seus cacetes pra eu chupar. Jeferson bombava minha boceta como um cavalo. Nisso ele pegou uma vaselina passou no meu cuzinho e atolou o cacete no meu rabo. Gozei sem passsar a mão na xana. Nisso Jeferson pediu para que Carlos se deitasse no chão e pediu pra eu sentar na vara dele de 19cm. Sentei e comecei a cavalgar e rebolar. Jeferson veio por tras e iniciou uma dupla penetração, nossa era tudo que eu queria, estava realizando minha fantasia. No inicio doeu um pouco, mas logo vei o tesão e eu já pedia pra eles me foderem, eu estava com um pau na boceta e outro cacete atolado no meu rabo e chupando duas rolas. Não existe prazer maior para uma mulher, ser preenchida em todos os buracos ao mesmo tempo, eu gozava a cada estocada de Jeferson e Carlos. Ficamos assim uns 10 minutos. Jeferson tirou o cacete do meu cu e pediu pra Billy me foder com Carlos. Veio pra perto de mim e eu com o Cacete de Caiçara na boca ele disse. Olha amos voce sendo fodida por tres rolas, seu cuzinho e sua boceta sendo fodida ao mesmo tempo. Toma rola sua safada, chupa esse cacete. A cada palavra era uma gozada. Billy e Carlos inverteram as posições e ficaram me fodendo uns 15 minutos, eu parecia uma cadela cercada de cachorros a fim de foder a noite inteira. Caiçara se deitou ao meu lado e pediu pra eu sentar na vara dele. Eu Carlos sem tirar o cacete dele do meu cu, arrancou minha xana da pica de Billy e me colocou na rola de Caiçara. Nisso ficou por uns 10 minutos. Jeferson sugeriu que fosse pra dentro da casa, pois foi o que fizemos. Billy e Caiçara me ergueram, Jefersom colocou seu pau na minha boca e Carlos vinha por traz me fodendo o cu. Me carregaram assim pra dentro de casa. Chegando lá Jeferson de sentou no sófa e pediu pra eu sentar na sua vara o que fiz de imediato, ele abril minha bunda e pediu pra Caiçara foder meu cuzinho. Lá estava eu, indo ao ceu com duas varas dentro de mim. Carlos sentou no braço do sófa e ofereceu sua rola pra eu chupar. Eu já estava ficando fora de mim de tanto tesão eu critava de prazer. Isso meu cacetudos, fodam minha boceta e meu cu, eu quero rola em todos os buracos que eu tiver, me foda e adoro rola. Nisso Jeferson e Caiçara começaram a me foder como loucos. Jeferson me colocou de quatro no sofá e ele fizeram fila pra me comerem. Jeferson foi o primeiro, fodeu meu cuzinho por uns 5 minutos, depois veio Carlos, depois Billy e depois Caiçara. Deitei no chão e eles começaram a me dar um banho de porra. Ficamos ali na sala deitados e exaustos. Estava completamente realizada e com a consciência totalmente limpa de que não estava traindo meu marido e que estava o amando mais ainda por proporcionar essa foda gostosa em minha vida. Pegamos no sono, todos. Se voce quiser saber o que aconteceu depois, não deixe de visitar esse site ou mande um e-mail pra mim. sexomaissexo@ig.com.br.









Ficha do Conto

Escritor:
rela829167

Nome do conto:
Casal

Codigo do conto:
6245

Categoria:
Grupal e Orgias

Data do Envio:
01/11/2005

Quant.de Votos:
1

Quant.de Fotos:
0

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us



Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
4171 Carnaval da Suruba Gays 1
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA