Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Entrar em contato   Bate Papo
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato

SITES PARCEIROS
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web
   Videos Porno
   Porno Tube

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





Minha irmã viúva.


O que venho relatar aqui, pode até parecer mentira, mas de fato aconteceu e acontece comigo.
Tenho 38 anos, mas não aparento, pois não esquento minha cabeça com nada, não casei, e nem pretendo, filhos? Tô fora, pois, hoje em dia, ter filhos, na maioria das vezes, é padecer no inferno, pois eles só ouvem os pais quando é conveniente pra eles.
Bem, vamos ao que interessa, somos eu e minha irmã, de filhos, ela uma senhora de uma morena de 42 anos, pra mil talheres, eu moreno claro, olhos castanhos claros, 1.70m, cabelos castanhos, 78 kg. Bem, sempre fomos muito unidos, mas ficamos um bom tempo afastados, depois do casamento dela, pois o marido dela, era muito ciumento, um babacão, então, como sou muito extrovertido e brincalhão, não bati muito com ele. Acontece, que ele sofreu um acidente de carro, e não resistiu, como minha irmã não teve filhos, nós, eu e meus pais, chamamos-aq para vir morar conosco. Ela veio e a vida corria. Ela me pediu perdão, pois devido à seu marido, teve que se afastar de mim, eu lhe disse que tudo bem, a entendia, para ela deixar pra lá, que ele descansasse em paz, essas coisas. Nos primeiros meses, ela ficava sempre em casa, não tinha ânimo nenhum para sair. Eu sempre insistia, até que um dia, ela me surpreendeu, bendito dia aquele, rsrsrs. Eu estava saindo para a praia, tinha marcado com uma mulher casada, que de vez em quando eu dava-lhe uma fodida gostosa.Como era uma segunda feira, o corno estava trabalhando e tinha liberado aquela gostosa pra sair com as AMIGAS, rsrsrs, é melhor não rir não, já pensou quantas vezes fomos vítimas desta mentira, rsrsrsrs. Bem minha irmã me pediu pra ir, tive que desmarcar com a gostosa, ppois ela morava na mesma rua que nós. Então depois de desmarcar, fiquei esperando-a na sala. Meus amigos e amigas, quando ela apareceu, fiquei sem palavras, eu nem imaginava que minha irmã ela aquela gata, que mulherão, ela estava com um biquini, vermelhinho, a parte de baixo, não existia, só tapava a buceta, e que buceta, atrás, era só um pouquinho de pano, todo enfiado naquele rabo fenomenal, em cima, só tapava os biquinhos dos seios. Fiquei estático quando ela me perguntou se tava bonita dando uma voltinha, eu gaguejando disse que ela seria a mulher mais bonita da praia com certeza.
Refeito do susto, fomos para a praia, como era segunda feira, estava um pouco vazia, e ali era uma praia que só tinha acesso de carro, chegamos, ela tava parecendo um garotinha que nunca tinha visto o mar, fiquei confuso não sabia se estava feliz por vê-la feliz, ou por estar com aquele monumento ao meu lado. Começamos a conversar sobre a vida, e ela, muito dengosa, me ab raçou, e passou as mãos nos cabelos de meu peito e mais uma vez me pediu desculpas, eu falei que ela tinha que esquecer de vez aquilo. Só que aquele carinho, me deixou com um tesão desgraçado, minha pica ficou dura, ela percebeu, e deu uma risadinha , e me perguntou. __Quê isso irmãozinho? Tuas namoradas não estão te tratando bem não, rsrsrsr? Eu falei, mana, tenho que confessar, vc se tornou um mulherão, foi mal, mas não deu pra resistir.
Ela então me pediu pra passar protetor nela, eu já tremendo de tesão, peguei o frasco e comecei a passar, caprichei, primeiro nas costas, depois nas pernas, fui subindo pelas coxas, e quando cheguei perto daquele bundão magistral, fiquei meio indeciso, ela então me pediu pra caprichar, pois ela não queria ficarf com a bunda doendo, pelo menos assim, gelei, senti, que o que ela tinha falado tinha duplo sentido. Massageei aquele rabão maravilhoso, ela parecia que de vez quando dava uma gemidinha bem baixinho.
Bem o dia foi amravilhoso, mas quando estamos nos divertindo o tempo passa rápido. Fomos embora. Á noite, fomos pra um barzinho, tava muito calor, ela estava com uma mini saia maravilhosa, que deixava aquelas coxas bem expostas, comentou comigo, sabe, eu fiquei reprimida durante todo o meu casamento, mas queor te confessar uma coisa, você é meu irmão e confio em você. Eu morria de vontadde de colocar estas roupas, estes biquinis, mas o meu marido eraq muito inseguro. Agora eu só vou fazer o que eu quiser, mesmo que eu me case de novo. Eu apoiei-a, e lhe disse que agora o namorado dela seria eu, ela deu uma gargalhada e já meio alta pois tinha beido umas cervejinhas à mais me disse que eu era um tesão, e que agora via a vida de outra forma sem preconceitos e que até ela se casar de novo, toparia ser minha gata. Me aproveitei, e levei-a para dançar, ela já totalmente alta, mas sem fazer escândalo, dançamos à noite toda, ela se esfregava em mim, e eu com minha pica à mil, agarrava-a, ela adorando, a boate em que estávamos à esta altura já tava maior zona, era uma chupação fudida, e eu levei minha irmã pra varanda, e chupei aqueles peitos maravilhosos, ela tirou meu caralho pra
fora, tocou uma punheta gostosa, aí caiu de bôca, chupava como se quisesse comer minha pica, não me segurei muito e gosei um litro de pôrra, ela bebeu tudo, fomos pra um motel e fudemos até meio dia, meus pais estavam preocupadões, esquecemos de ligar pra casa. Bem inventamos algo que não vem ao caso, e ficou tudo bem. À partir deste dia, nos tornamos amantes, agora mesmo, estamos sós em casa pois nossos pais estão viajando, estamos fudendo muito, que mulher, ela disse que mesmo depois de casra de novo, vam os continuarmos assim, que desta vez, babaca nenhum vai nos separar.


    Se alguma mulher , MULHER, viúva, está reprimida, mas ardendo pra fuder sem compromisso, entre em contato comigo, quem sabe não possamos passar momentos deliciosos, com muita descrição, e quem sabe, a minha maninha não possa participar, pois ela tem esta fantasia, de me ver fudendo uma outra mulher, mas tem que ser viúva, ela que impô esta condiçaõ.   


    Até outra vez.


Ficha do Conto

Escritor:
duprazer

Nome do conto:
Minha irmã viúva.

Codigo do conto:
6589

Categoria:
Incesto

Data do Envio:
17/12/2005

Quant.de Votos:
1

Quant.de Fotos:
0

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us



Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
6737 Minha prima bi. Incesto 0
6890 Titia, minha amiga, minha amante! Incesto 0
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA