Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Blog Erótico   Entrar em contato  
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato
   Ajuda (Duvidas)

SITES PARCEIROS
   Blog Erótico
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





A bunda daTia Miriam


O que passo a contar aqui teve inicio no verão de 1991, eu tinha 20 anos, a outra pessoa envolvida é a Tia Miriam prima de meu pai que na época tinha 48 anos. Como veraneavamos na mesma praia eu ficava durante o ano contando os dias para a chegada do verão. Tia Miriam, todos os dias ao ir para o mar, passava em frente a janela do meu quarto, eu fica num tesão só. Tia Miriam tem mais ou menos 1,74 cm uns peitos bem grandes, muito coxuda e o que mais me enlouquecia naquela coroa era o bundão dela. A Tia Miriam tem uma cintura bem fina mas tem o quadril muito largo, a bunda dela é uma coisa que chamava a atenção de todos na praia. Ela as vezes usava um maiô verde muito justo, suas tetas ameaçavam a todo momento sair para fora, mas o detalhe deste maiô era na enorme bunda da Tia Miriam. Este maiô ficava tão apertado que deixava uma marca no enorme regão do cú da Tia Miriam dividindo ao meio o rabão dela, quando ela caminhava fazia um movimento ritimado para cima e para baixo, eu ficava louco de tesão ao ver aquelas bochechonas da bunda da Tia Miriam subindo e descendo. Na beira da praia eu não tirava os olhos da Tia Miriam, ela algumas vezes me pegou olhando para suas coxonas, quando eu voltava para casa depois da praia, sempre batia uma punheta pensando nela. Ficavamos todos em uma barraca na beira do mar, certo dia minha mãe teve que ir a Porto Alegre e os filhos da Tia Miriam foram junto, já que minha mãe voltaria no mesmo dia. Naquele dia ficariamos só nós 2 na barraca, resolvi então colocar uma sunga com uma camiseta por cima. ( obs.: eu não uso sunga porque sou super bem dotado, duro meu pau tem exatos 28 cm e muito grosso, e mesmo mole fica um volume enorme na sunga, alguns amigos até riam de mim me chamando de aleijado, pé de mesa etc ) Minha intenção era quando ela chegasse na barraca tirar a camiseta expondo o volume na minha suga para ver sua reação. Mais um pouco e Tia Miriam chega, estava com uma camiseta branca que deixava somente as coxas de fora, eu fiquei bem frustrado pois queria ver o bundão. Mas a Tia Miriam estava diferente, ela cruzava as pernas de um lado para o outro a todo momento, uma hora ela que estava sentada naquelas cadeiras de praia baixinhas levantou bem a perna passando a mão da canela até a coxa dizendo: hoje raspei as pernas, como elas estão lisinhas. Neste momento pude observar que ela estava usando um biquini, mas fiquei na minha. Depois de uma meia hora ali sentados ela me convida para dar uma caminhada pela praia. Caminhamos em direção a plataforma, que naquela época não tinha quase nenhum movimento. Caminhamos uns 15 minutos quando Tia Miriam, para minha surpresa, tira a camiseta e diz: que tal Keko, será que eu posso usar este biquíni? O Luiz (seu marido) pediu que eu usasse biquíni, será que este não esta meio pequeno? Eu fiquei de boca aberta, não sabia o que dizer pois o biquíni deixava as tetonas dela quase toda a mostra mal tapando os bicos, a parte de baixo então era um assombro, na frente era um pedaçinho de pano que mal cobria o risco da buceta e atrás era um fio dentro do rabão, aí Tia Míriam pergunta de novo. Como é Keko perdeu a língua, fala, diz alguma coisa. Eu respirei fundo e disse: é, ele é meio pequeno, tu estas quase nua, mas fica bem. Tia Miriam dá uma gargalhada e diz: Keko tira esta camiseta e vamos para o mar. Tiro a camiseta e aí é Tia Miriam que fica pôr alguns segundos sem saber o que dizer, olhando o enorme volume que o meu pau mesmo mole fazia no calção, pela cara que fazia ela não sabia se eu estava de pau duro ou não. Ai ela parece que acorda e diz: ai, meu alemão, estou meio confusa e dá outra risada balançando a cabeça. A coisa esta se encaminhando bem, pensei. Caminhamos na direção do mar de mãos dadas, de propósito Tia Miriam puxava minha mão de encontro a sua coxa, o tesão começava a tomar conta do meu pau, a medida que a água ia nos tocando Tia Miriam dizia que tinha medo do mar e que era para eu segura-la bem, nós estavamos com água pelos joelhos quando eu a abracei pela cintura. Quando toquei na cintura dela quase fui as nuvens, com o movimento das ondas ela ficou com o enorme rabo colado em meu pau que a esta altura já estava dando sinais de vida, a água nos batia na cintura e as tetas da Tia Miriam começam a ficar duras, primeiro um bico depois o outro, quase furam o sutiãn. Comecei a puxa-la com força contra meu pau que a esta altura já estava fugindo do meu controle. Sentia aquela enorme bunda dura roçando meu pau, ele deu uma primeira crescida, Tia Miriam percebeu que lá embaixo algo estava ficando diferente, ela fica de lado para mim, deixando agora sua coxa encostada na minha vara que dá mais uma boa crescida. Tia Miriam começava a ficar assustada pois agora eu começava a me esfregar nela com vontade, ela fica me olhando fixo nos olhos e começa a gemer, dou-lhe um beijo no pescoço e baixo a mão até aquela maravilha de bunda gorda, minha vara esta quase estourando de dura lá embaixo e Tia Miriam continua a me olhar só que agora ela as vezes fecha os olhos e mais um pouco ela diz quase desabando no mar: Keko, o que é isso que eu estou sentindo ai na minha bunda??? Vem aqui mais para a beira, digo a ela, vem ver o que eu tenho aqui. A esta altura nos beijavamos na boca, chupando as línguas feito uns loucos. Quando a água chegou nos joelhos o mostro apareceu, minha vara de 28 cm estava atravessada na calção, como não havia mais espaço o imenso cabeção lá em cima da perna quase estava furando o calção para sair, ai eu disse: olha aqui Tia Miriam gostosa, olha o que teu bundão fez no meu pau. Tia Miriam queria dizer algo mas não conseguia, ela botou as 2 mãos na boca e só suspirava, as vezes queria rir, eu peguei sua pequena mão e a coloquei em cima da cabeçorra, Tia Miriam só me olhava. Continuamos até a areia, lá Tia Miriam conseguiu dizer algo. Meu alemão que horror, o que é o tamanho disso ai, eu ainda não acredito no que vejo, o único pau que vi em toda minha vida foi o do Luiz, nem filme pornô a gente assiste. Me abracei com força nela, colei bem a vara na sua buceta e beijei seu pescoço suas orelhas e pela primeira vez apertei-lhe as tetonas dizendo no seu ouvido: é minha vara Tia Miriam, são 28 cm de pau para te fuder bem gostoso, te arrombar toda. Tia Miriam ali em pé, na beira da praia da uma sonora gozada pendurada no meu pescoço. Um pouco mais calma ela diz: me mostra, me mostra essa vara meu alemão. Como não vinha ninguém ponho o monstro para fora, na hora ela cai de boca, mal consegue colocar a cabeça do pau na boca, eu já estava bem louco e digo: Tia Miriam imagina tua bucetinha como não vai ficar, tu vais me arrombar disse ela, quando ouvi aquilo disse que ia gozar e começei a despejar uma quantidade de porra dentro de sua boca como eu nunca tinha soltado antes, parecia que eu estava mijando, ao todo foram umas 8 golfadas de porra, ela ria maravilhada com o que acontecia com a cara a boca e os cabelos que eram uma meleca só. Meu pau começou a baixar e ela disse: vem Keko, vamos lá para a tua casa, vem me comer toda, me deixar bem arrombada, não agüento mais quero essa vara na buceta. Fomos direto dali para o meu apartamento, nem passamos na barraca para pegar as coisas, Tia Miriam vestiu a camiseta e eu fui apenas com a minha camiseta na mão tapando o pau. Ela as vezes ia na minha frente e levantava a camiseta rebolando o bundão. Estavamos perto de casa quando começo a ficar de pau duro, e ela diz para eu tapar com a camiseta que no sentido contrário vem vindo 2 mulheres na direção do mar e eu de propósito tiro a camiseta da frente, as duas ficam paralizadas na calçada olhando meu pau e uma delas depois que passamos diz: vai ter coragem assim não sei onde!!!!! Tu deixas a mulherada bem louca com este pau grande, e depois dizem que tamanho não é documento, diz a Tia Miriam. Ao entrarmos no apartamento já fui direto tirando o calção, e me agarrando na bunda dela, arranquei-lhe o biquíni e fiquei pôr alguns segundos apreciando aquele monumento de mulher. Eu passava o ano esperando a chegada do verão para ver este mulherão e agora ela esta aqui na minha frente, umas tetonas bem gordas um pouco caídas e na ponta uns bicos muito grandes bem pontudos e pretos, as coxas bem grossas com uma pele muito macia, o bundão enorme com um quadril de 114 cm e a buceta totalmente raspada aparecendo os beiços bem pequenos, aproveitei e já dei-lhe uma boa lambida no grelo que estava bem duro, ela estremeceu toda e disse: calma meu alemão, vai com calma que eu não estou acostumada a estas coisas. Ai ela sentou e pediu para me olhar um pouco. Fiquei parado na frente dela, meu pau pendurado entre as pernas ia até a metade da minha coxa. Ela estava muito admirada, ela lambia, beijava a cabeça, passava a língua no furo da cabeça, tentava pega-lo todo mas sua mão não fechava em torno dele devido a grossura, ela me punhetava com as duas mãos e ainda sobrava um pedaço para pôr na boca, outra coisa que ela estava admirada era que ele mesmo duro ficava pendurado, não ficava apontando para o teto, ai eu falei que deveria ser por causa do tamanho ele ficava muito pesado e comecei a bater na cara dela com o pau. Eu já estava louco para fude-la, fomos para minha cama, Tia Miriam deitou de barriga para cima, eu deitei em cima dela com a vara esfregando sua buceta e beijava o seu pescoço, mamava suas tetas, mordia os enormes mamilos duros e pretos, Tia Miriam já estava entrando em desespero e pedia: me come meu alemão, não agüento mais me fode me arromba, fode a Tia Miriam fode. Tia Miriam abriu a bucetinha com as duas maõs e lentamente fui penetrando a bucetinha dela, aos poucos a cabeça do meu pau foi vencendo a batalha contra uma xoxota muito apertada e pequena, mais um pouco e mais da metade da vara já estava dentro da Tia Miriam. Ela urrava, gemia, berrava e balançava a cabeça igual a um cachorro quando esta brincando com um pano na boca. Ela dizia que era a primeira vez que gozava com um pau dentro da buceta, já sem forças ela dá mais uma gozada balançando a cabeça de um lado para o outro feito uma louca e seus gemidos se misturam com lágrimas e soluços. Tirei o pau e disse: me dá a boquinha, vem tomar leite gostoso e botei a cabeça do pau na sua boca em segundos começo a dar-lhe uma monumental gozada dentro da boca nos cabelos na cara, Tia Miriam ficou com porra por tudo. Ficamos deitados quietos por alguns minutos, Tia Miriam estava deitada com a coxa em cima do meu pau que ainda estava duro, ela me beijava o pescoço, enfiava a língua na minha orelha, quando ela disse: tu tens fogo neste pau, tu já gozou duas vezes e ele continua duro, eu fico tão feliz de ver um guri da tua idade com este tesão por mim, afinal tenho quase 50 anos, meu alemão quero te pedir uma coisa, vou ser bem direta, sempre quis isso mas o Luiz nunca fez, come meu cú, enterra este poste no meu rabo. Tia Miriam deitou com o bundão para cima, era tudo o que eu queria, fiquei um pouco olhando e passando a mão naquele monumento. Aí Tia Miriam disse: como ela é grande, em? Tu não imaginas Tia Miriam, disse a ela, o que eu já bati de punheta pensando neste rabão, as vezes eu ficava aqui na janela te espiando passar rebolando a bunda e corria para o banheiro me acabar. Levantei e fui no quarto da mãe pegar óleo hidratante, ai Tia Miriam ficou de quatro, abri bem o bundão e deixei o buraquinho do cuzinho dela amostra, encostei o cabeção no cuzinho, a desproporção de tamanho era algo impressionante, depois passei a lamber o buraquinho, Tia Miriam de quatro abria as bochechonas da bunda e dizia: meu alemão eu pedia para o Luiz me chupar a buceta, eu queria porra na boca, eu queria tomar no cú e ele nunca fez isso, como perdi tempo, lambe bem meu cuzinho virgem, lambe, lambe aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii. Passei óleo e enfiei um dedo, depois dois, três, preparei ela um pouco e comecei o sacrifício. Encostei o cabeção e fui forçando, mais um pouco e o cabeção entrou, Tia Miriam com a cara no traveseiro berrava feito uma doida e pedia para eu não parar. Botei mais óleo no pau, fiquei apenas mexendo com o cabeção, com o cuzinho já bem aberto fui aos poucos metendo o resto, o tesão que me dava ver aquela mulher gritando e gemendo daquele jeito. Já fazia uns vinte minutos que estava ali, Tia Miriam começa a chorar mas sempre dizendo para eu continuar enterrando, ela dizia que queria sentir meu saco batendo na bunda, mais um pouco e eu estou com toda pisa dentro do cú da Tia Miriam, meu saco agora batia no bundão como ela queria, fiquei entrando e saindo bem lentamente só vendo ela se debater em baixo de mim com aquela enorme bunda empinada. A Tia Miriam estava tão enlouquecida que quando me dou conta ela tinha rasgado o travesseiro a mordidas e rasgado o lençol com as unhas, ela dizia: como é bom gozar pelo cú, como é bom levar um pau deste tamanho na bunda. Eu estava quase gozando, parei de mexer um pouco e comecei a tocar no grelo que estava duríssimo, em segundos ela goza de novo, eu não aguentando mais digo: Tia Miriam vou entupir teu cú porra tá?? Ela mal conseguiu dizer, tá goza, goza meu macho. Dei-lhe uma tremenda acabada dentro do cú, Ela desabou na cama quase desmaiada, fiquei ainda por um tempo de pau duro dentro do cú dela, os dois de ladinho, aos poucos meus 28 cm saem de dentro daquele mulherão. Já era tarde e as pessoas podiam já estar voltando, Tia Miriam quase não conseguia caminhar, ajudei ela a se limpar no banheiro e ela foi embora caminhando com as pernas meio abertas e mancando. Nossa fodas continuaram depois em Porto Alegre, e até hoje sempre damos um jeito de dar uma boa trepada.


                                


Ficha do Conto

Escritor:
keko

Nome do conto:
A bunda daTia Miriam

Codigo do conto:
674

Categoria:
Heterosexual

Data do Envio:
10/03/2002

Quant.de Votos:
1

Quant.de Fotos:
0

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us



Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA