Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Blog Erótico   Entrar em contato  
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato

SITES PARCEIROS
   Blog Erótico
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web
   Videos Porno
   Porno Tube

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





Meu segundo amante


Meu Segundo Amante

Já contei para voces como foi que comecei a chifrar meu amado marido, sem ele saber, quanto mais putinha eu me tornava, mais o corno gostava, quanto mais pelada eu saia de casa mais ele achava lindo e maravilhoso, cantadas era inevitáveis, não tinha homem na rua que não mexe-se comigo, com meu amante, eu fazia de tudo na cama, era uma verdadeira puta para ele, na verdade ele foi o primeiro homem que me fez me sentir assim, chegava em casa depois de uma tarde inteira no motel e esfregava a minha bucetinha na boca do corno e ele nem se tocava que eu tinha metido muito. Na rua já era uma exibicionista completa, mostrava e mostro ate hoje tudo para os homens, só não estava chifrando o corno praticamente de sábados e domingos, o resto da semana tudo era motivo para eu procurar meu amante e dar para ele.
Foi num domingo de sol na praia com meu corno, que fiquei conhecendo meu segundo e gostoso amante, Rafael, amigo do meu marido, estava com um biquíni branco minúsculo e transparente, tinha ido na água me refrescar e quando sai da água foi aquele show para os homens, ficava tudo transparente, de longe pude ver que meu corninho estava conversando com alguém, chequei e logo fui apresenta a Rafael, moreno, alto, forte e bem dotado, pelo volume que se formou na sua sunga quando me viu, ele não tirou os olhos de mim, meu biquíni molhado era como eu estivesse pelada na frente dele, ele me fez muitos elogios, me paquerando na cara dura e o corno nem se tocava, quando meu biquíni começava a secar voltava rapidamente para água só continuar a provocação. Eram quase duas horas da tarde quando meu marido falou em ir embora para casa, Rafael, por sua vez insistiu para nos ficarmos mais um pouco, mas meu corno falou que tínhamos que ir, pois ia viajar no outro dia e tinha que arrumar ainda umas coisas, mas convidou o amigo para passar a noite pela nossa casa para tomar uma cerveja e continuar a conversa, Rafael aceitou e falou que pelas oito da noite passava por lá, nos despedimos e fomos embora.
Na volta para casa perguntei sobre Rafael para meu corninho, queria saber mais sobre ele, meu amado me deu a ficha completa dele, era noivo de uma garota, que vivia viajando a trabalho, e sempre estava sozinho por causa disto, e segundo o corno ele era muito safado saia com todas as mulheres.
Em casa tomamos banho, almoçamos e nos deitamos para descansar um pouco, por enquanto que o corno dormia, eu fiquei maquinando como iria fazer para ficar sozinha com o amigo do meu amado corno, meu amado nunca foi muito bom bebedor com três copos de cerveja já fica para lá de alegre, cinco ou seis copos e fatal ele dorme como uma criança e não tem quem o acorde, era o que ia fazer manter o copo dele cheio e incentivar o cornão a beber. Quando deu uma sete e meia da noite, meu maridinho falou seu não ia me arrumar que o amigo dele já estava para chegar. Coloquei uma blusinha super transparente e decotada estampadinha sem nada por baixo, e uma mine saia branca super curta sem calcinha que conforme eu andava ela subia e deixava tudo a mostra, e quando eu sentava então era um show daí que não tinha jeito mostrava tudo mesmo e não tinha como esconder, e ainda uma sandália de salto bem alto, para ficar com a bunda mais empinada ainda. Fui para sala e meu amado quando me viu falou, nossa você ta muito gostosa.
Nisto tocaram a campainha, era Rafael, falei para o corno vai lá abrir a porta para ele, me levantei arrumei minha saía, Rafael entrou e já me olhou de cima a baixo, veio me deu um beijo no rosto, falou que eu estava linda, e eu falei para ele se sentar, continuei em pé, perguntei para ele se bebia alguma coisa, ele respondeu que uma cerveja seria ótimo olhando para meus peitos, meu amado já estava sentado numa outra poltrona, me virei e perguntei e você amor o que quer beber, ele falou que uma cerveja estava bom também para ele, isto foi excelente como eu tinha planejado, me virei agora ficando completamente de costas para Rafael, e comecei a andar em direção a cozinha, não dei três passos e pude sentir que minha saia já tinha subido, e minha bunda devia estar bem a mostra para o amigo gostoso do meu marido, e nesta hora um misto de vergonha e excitação tomou conta de mim e pude sentir que minha chaninha se encharcou, já tinha me exibido muito por ai, mas nunca assim tão depravadamente, somente quando entrei na cozinha que olhei para baixo para ver como estava minha mine saia, e fiquei surpresa ela tinha subido completamente estava toda embolada na cintura, eu pensei meu deus não era para tanto, como vou voltar para sala com a cerveja e os copos vai ser como se eu estivesse levando as coisa sem estar vestindo nada, e não vai dar nem para eu puxar de volta, eu fiquei ali e vi que não tinha jeito peguei a cerveja e os copos e fui, falei seja o que deus quiser, voltei para sala e minha saia levantou agora Rafael podia ver minha bocetinha completamente, andei em sua direção ate ficar bem em frente a ele, ele estava paralisado com a visão, me virei e me curvei empinado bem a bunda e abrindo as pernas, ele teve ter visto tudo assim, coloquei a bebida e os copos em cima da mesinha de centro me descurvei, dei uma ajeitada na saia como se nada tivesse acontecido fui para o sofá de frente para Rafael e me sentei, eu estava encharcada de tesão, mas a vergonha já tinha passado, e sentada não tinha jeito de não mostrar minha buceta para Rafael, que estava pelo volume nas calcas excitadíssimo também, eu escancarava minhas pernas para ele ver mais ainda e fazia cara de safada para ele, a excitação tomou conta de vez de mim, meu bicos do peito e meu grelinho estavam durinhos já, e mesmo assim não descuidei do copo do meu amado, quando esvaziava um pouco já tratava de encher novamente, não deixando faltar cerveja para ele, Rafael se tocou da minha intenção e mal tocava no seu como, deixando o corno beber sozinho, rapidinho ele já estava falando torto dando sinal que a cerveja já estava fazendo efeito, dei mais cerveja ainda para ele deixando ele mais bêbado ainda, e logo começou a pescar como se fosse dormir, falei para Rafael me ajudar a levar o corno para cama, levamos ele tiramos sua roupa deitamos ele na cama e saímos do quarto fechamos a porta e no caminho de volta para sala já começamos a nos agarrar, já cheguei na sala pelada e ajudei Rafael a tirar a roupa nos beijando e nos alisando, quando vi o pinto de Rafael fiquei mais excitada ainda, era grande como do meu primeiro amante mas mais grosso ainda, ele falou vai chupa putinha chupa meu pau chupa, me ajoelhei e comecei a chupar, era difícil colocar ele na boca mas abri o máximo que pude e fiz uma chupeta que de arrancar gemidos dele, nisto ele me pegou e me colocou de quatro no sofá a sala , começou a beijar e lamber minha bunda, para daí abrir ela e começar a chupar minha buceta fazendo a língua ir de da minha bucetinha a meu cuzinho me fazendo delirar de tesão e me arrancando o primeiro gozo da noite, anunciei que ia gozar e ele me mandou gozar na boca dele, que delicia, daí ele se levantou ajeitou o pau na entrada da minha bucetinha e enfiou tudo numa estocada só, me arrancado um grito, e começou a socar seu pau na minha grutinha com força eu sentia ele entrando e saindo quase totalmente, rápido e com força me fazendo ter vários orgasmos aos berros com ele me xingando de puta, safada, vaca e outros nomes me dando mais tesão ainda ate que gozou, enchendo minha grutinha de leite, quente, grosso e abundante me fazendo gozar mais uma fez, esta trepada me deixou completamente mole, ficamos no sofá nos beijando e nos alisando e o pau dele nem chegou a amolecer, assim que recuperei o fôlego subi em cima dele ajeitei seu pau e comecei uma deliciosa cavalgada, no seu pinto, subindo descendo rebolando naquele pau gostoso, ele chupava meus peitinhos e enfiava os dedos no meu cuzinho, o pau dele preenchia totalmente minha buceta, e cavalgava e ele dava estocadas em mim, me fazendo urrar de prazer e me arrancando mais uma serie de orgasmos ate que gozou inundando mais ainda minha bucetinha com sua porra quente. Ficamos deitados no sofá nos alisando, nos beijando podia sentir a porra dele saindo da minha grutinha e melando toda minha perna e bunda, logo o pau dele já estava duro novamente, ele me fez chupar e mandou deixar ele bem molhado de saliva, daí me colocou de quatro abriu minha bunda com as duas mãos ajeitou aquele pintão na entrada do meu cuzinho e foi forçando a entrada, já estava acostumada a dar o cu para meu outro amante mas o pinto dele era muito mais grosso do que de Carlos, e comecei a sentir dor e querer fugir, mas ele me segurou e forçou mais ainda a entrada daquele pinto maravilhoso no meu cu eu gritava de dor, urrava mas ele não parava ate que entrou tudo, ficou um pouco parado para eu me acostumar com o volume, e daí começou a por e tirar primeiro devagar para daí ir aumentando o ritmo das estocadas pondo e tirando quase que completamente me xingando de tudo quanto e nome, e eu falando que era mesmo e gozando uma vez atrás da outra, sem parar ate que ele gozou parecendo que ia me rasgar no meio, e encheu meu cuzinho de porra, fui ao céu nesta ultima gozada dele e fiquei quase desfalecida no sofá, estava com o corpo mole de tanto gozar, ficamos nos beijando mais um pouco ate que Rafael falou que tinha que ir embora, mas como o corno ia viajar pela manha que ele voltava as nove da manhã e era para eu esperar ele já pelada, que ele ia me comer mais ainda, que agora eu ia ser a puta dele para ele fazer o que ele quisesse, falei que sim que faria tudo que ele manda-se, ele se arrumou e eu acompanhei ele ate o portão pelada demos mais uns beijos bem safados e ele foi embora para voltar no outro dia, entrei em casa recolhi minhas roupas joguei numa cadeira e fui me deitar ao lado do corno que estava roncando já, não tomei banho para ficar sentindo o cheiro gostoso do macho em mim, satisfeita e agora puta de dois machos bem sacanas e pintudos, fui putinha de Rafael durante oito messes ate que ele se casou e eu fui a puta da despedida de solteiro dele mas isto eu conto outra hora se vocês quiserem e claro


Ficha do Conto

Escritor:
maridinhocorno

Nome do conto:
Meu segundo amante

Codigo do conto:
6859

Categoria:
Traição/Corno

Data do Envio:
09/01/2006

Quant.de Votos:
0

Quant.de Fotos:
0

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us



Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
6220 meu primeiro chifre oficial Traição/Corno 0
6685 O primeiro chifre que dei no corno Traição/Corno 1
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA