Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Blog Erótico   Entrar em contato  
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato
   Ajuda (Duvidas)

SITES PARCEIROS
   Blog Erótico
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





Me Perdeu no Jogo, Então Eu Dei


O que vou relatar a seguir realmente aconteceu, foi no ano de 2003, eu tinha 19 anos na época, todos dizem que sou uma garota tipo filé, tenho 1,68 de altura, peso 62 kg, bunda grande e empinadinha, seios médios, durinhos loira, olhos verdes, cabelos cacheados como um anjinho! Eu e meu pai sempre íamos a uma chácara de um amigo dele, pelo menos uma vez por mês, lá iam muitas pessoas, e uma garota muito amiga minha, nos conhecemos nessa chácara quando crianças e desde então sempre nos encontrávamos lá.
Bem, foi num domingo de novembro que meu pai me acordou dizendo que íamos pra chácara, estranhei, pois até aquele momento ninguém comentou nada, mas me animei qdo ele falou que Bia, minha amiga, também estaria lá, minha mãe como sempre não quis ir, então como de costume fomos apenas nós dois.
Quando chegamos, vi Roberto o pai de Bia, mas não vi minha amiga, foi quando ele disse: “Infelizmente sua amiga teve um problema e não pode vir, sinto muito”.
Fiquei puta da vida, ainda mais que percebi que além de mim, Roberto e meu pai, havia apenas mais três sujeitos que eu mal conhecia, pois eles quase não iam pra lá, a única coisa que eu sabia é que todos trabalhavam juntos.
Os homens entraram, e foram direto pra churrasqueira, eu que já tava de biquíni, dali mesmo fui direto para a piscina e ali fiquei por umas 3 a 4 horas, nem fui comer, além de entediada, tava meio encabulada por ser a única mulher no local. Quando resolvi entrar, eles estavam na copa jogando baralho, não sei que jogo era, mas valia dinheiro, pois vi as notas em cima da mesa, me sentei na sala ao lado e liguei a tv.
De repente ouvi alguém dizer que meu pai tava sem sorte e que se ele quisesse continuar ia ter que apostar bem alto, percebi meu pai relutar e dizer “Ela não!”, nem dei bola, mas depois fui saber que eles falavam de mim, isso mesmo queriam que meu pai me usasse para cobrir a aposta, só dei conta quando o Roberto disse que ganhara o jogo e vi meu pai se exaltar dizendo para eu ir embora dali, mas até que eu percebesse Roberto e Flávio já estavam na minha frente enquanto Daniel e Mauro seguravam meu pai.
Eu xingava, me debatia, mas era em vão, então eles arrancaram meu biquíni e eu caí na real, seria possuída ali mesmo e a culpa era toda do meu pai que me apostou no jogo, então comecei a xingá-lo de velho, corno, desgraçado, coisas assim, e resolvi cooperar com eles desde que me comecem na frente do meu pai, isso mesmo, decidi que o maior castigo pra ele seria ver a filhinha se comportando como uma verdadeira cadela. Isso foi como um sinal de ataque para Roberto e Flávio que começaram a me lamber chupar os peitos, enfiar os dedos na minha xana e cuzinho, comecei a ficar excitada e me contorcer toda, então me ajoelhei e comecei a apertar aqueles membros maravilhosos, ainda por cima das bermudas, que em instantes estavam no chão, passei a chupar hora um, hora outro, enfiava o que podia na boca depois tirava devagar, olhei para meu pai e disse: “Olha só o que você fez da sua própria filha, sou uma cadela no cio e a culpa é sua, isso é só o começo” Olhei para os outros dois e falei: “O que vocês estão esperando, dois cacetes são mixaria quando se pode ter quatro” Eles soltaram meu pai que já havia percebido que não podia fazer nada além de assistir e vieram nus, com seus mastros empinados em direção da minha boca, então Flávio disse que queria meter, mas Roberto não deixou, afinal ele ganhou o jogo, tinha o direito de ser o primeiro, sentou no sofá e mandou eu sentar, ao que obedeci de pronto, posicionei aquele caralho grosso na porta da minha buceta, deixei a cabecinha abrir caminho e soltei o corpo com tudo, urrei, mas foi uma delícia, Roberto me abraçava com força e chupava meus peitos, mordia, chegava a doer, mas o tesão era tão grande que eu pedia pra ele fazer isso, logo vi os outros três a minha volta e comecei a chupá-los, logo Roberto chamou Flávio e mandou ele me comer, e assim ele fez, e os outros dois logo em seguida, enquanto dava pra um, me revezava chupando os outros, quando Daniel que ficou por último se alojou em mim, disse algo que até hoje não acredito que tenha tido coragem, falei: “Tô sentindo que Falta algo no meu cuzinho, quem vai querer” Roberto disse que deixaria Flávio inaugurar meu cú, pois o pau dele não era tão grosso e não machucaria tanto, dei uma olhada para meu pai que só chorava e falei em voz alta: Enfia tudo de uma vez, e não importa o que eu faça ou fale não pare, quero sentir suas bolas batendo na minha bunda. Ele então deu uma cusparada no meu cú, outra no pau, posicionou, enfiou a cabecinha, o que já ardeu, segurou minhas ancas, e marretou de uma só vez, quase desmaiei, sentia muita dor, via luzes coloridas na minha frente, não conseguia falar mais nada, deve ter levado uns dois minutos pra recobrar o raciocínio, aí começou o vai e vem dos dois cacetes em mim, comecei a sentir calafrios enormes a respiração ficou curta e acelerada, até que gozei como uma louca, então não vi mais nada.
Disseram que apaguei por uns dez minutos, estavam todos preocupados, meu pai que já parecia um zumbi só andava de um lado pro outro, percebendo isso eu pedi desculpas por ter cortado o barato deles e resolvi compensa-los, pedi pra que se sentassem, fui primeiro até Roberto, chupei gostoso até ele ficar duro novamente, então sentei gostoso, fazendo seu pau sumir no meu cú, que já tava aberto, fiz isso com todos, depois voltei chupando um a um até gozarem na minha boca, rosto e peitos.
Depois de todos satisfeitos, fui tomar banho, quando saí meu pai já estava no carro, peguei minhas roupas, dei um beijo em cada um dos meus estupradores e fui embora, no caminho, nenhuma palavra, até em casa, chegando fui para o meu quarto e chorei pra valer, não pelo que fiz, porque foi bom a bessa, mas chorei por ter um pai como o meu, que preferiu apostar a própria filha do que abandonar a mesa de jogo.
Hoje moro em outra cidade, não converso mais com o meu pai, só quando minha mãe está perto, pra disfarçar, não quero que ela se machuque com o marido que tem.
Hoje adoro sexo, estou sempre a procura de novas aventuras, me escrevam!!!!!!

Bem, se gostaram votem no conto por favor


Ficha do Conto

Escritor:
lu gatinha

Nome do conto:
Me Perdeu no Jogo, Então Eu Dei

Codigo do conto:
7452

Categoria:
Grupal e Orgias

Data do Envio:
17/03/2006

Quant.de Votos:
3

Quant.de Fotos:
0

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us



Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
7589 Vale a pena fazer um favor Grupal e Orgias 0
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA