Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Blog Erótico   Entrar em contato  
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato

SITES PARCEIROS
   Blog Erótico
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web
   Videos Porno
   Porno Tube

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





Mae e filha


"Eu tive a experiência sexual mais fascinante da minha vida com uma jovem de 17 anos, que trazia consigo a essência do prazer. Como já revelei em outrs ocasiões, vivia um período de intensa liberdade, transando com homens e mulheres, para recuperar o tempo perdido do fiel casamento. Na realidade, havia sido seduzida pela mãe dela, lésbica assumida e que me proporcionou bons momentos, porém o seu espírito masculino rompia àquela expectativa de encontrar no mesmo sexo a compreensão a minhas necessidades. Ela queria me penetrar como uma vadia. No início, foi até bom, entretanto, com o passar do tempo aquilo me incomodava.

"Eu curtia a sua cria, com traços grosseiros, pernas, mãos, coxas e rosto de homem. Se não fosse os cabelos longos, seria confundida facilmente. Mas que volúpia, trepava quase todos os dias com os meninos mais belos do colégio e homens feitos, que não resistiam a sua intensidade. Apesar disso, vivia triste, insatisfeita e lendo romances de quinta categoria. Ela sabia das minhas transas com a mãe e parecia não se incomodar. Um dia a surpreendi na pequena sala, lendo um daqueles gibis, vestindo apenas uma camisola branca, transparente e que franqueava o corpanzil, com a xana e peitos exuberantes, transbordando sensualidade. Fiquei um bom tempo admirando-a, até que interrompeu a leitura para beber água e se deparou comigo. Os meus peitos em sentinela e o brilhar da minha xana denunciavam-me. Ela apenas sorriu, com os seus lábios grossos e carnudos, os dentes firmes e brincou: "Minha mãe é competente, nota-se que você está em chamas."

"Eu prendi os cabelos para exibir-me toda. Estava totalmente entregue aquela fêmea-macho, Sentei de pernas abertas, na mesinha, derrubando um ou dois enfeites, e enfiem dois dedos na minha xana: ´Vou gozar para você. Sabe menina, sempre que venho aqui, a sua mãe me dá as suas calcinhas para eu sugar todo o seu mel. Já sei identificar o seu gozo da urina e até o absorvente menstruado me deixa louca. Quando sua mãe me penetra, penso em você, imagino toda volúpia que deve ter. Ela sabe disso e se orgulha´. A filha me olhou, sem esboçar reação, apenas ofereceu-me um lugar ao seu lado no sofá bem apertado. As nossas coxas se tocaram, assim como meus seios nos seus largos ombros. Ela, então, se ajoelhou e começou a lamber os meus pés. De forma lenta, passeando a língua entre os dedos, beijando as unhas, mordiscando a planta e os peitos. Ia até os calcanhares, cuspia e secava com a imensa língua. Eu já enfiava todos os dedos na xana, que ardia, implorando para ser devastada.

Para minha surpresa, retornou ao sofá e aninhou-me no seu colo. Logo identifiquei o cheiro do prazer e o aspirei com grande satisfação. Eu afastei o vestido e introduzi a língua em sua xana, que estava em ebulição, sugando todo o mel na fonte e me deliciando com o grelão. Ao mesmo tempo, ela acariciava o meu cabelo, como se buscasse piolhos, beijando cada fio, como meu cucuruco, até explorar a nuca, torturando-me de prazer. Eu não agüentei e escancarei a xana: ´acaba com isso, sua puta´. Ela, senhora de si, deu-me dois tapas na cara e me virou de bruçus. Sentou-se ao chão e beijou-me com paciência as costas, coxas, tornozelos, deixando o cuzinho para o final. Como piscava, e que satisfação senti com o avançar da sua língua, a lamber-me com carinho e maestria, afastando-as bandas com as mãos, para ter mais êxito na invasão. Virou-me de frente e se divertiu com a minha xana, cada vez que implorava para ser penetrada, sorria e falava: ´não sou homem, quero te satisfazer com os meus recursos`. E como gozei na sua boca e me recompensava com beijos melosos...A sua mãe era espectadora privilegiada e entrou em cena: "Bem, o terreno já está capinado, agora vou arrasá-lo...".   


Ficha do Conto

Escritor:
rela491380

Nome do conto:
Mae e filha

Codigo do conto:
7682

Categoria:
Lésbicas

Data do Envio:
09/04/2006

Quant.de Votos:
1

Quant.de Fotos:
0

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us



Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
6835 Inicio da Liberdade Lésbicas 0
8298 Sob intenso vapor... Lésbicas 0
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA