Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Entrar em contato   Bate Papo
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato

SITES PARCEIROS
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web
   Videos Porno
   Porno Tube

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





Ninfetinha safada


Olá, pessoal!
O que lhes narro neste relato é inteiramente verídico, e aconteceu comigo há cerca de três anos.
Eu havia sido casado e tinha me separado da minha esposa há poucos dias. Moro na Região Serrana do Rio de Janeiro, e na minha cidade todos anos ocorre um festival da cerveja. Eu fui à festa, conversei com amigos, bebi um pouco, mas resolvi não voltar para casa, pois como bom recém solteiro, iria dormir na casa da minha mãe.
Cheguei em casa por volta das 03:30h. Abri a garagem, mas antes de guardar o carro avistei três pessoas vindo na rua e, necessariamente, passariam por mim. Eram duas mulheres e um homem. Quando se aproximavam vi que uma das mulheres era uma vizinha e estava acompanhada com seu namorado. Todavia, a outra menina estava sozinha e era um tesão de menina...
Muito educadamente, cumprimentei minha vizinha a qual respondeu cordialmente, bem como seu namorado também o fez. Então, perguntei a ela se não iria me apresentar sua amiga, ocasião em que a ninfetinha veio na minha direção, aparentando estar um pouco embriagada e me disse: "Eu sempre te dei mole, mas você nunca quis ficar comigo". Eu nunca tinha visto aquela delícia, mas já que ela começou com aquele papo, eu aproveitei. Respondi para ela que aquele poderia ser o momento para a gente conversar. Então, ela se dirigiu para a minha vizinha e seu namorado e disse: "Vocês podem ir embora que eu vou demorar".
Amanda era o seu nome. Apesar do frio que fazia, ela trajava uma saia de slink (um tecido bem fino), um top do tipo tomara-que-caia e uma pequena jaqueta. Era uma morena de cerca de 1,75m, 19 aninhos, um rosto lindo e um corpo que implorava por sexo. A simples visão de sua bunda empinando o tecido da saia me deixou de pau duro.
Coloquei o carro na garagem, abaixei as portas e a chamei para dentro. A garota entrou e parti pra cima...
Dei-lhe um beijo e a abracei com força... A menina retribuiu meu beijo e chupava minha língua com um tesão descomunal. Enquanto eu a beijava, apertava o corpo dela contra o meu, e ela fazia questão de ficar esfregando sua xotinha no meu pau.
Nosso beijo se prolongou... e aproveitei para acariciar aquela delícia... quando passei minha mão em sua cintura, pude perceber através do fino tecido de sua saia que sua calcinha era minúscula... fiquei louco de tesão!!! Então passei a investir em sua bundinha, que confirmou minha imaginação, tendo uma micro calcinha toda enterrada no reguinho...
Quanto mais eu apertava sua bundinha, mais Amanda esfregava a xota no meu pau, cada vez mais duro. Meti a mão por baixo da saia e senti a textura daquela pele... Que delícia, fico de pau duro de novo, só de imaginar!
Passei a beijar seu pescoço, e fui descendo... como sua blusa ajudava, bastou puxá-la para baixo e fiquei de frente de duas maravilhas... Suas tetinhas não eram grandes, mas eram durinhas e deliciosas! Chupei avidamente aquelas tetas maravilhosas, enquanto minha mão já brincava no cuzinho de Amanda...
Num golpe rápido e louco de tesão, peguei Amanda com força pelo braço e a joguei sobre o capu do carro, deixando-a com a bundinha para cima. No mesmo instante, arranquei sua calcinha com violência e caí de boca... cheguei a enfiar a línqua naquela xotinha, já inteiramente molhada, tendo como prêmio a visão daquela bunda maravilhosa!
Quando me levantei para cravar-lhe a piroca, Amanda não deixou, dizendo que agora era sua vez. A menina se abaixou na minha frente e, com muita intimidade, abriu minha calça, colocou meu pau para fora e começou a chupar... Que boquete! A ninfetinha chupava como uma puta profissional! Ela prendia a cabeça do pau com os lábios e ficava rodando sua língua em todo o redor... tive de me segurar para não gozar logo em sua boquinha. Além disso, engolia o pau todo, brincava de passar a piroca no queixo, enfim, um boquete fenomenal.
Não aguentava mais de tesão. Meu carro é de quatro portas e, então, abri a porta de trás e joguei Amanda para dentro. Nem tirei sua saia. Abri suas pernas e aquela boceta depiladinha me levou à loucura. Encostei a cabeça, parei e depois enfiei tudo de um só vez. Amanda gritou, como se tivesse doído, mas nem deu para pensar em nada. O nosso tesão era maior. Comecei a bombar e Amanda a rebolar. A menina mexe muito gostoso. Fiquei fodendo aquela xota careca por algum tempo, até que ela disse que queria me cavalgar. Então, sentei no banco do carro e ela veio por cima. Sentou no pau com vontade e cavalgava a piroca com muito tesão! Enquanto minha ninfetinha safada subia e descia na minha vara, eu apertava sua bundinha e ameaçava a enfiar o dedo no seu cuzinho... isso parecia que aumentava o tesão de Amanda.
De repente, Amanda começou a gritar, a me arranhar, e disse que estava gozando... não resisti e praticamente junto com ela gozei também, enchendo sua bocetinha de porra!!!
Amanda saiu do carro, vestiu a roupa e disse que iria embora. Chegou à porta da garagem e viu que sua amiga e o namorado já tinham ido embora. Então se lembrou que ela própria os tinha mandado ir e, como não precisava ter pressa, falou queria mais.
Quando ouvi sua vozinha de menina dizendo que queria mais, fiquei pronto novamente. A agarrei por trás, me esfregando em sua bunda, enquanto me livrava de sua blusa. Meti a mão por dentro da calcinha, metendo dois dedos na sua xota, que ainda expelia minha porra...
Coloquei Amanda de quatro e tirei sua calcinha. Aquela bunda perfeita empinada para mim foi uma das melhores visões que tive na vida! Coloquei o pau para fora e comecei a brincar, ora esfregando a cabeça na xotinha, ora esfregando na porta do cuzinho... Ela percebeu o que eu queria, mas não disse nada, apenas segurou uma nádega com cada mão e arreganhou a bunda, se abrindo toda... Não resisti. Encostei a cabeça do pau naquele cuzinho lindo e comecei a forçar... Meu pau é bem grosso e ficou difícil a penetração. Então peguei um KY que eu carregava estrategicamente no carro e lambuzei o cu de Amanda. Um dedo entrou fácil... depois coloquei dois e ela começou a rebolar com os dedos cravados na bunda. Então eu disse a ela que só iria comer a bundinha dela se ela me pedisse. Ela entendeu o jogo e sabia que sua voz me enchia de tesão. Então Amanda falou: "Enfia esse piruzão no me cuzinho, vai!" Aquela frase soou para mim como uma ordem. Novamente encostei o pau naquele cu lambuzado. Forcei e a cabeça entrou. Amanda gritou. Fiquei parado, estático; ela também. Alguns segundos depois, enfiei o resto, tudo de uma vez só. Amanda berrou pra caralho, e dizia que estava doendo. Novamente parei; não me mexia e não falava nada. Acho que logo depois o tesão falou mais alto e Amanda olhou para trás e me disse: "Vai, fode a minha bunda" A cena daquele rabo maravilhoso engolindo o meu pau inteiro era perfeita! Comecei a bombar aquele cuzinho devagar, mais aos poucos fui acelerando, enquanto minha putinha gritava e se acariciava, enfiando dedos na xota... Que cuzinho delicioso!!! Ficamos fodendo assim, até que Amanda gozou de novo. Logo depois, tirei o pau do seu cu, e olhei aquele buraco arrombado... Meti de novo no cuzinho de Amanda; segurei com força suas ancas, acelerei os movimentos e enchi seu buraquinho de porra. Ainda ficamos nos beijando e nos acariciando por alguns minutos. Ficamos até a minha vizinha chegar e bater na porta da garagem, chamando por Amanda.
Ainda saí com Amanda por mais três vezes, mas ela se mudou de cidade e não mais a vi.


Ficha do Conto

Escritor:
marcelocarai

Nome do conto:
Ninfetinha safada

Codigo do conto:
8613

Categoria:
Heterosexual

Data do Envio:
10/07/2006

Quant.de Votos:
1

Quant.de Fotos:
0

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us



Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA