Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Blog Erótico   Entrar em contato  
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato
   Ajuda (Duvidas)

SITES PARCEIROS
   Blog Erótico
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





Brincando, dando e comendo o sogro


Atrás de uma brincadeira às vezes se esconde uma verdade. Pois é, o que ou contar começou com uma inocente brincadeira. Sou uma pessoa comum como outra qualquer, um jovem, aliás, não tão jovem assim, pois Tenho 29 anos. Sou casado, sem filhos até momento, mas amante da vida e de minha esposa. Meu sogro é um sujeito um tanto quanto invocado, contudo é gente boa, boníssima. Quando comecei a namorar com a filha dele, hoje minha esposa ele não gostava muito de mim, não sei o porque, mas me tolerava. O fato é amizade e espaços se conquistam e não se impõem. Aconteceu que conquistei ambos. Quando fiquei noivo de sua filha ele começou a brincar comigo, não perdia a oportunidade de medir minhas costas palmo a palmo e dizer: “Ainda não está bem, não dá pra encaixar direito.”, eu apenas balançava a cabeça e ria. Levava sempre na brincadeira, sem a menor maldade. Afinal o cara era meu sogro.
Entre noivado a namoro ficamos juntos três anos e meios, nos casamos e fomos morar em um bairro próximo ao que moravam meus sogros, minha esposa não queria ficar longe da mãe. Quase todos os finais de semanas íamos almoçar com eles, sempre tinha algumas festinha por lá, sempre um motivo pra reunir a família e os amigos. Meu sogro não perdia tempo e depois de alguns goles começava. Uma vez meu sogro sugeriu que passássemos um final de semana na casa de praia, alegando que estava ficando entediado com o fato de sempre fazer as mesmas coisas e no mesmo local. O convite foi aceito por todos os que estavam presente, inclusive eu e minha esposa, é claro. E assim fomos passar um “feriadão” diferente, mas com as mesmas pessoas, o que podia ter de tão diferente nisso? Eu iria descobrir depois e como descobrir. Confesso que mesmo tendo nascido em uma cidade litorânea não sou mito amante de praia, me incomoda a areia entrar na sunga.
O passeio transcorreu sem problema, a mesmice se sempre, nada, nada mesmo de diferente a não ser o local, a praia. Será mais cinco dias de tédio, pensei. Como de costume todos comiam ou mal comiam e iam à praia, ficando por lá uma boa parte do tempo, meus sogros e minha esposa sempre estavam entre eles. Embora tivesse uma boa piscina na casa. Praia é praia, diziam. Eu como sempre ficava na casa à beira da piscina pegando um solzinho em busca de bronzeado. No quarto dia de praia eu já estava cheio de tudo aquilo. Todos comeram e resolveram ir à praia, como sempre, porém, meu sogro disse que estava um pouco indisposto e resolveu ficar na casa. Ficamos apenas nós dois. Eu fui cumprir a minha parte no ritual da rotina, deitar à beira da piscina.
Estava deitado tomando meu solzinho nas costa quando alguém se aproximou, e mediu a minhas costas (ombro pra ser mais exato). Era meu sogro. Olhei e o safado riu e disse: “Está com as costas largas, está quase bom”. Eu perguntei: “Bom porá que? Que papo escroto é esse? Você fica sempre medindo minhas costas. Está querendo conferir o que? Ele riu e disse: “Está assustado, parece que foi picado por cobra”. “Não se preocupe, quando estiver no ponto eu digo”, e saiu. Detesto deixar assunto pela metade. Fui atrás dele até a sala da casa. “Quero saber porque essas brincadeiras comigo, disse-lhe um pouco nervoso. Ele pediu que me acalmasse, não era nada demais. Apenas brincadeira. Voltei para a piscina e pouco tempo depois ele tornou a pintar, mas dessa vez usando uma sunga que dava pra perceber tudo. Olhei a figura e ri. Ele percebendo meu sorriso se aproximou e puxou papo. “Você transaria com um homem”, perguntou na seca. Fiquei sem ação, não entendi e pedi que repetisse a pergunta. Ele a fez. Eu respondi, “sou um homem casado, você esqueceu? Sou casado com sua filha”. Ele disse: “não respondeu minha pergunta”. Fiquei grilado. “Não sei cara, não sei cara. De repente, quem sabe, sabe como é....homem tem necessidade, sei lá”. “Você transaria”, disse ele. Balancei a cabeça negativamente e ele disse que sim, que eu transaria com certeza. Pra falar a verdade nunca havia passado por minha cabeça semelhante idéia. Ele se aproximou e disse: ”Sabe o porquê te meço sempre, você tem uma bunda linda e me deixa com um puto tesão, sei que sou seu sogro, mas já comi alguns caras quando era jovem e você me lembra um deles”. Fiquei perplexo com a revelação de meu sogro. “Você é um pouco maior do que eu, mas na horizontal tudo fica igual”, completou. Não sei se foi o papo, mas fiquei com tesão também e acabei dizendo meio se jeito: “ Quando alguém quer alguma coisa sempre busca, nunca desiste”. E ri outra novamente. Ele me convidou pra entrar. Entramos e fomos parar no quartinho do fundo. Já estávamos de pau duro. Ele me puxou e começou a roçar o pau dele no meu por cima da sunga, depois ficou pelado e pediu que eu tirasse a sunga também, afinal não podíamos perder tempo. Fiz o que ele pediu e quando dei por mim estávamos fazendo um delicioso “69”. Eu estava chupando meu sogro e sendo chupado por ele. Jamais poderia imaginar cena. Depois de uns 15 minutos ele perguntou se poderia me comer, pelo menos tentar. Eu disse que não, que aquilo era o máximo que eu poderia fazer naquele dia. Ficaria pra outra oportunidade, quem sabe. Ele concordou. E finalizamos. Voltei para a piscina sem graça e ele como se nada tivesse acontecido.
Quando falei outra oportunidade não imaginaria que fosse no dia seguinte. Depois que todos saíram ele me procurou na piscina e perguntou se poderíamos finalizar o que começamos. Concordei meio apreensivo, mas concordei. Voltamos ao mesmo quarto e dessa vez transamos por um bom tempo. Ele foi logo tirando a roupa e depois começou a tirar a minha. Pediu que ficasse de quatro, pois iria me iniciar na putaria espartana, disse. “Também quero provar”, disse eu. Ele concordou. Foi uma tarde inesquecível, a tarde em que comi meu sogro e fui enrabado por ele em todas as posições. Não sabia que sexo entre homens poderia ser tão gostoso. Ainda transamos quando temos oportunidade, mas evito isso o máximo que posso. Não gosto da idéia de estar traindo minha esposa com seu pai. Mas confesso que já transei com outros caras, embora jure para meu sogro que só faço com ele. Ele me iniciou me drogou com o prazer do sexo entre homens, agora estou viciado. Um bom professor ensina ao seu aluno algumas coisas, as outras ele busca aprender por sua própria conta, eu faço isso. Busco cada diz me aprimorar mais no prazer do sexo entre homens. Claro, que sem perder o tesão por mulheres, sobretudo minha esposa que amo demais. Mas sexo é sexo.
Foto Perfil villysalvador

Ficha do Conto

Escritor:
villysalvador

Nome do conto:
Brincando, dando e comendo o sogro

Codigo do conto:
9039

Categoria:
Traição/Corno

Data do Envio:
10/02/2010

Quant.de Votos:
8

Quant.de Fotos:
1

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us
Foto 1 do Conto erotico: Brincando, dando e comendo o sogro




Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Ultimos Comentários
Comentado por: antoniotonho em: 28/01/2014
Já dei para meu irmão e ele gozou no meu cú, foi bom mais muito rápido, após isso tentei dar para primos, mas só dava tesão e não rolava, um dia acabei dando para meu tio ai sim foi bom apesar de ter doído no inicio.
Comentado por: juli costa em: 05/04/2013
Eu ja chupei o pau do meu sogro, ha um tempo atraz, uma delicia....
Comentado por: uma só carne em: 08/10/2011
Bom conto parece ser veridico.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
8957 Se descobrindo. Virgens 5
8962 Cantando e encantando no ônibus Interrraciais 2
8972 A primeira e primeira vez de Vera Heterosexual 1
8987 Do virtual ao sexo real em grupo Grupal e Orgias 0
9042 Cabral mostra a bunda, mas dá o pau. Heterosexual 0
9050 Um dente furado e um dentista furador. Gays 25
9061 Amor eterno, amor de carnaval Grupal e Orgias 1
9072 O vendedor de beiju mole dá duro também. Gays 12
9264 Comendo um vulcão, a minha primeira vez com outro Gays 8
9272 Descobrindo o prazer na trilha. Fantasias 1
9403 REALIZANDO UMA FANTASIA SEXUAL COM UM MILITAR. Gays 4
9424 Um corpo desenhado na chuva e dois segredos revela Gays 3
10469 Um dia com o ajudante de pedreiro Gays 3
10474 Dando ao meu cunhado e ao meu sogro. Traição/Corno 10
10511 vingança de uma dona de casa...provando o néctar d Traição/Corno 3
10604 Quem come dá também!!! Gays 5
10616 MEU IRMÃO É UM GP DELICIOSO Incesto 10
10852 Minha primeira transa a três Gays 2
10935 Pulando o muro do mecânico para ser lubrificada. Traição/Corno 3
11555 MiNHA PRIMEIRA VEZ NA ACADEMIA Gays 5
12517 meu cunhado, parte 1 Gays 7
12588 Meu cunhado, parte 2 Gays 13
37253 Leva nós – a primeira vez de um hetero comedor de Gays 6
46214 Jogando com tacos e bolas Grupal e Orgias 7
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA