Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Blog Erótico   Entrar em contato  
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato
   Ajuda (Duvidas)

SITES PARCEIROS
   Blog Erótico
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





Onibus Lotado


Tenho 16 anos, estatura mediana - cerca de 1,65m - e sou magrinha.
Descendentes de índios, tenho a pele naturalmente morena, com cabelos lisos extremamente lisos e pretos - uso uma franjinha regular acima dos olhos que me deixa com um aspecto infantil.
Minha genética abençoada me proporcionou um corpo maravilhoso. Não é pra me gabar, mas como os meninos da escola diziam, sou cavalona (risos). Possuo um belo par de coxas torneadas e um bumbum empinadinho durinho - sim, faço academia para mantê-los e estar sempre bem - e meus seios não são exatamente grandes, mas proporcionais ao meu corpo, sendo bem redondinhos e com um biquinho pequeno. É a parte do meu corpo que mais gosto, porém nao é a que mais chama atenção, claro!
Quando visto um jeans de cintura bem baixa, ou algum vestidinho mais acinturado, minha cintura que é fininha e bem marcada evidencia meu quadril e minha bunda. Os meninos da academia ficam loucos quando vou malhar com aqueles colãns que pegam o corpo todo - aqueles que são uma calça ja com a parte de cima emendada.
Bom, início do ano letivo, eu tinha acabado de passar pro 2° ano do ensino médio. A distância da minha escola até o condominio onde moro, é algo considerável, quando meus pais saem para trabalhar e não estão atrasados, pego uma carona com eles, quando não dá preciso ir de ônibus. Particularmente odiava pegar ônibus para chegar a escola, ia muito contrariada! como estudo de manhã, saia de casa 6:30 por causa do transito, assim chegaria na escola por volta de 7:20 - que é o horario que começam as aulas.
O estado onde moro é realmente muito populoso! - SP - e a hora em que saio de casa, é a hora em que muitas pessoas estão indo trabalhar. ônibus lotam .. metrôs .. tudo é uma loucura ! as coisas ficam ainda mais tensas quando se chove. Geralmente perco as primeiras aulas nesses dias.
Estudo num colégio que fica no centro da cidade de SP. É um colégio bastante conhecido e requisitado. Não usamos uniforme, o que nos dá liberdade para irmos vestidas como quizermos - saias curtas, shortinhos e vestidos curos não são proibidos.
Entretanto, sou uma pessoa muito básica, e geralmente vou com uma calça jeans, variando conforme meu temperamento. mas enfim ...Início do ano letivo, primeiro dia de aula, eu estava hiper ansiosa para chegar a escola. Morta de saudades dos meus amigos, não via a hora de chegar na sala de aula e poder agarrar toda aquela galerinha que eu amava desde o 4° ano do ensino fundamental. Assim como todo colégio, eu tinha meu grupinho. Era formado por 4 meninas: Eu - a ' japa girl da turma e do grupo ' - Bianca - branquinha do cabelo loiro escuro e sorriso metálico - Sthepanie - negra com um cabelo armado cacheado (parecido com o da Thais Araújo na novela atual das 8) e com medidas de dar inveja - Ariane - branquinha do cabelo castanho e olhos azuis, realmente muito bonita - e Luisa (minha best!) - totalmente branquela dos cabelos loiros naturais e claros, com olhos verdes e algumas sardinhas no rosto.

Essa era a minha patota. Andávamos todo intervalo reunidas e faziamos questao de sermos populares. Embora andasse bastante com Ariane, não gostava muito dela. Por seus pais serem ricos e por ela ja ter viajado quase o mundo todo, se sentia a rainha da escola. Eu e as outras meninas éramos mais simples, gostavamos de conversar com todos, cumprimentar as pessoas, rir ... Mas Ariane era diferente. Seu nariz empinadinho deixava claro que ela era uma pessoa sebosa. Olhava a todos com desdém - até mesmo nós do grupinho - e nunca tava satisfeita com as coisas. Quando saíamos pra fazer compras, ela fazia questão de mostrar que as dela eram mais caras. Não me dou bem com ela e ponto! (risos)Eram 5:30 da manhã quando pulei da cama. Estava eufórica para chegar na escola e queria ir antes para poder falar com todos e bater algum papo antes das aulas.
Corri para o banheiro e lá tomei um banho delicioso! morninho .. deixando a agua percorrer pelo meu corpo nu, passava as maos pelos meus cabelos deslizando até meu pescoço seguindo o fluxo da agua. Após passar xampu e condicionador em meus cabelos, desliguei o chuveiro para me ensaboar. Embebendo minha esponja vegetal do meu sabonete liquido preferido, comecei passa-lo pelo meu corpo com toda calma do mundo - aliás estava realmente cedo - segurado com a mao direita, massageava a esponja em meu ombro esquerdo, deslizando para meu braço e tornando a subir; joguei meu cabelo de lado e passei aquela esponja em meu pescoço e fechei os olhos imaginando algum menino beijando aquela área .. passando por baixo do meu pescoço, repiti a operação do lado direito, porém com meus olhos fechados, estava imaginando como seria tomar banho com algum homem .. um ventinho passou pelo basculhante e tocou minha pele umida, fazendo com eu me arrepiasse e com que o biquinho dos meus seios ficassem durinhos. Deslizei a esponja ate eles, e fui contornando esfregando a esponja em volta deles .. minha imaginação permitiu sonhar com Carlos - um menino da escola por quem eu era apaixonada! moreno da minha estatura, com cabelo moicano preto e olhos castanhos claros, dono de um corpo atraente. ele malhava, fazia natação e boxe, mantendo os braços, as coxas e a barriga uma delicia! - imaginei ele tomando banho comigo.. pensava nele nu, molhado, chegando por trás envolvendo aqueles braços pela minha barriga, me puxando e me encaixando nele .. deslizei a esponja pela minha barriga, descendo logo que pensava em Carlos encostando aquele pau na minha bct por tras, roçando a cabecinha na entradinha..
Estava excitada naquele banho, não tinha pressa de acabar - afinal queria ir para o colegio me sentindo bem - e aproveitei aquele tesão que estava sentindo para me masturbar ..Eu já estava doida! pensava em Carlos, imaginava como deveria ser o pau duro dele.. como deveria ser aquele cacete grosso.. será que a cabecinha dele era rosada? sera que seu leitinho era bem branquinho? enquanto pensava nisso, imaginava ele naquele banho comigo, sem perceber esfreguei a esponja pela minha bct, ela ja estava toda babada, imaginava Carlos, roçando a cabecinha na entradinha da minha bct.. eu abria as pernas fazendo a esponja penetrar em mim, queria muito que invés daquela simples esponja fosse aquele pau que eu tanto desejava..
Meus pensamentos tomaram conta de mim, eu comecei esfregar a esponja com voracidade na minha bct, ela arranhava, dava uma leve ardencia, mas tava gostoso.. pensei em Carlos enfiando seu pau em mim, e com os braços envolta da minha barriga, me puxava contra ele, fazendo aquele pau todo entrar ate o talo, eu estava ofegante, imagina aquele caralho entrando em mim, Jesus! imedianatemnte enfiei a esponja o maximo que dava, esfregando com força, meu grelinho tocado pela aquela extremidade vegetal estava quente, pulsando! eu pensava no Carlos me dando estocadas, eu rodava a esponja dentro da minha bct, meu corpo estava ficando fraco.. ainda de olhos fechados mordi meus labios, eu estava louca de tanto tesao ! numa fração de segundos, meu corpo sozinho se contorceu, parecia que eu tinha alcançado o ceu! me tremia toda.. estava cansada, ofegante, respirando fundo.. acho que tinha acabado de ter um orgasmo - sim, apenas acho, ainda era virgem! - e assim que tirei a esponja da minha bct, vi uma espécie de gelatinazinha incolor por cima da area que eu esfreguei meu sexo. sorri mas imadiatamente foi interrompida pela minha mae.
- Marcela, está ai filha ? - minha mae batia na porta enquanto falava
será que ela estava ali fazia tempo? ouviu algum barulho incomum? eu estava em estado de ecstasy e nao havia notado nada ao redor.. me recompus e disse:
- sou sim mãe.. tô tomando banho pra ir a escola !- nossa filha, levantou cedo! pensei que fosse eu quem te acordaria.. mas enfim, nao vou precisar por seu relogio pra despertar.. deixarei seu cafe na mesa. estou saindo para trabalhar, seu pai e eu chegamos no mesmo horario de sempre. não se atrase okay?
eu dei um grito! nããããããããããão !!
- mããããããããããããeee .. terei que ir de ônibus hoje? nãão, eu me arrumo rápido ..
nao tive mais reação, provavelmente minha mae havia descido - sim, no 2° andar ficava 3 quartos e 2 banheiros, em baixo sala, cozinha, varanda, área de serviço e um banheiro.
pqp! estava puta.. depois de um relaxante banho fiquei brava com aquela noticia. ônibus em sp era terrivel. eu odiava! mas mal sabia eu que aquele dia seria diferente.. que apos aquele dia, eu iria adorar andar de onibus..
Me enxaguei, a noticia de nao ter uma carona havia afetado meu humor, era como se ja nao existisse mais prazer em mim, meu mundo acabou (risos) eu sentia minha bct ainda sensível, mas nao tinha mais nenhum clima para continuar me tocando. desliguei o chuveiro e ao abrir a porta blindex, puxei minha toalha e me sequei.. me enrolei e fui pro meu quarto me arrumar.Enrolada na toalha ainda brava, fui caminhando até meu quarto. por um minuto me distrai e novamente meus pensamentos encontraram Carlos, mas agora sobre outra coisa.
- Qual roupa vou vestir ? - dei um grito num estalo de pensamentos enquanto entrava em meu quarto
Bom, era o primeiro dia de aula, dessa vez eu começaria com o pé direito! Carlos enfim iria me notar. Eu queria ir simplesmente linda e gostosa - Não sejamos hipocritas, os meninos enchergam a primeira vista um corpo atraente! - sera que eu teria que usar dessas armas pra ele me notar?
Abri meu guarda roupa, mexendo em alguns cabides, nada me agradava, tudo estava muito simples! - será que o fato de ter que ir de ônibus afetou todo meu humor? nada me agradava.. pensei na calça jeans mais justa e de cintura baixa que eu tinha. nao achei nos cabides, eu queria aquela ! procurei nas gavetas..
- até que enfim! - sorri puxando ela de dentro de uma gaveta
estendi-a no alto e a olhei. cheirei e joguei em cima da cama. iria com ela !
sabe quando uma roupa se ajusta perfeitamente ao teu corpo? aquela calça me valorizava.. eu tinha um corpo bonito (modestia) e estava disposta a usar ele pra que carlos me enchergasse. e depois sim visse a menina legal que eu era *-*
Próximo passo: uma blusa e uma bolsa (risos)
não seria dificil escolher, eu tinha centenas de blusas, e bolsas nem se fala. acho que é um mal de mulher ne ? (risos)
Abri minha gaveta e peguei uma calcinha - usavas daquelas bem pequenininhas mesmo, só pra nao dizer que nao tinha. inclusive a parte do bumbum era como se nao existisse.. fazia o estilo fio dental mesmo!Apos vestir a calcinha, enrolei a toalha em meus cabelos para não atrapalhar quando eu colocasse o sutiã - peguei um preto (cor da calcinha, adoro combinar) de bojo - ajudariam a dar aquela realçada! pus e em seguida peguei uma blusa; como eu queria realmente chamar atenção, peguei uma de alcinha grossa (pra esconder o sutiã) mas com decote! passei um desodorante - tinha que estar cheirosa sempre - e a coloquei. sentei na cama, passei hidratante nas pernas e vesti tambem a calça. estava pronta ! entre áspas ..
Me levantei e fui conferir em meu espelho como estava minha combinação. sorri aprovando. se não me olhassem e nao me desejassem, seriam gays! (risos)
Me virei e fui conferir como estaria a comissão de trás. minha bunda empinada sobresaia naquela calça. era como se eu tivesse mais bunda, ela mostrava que era durinha, chamava atenção! qualquer menino que me visse de costas teria vontade de me agarrar ! alisei minha barriga e sorri novamente, agora seria a hora de um make, não queria algo muito berrante, aliás, estava de manha e muita maquiagem dá uma envelhecida ne? peguei meu kit e me maqueei. base para uniformizar com um po bem natural.. um blush para dar um ar mais saudavel.. e um gloss de tirar o folego! - odeio batons. passei uma sombra clarinha e um rimel incolor. estava uma fofa sedutora (risos) agora era so calçar a sandália e .. pronto!
Sequei meu cabelo, deu uma boa escovada para deixar no lugar minhas madeixas, voltei ao banheiro, escovei o dente e voltei ao meu quarto para pegar minha mochila - afinal, bolsa dentro de onibus é um encomodo! uma mochila é mais suave para se carregar, aind amais em onibos lotado. estava rezando aspar nao ficar em pé e muito menos ter alguem fedendo perto de mim. imagina chegar na escola com um cêcê? (risos) ninguem merece !
Sai de casa e coloquei em meu pensamento: HOJE É O MEU DIA ! nem mesmo ter que ir de ônibus atrapalharia.. Hoje seria um grande começo pra mim, as coisas mudariam e eu só voltaria pra casa feliz - mal sabia eu como voltaria (666)Sem nem desconfiar de como seria o resto do meu dia, fui caminhando com pensamento positivo até o ponto de ônibus. hora eu pensava nas minhas amigas, hora pensava no Carlos e no quanto foi gostoso meu banho (6) mas o que mais estava na minha cabeça era o bendito ônibus, minha mãe nao me dando carona, mas dei um chega pra lá nesses pensamentos e abri um sorriso caminhando, pensando sempre que aquele seria o meu dia! que nada estragaria - nem as futilidades e mau humor de Ariane.
Cheguei no ponto e como sempre o trânsito ja apresentava sinal de caos. Meu ônibus estava demorando, eu olhava diversas linhas indo e vindo, mas nada do meu! esperei 05 minutos.. 10 minutos.. quando deu 15 desisti e me sentei. pensando que aquele bendito transporte poderia demorar, abri minha mochila e encaixei no celular meu fone. comecei ouvir musica amarradona! total desconcentrada ..
cantarolando a musica que com certeza seria o hit do meu carnaval, avistei de longe o meu possivel ônibus..
- comigo é na base do beijo, comigo é na base do amoooooooor ?
me levantei ajeitando minha calça, a colocando a mochila nas costas, a musica voltou a me empolgar e eu só nao quicava de felicidade ali no ponto pq senao me levariam numa caçamba de hospicio (risos) - aqui em sp o povo é muito sério.
ajeitei meus cabelos e vi o ônibus se aproximando. ERA O DITO CUJO ! dei sinal mesmo com ele numa distancia considerável .. não queria correr o risco dele nao parar pra mim, seria muito azar. alem de cheio nao parar. e eu nao queria perder meu primeiro dia de aula ne ? já estava na animação ao som de Ivetinha !
permaneci com o braço levantando fazendo sinal e me sacudindo no clima da musica, acho que se me vissem me chamariam de retardada (risos)
o onibus parou, mas parou mais a frente, tive que dar uma leve corridinha - graças a deus nao transpirei - e quando me dou conta vi diversas cabeças correndo em direção ao meu onibus
- que merda é essa ? - eu falei percebendo uma fila se formando na porta do ônibus pra entrar vendo a multidao de pessoas que se formavam na porta, fui meio que perdendo a noção e se antes eu ja corria, agora eu tava caminhando em direção a fila. já nao fazia diferença - nao iria mesmo conseguir um lugar pra sentar!
me dirigi ao meu lugar naquela fila que só crescia e fui olhando para dentro do ônibus - já tinha um bando de gente em pé pelo corredor, pelo visto eu teria que me expremer por ali. nao importava se eu ficasse no fundão, eu desceria no ponto final mesmo!
a fila andava devagar, e eu ja estava me preocupando com a hora e com o calor
- tomara que nao tenha ninguem fedendo.. - implorei sussurrando pra mim mesma ao ver um senhor de regata peludo - ele tinha cara de sujo, aspecto oleoso e regata incardida.
- pelo menos um desodorante aquele individuo deveria ter passado né Jesus !? - pensei alto enquanto uma moça olha pra mim de lado com cara de quem comeu e nao gostou.
a encarei do mesmo modo enquanto a fila andava, consegui pôr o pé no primeiro degrau e joguei meu corpo pra tras, assim evitaria que me empurrassem - repare que quando vc poe o pe no primeiro degrau, quem esta atras logo te empurra como se vc fosse em seguida expelido pela roleta entrando e os problemas dele (quem tá atras) fosse resolvido
Eu começava transpirar um pouco, passava a mao pelo meu buço na intenção de 'secar' o pouquinho de transpiração que exalava, acho que aquele tipo de calor humano nao me fazia bem (risos)
Embora meu dia ja nao tivesse grandes coisas e aquele onibus estava piorando a situação ainda mais, fui simpática com o trocador. dei-lhe bom dia e ele retribuiu com um sorriso - como se aquela situação desagradavel de hiperlotação nao o abalasse. e em parte nao abala né? ele tem um espaço proprio sentado e ja deveria estar acostumado.
Passei pela roleta e logo notei que o ôninus ja estava hiper lotado! nao acreditava.. ainda teriam mais 3 pontos para passar, sera que o motorista pararia? Eu tinha que pensar rápido! teria que ver um lugar para me acomodar, afinal, depois que vc pega uma posição ali, nao tem como mudar - claro, nao há espaço sequer!
Passando a roleta, me acomodei ao lado do ultimo banco mais alto antes de chegar no trocador - sim, ainda era aquele modelo mais antigo de ônibus, o trocador fica na parte traseira - logo atras desse banco, tem um vãozinho que é por onde as pessoas passam. segurei na pontinha do banco, permaneci em pé como se tivesse no quartel, totalmente ereta, com apenas uma das pernas no fluxo do corredor.
Pessoas com intenção de ir mais pra frente passavam em mim esbarrando, algumas me olhavam com cara feia, mas eu nao tava nem ai. quizesse comodidade comprava um carro meu bem! (risos)
permaneci ali estática, nao queria saber, nada me tirava dali.. como eu estava bem proxima do trocador, ao olhar de lado via as pessoas que entrava, minha visao era privilegiada! na minha frente, sentado nesse banco mais alto, haviam 2 meninos, ambos com cara de skatistas, fones nos ouvidos e pareciam altistar com a musica, que convenhamos, estava alta! sem sequer encostar o rosto proximo de suas cabeças sabia que ouviam o iron man do metallica - eu conhecia algumas musicas devido adorar tocar guitar hero no ps ! ao olhar pra frente, so via corpos tortos tentando achar algum espaço para se encaixar. o senhor de regata encardida estava la pra frente, proximo de uma moça muito bem vestida
' graças a deus ele nao esta perto de mim! - pensei sorrindo observando a cara que ela faria quando o ônibus desse partida e ele encostasse nela.
Dito e feito. o ônibus arrancou. eu ri como uma retardada sozinha vendo a expressão de nojo que aquela moça fez, foi quando senti alguem me pressionar por tras, como se fosse um esbarrao! minha expressao mudou, eu fechei a cara! nao queriam que me encostassem, queria chegar em meu colegio arrumadinha, bonitinha , gostosa & perfeita *-*   Mesmo com aquele esbarrão, nao olhei pra tras para saber quem tinha sido, o ônibus estava realmente muito lotado e se eu fosse ficar brava com cada esbarrao que eu recebesse ali, eu chegaria na escola estressada - e isso nao faz bem, causa rugas (risos)
O ônibus continuou seguindo, passamos pelo segundo ponto, ninguém descia, so entrava mais e mais gente. a capacidade é para 42 pessoas, ali ja deveriam ter umas 55! um absurdo. minha sorte é que a blusinha estava fresca, nao tinha sol e mesmo que o tempo estivesse abafado, eu nao estava sentindo calor. novamente o ônibus arrancou e dessa vez inves de uma só pessoa, recebi alguns esbarroes. sera que eu teria que me acostumar ? capaz '-'
Ainda faltavam mais dois pontos, e dessa vez um era afastado do outro. tinhamos um longo percurso pela marginal tietê quando percebi que o ônibus nao andava! me estiquei e tentei olhar pra frente, desviando o olhar dos corpos amontoados para observar a janela do motorista, foi quando uma noticia cortou a musica que eu ouvia no rádio do meu celular:
- grave acidente deixa a marginal tiete toda parada. onibus e caminhao se chocam deixando uma das pistas mais movimentadas de sp interditadas. com apenas uma das pistas sentido centro liberadas, o fluxo de carros fica intenso ...
a noticia seguiu quando eu fechei os olhos e nao quiz ouvir mais nada
- puta que me pariu ! nao acredito - eu falei bufando atraindo alguns olhares para mim
estava ficando nervosa, sera que aquele realmente nao seria o meu dia ? com esse transtorno eu conseguiria chegar a tempo na escola ? milhares de perguntas foi tomando conta de mim, quando levemente o transito foi andando andando. e aos poucos pelo menos andavamos, o que me deixou bastante aliviada!
Entre arrancadas do onibus e a mexeção do povo dentro daquela caixa de fosforo que se chama ônibus, eu sentia alguem atras de mim se mexer mais do que deveria!    Essa pessoa atras de mim se mexia muito! mas ate entao nao encostava em mim com maldade - pelo menos nao que eu sentisse ne ?
Naquele ' anda um pouquinho e para' que o onibus seguia, eu começava ficar ficar impaciente! comecei primeiro batendo o pé, depois comecei bufar.. mas eu nao era a unica. eu olhava as pessoas mais a frente e todas tinham uma expressão de insatisfação.. eu precisava me acalmar ou nao chegaria no colegio muito humorada. fiquei pensando: sera que vale a pena ainda chegar na escola? estava quase desistindo quando me veio a cabeça a manha em que tomava banho. nossa, foi como um balde de agua fria. eu me acalmei! já que nao tinha muita coisa de interessante dentro daquele onibus, eu decidi me concentrar na musica e pensar no Carlos, imaginar nas coisas loucas que eu faria com ele caso tivesse uma oportunidade.
Me abstrai e fechei os olhos, eu pensava em Carlos! imaginaçoes loucas começaram tomar conta de mim - acho que ai foi o começo de fogo que senti durante a trajetoria ate a escola - eu abaixei a musica deixando-a bem suave em meus ouvidos e decidi me sonhar.. Embora meu corpo fosse ja bem formado, e eu fosse bem vistosa e gostosa, eu era uma romantica encubada - pra vc ver, ainda era virgem! - e durante essa viagem, fui pensando na possibilidade de namorar com Carlos, de nos viajarmos juntos e nas coisas que poderiamos fazer nesses lugares (6)
O onibus começou andar um pouquinho e no trancão que ele deu na partida, eu abri os olhos e percebi que logo chegariamos no segundo ponto.
' Ai meu deus, jaja isso aqui vai transbordar de pessoas ! - pensei sentindo o onibus ja jogar a carroceria pro lado direito na direção do ponto
Essa arrancada fez com que a pessoa que tava atras de mim dessa vez me desse um esbarrao forte, tão forte que meu corpo deu um impulso pra frente! um dos meus peitos que estava na direção do banco, foi esmagado contra ele e pude sentir o peso do meu corpo e da pessoa de tras contra meu melaozinho - tadinho!    aaaaah mas dessa vez nao ficaria assim! eu fiquei puta! sera que a anta que tava atras de mim nao conseguiu se segurar em algum lugar? foi necessario me empurrar deste jeito? nao.. agora eu iria lançar meu olhar fulminante pra pessoa e mosstrar que eu era brava, perigosa (risos)
O ônibus conseguiu chegar no ponto, e novamente ninguem descia, so entrava gente, e passavam por mim esbarrando, quase levaram minha perna na direção do corredor junto. ANDAR DE ONIBUS LOTADO ERA UMA DESGRAÇA ! esse era meu unico pensamento enquanto percebia que meu buço novamente transpirava.. eu passei a mao e aproveitei a mexeção de corpos para olhar pra tras e ver quem era o imbecil que me empurrava dentro daquela joça! estava disposta a pedir com educação que tentasse nao me pressionar muito - na verdade estava com medo de tomar um fora, mas se tomasse tambem tomaria medidas drasticas (risos)
A porta do ônibus fechou e eu estava apenas esperando mais um empurraozinho, quando o onibus arrancou e novamente tomei um trancao, esmagando dessa vez peito e coxa. eu fechei minha cara, fiz o olhar mais raivoso que tinha e olhei pra tras - aleluia! inclinei meu tronco de lado e fui com o olhar pra tras de mim.. foi quando me deparei com um cara extremamente gostoso! fiquei meio abobada.. meus olhos fixaram nele e pude ver como ele era por completo.
Era um rapaz moreno, deveria ter entre 21 e 22 anos. estava de camisa pólo branca com listras preta e uma calca de tac-tell (acho que é assim que se escreve) preta. talvez fosse professor de educação fisica. era alto, eu tinha 1,65 ele aparentava ter 1,80. tinha um corpo em forma, com um peitoral definido que deixava a camisa vistosa em seu corpo, braços fortes, musculosos.. de rosto nao era muito bonito, tinha feiçoes brutas, labios carnudos e sombrancelha grossas.. tinha cabelo baixinho e olhos pretos que davam um certo medo ..   Quando me virei pra tras, olhei na intenção de fazer uma cara feia que a pessoa que tivesse atras de mim percebesse que eu nao estava gostando de ser empurrada tão fortemente.. mas quando vi aquele espetaculo de homem, eu nao tive reação!
Acho que ele percebeu que ao olhar para ele, se antes eu tinha intenção de 'brigar', depois de ve-lo eu me desarmei.
- desculpa ae ! - disse aquele espetaculo de homem com uma voz grossa e uma cara de mau que fez eu me recompor
eu nao conseguia responder. apenas sorri - minha cara deveria ter sido de monga! mais que depressa virei pra frente..
' sera que ele percebeu que achei ele uma dlça? - eu me perguntava em pensamento. estava morrendo de vergonha. gente, o que era aquilo! o que era aquele homem (6)
O onibus andava lentamente com o congestionamento quando senti alguem pressionar em mim por tras. desta vez ele nao estava encostando em mim com um simples esbarrao, estava mesmo colando seu corpo em mim por tras..
' ai meu deus, ele ta encostando em mim! ele percebeu Marcela!! sua lerda, nao conseguiu disfarçar!!! - eu gritava cmg mesma em pensamento e sentia seu corpo vindo contra o meu mais forte, eu sabia que se desse brexa, ele continuaria, mas ao mesmo tempo eu nao queria parar. que queria saber ate onde ele iria.. afinal, aquilo era um tesao de homem (666)
' Marcela gatinha, ele percebeu o quanto vc é bonita.. deixa ele fazer o que quizer.. se diverte enquanto esta nesse transito de merda - eu pensava comigo enquanto o corpo dele se afastava e tornava a me pressionar.
Plantei meus pes no chao e segurei no banco, tinham muitas pessoas ao redor, ngm veria nada ne? pke nao continuar? meu corpo enrigeceu. fiquei ereta. eu sentia o quadril dele forçar contra a minha bunda e eu nao fazia nada! foi quando seu corpo se afastou e eu estranhei ... ' Porque será que ele se afastou de mim ? Será que pensou que eu não estava gostando ? – pensava eu questionando minha beleza, meu corpo e minha sensualidade. Foi quando percebi que eu queria mais.. queria que ele me encostasse, queria ver o que ele poderia fazer comigo! – afinal, se ele me bulinava, era porque eu o atraia certo? Logo eu me sentia gostosa.. meu ego aumentava.. que mulher não gosta de se sentir desejada?
Num ato de impulso joguei meu corpo pra trás, queria que ele visse que eu queria mais! E acho que deu certo.. assim que joguei meu corpo pra trás (sem que ônibus desse nenhuma alavancada), meu corpo bateu no dele. na verdade minha bunda bateu entre suas pernas, e naquela fração de segundos pude sentir algo bem volumoso.
' Será que ele está excitado ou seu pau é realmente grande ? - eu curiosa novamente conversando comigo mesma
Com certeza minha atitude o agradou, ele percebeu que eu queria mais, que estava dando abertuda pra ele me encoxar, percebeu minhas intenções e correspondeu novamente pressionando o corpo em mim. apenas com o quadril ele me deu um trancão; da minha cintura pra baixo eu inclinei pra frente – ele tinha dado com um pouquinho de força, como se quizesse se encaixar em mim – foi quando eu num ato de provocação me estiquei toda, fiquei totalmente dura em pé e dei uma leve empinadinha com a minha bundinha arrebitada.
O corpo dele se afastou novamente e eu comecei achar que aquele pedaço de mal caminho estava querendo fazer joguinhos comigo. Excitante não ? Então resolvi então entrar naquele joguinho!   O ônibus estava cheio e aqui em SP mal olhamos um pra cara do outro, então, porque não continuar certo ? eu tinha que me distrair para não perder o bom humor naquele transito caótico! Porque não me distrair com uma leve safadeza?
Minha bunda estava empinadinha e após ele se afastar de mim, demorou um pouco para que retornasse a me encostar – demorou mais valeu a pena! – Quase me distraindo com outra coisa devido sua demora, fui surpreendida com uma mão que levemente encostou em minha bunda. Eu sentia que ele não passava a palma, talvez estivesse querendo começar explorar o território para ver qual era a minha. Não me movi! Permaneci ali estática, como se nada tivesse acontecendo. A parte de cima da sua mão me alisava quando aos poucos sentia que ele virava, encostando aquela palma completa de sua mão grande numa das partes de minha bunda.
Eu ria por dentro, mas não poderia dar pinta né ? – vai que alguem olha pra baixo e percebe, não queria que pensassem errado de mim - Para ter certeza de que eu estava sentindo o que ele fazia, aquela palma deu uma leve apertada na parte em que estava alisando.. fiquei tensa! Algo em mim estava mudando, me sentia diferente, eu estava quente por dentro e desejava mais!
Minha única reação foi empinar mais minha bunda e chega-la pra trás um pouquinho só para que percebesse que ele tinha passe livre! – eu não sabia onde estava me metendo, mas estava adorando aquilo. E olha que mal havia começado! Aquela delícia de homem continuava passando a mão na minha bunda, ele alisava com vontade e alternava com apertões que nossa, estava me deixando doida! Eu me empinava fazendo minha bunda redondinhda e empinada caber na mão dele toda, eu já não estava mais nem ai se alguém olharia – claro que não tinha ninguém olhando .
Eu sentia um fogo, aquela mão me alisando, e ele fazia de um jeito tão sexy! – claro que o fato de corrermos riscos deixava aquilo mais excitante – foi quando senti algo diferente e não pude acreditar !   Meus olhos se arregalaram, eu não sabia ao certo como reagir. Aquilo poderia ser demais – ou não (risos) – mas eu não queria que ele parasse, estava gostoso.. muuuito gostoso! até que ..
- ããããããwm – soltei um leve gemidinho baixo enquanto fechava os olhos – não, ninguém ouviu! Graças a deus.
Ele havia levado as mãos entre minhas pernas. Deslizava fazendo seus dedos irem até a frente por baixo da minha bct e voltar. Ela já estava ficando quente! Aquilo com certeza me deixou excitada!
Levemente sua mão deslizava entre minhas pernas, tocava por baixo a minha bucetinha – que se não fosse a calça jeans ele perceberia estar ficando beeem molhadinha – e enquanto puxava, apertava os dedos firmemente pela minha coxa, meio que arranhando.
Eu não queria mais nada, aquilo estava uma delícia! Se continuasse assim capaz de minha calça transparecer estar molhada de tanto tesão que eu sentia!
Ele levantou a palma da mão entre minhas pernas, e com sua mão virada pra cima, automaticamente minhas pernas se abriram um pouco. Ele continuava roçando a mão em minha bct, mas dessa vez era diferente – aquele cara realmente sabia o que estava fazendo! Com a palma da mão totalmente encostada pela extremidade da minha bunda entre minha bct, ele levantou o dedo do meio e firmemente deslizava entre o cortinho da minha pequena bucetinha. Eu sentia a força daquele dedo, a calça jeans se apertava em mim, e eu sentia minha calcinha entrando.. meu sexo estava pegando fogo, estava pulsando e eu sentia calafrios, segurava para não me contorcer!Quando aquele espetáculo levantou mais um dos dedos – o indicador – e aqueles dois dedos ferozes pareciam querer furar minha calça para poder entrar em minha caverninha úmida e totalmente meladinha, eu pirei! minha bunda pareceu se empinar mais, sem perceber eu abri mais as pernas, meu coração estava acelerado, morria de medo que alguem visse, mas NÃO! EU NÃO QUERIA E NAO IRIA PARAR!    Eu estava realmente muito excitada! Aquele homem desconhecido conseguiria me levar o ceu ? - mau eu sabia que muita coisa iria rolar ainda ..
Seus dois dedos - indicador e o do meio - roçavam pra frente e pra tras com força, deslizando ferozmente pelo rasguinho da minha bucetinha, a calcinha ja estava toda dentro da minha bct, e a calça parecia entrar em mim, junto com aqueles dois dedos grossos. eu me contrai, parece que ele havia levantando os dedos com mais força, senti uma leve ardencia, mas um tesão gigante! não aguentei.. abaixei a cabeça e segurei meu suspiro longo, mordi a boca com bastante força e entre minhas pernas tremulas, sentia algo quente - minha bct acabara de liberar grande quantidade de liquido - eu sentia minha xaninha totalmente molhada!
Ele tirou a mão, eu estava envergonhada, nao queria olhar pra trás.aquele cara deveria me achar uma puta né? eu havia permitido ele fazer isso, e convenhamos, eu realmente queria!
Durante esses 20 minutos mais ou menos que fui apalpada pelo delicia do cara de trás, não havia percebido que naquele engarrafamento já tinhamos andado um bom trecho. percebi o ônibus parando, e novamente a porta traseira se abria..
- ai meu deus, mais gente ! - sussurrei pra mim ainda com o coração acelerado e respiração ofegante
Impossivel caber mais pessoas dentro daquela budega! gente, não tinha mais espaço, não tinha mais como entrar ninguem, estavamos uns abarrotados nos outros.. mais e mais pessoas subiram, eu xingava bravamente em pensamento o fdp do motorista!
O onibus deu partida, eu estava me recompondo.. aos poucos nao transpirava mais, ajeitei minha franjinha e fingi que nao tinha acontecido nada. porem eu queria mais! ah como eu queria! Pronto! Haviam acabado os pontos de ônibus para pararmos. Aleluia também né? Não cabia mais ninguém ali.. nem sequer uma modelo anoréxica que mal ocupa um espaço. Agora teríamos apenas que passar pela marginal e enfim aquela caixa de sardinha entraria no centro. No centro com certeza passaríamos por mais um ponto ate a parada final, mas naquele ponto não entraria mais ninguém; como esse ponto era em frente ao prédio central, a maioria desceria para enfim rumar seus empregos, e eu conseguiria sentar ao menos um pouquinho – desse ponto até o ponto final deveriam ser uns 20 minutos.
Todo mundo expremido, aquele transito estressante, o ônibus naquela de anda um pouquinho para, quando senti duas mãos segurarem na lateral da minha cinturinha desenhada. Eu não tive reação! Não olharia para trás para olhar novamente pro cara, afinal, ele tava se sentindo na liberdade de fazer o que quizesse – como eu já tinha deixado ele me ‘masturbar’ ali, agora ele queria mais (e eu também).
Aproveitando que todos estavam expremidos e ninguem conhecia ninguém ali dentro, suas mãos apertando minha cintura, deixaram extremamente vulnerável o meu corpo ao dele. Se as pessoas reparassem ao menos naquela mão que me segurava, pensariam que ele era meu namorado. Como não dariam importância a isso, não olhariam mais né? – aquele cara era esperto! – e dali, como estavam todos grudados, o ônibus andava e parava fazendo todos se mover dentro daquele cubículo, ele poderia se aproveitar de mim.
Não é que foi justamente como eu disse? Mas eu não me importava, eu também queria mais, senti dentro daquele ônibus coisas que nem nas minhas mais brabas siriricas eu havia sentido..    Com as mãos me segurando pela cintura, senti aquele pedaço de mau caminho chegar o corpo mais perto de mim, me segurei com mais força no apoio do banco, mantendo meu corpo esticado e em postura. Ele me deu uma leve puxada, fazendo com que minha bunda encaixasse certeiramente entre suas pernas.
‘ não pode ser tão grande assim, ele está excitado! - exclamei pra mim mesma sentindo seu membro encostar em minha bunda. Aquilo me fez sentir desejada, se ele estava de pau duro era porque também havia gostado daquela ‘brincadeira’.
Dei uma leve empinadinha e forcei descaradamente minha bunda contra seu pau, eu estava ali, entre suas pernas, totalmente entregue aos meus desejos e com certeza aos dele – que homem nunca sonhou ou teve vontade de alisar uma mulher num lugar lotado? Ainda mais gostosa como eu (risos)
Aquele homem deveria estar louco para me deflorar – não perderia minha virgindade dentro dum ônibus muito menos com um homem estranho né? – mas aquele deflorar seria de usar meu corpo para satisfazer suas necessidades.
Mesmo empinando minha bunda redondinha contra ele, não obtive quaisquer resultados, ele não estava fazendo nada. Será que era eu quem deveria provocar ele? Suas mãos continuavam em minha cintura e seu pau encoxado em mim. Porque será que ele não fazia nada? Eu já estava altamente doida, e queria que ele tomasse alguma atitude!
O ônibus permanecia naquele caos, eu já não sentia raiva, já não estava transpirando, só sentia tesão, só me concentrava naquele pau atochado em minha bunda. Não pensava em colégio, não pensava em minhas amigas, não pensava em horário – já deveria estar quase na hora das aulas – não pensava em nada! Só morria de curiosidade pra saber onde é que aquela situação me levaria. Não me contive, ele estava demorando demais para fazer alguma coisa comigo, como suas mãos me seguravam e eu estava totalmente encaixada nele, aproveitei para dar uma leve provocada – se ele não faria, eu faria!
Ainda com minha bunda redondinha empinada, discretamente comecei roçar naquele pau que já estava duro, rocei primeiro discretamente, bem suave, com leves movimentos de um lado pro outro. Ele sentiu o que eu fazia, desceu as mãos um pouquinho pro meu quadril, quase na lateral da minha coxa, e me deu um trancão forte! Senti aquele pau gostoso pressionar contra minha bunda e fiquei doida! Era gostoso.. algo excepcional..
Sorri e foi como se aquilo fosse um sinal, ele estava gostando e queria mais tanto quanto eu! Eu estava cheia de fogo, minha bucetinha piscava de tesão e eu queria experimentar aquela sensação.. me fiz de boba e continuei roçando levemente – uma hora ele não ia agüentar e me dar uma esporrada. Como eu queria sentir a voracidade! Com aquele trancão que ele me deu eu quase fui a lua, bem que ele poderia dar novamente outro com mais força (rissos) sim, força me agradava!
Eu movimentava de um lado pro outro minha bunda, e sentia que seu pau estava quase perfurando a calça, impressionante como estava encaixado em mim. Eu pressionei mais a bunda nele, seu caralho grande fazia muito volume na calça e logo pulou de entre minha bunda – onde estava expremido - encaixando entre minhas pernas. Adorei! Tranquei um pouco das pernas com aquele volume doido no meio e dei suaves reboladinhas, suas mãos me apertavam e ao mesmo tempo me puxavam contra ele, eu sorria, estava morrendo de vontade! – eu que era virgem e quase não tinha experiência, tinha naquele momento uma vontade incontrolável vontade de mamar naquela pica dura. Em minha cabeça, imaginava eu punhetando aquele pau, chupando com vontade e mamando toda possível goza que ele esporraria na minha boca.
Será que eu estava descobrindo a safada que existia em mim?    Eu rebolava discretamente e suas maos cada vez mais me puxavam contra ele, segurando firmemente em meu quadril - se eu fosse branquinha com certeza a marca dos dedos dele ficariam marcados em mim, pela força com que ele me segurava!
- ããããnwm.. - tentei suspirar baixo. ele havia me dando uma pressão que se aquele pau tivesse dentro da minha bucetinha, tinha fudido tudo!
Eu estava louca! eu já nao pensava em mais nada gente.. e rezava para que aquele ônibus demorasse mais para chegar ate o ponto final - ué, logo eu estava reclamando daquela lata de sardinha? pois é, naquele brincadeira toda eu via muito potencial (risos)
Eu estava sedenta, eu queria mais! - perigoso uma virgenzinha brincar assim sabe? a gente perde o controle. depois que descobre esses prazeres, fudeu! (risos) - estava com vontade de olhar pra tras e pedir mais pressão, pedir que me esporrasse com gosto, mas a timidez nao deixava, ate porque eu estaria agindo como uma puta! e olhem, eu estava em meio dum onibus, haviam dezenas de pessoas ao redor, se pelo menos fosse num lugar escuro que ninguem pudesse reparar..
Não me aguentei novamente, acho que todos os filmes pornos que eu havia visto pelo pc do meu quarto naquela hora estavam fazendo efeito. talvez tivesse baixado uma puta sem vergonha em mim, eu estava em loucura quando .. coloquei minha mao pra tras! isso mesmo, coloquei minha mão pra tras e meti ela entre nos dois.. ele afastou o corpo de mim um pouco, mas continuou segurando em minha cintura. agarrei com vontade aquele pau. parecia petrificado em minha mao! era bastante grosso.
' aaah como eu queria chupar ele todo! - pensava comigo mesma enquanto minha mao agarrada naquele bicho grosso dava leves apertadinhas. eu pude sentir que a respiração do cara ficou alterada. ele suspirou e nao fez questao de disfarçar! bandido, imaginem se me pegam no flagra? Confesso que fiquei com medo de repararem no que faziamos, mas não posso negar que estava excitada duma maneira que nunca havia ficado antes na vida! - nenhuma siririca que eu tocava pensando no Carlos chegava aos pés do que eu sentia. obviu!
Enquanto eu apertava aquela monstruosidade de pau, o cara ficava com a respiração mais alterada. caramba, ele poderia ao menos disfarçar né? se bem que isso aumentava o tesão, aqueles suspiros abafados, as pessoas ao redor.. tudo criava um clima 'proibido' que eu adorava! mas o cara passou dos limites. eu sem conseguir me controlar, agarrei a mao toda naquele cacete - antes eu estava usando apenas os dedos - e cheguei meu corpo mais pra tras para tentar disfarçar mais; quando apertei e dei uma leve puxadinha pra baixo, o cara nao aguentou: soltou um PQP sonoro! gente, eu me tremi .. meu reflexo na mesma hora fez com que eu puxasse a minha mão e me recomposse (ele na mesma hora tambem soltou minha cintura)
' mais é um fdp msmo.. - pensei com raiva dele por nao ter se segurado, morrendo de medo das pessoas ao redor que convenhamos, viraram e olharam pra ele sem entender nada! ufa! sorte minha que ninguem - ou pelo menos quase ninguem - havia percebido.
Eu me ajeitei, novamente passei a mao em minha franjinha e fiquei pensando:
' se ele soltou aquele pqp, era pke estava gostando certo? será que ele estava no tão famoso climax? Marcela, o cara estava excitado ctg gata! - e continuei minha linha de raciocinio ate perceber que ele estava pegando na minha mão e levando novamente para seu pau. eu dei aquela olhava basica ao redor - pelo menos nas pessoas que estavam na minha frente - e notei que todos ja tinham voltado ao seu mundo individual. olhei um pouco de lado e para baixo, e via aquela mao mascula estava segurando na minha levando disfarçadamente pra tras. mordi meus labios e pensei: é, esse dai gostou! vamos ver onde vai dar.. segundo round Marcela!   Deixei que sua mão me guiasse. transparecendo culpa e medo, levantei o olhar e busquei olhares curiosos para cima de nós - ninguem nos olhava graças a deus - então sem pudor nenhum segurei aquele caralho grosso e sorri maliciosamente. O susto que tomamos antes, parecia nao ter interferido em nada. aquele pau continuava grosso, e ele transparecia tesão.
' tomara que dessa vez ele se segure - pensei enquanto apertava novamente aquele matro por cima da calça. ele chegou seu corpo mais proximo de mim e eu empinei novamente minha bunda encostando de leve nele. tinhamos que ser o mais discretos possiveis né gente ? (risos)
A calça de tact-tell era extremamente confortavel e parecia que eu realmente estava segurando naquele pau sem nada. enquanto eu segurava e alisava lentamente, quase pude ter certeza de que ele não estava usando cueca - o que seria maravilhoso, pois tinha planos! muahahaha ( risada malvada )
Pressionando a mao com firmeza no corpo daquele pau, fui deslizando minha mao bem devagar pra cima e pra baixo - sim, o pau dele estava duro e em pé! - e a medida que minha mão subia e descia, ele mais e mais encostava o corpo no meu. novamente pos a mao em minha cintura; quem nos olhasse por alto pensaria que eramos namorados - menos mal ne? imagina se nos flagram e ainda percebem que eu estaria com aquela putaria com um cara que nunca vi na vida!
Eu novamente tinha encontrado o tesão, uma das mão deles soltou da minha cintura e pôs a mao por cima da minha. ele pressionou fazendo com minha mao apertasse brutalmente aquele pedaço de pica grossa, e encostando o rosto proximo do meu ouvido soltou um gemido abafado que com certeza deixaria qualquer mulher doida - como eu estava naquele momento!
A mão dele ajudava a minha deslizar por aquele cacete duro, fazendo com que eu punhetasse ele tranquilamente bem.
' Eu quero por a mao diretamente naquele pau! - pensei abaixando o olhar tentando arrumar um jeito de fazer esta proeza.    Por uns minutos me distrai tentando criar coragem para por a mão dentro de sua calça - será que seria demais ? não queria saber, meu tesão falava mais alto - e despertei repentinamente quando me dei conta de que a mão dele estava entre minha barriga e minha calça - sua mão que segurava a minha e me fazia segurar brutalmente aquele pau enquanto eu o punhetava, havia largado de mim sem que eu percebesse e agora parecia ter o mesmo pensamento que eu. será que estavamos em sintonia?
Olhei para baixo vendo aqueles dedos grossos tocando com a pontinha por cima de meu ziper ..
' será que ele quer colocar a mao dentro da minha calça ? ele perdeu o juizo ! seria arriscado demais - pensava eu enquanto continuava a deslizar as maos por seu pau.
Novamente dei uma olhava ao redor para ver se alguem nos observava; para minha tranquilidade estava tudo nos conformes! uns liam seus jornais (os que estavam sentados obviamente, pois tinham espaço), outros olhavam pela janela distraidos (mais pareciam ainda dormir) e alguns tinham em seus ouvidos fones (estavam ouvindo musica claro!)
De repente senti sua mão encostar em minha bucetinha por cima do short, e alisa-la com carinho. mesmo nao tendo contato direto com sua pele, eu estava excitada! foi quando num impulso tirei a minha mao de seu pau e inclinei minha bunda tentando achar aquele volume - nao seria dificil. Sem pudor encaixei o meiozinho da minha bunda, bem na divida das duas partes, em seu cacete. ele chegou o corpo mais pra frente, fazendo com que além de que se encaixasse em mim, me desse uma leve roçada - fiquei doida ! nao era para ele ter feito isso. um fogo se acendeu dentro de mim. agora eu mesma estava me conhecendo. ele que me aguardasse !   Aquela roçada com certeza despertou em mim a vadia que existe dentro de toda mulher - gente, aquele pau duro, encostando bem no meiozinho da sua bunda, é algo que realmente nos deixa bem doidas! - Enquanto ele levava o corpo pra frente, eu me empinava o máximo que podia .. eu queria sentir aquilo em mim! com certeza não iria mais parar .. iria até o final !
Olhando para os lados para ver se alguém perceberia no que eu estava fazendo, arrebitei minha bunda ao máximo. aquele homem tinha pegada! enquanto me encaixava nele, sua mao que tocava minha bucetinha por cima da calça e me apertava contra seu corpo - sim, ele segurava por cima de minha bct para me pressionar contra ele - nao aguentei, segurei no apoio do banco e me empinei como se tivesse lordose.
' Marcela se segura, há muitas pessoas dentro do ônibus - foi quando meu pensamento foi interrompido. O cara havia colado seu corpo no meu, eu sentia sua respiração ao pé do meu ouvido, ele esmagava minha buceta pela frente com dois de seus dedos, e por ali me apertava com bastante força contra ele, como se quizesse penetrar em mim por tras. seu pau que estava como pedra, parecia me deflorar entrando com calça, calcinha e tudo !
Meu tesão explodiu! aquela situação deperigo me deixava excitada, o homem que estava roçando em mim era uma delicia .. tudo estava perfeito .. nunca tive tanta vontade de fazer uma sacanagem como naquele momento. para começar deslizei suavemente minha bunda pra cima e pra baixo por aquele cacete grosso que estava duro e pra cima; aquele volume se apertava contra o meio de minha bunda fazendo com que na hora que eu descesse, era como se a cabecinha entrasse .. aquele puto ainda forava o quadril contra mim, quanta tentação! capaz de que se aquilo tivesse acontecendo em uma balada, sem pestanejar eu deixaria ele penetrar em mim ..   Enquanto ele forçava o quadril contra minha bunda, seus dedos alisavam e pressionavam minha bucetinha .. comecei rebolar discretamente com aquele volume encaixado na minha bunda e por trás de meu ouvido, sentia a respiração daquele pedaço de mal caminho ofegante .. o ar quentinho que ele soltava e transpassava por meus cabelos, tocava meu ouvido e me deixava toda arrepiada !
Ele se apertou mais em mim, desta vez meu corpo foi pra frente novamente fazendo com que eu expremesse meuse seios contra o banco, minha mochila agora estava amassada entre nossos corpos. o ônibus que ate então andava e parava, desta fez deu uma freada repentina, que fez com que aquele caralho e aquele corpo se fundisse em meu com bastante força.
- ãããinwm - suspirei como se gemesse bem baixo enquanto naquele freada eu sentia uma estocada sem intenção.
Todos dentro daquele ônibus cairam uns sobre os outros depois daquele 'acidente' . enquanto se recompunham-se o onibus dava novamente partida e seguia o seu rumo. com aquela agitação, achei melhor parar né? alguem poderia acidentalmente perceber que dentro daquele cubiculo, duas pessoas se divertiam (risos)
Tentei empurrar o corpo dele pra tras como se quizesse me soltar, mas foi em vão. acho que ele entendeu como se eu quizesse estocar o pau dele com minha bunda - foi uma pessima ideia, eu morri de tesão - e até então ele afastou sim o corpo um pouco do meu, sorri aliviada, quando fui surpreendida por algo que entrava entre minhas pernas
' não acredito ! - eu pensei enquanto minha buceta esquentava e piscava de tesão
Aquele danado não tinha posto o pau pra frente, como se apontasse mirando entre minhas pernas ? me aproveitei daquilo, levantei minha bunda fazendo com que aquela jeba se encaixasse bem apertadinho, encostando na extensão da minha bunda ate meu sexo, que nesse momento, ja estava quente e melado de tesão. Nossa como aquele cara era gostoso .. ele sabia provocar uma menina - ainda mais se tratando de alguem inexperiente como eu - fiquei doida ! tranquei minhas pernas e ali permaneci rebolando aos poucos sentindo aquele enorme cacete entre minhas .. a cada rebolada eu sentia que sua cabecinha roçava na entrada da minha buceta por tras.
Ele a essa altura do campeonato sabia que estocadas me deixavam louca de tesão, foi quando aquele safado não pensou duas vezes começou fazer um vai e vem bem de leve contra minha bunda - seu corpo pernanecia parado, com apenas seu quadril se movendo fazendo com que a cintura viesse pra frente e pra tras suavemente - . eu sentia minha minha buceta molhava, olhei para baixo discretamente e via sua mao ainda por cima de meu sexo. senti ele tentando por o pau pro lado, o que fez com que roçasse em minha virilha, sua mão no mesmo momento apertou o finalzinho da minha buceta como se me beliscasse. eu nao intendi muito bem qual era a intenção daquilo, e sem ter consciencia dos meu ato, virei um pouco do meu rosto pro lado. ele novamente me apertou
' será qe esse era um sinal de que eu nçao deveria olhar pra ele ? - pensei voltando com o rosto pra frente.
O onibus seguia seu trajeto e reconhecendo o caminho que percorria, pude perceber que faltava pouco para que entrassemos no centro de SP. o transito havia melhorado, dessa vez o onibus ja nao parava mais, trafegava lentamente mas andava continuamente ..
' não .. pqp .. ja esta chegando no centro ! tomara que o ponto do predio central nao seja onde ele desça .. esse cara so sai daqui depois que me levar a loucura - pensei sentindo seus dedos esfregarem em minha bucetinha altamente sensivel enquanto ele metia aquele pau gostoso entre minhas pernas. Eu sentia que aquele cara estava tão excitado quanto eu, suas maos alisavam minha bucetinha alternando levemente com apertões .. eu me empinava, dava leves reboladinhas .. a sensação daquele volume entre minhas pernas era uma delicia - quando ele colocava o pau pro lado então nem se fala ! - dessa vez era eu quem queria provocar (aproveitando para me satisfazer também claro! risos) . sem que ele esperasse, bati com força minha bunda nele. seu caralho entrou com força entre minhas pernas apertadas - foi como uma estocada forte - e ele nao resistiu, encostando o rosto por tras do meu ombro soltou um suspiro que eu estremeci !
Aquele gemido abafado fez com que eu sentisse um calor em meu pescoço .. minha buceta babava eu sentia que ela queria brincar ! naquele momento eu anseiava para que ele fizesse mais coisas, aquele joguinho de roça roça estava me enlouquecendo ! eu qeria mais .. e sabia que ele poderia me oferecer .
Senti sua mão subir um pouco, dessa vez encostava em minha barriga - a palma proxima do umbigo e os dedos na divisa de minha barriguinha com meu sexo - seus dedos pressionaram em mim e senti como se ele estivesse tentando suavemente empurrar a pontinha dos dedos para dentro de minha calça . meus olhos arregalaram. era perigoso demais ! mas com certeza eu queria, e nao iria deixar ele parar!
Olhei para os lados, olhei para frente, e ninguem reparava em nós - ou pelo menos não demonstravam reparar - e como uma resposta de que ele teria passe livre, dei outra estocada nele .. ouvi um baixo : gostosa - saindo entre seus lábios mas como forma de gemido
' eu sei que sou .. agora enfia logo a porra desse dedo grosso na minha buceta ! - eu pensava já doida com a ideia de que ele iria explorar minha xaninha e novamente me fazer sentir coisas que nunca tinha provado.   Eu sentia sua respiração ofegante ao pé do meu ouvido, aquele cara já nao fazia mais questão nenhuma de disfarçar .. talvez fosse impressão, mas suas bolas pareciam maiores, e estavam tão duras quanto aquele pau - eu senti devido a estocada que dei nele, como pressionei bem ao fundo, senti aquelas bolas duras encostando em mim .
Se aquela situação tivesse acontecendo comigo em algum outro lugar - publico & escondido - eu com certeza ja estaria de 4 para que ele pudesse me enrabar com gosto .. aquilo de roça roça escondido, dentro dum onibus, por mais que fosse excitante, ja estava me fazendo subir pelas paredes daquela lata de sardinha (risos)
Eu estava com minha bunda pressionada até o talo. sentia seu pau querer perfurar minha calça com voracidade .. aquele homem ja estava pirando (risos) e eu, por mais que estivesse enlouquecendo tanto quanto ele ainda mantinha o charme e o provocava. a cada reboladinha que eu dava encaixada, minha bucetinha escorria - deveria parecer jatos (risos) - se bobeasse, meu melzinho escorreria entre minhas pernas .. eu rebolava e dava leves estocadinhas ainda com as pernas trancadas, fazendo com que ficasse cada vez mais apertadinho. capaz de que se eu desse mais uma com força como antes, aquele homem me tararia bem na frente dos outros - eu podia sentir meu coração acelerado, mais sentia mais ainda a respiração forte que o cara de tras soltava.
Aos poucos sentia sua mão entrando por minha calça, podia sentir os dedos deslizando suavemente tentando passar por dentro da minha calcinha - que era minima (risos) - eu ja estava querendo isso fazia tempo, mas so agora ele tinha tomado essa coragem.
Eu me empinava fazendo com que a calça pela frente ficasse um pouquinho folgada, encolhia a barriga com a intenção de facilitar a entrada de sua mão. ele deslizada para dentro suavemente, tentando disfarçar ao máximo - sim, eu percebi isso - eu estava realizada, imaginando como seriam aqueles dedos (que eram grossos) mechando dentro de mim .. A pontinha de seus dedos já encostavam na testinha da minha buceta - mais um pouquinho para baixo e ele iria perceber o quanto eu estava excitada! - ele percorria carinhosamente pressionando contra minha pele sem pentelho - sim, era lisinha - e a medida que sua mao descia, eu me arrebitava e abria as pernas.
Ele forçava ainda aquele cacete duro em mim quando a cabecinha do seu dedo indicador tocou a entradinha molhada da minha xaninha - que estava quente e transboardando de tanto tesão! - . abri mais as pernas um pouco e assim que sua mao entrava pela minha calcinha, mais ele pressionava os dedos em mim.
Senti 02 de seus dedos forçarem contra minha entradinha - o do meio e o indicador - fazendo com que automaticamente penetrasse em minha caverninha babada. Ele com certeza sentia seus dedos melados ... a sensação devia ser maravilhosa, tanto que ao pé do meu ouvido, com aquela voz bem grossa e baixa ele ordenou :
- abre mais as perninhas vai ... - eu imediatamente obedeci enquanto ele cravou bem gostoso aqueles dedos dentro de mim. eu sentia muito prazer, me controlava para nao suspirar forte.
Aquele homem era um tesão! (risos) eu estava louca, compeltamente dominada .. tudo o que ele mandasse eu fazer, com certeza eu faria! Ele com os 02 dedos dentro de mim, abriu afastando um lado da minha buceta da outra - como se quizesse abrir para alguma coisa entrar - eu sentia que seus dedos estavam grudentos e eu realmente havia babado ele todo ... aquela ação fez com que eu fechasse meus olhos e delirasse .. quando repentinamente seus dedos soltaram e deslizaram com força para dentro de mim.
Respirei fundo e me contrai ! parecia que seus dedos entrariam todo .. minha bucetinha estava piscando, pegando fogo! ele estava me dando tanto prazer .. (6)
De alguma forma eu tinha que retribuir. minha reação automatica foi por a mão pra tras novamente e agarrar aquele pau. fiz aquilo com força e firmemente fechei as minhas maos naquele cacete grosso, começando a masturba-lo. Minha mão apertava forte seu pau, punhetando com gosto e voracidade aquele caralho grosso e duro .. enquanto eu puxava para cima e para baixo seu cacete que parecia latejar, ele começava empurrar os dedos para dentro de minha xaninha . Seus movimentos começavam a ficar intensos, minha bucetinha apertadinha continuava a babar - ela piscava, estava pegando fogo!
Meu melzinho ajudava aqueles dedos grossos deslizar facilmente dentro de mim ... Enquanto isso eu puxava aquele pau, apertava e sentia que atrás o cara delirava (assim como eu) . Ele por sua vez me fazia uma siririca espetacular! eu mordia meus labios .. estava com o coração disparado! Ele suspirava - percebia que abafava seus gemidos - e ao mesmo tempo empurrava o pau contra minha mão ..
Seus dedos começaram rodar dentro de mim, alternavam com enfiadas fundas .. eu me contraía, tentava disfarçar mas estava impossivel! - como será que ninguem olhava para nós?
Eu já estava em estado de ecstasy, meu coração estava quase saindo pela boca, eu transpirava sem perceber - minha franjinha já estava toda grudada em minha testa - minha respiração estava alterada (eu estava ofegante oras!) quando .. o cara pressionou os dedos para cima e começou esfregar - GOLPE BAIXO! - na mesma hora tranquei minha buceta, me endureci toda ..
Seus dedos esfregavam violentamente meu grelinho, e eu agarrada em seu cacete, virei os olhos .. minha cara era de prazer total .. eu estava em climax! Ele continuava esfregando, e eu já não aguentava mais .. numa fração de segundos senti um jato quentinho sair ferozmente pela minha caverninha - agora quase virgem.
Eu sentia aquele liquidozinho quente passar ela minha calcinha, havia melado ate minha virilha ! os dedos daquele gostoso então .. nem se fala ! eu pensava como deveriam estar aqueles dedos e em mim bateu uma louca vontade de chupa-los - eu queria saber como era o gosto daquilo.   Eu me contorcia .. sem pelajas e sem pensar em ninguem ao redor, cheguei meu corpo pra frente, agaixando o tronco contra o banco - expremia meus seios contra ele sem dó - eue stava molinha, meus solhos estavam semi virados, minha boca aberta estava quase babando .. dessa vez eu não iria me segurar, eu iria olhar para trás !
Virei minha cabeça contra meu ombro, olhava por cima deles na intenção de achar os olhos negros do cara que havia me levado ao ceu ! mas me deparei com outro olhar .. me estremeci !   Com os olhos ainda fixados naquele homem, eu me recompuz .. logo me levantei o corpo e fiquei como qualquer outra pessoa dentro daquele ônibus .
' não acredito que eu estava sendo vigiada ! - pensei morrendo de vergonha, me sentindo a menina mais puta de todas .
Nossos olhares estavam fixados - eu estava perplexa - ainda desviei o olhar para ver se eu estava errada, mas não. ele continuava me olhar, estava com um sorriso sacana, malicioso .. na mesma hora puxei as mãos do gostoso que estava atrás, mas ele insitia em não tirar a mão de dentro da minha calcinha .. comecei ficar encomodada, eu estava alterada, pertubada .. o cara de trás continuava a mexer no meu grelinho, mas eu nao tinha mais clima . tentei empurar meu corpo no dele, para que ele afastasse - sei que não adiantaria de nada, pois o que tinha acontecido, aquele homem ja tinha presenciado - mas o cara de trás insistia. emburrei minha cara ..
' acorda ! viram a gente ! - eu pensava aflita querendo que ele pudesse ouvir meus pensamentos ..
O trocador continuava a me olhar .. fiz uma cara de que havia sido pega no flagra, envergonhada .. consegui por fim tirar a mão do cara de tras de dentro da minha calça, mas seu corpo ainda estava colado no meu . desviei o olhar e ajeitei minha minha calça, o carinha de trás estava me abraçando .. CARALHO, SE AFASTA DE MIM ! eu pensava brava enquanto empurrava ele com meu corpo, tentando me esquivar .
- que foi gatinha, vai querer pagar de santa agora ? - aquela voz grossa ecoou no mue ouvido . eu nao tinha reação, nao sabia o que fazer .. será que eu deveria responde-lo ? eu estava confusa ! não, eu nao iria nega-lo, eu queria, estava doida naquele momento, mas não imaginava que teria sido flagrada .   Voltei novamente meu olhar pro lado - olhando por cima dos ombros - e o fdp do trocador ainda estava me encarando com aquele sorriso cinico . ele desviou o olhar para baixo, e eu acompanhei .. ele olhava para sua calça (que tinha um volume visível) e passava a mao por cima sorrindo .
' ele deve achar que sou puta .. deve me desejar agora . deve achar que eu tbm poderia fazer isso com ele ! - pensava eu indignada, tendo uma linha de raciocinio alterada, desesperada .. não me contive, virei para trás surpreendendo o cara que me abraçava, ele me olhou espantado - não deveria esperar que eu o olhasse assim, ainda mais com a cara que eu fazia - e eu so consegui falar uma palavra : o trocador !
A cara daquele pedaço de mal caminho que havia me tocado dentro do ônibus se fechou. sua expressão era de que o errado ali na historia era o trocador, e não a gente. num ato de impulso sua cara amarrada virou-se para o trocador encarando-o. o trocador sorriu debochadamente, e tirando a mão que passava por seu membro - com certeza flacido e velho - cruzou os braços como se encarasse a gente.
Um sinal foi tocado ! o ônibus havia chegado no ponto do prédio central . o ônibus estacionou e me bateu um desespero:
' se ele descer aqui, vou ficar sozinha dentro dessa joça com este velho tarado .. não, por favor não desça ! - eu pensava fazendo uma cara de choro, tirando o olhar do intruso do trocador e fixando o olhar no meu gostoso.
As portas se abriram, começou um tumulto para descer - como eu havia dito, aquele ali era o ponto onde o onibus esvaziava - pessoas se empurravam tento chegar ate a frente, um expremido no outro, como se quizessem logo passar por aquela porta e se livrar daquela lata de sardinha.
- finge que está comigo ! - ouvi o tesão de homem sussurrar enquanto ainda olhava o trocador .. não pensei duas vezes, iria fingir que estava com ele. assim aquele trocador nojento não poderia tentar se aproveitar de mim ..   o ônibus havia esvaziado, poucas pessoas haviam permanecido dentro daquele veiculo, agora havia espaço de sobra .. não tinha porque eu ainda estar agarrada naquele homem .
Surpreendentemente, ele saiu de tras de mim, mas segurou na minha mão - eu arregalei os olhos - ele foi andando mais para frente me puxando como se quizesse me encaminhar para algum banco. eu o acompanhei .. sem olhar pra tras andei em direção ao motorista enquanto o ônibus dava partida (ufa! sorte minha que o cara não havia descido)
Ele levemente me 'jogou' para sentar num dos bancos, e ainda em pé ficou na minha frente impedindo que alguma pessoa tentasse sentar naquele espaço.



Ficha do Conto

Escritor:
Carolina

Nome do conto:
Onibus Lotado

Codigo do conto:
9040

Categoria:
Heterosexual

Data do Envio:
10/02/2010

Quant.de Votos:
7

Quant.de Fotos:
0

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us



Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA