Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Blog Erótico   Entrar em contato  
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato
   Ajuda (Duvidas)

SITES PARCEIROS
   Blog Erótico
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web
   Videos Porno
   Porno Tube

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





O flagra de mamae


O flagra da mamae

Quem já leu meus contos sabe que na minha adolescência quando eu ia à escola, com mais três colegas, parávamos no meio da trilha para urinar, eles aproveitavam,(leia Iniciação) e ao chegar em casa ficava sosinho com minha irmã caçula todas as tardes ate que um dia...(leia A caçulinha) estava comendo a bundinha de minha irmã caçula na sala tipo cavalinho e quando começou o upa-upa a porta abre e mamae entrou e flagrou a cena. Descarregou uma verdadeira enxurrada de palavroes tapas e ameaças, nós ali pelados, ela sentada no meu colo com a vara dentro e eu segurando os seus peitos, quando tentavamos levantar para vestir nossas roupas, mamae obrigava-nos a ficar ali, talves para ficarmos envergonhados do que estavamos fazendo, e continuava com sua furia e com seu sermão. Falava que se o papai ficar sabendo disso ele nos expulsaria de casa e talves morra de vergonha. Depois de muito escutar, e não poder falar nada, e nem sair daquela situação, minha irmã tentou me inocentar, e disse que eu não tinha culpa, que foi ela que procurou-me por curiosidade, por ter escutado colegas da escola falar sobre isso, minha mae rebateu dizendo que eu era mais velho, já quase um homem, devia estar tomando conta dela e por ser irmão jamais fazer isso. Com minha mãe mais calma, começamos a argumentar e tentar nos defender, alegamos que seria melhor fazermos sexo dentro de casa entre nos, do que fazer na rua com estranhos, sujeito a doenças e ficar defamados perante todos, e que a vergonha para eles pais, seria maior. Conseguimos com isso amenizar o nervossismo de mamãe, e faze-la entender que o que já estava feito não tinha mais volta, propuzemos um acordo, ela não contaria nada ao papai e nos melhorariamos na escola e ajudariamos mais ainda nos afazeres domesticos. Tentou proibir-nos de continuarmos com nossas relações, mas, minha irma a enfrentou alegando que gostava do que fazia e ja sabia tudo sobre sexo, que estava preservando a virgindade para o casamento e que gostava de fazer comigo por que eu era seu irmão e muito carinhoso com ela e se fosse proibir nós sairíamos de casa. Daquele dia em diante mamae ficou mais compreensiva com nós, passou a trabalhar com papai todos os dias, deixando as tardes para nossa regalia, nos aconselhava em muita coisa, como evitar a gravidez, as doenças e tomar cuidado para ninguem ver ou saber o que faziamos, em troca faziamos todos os serviços da casa. Notei que ela passou a ser mais amiga minha e sempre que eu ia tomar banho, entrava no banheiro trazendo a toalha e a roupa, me observava, perguntava se tudo tinha dado certo, e não tirava o olho do meu pau, percebi que ela encarava muito e comentava que ja estava ficando adulto. Numa dessas tardes estava socando uma bela punheta antes do banho e quando menos espero ela entra, fiquei sem ação na hora, entrou, fechou a porta e disse baixinho,- sua irma não esta dando conta do recado?, precisa bater para se satisfazer? Pare com isso já, vou arrumar um jeito de matar sua gula, agora tome banho vá pra cozinha jantar, e saiu meio furiosa. Fiquei arrasado e preocupado, o pau não levantava mais nem por decreto, me lavei, sai, fui a cosinha juntei-me a todos, menos o papai que nessa noite ficou trabalhando, jantamos, fomos para sala ver TV. Eu estava preocupado com o que mamae falou,- arrumar um jeito - mas não poderia tocar no assunto pois as minhas irmas não deveriam saber disso, a mais velha nem sabia que transavamos, estava me sentindo um peixe fora da agua e tratei de ir dormir. Passei por um bom sono e de repente acordo sendo chacoalhado, abri os olhos, e vi minha mae com um baby-doll curtinho, toda apavorada me chamando baixinho, venha, venha, anda, levantei e a segui, imaginando mil situações, afinal o que estaria acontecendo, mas nenhuma ideia foi a real, ao entrar em seu quarto ela trancou a porta e disse para não fazer barulho, - agora quero ver se voce é realmente bom de cama e de pau. Faz quatro meses que seu pai não usa esta buceta aqui, estou muito carente, como voce alem de comer sua irma ainda bate punheta, vamos usar essa energia entre nós, afinal estamos em casa, não foi isso que voces disseram?. Mamae deixou cair o baby-doll, estava sem nada por baixo, revelou um corpo maravilhoso, uma linda buceta raspadinha identica a da minha irmã, era uma coroa com tudo em cima mesmo, fez eu deitar, tirou minha roupa e caiu de boca na minha vara que a essa altura ja estava quase no ponto, mamou bastante e ofereceu seu belo rabo para que eu cutucasse com a lingua. Dei para mamae o mesmo tratamento que dava para minha irma, chupei-lhe o cuzinho, ate ela se retorcer, enfiei os dedinhos e rodava fazendo ela morde-los de tesão com o cu, depois fui ate aquela linda buceta e mamei avidamente bebendo seu suco, mamae urrava, gemia baixinho, falava que eu iria come-la sempre. Ajoelhei-me entre suas pernas e as ergui ate o ombro, finquei a vara e bombei varias vezes naquele canal todo umedecido de prazer e de saliva e senti o orgasmo que ela deu apertando meu pau com sua xana, soltei suas pernas e deitei-me sobre ela, fui beijado com toda a volupia que uma mulher pode ter. Descansamos um pouco e ela pediu que queria fazer upa-upa tambem, tinha ficado com aquilo na cabeça e nunca tinha feito isso com papai. Sentei na borda da cama, ela deu o respectivo trato no pau com sua boca gulosa e quando ele ja apontava para o teto, ela ofereceu seu buraquinho para eu chupa-lo e saliva-lo, depois dirigiu-o para a ponta e foi descendo, descendo, ate chegar com sua bela bunda em minhas pernas. Começou a subir e a descer, num vai-vem, foi acelerando o ritmo ate que virou-se e ofereceu-se para ser enrabada, seu cuzinho piscava e sua enorme bunda abria e fechava parecia que estava batendo palmas, aprumei, encostei e fui engolido de uma só vez, puxei-a e mantive firme o pau enterrado e descarreguei o leitinho no fundo do seu rabo. Deitei do seu lado, ela me beijou de uma forma muito doce e pediu que eu mantive-se isso no maior segredo, pois se papai, abalado como estava com a doença que tinha, viesse a saber seria para ele o golpe final, e que de agora em diante nunca mais queria ver eu batendo punheta. Levantei-me, fui ao banheiro me lavei, fui para meu quarto e mal eu tinha deitado, entra sorrateiramente minha irma e me chama baixinho e coloca sua espetacular bucetinha em minha boca e começa a chupetar meu pau que ainda estava dolorido. Chupei um pouco e ela foi embora, ate que em fim eu pude dormir em paz nessa casa. Mas vou contar outras peripecias com elas, votem se gostaram, isso aconteceu a alguns anos atras



Ficha do Conto

Escritor:
deuarosa

Nome do conto:
O flagra de mamae

Codigo do conto:
9249

Categoria:
Incesto

Data do Envio:
27/03/2010

Quant.de Votos:
15

Quant.de Fotos:
0

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us



Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
536 Iniciação Gays 17
537 Meu amigo Rafael Gays 5
538 O substituto do Rafa Gays 5
539 Pai do Rafael Gays 5
546 Adolescente Gays 28
547 Voltando a ser feliz Gays 4
9020 Voltando a ser feliz 2 Gays 4
9021 Reparos no forninho Gays 1
9247 minha irmã caçula Incesto 6
9248 Confirmação Incesto 3
9878 A caçulinha Gays 1
9879 O flagra da mamae Gays 1
9880 Confirmação Gays 1
9881 Mutirão no sitio - Continuação Gays 4
9882 1ª viagem - 1ª noite Gays 3
9883 Saida da oficina Gays 2
9884 Na oficina Gays 2
9886 Saida da oficina Gays 0
9887 O sonho Gays 0
9888 A revisão Gays 2
9889 No motel Gays 2
9890 Novo emprego Gays 1
9891 Iniciado Gays 3
9892 Passei apertado Gays 4
9893 Esperando para carregar Gays 5
9895 Nosso grupo Gays 2
9902 Mutirão no sitio Gays 6
9921 Extras no domingo Gays 0
9992 Substituindo o titular Gays 0
9993 De ferias na praia Gays 1
9994 De ferias na praia - Cont. Gays 0
9995 NA PRAIA uma semana Gays 0
9996 Praia a três Gays 0
9998 Aconteceu por acaso Gays 0
9999 Aconteceu de novo Gays 0
10000 Mais uma vez Gays 0
10001 Viagem doida Gays 2
10002 Vinte dias depois Gays 2
10003 Assim foi o começo Gays 2
10004 Pesqueiro sem peixe Gays 3
10005 Robson do pesqueiro Gays 2
10006 Olha o que aconteceu Gays 2
10007 Olha o que aconteceu 2 Gays 2
10008 Carro quebrado Gays 2
10009 1ª viagem - 2ª noite na fazenda Gays 2
10010 1ª viagem - 4ª noite No posto Gays 4
10011 Novo emprego Gays 1
10012 Filha da visinha. Heterosexual 2
10013 A filha da visinha - cont. Traição/Corno 1
10014 Continuando o trabalho Traição/Corno 1
10015 Aventuras de Rosa Heterosexual 1
10016 Rita, Ritinha Heterosexual 3
10067 O sócio Gays 0
10091 Primeiro domingo com os socios Gays 0
10092 Depois da Confirmação Gays 0
10093 Na casa do Augusto Gays 1
10111 Assistencia tecnica Gays 2
10112 semana legal Gays 1
10124 A volta do Juca Gays 0
10136 Encarando os fatos Gays 0
10146 1ª viagem-3ª noite Gays 2
10255 Quebrando o combinado Gays 0
10256 amigo Barros Gays 0
10266 Futuro cunhado Gays 3
10267 Futuro cunhado 2 Gays 4
10269 Quebrando o combinado 2 Gays 1
10274 Barros e o Padre Gays 1
10357 O retorno Gays 0
10390 Outra viagem do Nosso grupo Gays 2
10422 Final de expediente Gays 1
10423 Cobrindo as ferias Gays 1
10452 Novo professor Gays 2
10486 A primeira vez com o lolão Gays 2
10487 Acompanhando Lourival Gays 2
10564 Futuro cunhado 3 Gays 2
10589 Por causa do lolão Gays 3
10619 A historia do Lori Gays 1
10819 Papai e eu no curral Gays 13
10841 Novo professor parte 2 Gays 0
10842 No curral a revelação Gays 4
10843 No curral A provocação Gays 2
10943 A volta do Lori e da escola Gays 0
10945 O buraco da minhoca Gays 3
11225 Feliz de novo Gays 1
11226 Feriadão prolongado Gays 1
11234 Segunda viagem com Lori Gays 1
11249 Quase mecânico Gays 0
11271 Encarando os fatos Gays 1
11272 Pega, pega... Gays 3
11364 Feriadão prolongado Gays 1
11365 Idade crítica Gays 3
11689 O segundo patrão Gays 1
11711 Aconteceu fazer o que Gays 3
11712 Aconteceu na biblioteca Gays 2
11787 Na rolateca Gays 1
11829 O Pequeno, grande. Gays 2
11830 A volta do Pequeno, grande Gays 1
12163 No escritório do Pequeno. Gays 1
12164 O caseiro do Pequeno Gays 2
12165 Fazendo um dique Gays 1
12166 A falta do caseiro Gays 2
12173 Certa vez... Gays 2
12251 O Susto Gays 2
12252 Por causa da mala Gays 2
12735 Virei caseiro Gays 3
12825 Bairro novo Gays 3
12826 MAMAE TEVE QUE VIAJAR Gays 7
13078 No quartinho Gays 6
13079 Nossas andanças Gays 2
14209 Outro fim de semana Gays 2
14240 A terrível primeira vez Gays 3
14251 Tá nervoso vai pescar. Gays 2
14408 Viagem com titio Gays 3
17498 A volta do pedreiro Gays 2
17611 Mais um dia... Gays 1
18070 A reforma do banheiro Gays 7
19475 Periodo de Coroinha Gays 4
19599 Fora da rotina Gays 3
35485 O enorme do Pqueno Gays 4
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA