Contos Eroticos
Adicionar em seus Favoritos RSS conto Erotico Torne o Conto Erotico a pagina principal de seu navegador
O mais excitante site de Contos Eróticos da Lingua Portuguesa.
Username: Senha:
Esqueci minha senha | Quero ser usúario
Principal   Publicar Contos   Painel de controle   Últimos Contos   Mensagens/Scrap   Entrar em contato   Bate Papo
Contos Eroticos
   Contos por intervalo
   Por categoria
   Últimos Contos
   Melhores Contos
   Contos com foto
   Publicar Contos
   Publicar Com fotos
   Buscar (Search)

Quadrinhos Eróticos
   Quadrinhos eróticos
   Enviar Quadrinhos

OPÇÕES
   Painel de Controle
   Meu Album de fotos
   Cadastro usuário
   Mensagens (Scraps)
   RSS
   Entre em contato

SITES PARCEIROS
   Irotica Videos
   Videos Eroticos
   Relatos Espanhol
   Galaxia Gay
   Videos de Famosas
   Piadas Web
   Videos Porno
   Porno Tube

REDES SOCIAIS
   Twitter
 
 
 
 





Aninha,o irmão e a mamãe


Olá, meu nome é Ana Paula, mas a minha família e os amigos me chamam de Aninha. Eu tenho ?? anos e moro com a minha mãe Mariana (que tem 32 anos) e com meu irmão Felipe, um ano mais novo que eu. Sou morena, tenho os cabelos castanho claros e os olhos verdes, minha altura é média e meu bumbum é grande; meus seios ainda estão em crescimento. Minha mãe é muito parecida comigo, somos quase idênticas, mas ela é mais alta e tem os seios maiores. Meu irmão é louro e alto como o meu pai, mas tem os olhos verdes como eu e minha mãe. Nosso pai se separou da nossa mãe quando ainda éramos muito novos (eu tinha 3 anos e meu irmão tinha 2), e se mudou pra outra cidade. Por isso nunca temos contato com ele e sempre fomos criados exclusivamente pela minha mãe. Minha mãe sempre foi muito carinhosa com a gente e nos ensinou a ser assim também. Também nos ensinou que não devemos ter vergonha quando estamos em família. Então, estamos acostumados a nos beijar na boca, a nos ver sem roupa no banheiro e a andar bem a vontade pela casa. Nossa mãe tem o hábito de andar pela casa só de calcinha e blusa de alcinha, e eu ando igualzinha a ela. Meu irmão anda só de cuecas samba canção. Como cada um tem seu quarto lá em casa, temos bastante privacidade e por isso, quase nunca brigamos. Meu relacionamento com meu irmão é bem calmo e carinhoso, assim como nossa mãe ensinou. Há pouco tempo atrás, eu estava no meu quarto, tinha acabado de sair do banho e estava procurando uma blusinha pra vestir, por isso estava só de calcinha. Meu irmão bateu na porta e eu disse: "Entra.", mesmo estando sem blusa porque temos bastante intimidade. Felipe entrou no meu quarto e me abraçou e me beijou na boca, como costumamos fazer. Aí ele afastou o corpo dele do meu e ficou olhando meus seios. Eu perguntei: "O que foi?", ele respondeu: "Seus seios estão crescendo bastante", Eu perguntei: "Você acha?", ele respondeu: "Eu acho, eles estão muito bonitos. Posso tocar?". Como nossa mãe sempre nos ensinou que não precisávamos ter vergonha um do outro, eu disse: "Pode". Ele primeiro pegou meu seio esquerdo com a mão direita dele em cheio, e depois foi passando os dedos no biquinho. Ele fez a mesma coisa no meio seio direito com a mão esquerda dele e os mamilos ficaram durinhos. Ele percebeu e falou: "Os biquinhos ficaram duros!", eu disse: "É mesmo. Isso é gostoso". Ele falou: "São tão bonitos que dá vontade de beijar. Posso beijar?". Como aquela sensação era ótima, eu disse: "Pode beijar". Ele abaixou a cabeça e beijou meu seio direito enquanto ainda acariciava o esquerdo. Isso era tão gostoso que eu puxei a cabeça dele pra mais perto. Então de repente minha mãe entrou no meu quarto. Eu estava de frente pra porta e o Felipe de costas, por isso eu a vi primeiro, e assim que ela entrou eu tirei a boca de Felipe do meu seio e afastei as mãos dele. Ele se virou e viu minha mãe e ficou meio assustado, se afastando de mim. Ela falou: "Não precisam ficar com vergonha, isso é normal", ela me abraçou e me beijou na boca e disse: "Bom dia filha" eu lhe dei bom dia, depois ela abraçou o Felipe, beijou sua boca e disse: "Bom dia filho" e Felipe também lhe deu bom dia. Mamãe falou: "Vão logo tomar café da manhã senão vocês vão se atrasar pro colégio". Ela olhou pra mim e disse: "Vai sem blusa mesmo que depois você vai ter que tirar pra vestir o uniforme". Depois eu vi que ela abaixou o olhar e parou nos meus seios. Em seguida olhou mais embaixo, só quem pro Felipe; só nesse momento que eu fui reparar o volume embaixo da cueca dele. Ela disse: "Quando vocês voltarem da escola eu quero conversar com vocês. Agora vão tomar café pra não se atrasarem". Fomos tomar café da manhã e o Felipe não tirava os olhos dos meus seios. Eu já tinha tomado café sem blusa antes, até sem calcinha, mas agora ele estava olhando diferente. Acabamos de comer, vestimos rápido nossos uniformes e nos despedimos de mamãe. Como o nosso colégio fica só a 2 ruas de casa, nós vamos a pé mesmo. Entramos no elevador e lá dentro o Felipe começou a acariciar meus seios por cima da blusa. Eu estava gostando, mas disse: "Pára Felipe, acho que a mamãe não gostou de ver a gente fazendo isso". Ele perguntou: "Será que isso é errado? Mas se é tão gostoso, não pode ser errado." e eu respondi: "Não sei, mas vamos esperar a mamãe conversar com a gente". Felipe concordou comigo. Saímos do elevador e fomos pro colégio. No colégio não nos vimos mais, porque somos de séries diferentes e os nossos recreios são separados. Nos encontramos na hora da saída e voltamos juntos pra casa. Quando pegamos o elevador pra subir, eu vi que ele ficava olhando a marca do meu soutien através da minha blusa, mas não disse nada. Mamãe abriu a porta pra gente, nos beijou na boca e disse: "Vão tomar banho que o almoço já está pronto". Eu fui pra um banheiro e Felipe foi pro outro. Saí do banho sem roupa mesmo como eu costumo fazer e o Felipe também. Mas dessa vez eu vi que ele estava com o pinto muito grande e duro. Eu nunca tinha visto dequele tamanho. Eu fui pro meu quarto e saí com uma blusinha rosa e uma calcinha branca, muito parecida com a roupa de mamãe, só que ela estava com a blusinha branca igual à calcinha. Artur saiu só de cueca samba canção azul. Fomos para a cozinha, almoçamos normalmente, conversando sobre vários assuntos que conversamos normalmente. Acabamos de comer e mamãe disse, vamos lá pro meu quarto pra gente conversar. Fomos para o quarto de mamãe e sentamos todos em sua grande cama. Eu e Felipe nos sentamos lado a lado e mamãe sentou-se de frente para nós. Ela disse: "Queria conversar com vocês sobre aquilo que eu vi vocês fazendo hoje de manhã". Nós ficamos assustados, até abrimos a boca pra tentar explicar alguma coisa, mas não sabíamos o que falar. Ela disse: "Não precisam ficar nervosos, isso é muito normal na idade de vocês, agora que vocês estão crescendo. Como vocês estão na idade de pensar muito em sexo e também de perder a virgindade, acho que nós devíamos conversar sobre isso; mas não estou aqui pra brigar com ninguém". Ficamos mais tranqüilos. Mamãe perguntou: "Aninha, você ainda é virgem?" Eu respondi: "Sim mamãe, ainda sou". Depois ela perguntou pro meu irmão: "E você Felipe?". Ele ficou meio nervoso, mas admitiu: "Eu também mamãe". Ela continuou: "Vocês estão numa idade em que tudo fica diferente, até o corpo; eu notei os seus seios minha filha, eles cresceram muito, estão quase do tamanho dos meus". Falando isso, ela abaixou as alcinhas da minha blusa, e puxou meus seios pra fora. Ela ficou acariciando meus seios um pouco, e Felipe não tirava os olhos. Mamãe falou: "Olha só os meus" e abaixou a blusa dela mostrando seus peitos. Eles são bem grandes e ela pegou minha mão e colocou em um de seus seios. Em seguida ela veio pra mais perto e encostou os seios dela nos meus pra comparar o tamanho e disse: "Olha só, estão quase do tamanho dos meus". O toque dos seios dela nos meus me deixou excitada e eu senti minha calcinha ficar molhada. Felipe não sabia se olhava pros meus peitos ou pros de mamãe, até que mamãe disse: "Quer pegar filho? Então pega". Felipe pegou um seio de mamãe com uma das mãos e um seio meu com a outra. Mamãe riu e disse: "Seu guloso!". Nessa hora todos nós rimos e o clima ficou descontraído de vez. Mamãe falou:"Bom meu filho, eu também andei notando seu interesse pelos seios da sua irmã, e percebi que você tinha ficado muito excitado naquela hora. Aliás dá pra ver que você está muito excitado agora". Dizendo isso ela passou a mão no pinto do meu irmão por cima da cueca. Felipe ficou com vergonha e largou nossos seios. Mamãe falou: "Deixa eu ver seu piupiu filho" e baixou a cueca dele e segurou no pinto dele com a mão cheia. Ela comentou: "Nossa, como está grande e duro" e me perguntou: "Aninha, você já segurou num pinto antes?". Eu disse: "Já peguei no do Felipe mas não estava desse tamanho todo". Mamãe disse: "Então segura agora". Ela pegou minha mão e botou no pinto do meu irmão. Eu fiquei segurando com a mão cheia e gostei disso. O pinto dele era bonito, e parecia ser uma coisa gostosa. Até que mamãe disse: "Bom meus filhos, vocês já estão numa idade que a qualquer momento vocês vão transar por aí. Então eu pensei, em vez de vocês se arriscarem com desconhecidos, acho que vocês deveriam perder a virgindade um com o outro. Aì vocês não vão correr o risco de pegar doenças e acima de tudo, vocês são irmãos e se amam, por isso não vão se magoar". Eu e Felipe ficamos assustados na hora, e então mamãe perguntou: "O que vocês acham? Vocês querem?". Felipe respondeu na hora: "Eu quero". Mamãe me perguntou: "E você Aninha?". Eu respondi: "Acho que eu quero, eu estou com vontade, mas estou com medo que o pinto dele vá me machucar". Mamãe falou: "É verdade, Felipe também é inexperiente, pode acabar machucando você. Eu acho que sei o que fazer. Felipe, você vai perder a virgindade comigo, e você Aninha fica assistindo pra se acostumar. Depois quando eu ensinar o Felipe como ele tem que fazer tudo, você transa com ele. Vocês concordam?". Eu respondi: "Acho que assim é melhor mesmo" e Felipe disse: "Eu também concordo". Então mamãe engatinhou pela cama até chegar perto dos travesseiros e deitou-se de barriga para cima, e disse: "Vem Felipe". Felipe também engatinhou e deitou-se por cima dela. Mamãe segurou o rosto de Felipe com as duas mãos e lhe deu um beijo, mas deu um beijo de língua, bem chupado fazendo barulho. Eu fiquei olhando e fiquei com mais tesão ainda e senti minha calcinha molhar-se mais. Mamãe começou a beijar o rosto do meu irmão e foi beijando até o pescoço, então disse no ouvido dele: "Chupa meus peitos filho". Felipe abaixou a cabeça, segurou os dois seios de mamãe e ficou chupando um pouquinho cada um. Depois ele juntou os dois seios dela e ficou chupando os dois ao mesmo tempo. Eu achei isso muito bonito e muito excitante e aí eu percebi que eu também estava com os seios pra fora, e que eles estavam com os mamilos durinhos. Nessa hora eu lambi um dedinho meu e fiquei passando nos meus mamilos enquanto assistia Felipe chupando os de mamãe. Ela falou: "Muito gostoso filho, nem parece que é a primeira vez que você faz isso. Agora tira minha calcinha". Ele parou de chupar seus seios e foi abaixando a calcinha de mamãe. Ela juntou bem as pernas, então quando ele tirou a calcinha de vez só dava pra ver os pelinhos de mamãe, que são bem pouquinhos porque ela depila a maior parte, e o seu grelinho. Felipe ficou olhando e mamãe colocou um dedo em cima do grelinho e disse: "Dá um beijinho aqui". Ele abaixou a cabeça e deu um beijinho de leve no clitoris de mamãe, em seguida foi perdendo a vergonha e foi beijando mais vezes até que ele botou a língua pra fora e ficou lambendo pra cima e pra baixo. Então mamãe foi abrindo as pernas e levantando um pouquinho, e a xaninha dela se abriu na nossa frente. Como meu irmão já estava com o pinto pra fora, ele foi ficando de joelhos pra meter, mas mamãe falou: "Calma meu anjo, chupa aqui dentro agora". Ela dobrou as pernas e ele segurou em seus joelhos e abaixou bem a cabeça. Nessa hora eu estiquei minha cabeça pelo outro lado da coxa de mamãe pra poder ver o que ele ia fazer. Mamãe ficou acariciando meus cabelos. Felipe primeiro enfiava a língua dentro da xaninha dela, depois sugava e depois voltava pro grelinho. Ele começou a lamber bem rapidamente e mamãe gemia. Ela falou: "Vem Felipe, mete agora". Felipe se deitou por cima dela, e segurando seu próprio pau foi achando a entrada da xaninha dela. Assim que ele meteu ele já deu uma bombada, mas mamãe disse: "Calma filho, devagar". Então ele meteu mais devagar e mamãe ficava puxando ele mais fundo com as mãos no bumbum dele. Ela disse: "Aninha, deita aqui do meu lado". Eu que estava sentada olhando a xaninha dela e o pinto dele bem de perto, me deitei do lado dela. Fiquei olhando o rosto dela e esfregando meu grelinho por cima da calcinha. Ela estava gemendo e fazia uma cara de prazer e sorria ao mesmo tempo. Ela falou: "Me beija filha". Foi a primeira vez que dei um beijo de língua na minha mãe. Adorei, foi muito excitante. Nós ficamos nos beijando, até que um pouco depois Felipe gemeu um pouco mais alto e parou de meter. Mamãe parou de me beijar e disse: "Muito bem filho" e beijou Felipe. Eu me sentei e vi aquele líquido branco, que eu aprendi que era porra, escorrendo pelas pernas dos dois. Eles começaram a se beijar freneticamente, até que mamãe disse: "Deita aqui filha". Me deitei de novo do lado dela e nos beijamos nós três ao mesmo tempo com as línguas pra fora. Ficamos nos beijando assim bastante tempo, e enquanto isso todos nos abraçamos bem apertado, então ficamos praticamente colados. Depois de mais algum tempo nos beijando, senti uma coisa crescendo e roçando na minha coxa e mamãe também sentiu. Paramos de nos beijar e eu e mamãe olhamos para baixo e vimos o pinto de Felipe duro de novo. Ela perguntou: "Quer mais filho"? Ele respondeu: "Quero sim" e se preparou pra enfiar nela de novo. Mamãe falou: "Espera, vamos fazer outra posição. Deita de barriga pra cima". Ele deitou-se de barriga pra cima e o pinto dele parecia um mastro apontando pra cima. Mamãe ficou em pé na cama e colocou os pés do lado da cintura dele. Esticou as mãos para baixo e Felipe esticou as mãos para cima. Eles deram as mãos e mamãe foi se agachando até a xana encostar no pinto dele. Ela foi descendo mais e a cabecinha foi entrando. Desceu mais e foi entrando tudo, até o fim. Quando ela já estava bem sentada em cima dele, ela começou a cavalgar nele. Dessa vez não era só mamãe que gemia, meu irmão também gemeu bastante. Eu estava deitada do lado dele e fiquei fazendo carinho em seu tórax com uma das mãos enquanto com a outra esfregava meu clitoris. Ele virou o rosto de frente pro meu e me beijou. Eu já tinha beijado meu irmão de língua antes, mas só de brincadeira. Agora era mais gostoso. Nos beijamos mais até que ele gozou em mamãe. Dessa vez demorou um pouco mais. Mamãe desmontou de cima dele e deitou-se por cima dele, voltando a nos beijar ao mesmo tempo. Ficamos assim mais um bom tempo, até de noite. Então ela disse: "Bom meus anjos, por hoje é só, vão dormir que amanhã vocês têm aula". Mamãe nem se levantou mais. Felipe foi pro quarto dele e eu fui pro meu. Quase que não consegui dormir. Fiquei pensando naquilo a noite toda. Na manhã seguinte acordei um pouco com sono e fui pro banho. Saí do banho nua e fui pro meu quarto pra pegar uma roupa. Nessa hora chega Felipe, também nú no meu quarto e diz: "Bom dia mana" e me beija de língua. Enquanto ele me beijava eu agarrei seu pescoço e ele ficou apertando minha bundinha. Seu pinto ficava esfregando na portinha da minha xana. Mamãe chegou e nos deu bom-dia, e beijou cada um de nós, apaixonadamente. Fomos tomar café da manhã todos nús, nos vestimos e fomos pra escola. No elevador Felipe me beijou e me bolinou muito. Na volta, a mesma coisa. Ele perguntou: "Você não quer transar comigo agora?" Eu respondi: "Quero. Vamos falar com a mamãe". Chegamos, mamãe abriu a porta, nos beijou e eu disse: "Mamãe, quero transar com o Felipe agora". Ela falou: "Mas já? Não vão nem almoçar?" a gente disse: "Não, a gente quer agora". Ela falou: "então vamos pro meu quarto". No caminho até o quarto eu já estava desabotoando minha blusa e abaixando o soutien. Deitei-me e Felipe que também já estava sem camisa deitou-se por cima de mim. Ele começou a mamar meus seios e eu gemi muito, por que agora ele estava chupando com vontade, não eram mais aqueles beijinhos inocentes do outro dia. Esfreguei meu grelinho até que ele levantou minha saia e puxou minha calcinha de uma vez só e começou a me lamber. Eu estava adorando, mas estava impaciente. Eu falei: "Mete logo Felipe". Ele abaixou as calças e a cueca de uma vez só e já ia meter quando mamãe interrompeu: "Filho põe essa camisinha. Em mim você pode gozar porque eu tomo pílula, mas a Aninha não". Ele se atrapalhou um pouco com a camisinha, mas a mamãe falou: "Deixa que eu ponho pra você". E botou pra ele. Quando ele já estava pronto pra meter, mamãe falou: "Querido vai bem devagar, porque ela é virgem". Ele empurrou a cabecinha bem devagarinho e foi rompendo meu hímem. Aquilo estava doendo um pouco, mas quando ele meteu até o fim eu senti minha xana inchar um pouco e ficar muito mais molhada, e isso fez a dor passar. Ele começou a bombar bem devagarinho e a me beijar. Mamãe sentou-se do meu lado e ficou fazendo cafuné em mim. Depois de um tempo com ele metendo devagar, eu já estava me sentindo mais confiante e estava fazendo movimentos com os quadris pra ele entrar mais fundo e mais rápido. Ele percebeu e começou a meter mais rápido. Eu comecei a gemer mais ainda. Mamãe disse: "Vou ajudar vocês". Ela levantou Felipe, e ele ficou metendo em mim apoiado nos braços com o corpo suspenso. Mamãe abaixou a cabeça entre nós dois e ficou lambendo meu grelinho. Aquilo aumentou muito mais o meu prazer, e eu gemi com mais intensidade. Um pouco depois eu senti pela primeira vez um orgasmo. Foi muito forte, e cansativo, mas principalmente muito gostoso. Um pouquinho depois meu irmão também gozou. Nos deitamos todos juntos e ficamos nos beijando como da outra vez, mas dessa vez conversando sobre o acontecido. Eu e Felipe transamos mais uma vez e de noite mamãe deixou a gente dormir com ela. Dormimos todos como uma linda família feliz.


Ficha do Conto

Escritor:
rela104725

Nome do conto:
Aninha,o irmão e a mamãe

Codigo do conto:
979

Categoria:
Incesto

Data do Envio:
02/03/2003

Quant.de Votos:
7

Quant.de Fotos:
0

Compartilhe
Tweet esse conto! Digg esse conto! Adicionar esse conto no del.icio.us



Clique aqui para enviar uma mensagem (scrap) para o autor desse conto.

Gostou desse conto? Nao deixe de compartilhar com seus amigos no twitter. Tweet esse conto!






Escreva o seu Comentário

Importante:Comentário com número de telefone serão apagados.


Para fazer um comentario a respeito desse conto ou mandar um scrap para o autor. Voce precisa logar em nosso site.

Contos enviados pelo mesmo autor
Codigo Nome do Conto Categoria Ranking
© Copyright 2000-2014 www.contoerotico.com - Todos os direitos reservados
Web Design/Hosting - Dynamic Web Solutions Corp - USA