Comi um hétero gostoso que gosta de se exibir



Fala pessoal. O que vou relatar aqui aconteceu no final de 2018 e finalmente resolvi escrever sobre o caso, pois me dá muito tesão ler outros casos aqui.
Moro em BH, tenho 37 anos, 1,78, moreno claro, uma barba meio que por fazer, olhos castanhos. Malho quando dá tempo, mas acho meu corpo legal. Pego mulher também, curto uma cerveja e um churrasco, mas confesso que acho um tesão um macho safado que curte dar o rabo. Tento sempre andar arrumado, até porque ultimamente tenho trabalhado como UBER a noite pra fazer uma grana a mais, mas o foco aqui é no cara do caso que eu vou relatar.
Eu sempre saio de casa cedo, vou para o trabalho e no final do dia, volto pra casa, tomo um banho e saio com meu carro pra trabalhar com os aplicativos. Nesse dia fiz algumas viagens, mas o dia estava um pouco fraco. Depois de uma corrida finalizada, eu parei em uma rua pra aguardar o app chamar novamente, e fiquei lá fazendo hora. Mas não estavam rolando muitas corridas nesse dia. Como eu estava próximo de casa, esperei mais um pouco. Já eram por volta de umas 21 horas. Como essa rua é bem tranquila, eu saí do carro e aproveitei pra dar uma mijada. Dei uma olhada em volta, deixei a porta aberta e como não vinha ninguém aproveitei e comecei a mijar. Essa rua tem uns prédios mais antigos, com poucos andares. Enquanto eu estava mijando aproveitei pra olhar para os prédios pra ver se não tinha ninguém nas janelas, com medo de ser advertido por algum morador. Nisso vejo um apartamento bem em frente onde eu parei com uma sacada que era voltada pra rua com a luz acesa e uma cortina um pouco aberta. Fiquei olhando pra ver se não apareceria ninguém e eis que de repente surge um rapaz passando pelado. Acabei de mijar e voltei pra dentro do carro. De dentro do carro pude ver o rapaz passando algumas vezes totalmente pelado pela janela. (A varanda dá pra rua e tem uma porta grande toda de vidro, com uma cortina que cobre toda a extensão da janela. E como eu estava parado do lado oposto da rua, dava pra ver ele praticamente por inteiro lá dentro). Fiquei olhando por um tempo e vi ele passando diversas vezes. Até que passou com uma toalha e começou a se secar. Parecia ter saído do banho. Eu não conseguia parar de olhar aquela situação. Um cara gostoso, branquinho, alto, com um rabo delicioso e bem arredondado, corpo bem distribuído... as costas eram largas e fortes, e a maior parte do tempo via ele somente de costas. Acabei não conseguindo ver o rosto dele. De repente levei um susto quando o app chamou pra uma corrida. Eu não queria parar de ver aquilo, mas aceitei a solicitação e tive que partir dali. Como aquela seria a minha última corrida do dia, fiquei a noite toda pensando no que eu tinha visto. Aquela cena tinha me deixado com um tesão danado. Já estava a uns dias sem trepar e assim que cheguei em casa bati uma e fui tentar dormir.
No dia seguinte, fiz a mesma rotina de sempre. Quando foi dando próximo ao horário do dia anterior que eu tinha parado pra mijar, eu resolvi passar pela rua novamente pra ver se avistava algo. Passei devagar em frente ao endereço e vi que a luz estava acesa e a cortina um pouco aberta, assim como no dia anterior. Dei uma volta no quarteirão e parei no mesmo lugar que tinha parado no dia anterior. Fiquei um tempo lá parado esperando pra ver se avistava algo enquanto não apareciam corridas no app. Aproveitei pra descer um pouco do carro, esticar as pernas e tentar dar uma mijada novamente. Estava do lado de fora do carro tomando uma água quando vejo uma sombra passar rápido pela janela. Fiquei disfarçando um pouco parado ali e vi o rapaz passar lá dentro. Dessa vez ele estava de cueca. Uma cueca branca boxe, que deixava seu rabo maior e mais redondo. A rua continuava bem deserta, com apenas alguns carros parados nela, então resolvi ficar lá olhando mais um pouco. Logo depois vejo ele se abaixar e tirar a cueca, deixando seu rabão todo a mostra. Que delícia era ver aquilo. Apesar da cortina não estar muito aberta, era possível contemplar ele por interior lá dentro do apartamento, que era um andar acima da rua. Ele se movimentava de um lado para o outro mostrando aquele rabão, parecendo estar falando ao telefone. Alguns minutos depois vejo uma menina apontar na esquina da rua vindo em direção a onde eu estava parado, mas do outro lado da calçada e então resolvi entrar no carro. Fiquei um tempo esperando ela passar mas vejo que ela para na porta do prédio do rapaz e toca o interfone. O portão se abriu e ela entrou. De dentro do carro voltei a olhar lá pra dentro do apartamento pra tentar ver mais um pouco aquela cena, mas quando olho o rapaz já estava usando um short. Pensei que talvez a menina pudesse ter tocado lá, e pra minha surpresa foi mesmo, pois depois de um tempo vejo os dois juntos lá dentro. Deu pra ver eles se abraçando uma hora e em seguida ele se aproximou da varanda, abriu a cortina e abriu a porta, que dá pra uma sacadinha. Me encostei no banco para fingir que não estava olhando pra lá. Quando fui tentar olhar de novo vi os dois já na varanda olhando pro cima, como se estivessem olhando o céu, que nesse dia estava bem estrelado e ele com o braço envolta do pescoço dela. Ví que o rapaz uma hora olhou pra baixo e me viu dentro do carro olhando pra eles. Nisso fiquei muito sem graça, sem saber o que fazer e com receio de dar algum problema, liguei o carro e saí de lá.
Aquilo tudo não saia da minha cabeça. Fiquei pensando mil coisas. Pensei em passar lá de novo antes de voltar pra casa, mas como ele estava com companhia, já imaginei que não teria as cenas boas mais. Depois de algumas outras corridas voltei pra casa já pensando em voltar lá no dia seguinte pra tentar ver algo de novo. Aquela sensação de ver um cara gostoso em segredo estava me deixando com tesão a mil.
Dito e feito, no dia seguinte estava eu lá na frente do prédio de novo. Dessa vez a cortina estava um pouco mais aberta do que nos dias anteriores. Mas a luz que vinha lá de dentro era mais fraca, parecendo que tinha alguma outra luz acesa e não a do quarto mesmo (tipo de um abajur), mas ainda assim dava pra ver bem. Fiquei um tempo lá parado esperando para ver se algo ia acontecer, e eis que vejo o rapaz passando enrolado em uma toalha. Fiquei bem atento olhando de dentro do carro mesmo até ver ele de costas pra rua se despir da toalha e começar a se secar com ela. Aquela penumbra deixava o corpo dele ainda mais delineado. Ele se abaixava pra secar a perna e sua bunda se abria quase por completa. Meu pau já estava estourando dentro da calça. E diversas vezes ele se abaixou, e a cada abaixada a minha vontade era de pular lá em cima e enfiar a minha cara naquele rabo branco delicioso e que devia estar totalmente cheiroso de sabonete. Pra tentar ver melhor eu resolvi sair do carro e ficar em pé do lado de fora. O tesão estava tão grande que nem me importaria dele me ver ali olhando ele. Fiquei em pé ao lado do carro com a porta aberta fingindo que estava mexendo no celular, e como a rua continuava vazia não me importei de deixar meu pau marcando na calça. Depois de um tempo se secando, ele sumiu da visão que era possível ver pela fresta da cortina. Fiquei pensando que talvez ele pudesse ter me visto ali parado. Para não dar muito na cara, continuei como estava e esperei mais um pouco. Qualquer coisa eu estava ali esperando o aplicativo chamar de novo. Pra minha surpresa ele voltou a aparecer na janela, pelado e sem a toalha dessa vez, continuando sempre de costas pra rua. Ele começou a se movimentar lá e parecia estar dobrando umas roupas e várias vezes abaixava pra pegar algo e abria aquele bundão em minha direção. Comecei a suspeitar que talvez ele estivesse agora já me provocando. Meu pau já não cabia mais dentro da calça nessa hora. Resolvi então começar a apertar meu pau enquanto ficava ali olhando. Ajustei meu pau de lado dentro da calça de forma que ele marcasse o máximo possível e me afastei um pouco do carro para que ele pudesse ver como ele estava me deixando. Como eu estava bem abaixo de um poste, a luz marcava bem a minha calça, apesar dele nunca olhar diretamente pra mim enquanto andava lá dentro. Ele sumia e aparecia algumas vezes lá dentro e sempre que voltava a ficar visível pela fresta da cortina, via que ele olhava ligeiramente pra rua. O safado já tinha me sacado alí. Queria que ele visse como o meu pau estava latejando por aquele rabo. Foi então que entrei pra dentro do carro de novo e pensei: como o apartamento dele era um andar acima da rua, ele conseguiria me ver dentro do carro. Entrei, arredei meu banco todo pra trás e como a luz do poste estava jogando bem no meu painel e no banco, abri o zíper da minha calça, abaixei minha cueca e coloquei meu pau pra fora. (E convenhamos, é um belo de um cacete. Hehehe. Algumas qualidades de beleza que não tenho vieram em mim foram compensadas no meu pau. Reto, com algumas veias, sem muitos pelos, 19 cm, levemente grosso, uma cabeça bem arredondada, e um saco avantajado). Comecei a balançar meu pau de um lado pro outro, batendo ele na minha barriga e na minha mão, deixando ele bem exibido pra ele também ver. O safado sumiu lá da janela e passou logo depois olhando em direção ao meu carro. Fez isso umas 3 vezes, indo e voltando. Até que ele parou uma hora e ficou olhando do cantinho da cortina, meio que escondido. Meu pau estava estourando de tesão com aquela situação. Comecei a fazer movimentos de vai e vem no meu pau pra provoca-lo bastante. Logo em seguida não vi ele mais na janela. Ele ficou um tempo sem aparecer de volta e eu tinha começado a achar que tinha estragado tudo e que talvez eu tivesse passado dos limites. Passou mais um tempo e nada dele aparecer. A rua continuava deserta, apenas com alguns carros passando as vezes. Coloquei meu pau pra dentro da calça com medo de dar algum problema e esperei um pouco. De repente vejo o portão da garagem do prédio dele abrir um pouco, mas parou na metade e não abriu todo. O prédio é antigo e é daqueles que não tem porteiro. Fiquei olhando pra ver se alguém ia sair de lá e pra minha surpresa o rapaz aparece. Saiu até a calçada, olhou pra um lado e pro outro da rua, pra cima e voltou a entrar pra garagem. Fiquei doido na hora! O portão continuou aberto e achei que aquilo pudesse ser um sinal. Saí do carro, atravessei a rua e passei em frente ao portão pra ver se avistava algo lá dentro. E lá estava ele, mais ao fundo da garagem (era possível ver pela grade do portão) usando uma camiseta regata, um short preto de academia e chinelo. Entrei na garagem e vi ele indo em direção a um carro que estava mais ao canto, em uma área menos iluminada. Reparei na bunda dele e parecia estar sem cueca, pois a bunda mordia gostoso o tecido do short. A garagem era bem pequena, e pouco iluminada. Fui andando até ele e quando cheguei perto pude ver o tanto que ele era gostoso e boa pinta. Alto, gostoso, malhadinho de academia, devia ter uns 25 anos, alguns pelos pelo corpo. Ele só me cumprimentou meio sem graça e falou:
- E aí cara, blz? Ví que você estava curtindo uma alí no seu carro.
- Porra... tava foda! Parei aqui na rua pra dar uma mijada e me deparo com um cara gostoso igual você com um rabão delicia de fora. Não aguentei – Falei.
Ele riu meio sem graça e falou – Legal! Parecia bem maneiro mesmo!
E eu já fui apertando meu pau sobre a calça e vi que ele olhou pra baixo pra ver o que eu estava fazendo. Peguei a mão dele e coloquei por cima, pra ele sentir o volume.
– Sente só aqui como você me deixou muleke.
Ele continuou calado só massageando meu pau por cima da calça. Nisso, cheguei mais perto e comecei a passar a mão no rabo dele por cima da bermuda, e senti que realmente estava sem cueca. Era só aquele tecido fininho cobrindo aquele rabão. Abri a minha calça, tirei meu pau pra fora e forcei a cabeça dele pra baixo.
– Abre essa boquinha aí e chupa gostoso vai?
Esfreguei o pau na cara dele e ele levemente abriu a boca começou a chupar meu pau com maestria. Caralho... que chupada gostosa. O safado sabia mamar um rola como poucos. Depois de um tempo, levantei ele, o virei de costas e coloquei ele com as mãos apoiadas sobre o carro. Alisei aquele rabo todinho que a dias estava desejando. Fui abaixando o short dele e chegando a minha cara mais perto. Abaixei o short todo, apertei aquele rabo delicioso com as duas mãos e comecei a massagear e a abrir as nádegas. Ajoelhei no chão e não aguentando mais meti a língua naquele cuzinho. Nisso ele deu uma gemida funda e senti seu corpo todo tremer. A cada linguada naquele cuzinho cheiroso ele gemia mais gostoso ainda. Abri as pernas dele pra deixar aquela bunda mais abertinha e chupei e chupei.... sentia ele delirar de tesão com aquilo. O safado parecia uma putinha virgem sendo chupada, todo se contorcendo. Aquilo me deixava cada vez com mais tesão. Levantei e comecei a esfregar meu pau no rabo dele, passando pela portinha que piscava sem parar.
- Era isso que você queria, não era safado? Que rabão delícia!
Ele só se contorcia de tesão e gemia baixinho. Passei um cuspe na mão e comecei a massagear o cuzinho dele, entrando e saindo com a ponta do dedo por aquele buraco apertado. Aquele macho rebolando no meu dedo estava fazendo meu pau babar como poucas vezes babava. Tirei o dedo e comecei a forçar meu pau pra dentro. Ele me afastou um pouco e falou pra ir com calma, porque falou que não sabia se ia aguentar dar pro meu pau. Eu falei pra ele relaxar que eu ia com calma. Ele abaixou, pegou o short dele e tirou um tubo que estava no bolso. Era um gel lubrificante. O safado já tinha até gel. Peguei da mão dele e falei: - Agora você vai aguentar tudo bem gostoso! – Pus um pouco na mão e voltei a massagear o cuzinho dele e fui enfiando um pouco do gel. Meu dedo entrou deslizando por aquele buraco quente e apertado, sentia ele apertando meu dedo que já fazia movimentos de vai e vem. Tirei a passei no meu pau. Ele abaixou de novo, pegou uma camisinha, abriu e começou a colocar em mim. Antes me chupou mais um pouco e colocou a camisinha toda. O puxei pra cima, virei ele de costas e comecei a forçar pra dentro. Que cuzinho apertado, pqp... fui colocando aos poucos e ele gemia baixinho, o que me levava a loucura... ver aquele cara macho delicioso, de quatro, sentindo a minha rola entrando. Ele colocou a mão no meu pau e foi sentindo entrar tudo. Fiquei um tempo parado pra ele se acostumar e comecei a socar de leve.
– Ta gostando safado? Era rola que você queria nesse rabão ne?
E ele só sussurrava e gemia. Uma hora ele parou, tirou meu pau, abriu a porta de trás do carro que estávamos encostado (deveria ser o dele), deitou no banco de frango assado e levantou a perna. Me encaixei no meio dele e coloquei o pau pra dentro daquele cuzinho que já estava alargado naquele momento. Comecei a meter de novo e dessa vez podia ver a cara dele de tesão sentindo cada estocada minha. Ele fazia uma cara de macho e gemia grosso, mordendo os lábios
– Caralho cara... to com tesão demais! – Ele falou.
Dei mais algumas estocadas e ele anunciou que ia gozar se eu continuasse. Meu tesão já estava explodindo e não aguentei muito e falei que ia gozar também. De repente vejo ele jorrando porra em cima dele todo. E eu comecei a gozar igual um cavalo também vendo aquilo. Sentia o cu dele apertando meu pau de tesão. Que gozada gostosa. Tirei o pau fora, tirei a camisinha e joguei num canto. Ele se levantou todo melado no peito, pegou um pano no que estava no banco do carro e se limpou. Chegou perto de mim e ainda sentado no banco do carro começou a passar o pano no meu pau pra limpar também. Reparei nele admirando meu pau por um tempo, como se tivesse pensando “caralho, deu pra esse pau todo”, até que ele se levantou do carro e colocou a bermuda de novo e riu com uma cara de safado meio sem graça com o que tinha acontecido. Subi a minha calça e guardei meu pau de volta na cueca.
Falei – Você dá gostoso demais cara!
Ele ficou mais sem graça ainda e riu de novo. Pra não deixar a situação mais sem graça falei que estava atrasado, que tinha que ir embora logo e que quem sabe um dia passava ali na porta de novo pra uma próxima. Ele acenou com a cabeça, falou que tinha curtido também. Perguntei se ele namorava mulher e ele disse que sim (provavelmente aquela menina que tinha estado lá no dia anterior era a namorada), mas que tem tesão em algumas aventuras com caras. Falei com ele pra ficar tranquilo, que ninguém sabia que eu dava meus pulos também não. Nos despedimos, ele abriu o portão e eu fui embora.

Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Twitter Facebook

Comentários


foto perfil usuario ronald43

ronald43 Comentou em 17/04/2019

Espetacular, cara!!!! Tesão demais e deixou aqui a boca seca imaginando seu pau disponível pra ela ..

foto perfil usuario villa

villa Comentou em 14/04/2019

Tesão seu conto. Muito bom aguardo um novo conto.

foto perfil usuario olavandre53

olavandre53 Comentou em 14/04/2019

Mto goatoso. Pena ñ ter rolado beijo. Amo bjo

foto perfil usuario edlivre

edlivre Comentou em 13/04/2019

Muito, muito excitante Votado com muito tesão.

foto perfil usuario pelosdf

pelosdf Comentou em 13/04/2019

Tzao aventura

foto perfil usuario pade

pade Comentou em 13/04/2019

Uau! Queria estar no lugar desse hétero marrentinho.

foto perfil usuario chaozinho

chaozinho Comentou em 12/04/2019

Caralho... Que conto é esse man! Li num tesao insuportave, parecia que eu estava vendo escondido voces dois transando. Parabens! Quero mais por favor.




Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


Ficha do conto

Foto Perfil guivasco
guivasco

Nome do conto:
Comi um hétero gostoso que gosta de se exibir

Codigo do conto:
137217

Categoria:
Gays

Data da Publicação:
12/04/2019

Quant.de Votos:
38

Quant.de Fotos:
0