Mohara III - Entrega total



Depois de me comer na frente das amigas, minha dominadora ordenou-me que usasse calcinha todo dia. Já no dia seguinte, morrendo de medo de que ela viesse “fiscalizar”, escondi todas as minhas cuecas. Depois, procurei a loja de lingeries mais distante da minha casa.


Morrendo de vergonha, comecei a falar com a vendedora, mentindo que queria calcinhas para minha namorada. Que namorado compra uma dúzia de calcinhas para sua parceira? A vendedora, obviamente, desconfiava da verdade, mas fingia acreditar na minha balela. No entanto, enquanto me mostrava alguns modelos, cometeu um deslize e perguntou:

– Você veste que tamanho? – percebeu o ato falho e tentou se corrigir – Digo... o tamanho que sua namorada veste...

Corei e fiquei todo sem jeito... estava na cara... respirei fundo e confessei que as calcinhas eram pra mim. A vendedora sorriu toda cúmplice e já me pegou pela mão, como faria com uma amiga. Me mostrou vários modelinhos sensuais e me ajudou a escolher alguns.

Depois que eu já tinha comprado um monte de calcinhas, ela perguntou se eu não queria “espiar” umas camisolinhas e baby-dolls bem sexys...

– Seu namorado vai adorar te ver vestindo uma...

Devo ter ficado muito vermelho, pois a vendedora se desculpou, mas eu disse que estava tudo bem... ela não poderia pensar outra coisa mesmo... Já que tinha chegado àquele ponto, o que custava ver as camisolas, não?

A moça sugeriu que eu experimentasse... separou alguns modelos e me encaminhou para o closet. Como eu estava de calcinha (com a mesma que Mohara havia me comido) e com o corpo todo depilado, fiquei realmente bem feminina. Estava perdido me contemplando no espelho, quando a cortina se abre e a vendedora entra. Ficamos ambos um pouco constrangidos, porém ela lançou um olhar pra mim e disse:

– Nossa, você está bem sensual... deixa muita garota com inveja... seu namorado tem sorte!

Com muita vergonha, soltei um “obrigada”. Não sei porque, só sei que saiu assim, no feminino.

Eu morava com uma tia e era complicado esconder aquilo tudo... já tinha inventado aula de natação para justificar a depilação, mas se ela visse uma calcinha, não teria como explicar. Tudo ficou ainda pior, quando recebi outra mensagem de Mohara: “Vem me ver hoje, mas faz a sobrancelha antes.” Isso era o fim! Os pelos do corpo eu ainda conseguia esconder da maioria e justificar, mas as sobrancelhas, literalmente, estavam na cara! Além disso, logo me peguei pensando onde conseguiria fazer sobrancelha àquela hora (já estava anoitecendo). Liguei para Denise e implorei para que me atendesse. “A gente não trabalha com isso!”, me respondeu, mas insisti tanto que, por pena, resolveu me atender: “mas vou cobrar uma depilação completa!”, avisou.

Chegando lá, pedi que fizesse algo que fosse meio termo entre feminino e masculino. Ela brincou: “acho que você já ultrapassou esse meio termo faz tempo, menina!”. Mesmo assim, deixou minha sobrancelha mais fina, porém sem muito exagero... nada diferente do que muito jogador de futebol usa...

Corri para a casa de Mohara, que já deveria estar impaciente. Para minha surpresa, havia movimento... além de suas colegas de ap, alguns rapazes bebiam e conversavam. Tentei voltar, mas já estava sendo arrastado pela minha dominadora para o quarto.

– O que é isso, parece uma festinha? – perguntei, tentando descobrir de que forma ela me humilharia dessa vez.

– Você tá certa, menina... é uma festa e, não sei se reparou, tem mais homem do que mulher, então você vai nos ajudar a dar conta desses machos.

– O quê?????? De jeito nenhum! Eu vou embora! – pela primeira vez, dei chilique. Mohara não se abalou. Apenas pegou o celular e começou a carregar o vídeo que havia feito da nossa transa no facebook. Obviamente, desisti da minha revolta. “Boa garota...”

Tomei banho e vesti calcinha e sutiã brancos de renda e um vestido azul, curtinho, de um tecido bem leve. Com a sandália de salto que calcei, a cada passo que dava, sentia minha bunda exposta. Mohara me maquiou e penteou.

– Pronto, está uma perfeita putinha... quer dizer... ainda falta uma coisa...

Me empurrou com força, me fazendo cair de bruços na cama. Puxou meu quadril para trás, me deixando de quatro. Baixou a calcinha e caiu de boca no meu cuzinho, já metendo a língua e i enchendo de saliva. Então enfiou logo dois dedos e deu várias estocadas. A todas essas eu tentava abafar os gemidos.

Eu já estava entrando no clima, com muito tesão por penetrado e esperei que ela terminasse o trabalho com seu consolo negro, porém o seu objetivo era apenas me preparar para o que vinha depois. Colocou a calcinha no lugar e me levou pela mão para a sala, onde os rapazes e as outras meninas estavam.

Não demorou muito para eu sentir, na penumbra da sala, mãos que me puxavam... fui passando de mão em mão, de colo em colo, sentindo aqueles caras de pau duro se esfregando em mim... a gente estava dançando num espaço reduzido, todo mundo meio junto e quando eu escapava de um, já havia outro me agarrando por trás e me sujeitando. Mohara foi para o banheiro, agarrada a um dos carinhas. Minutos depois voltaram e ela veio até mim, me dando um beijo molhado de língua. Sua boca tinha um gosto estranho e logo percebi que ela tinha chupado a pica do seu parceiro.

– Gostou, querida? Que tal experimentar na fonte??

Me segurou pelos cabelos e me fez ficar de joelhos. Um dos rapazes já estava na minha frente, com um grande volume na calça. Mohara abriu a braguilha dele e o seu pau duro e meio melado saltou para fora, latejando e espalhando um cheiro forte.

– Chupa! – disse minha dominadora, já me agarrando pelos cabelos e empurrando minha boca para aquela pica.

Sem outra alternativa, consenti em receber aquele pau na minha boca. O lambi e chupei o melhor que pude, já me sentindo uma verdadeira puta, pois todos ali assistiam rindo. Para minha sorte (eu achava pelo menos), o rapaz não gozou na minha boca.

Mohara me fez virar e me apoiar no sofá, o que deixou minha bunda empinada e exposta. Ela própria baixou a calcinha, oferecendo o meu cuzinho já lubrificado para o carinha. Mais que depressa ele me agarrou por trás e foi guiando o pau para o meu buraquinho... entrou fácil e, pela primeira vez, senti um membro quente e latejante me preenchendo. Foi totalmente impossível manter a compostura e não demonstrar que estava com muito tesão, sentindo um prazer desesperado em ser fodida na frente de todo mundo. Antes dele me encher de porra, eu já tinha gozado, para o delírio da plateia.

Mais dois homens me comeram na sequência e eu tive outro orgasmo sendo enrabada. Mohara também se esbaldou, chupando, sendo chupada e penetrada... transou com homens e com as meninas também... de madrugada, eles foram embora, as colegas de ap se recolheram e minha dominadora me levou para o seu quarto. Estávamos exaustos e pensei que havia acabado por ali, mas Mohara não me deixou dormir sem antes lamber cada centímetro do seu corpo, dando-lhe um banho completo de língua.


Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Twitter Facebook



Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


109613 - Caiu na net - o vídeo que mudou minha vida - Categoria: Gays - Votos: 23
109774 - Caiu na Net 2 - A Chantagem - Categoria: Gays - Votos: 12
109901 - Caiu na Net 3 - Minha namorada descobriu e inverteu o jogo - Categoria: Gays - Votos: 20
109954 - LesbCarol: descobertas de uma menina do interior - Categoria: Lésbicas - Votos: 21
109961 - LesbCarol 2: Meu namorado e sua irmã gostosa - Categoria: Virgens - Votos: 13
109994 - LesbCarol 3: Fodida na academia - Categoria: Lésbicas - Votos: 18
110304 - LesBiCarol - Predadora - Categoria: Fantasias - Votos: 8
110335 - LesBiCarol - Putinha da escola - Categoria: Lésbicas - Votos: 13
110450 - LésBiCarol - Mamãe, meu desejo mais antigo - Categoria: Incesto - Votos: 16
110843 - Fui apostada pelo meu namorado - Categoria: Traição/Corno - Votos: 35
110881 - Fui apostada pelo meu namorado (mas dei o troco) - Categoria: Traição/Corno - Votos: 13
112101 - Potrinho virou égua - Categoria: Gays - Votos: 26
112366 - A Ex do meu namorado (real) - Categoria: Traição/Corno - Votos: 28
113012 - Teorema da babá - Categoria: Fetiches - Votos: 16
114285 - Anitta de Joinville - Categoria: Lésbicas - Votos: 15
114915 - Como você descobriu que gosta de garotas? - Categoria: Lésbicas - Votos: 13
115352 - Como eu descobri que gosto de comer homens - Categoria: Fetiches - Votos: 19
115615 - Festa na casa de Anita (REAL - deste findi!) - Categoria: Grupal e Orgias - Votos: 9
117702 - As mulheres de Helena - Categoria: Lésbicas - Votos: 13
117703 - As mulheres de Helena 2 - Ângela - Categoria: Traição/Corno - Votos: 10
117705 - As mulheres de Helena 3 - Flávia - Categoria: Fetiches - Votos: 11
120313 - A vingança das feminazi - Categoria: Fetiches - Votos: 9
120936 - Perdida numa tarde suja - Categoria: Traição/Corno - Votos: 9
123296 - Virei mulher no encontro de estudantes - Categoria: Gays - Votos: 19
127077 - Minha namorada testando os limites da putaria - Categoria: Traição/Corno - Votos: 39
127789 - Sexy Girl - Categoria: Travesti - Votos: 21
134923 - Meu namorado me apresentou o amigo e virou corno - Categoria: Traição/Corno - Votos: 50
135011 - Na rivalidade das meninas, quem tomou no cu fui eu - Categoria: Traição/Corno - Votos: 20
135761 - O caso da Motosserra - Categoria: Traição/Corno - Votos: 13
137254 - Mohara (ou o prazer a da obediência) - Categoria: Sadomasoquismo - Votos: 8
137255 - Mohara II - humilhação e tesão - Categoria: Sadomasoquismo - Votos: 9

Ficha do conto

Foto Perfil gabkiel
gabkiel

Nome do conto:
Mohara III - Entrega total

Codigo do conto:
137256

Categoria:
Sadomasoquismo

Data da Publicação:
13/04/2019

Quant.de Votos:
6

Quant.de Fotos:
0