Uma viagem interurbano




Peguei um ônibus indo para o interior umas 23h após sair do trabalho, o ônibus estava quase vazio, mas sempre gosto de sentar no fundo, mas, as últimas poltronas estavam ocupadas, então sentei em uma que era quase ao lado da última que estava ocupada. Sentei normalmente pois o ônibus ainda esperava seu horário pra sair da rodoviária; quando ele deslocou e vi que não entrara mais alguém pra ocupar as cadeiras ao lado, sentei-me com os pés para o corredor ocupando as duas poltronas nas poltronas próximas ninguém havia sentado, apenas na última e do meio pra frente do ônibus. Pude perceber que nas últimas poltronas tinha um casal e que mal o ônibus começou a andar eles começaram a se ajeitar nas poltronas, como se fossem deitar e ficavam cochichando algo que não conseguia saber o que era, eu estava virado para o corredor e mexendo no celular, de repente vejo o homem se levantando e foi ao banheiro, um momento depois as luzes se apagaram, enquanto a mulher se mexia na poltrona como se estivesse tirando a roupa, eu desliguei o celular e fiquei mais atento, esperando pra ver o que iria acontecer naquele fundo; quando o rapaz saiu do ônibus, notei que ela deu um sorriso e se mexeu um pouco para o canto da janela para que ele se sentasse, mas parecia não estar muito confortável, então eles levantaram, o cara já parecia que não tinha mais ninguém no ônibus e correu a mão pelo corpo da mulher enquanto estavam em pé e deu uma encoxada nela, meu cacete deu logo sinal de vida, mas não me mexi, queria ver mais, fingia que estava dormindo; mas a mulher segurou sua mão e o repreendeu, ele parecia querer meter seu cacete nela ali mesmo no corredor, mas ela o empurrava para a poltrona, ele sentou e agora ela sentou em cima dele, a mulher estava de pernas abertas e com os braços meio que entrelaçados sobre o recosto da poltrona da frente, e em movimentos de sobe e desce que o homem meio que a forçava a ficar, pude perceber ela com os olhos fechados e a cabeça de lado encostada em um de seus braços, e colocava uma mão na boca, para impedir algum som de sair dalí, às vezes pudia perceber que ela mordia esta mesma mão que a calava; o cara parecia querer levanta-la com as estocadas que dava e ela nem podia gritar, ela meio que se virou pra ele e começou a beija-lo, foi quando diminuiu as estocadas; ele se levantou ainda engatado nela e começou a se dirigir à porta do banheiro, só que ele não entrou no banheiro, colocou-a virada de frente para onde eles estavam, ela ficou com o seu corpo sobre o banco com as pernas pra fora e a bunda toda à mostra e ele começou um movimento de vai e vem bem lento pois o ônibus balançava um pouco, ele se segurava na poltrona da frente e na deles, e eu só via as pernas dela subirem e como forçando para que ele enfiasse mais nela, não aguentei muito ver aquilo e fingi que estava acordando para ir ao banheiro, quando fui levantando o cara parou na mesma posição que estava e ela sem nem saber o que estava acontecendo, continuava alí com o rabo todo exposto, eu passei e entrei no banheiro com meu cacete durão, mas não deixei que eles vissem como eu estava pois não sabia a reação do cara. Quando saí do banheiro, já estava mais comportado e a mulher já estava sentada e o cara ao lado, eu dei uma pequena olhada ela sorriu meio que sem graça, eu retribuí o sorriso e o cara também sorriu olhando pra mim, voltei a sentar em minha poltrona e pude perceber que a mulher estava pegando no cacete do cara, agora ele parecia já saber que eu estava olhando e tirou seu cacete pra fora, dando para a mulher mamar, ela se virou em sua direção e caiu de boca na pica dele, eu sem fazer cerimônia, deitei a poltrona do corredor, que dava uma melhor visão dela chupando o cara, ele fechou os olhos e colocou a cabeça como se olhasse para o teto enquanto ela chupava e lambia a cabeça da pica e olhava pra mim, minha caceta já estava pulsando, eu coloquei pra fora e ela parou de chupar o cara por um momento e me olhava como se quisesse ver o que eu ia fazer; comecei a me masturbar bem lentamente, ela voltou a chupar o cacete do cara, até que ele disse que iria gozar e segurava sua cabeça por entre seus cabelos forçando a cabeça dela a engolir toda sua caceta e eu olhava aquela cena e me dava uma vontade de participar, mas não queria ter algum problema; ele gozou e ela lambia todo seu pau. Ela foi ao banheiro e eu me controlei e guardei meu cacete, quando ela saiu, olhou pra mim e deu uma risadinha e foi se sentar em sua poltrona, só sentia cheiro de sexo e o tesão que aflorava. Naquele momento ficou apenas naquilo e não se trocou alguma palavra.
Foto 1 do Conto erotico: Uma viagem interurbano


Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Twitter Facebook

Comentários


foto perfil usuario tsemanuellesantos

tsemanuellesantos Comentou em 17/04/2019

Um ótimo conto! Parabéns! Contatos: E-mail: emailescravo2 Twitter: https://twitter/Emanuel99626050 Instagram: manu__________sx (Link direto: https://instagram/manu__________sx/?hl=pt-br) PornHub: https://pt.pornhub/users/manuzinha99sx

foto perfil usuario casadobi-sp

casadobi-sp Comentou em 15/04/2019

Uau! Esse conto deu muito tesão!!! Parabéns!




Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


131506 - Menage - Eu, Ela e o amigo dela - Categoria: Fetiches - Votos: 16
131507 - Antigo - O carinha do batepapo - Categoria: Gays - Votos: 3
134898 - Em uma certa praça - Categoria: Fantasias - Votos: 9
137317 - No hotel que trabalhei - Categoria: Fantasias - Votos: 11

Ficha do conto

Foto Perfil masturbaldos
masturbaldos

Nome do conto:
Uma viagem interurbano

Codigo do conto:
137329

Categoria:
Exibicionismo

Data da Publicação:
15/04/2019

Quant.de Votos:
9

Quant.de Fotos:
1